Return to Video

IWOW - Part 4 - Beyond Thinking

  • 0:03 - 0:07
    Muito antes do amanhecer da
    civilização ocidental e da linguagem escrita,
  • 0:07 - 0:12
    a ciência e a espiritualidade
    não eram duas coisas separadas.
  • 0:14 - 0:17
    Nos ensinamentos das
    grandes tradições antigas
  • 0:17 - 0:22
    a busca externa por conhecimento e certeza era
    compensada pelo sentimento interior de impermanência
  • 0:22 - 0:26
    e pela compreensão intuitiva
    da espiral da mudança.
  • 0:27 - 0:31
    A medida que o pensamento científico se tornou
    mais dominante e a informação se multiplicou,
  • 0:31 - 0:36
    a fragmentação iniciou-se em
    nossos sistemas de conhecimento.
  • 0:36 - 0:41
    O aumento de especializações fizeram com que poucas
    pessoas fossem capazes de ver o panorama geral,
  • 0:41 - 0:45
    de sentirem e intuirem a
    estética do sistema como um todo.
  • 0:45 - 0:52
    Ninguém perguntava:
    "Será que todo esse pensar é bom para nós?"
  • 0:57 - 1:02
    O conhecimento antigo está aqui, em
    nosso meio, escondido de nossas vistas.
  • 1:02 - 1:07
    Mas estamos muito mais preocupados com
    nossos pensamentos para reconhecê-lo.
  • 1:07 - 1:13
    Essa sabedoria proibida é o caminho para
    reestabelecermos o equilíbrio entre o interior e o exterior.
  • 1:13 - 1:14
    Yin e yang.
  • 1:15 - 1:22
    Entre a espiral da mudança
    e a quietude de nosso centro.
  • 1:41 - 1:48
    Parte Três:
    A Serpente e a Lótus
  • 1:52 - 1:59
    Na mitologia grega, Esculápio era
    o filho de Apolo e o deus da cura.
  • 1:59 - 2:03
    Sua sabedoria e habilidades
    de cura eram insuperáveis
  • 2:03 - 2:09
    e é dito que havia descoberto
    o segredo da vida e da morte.
  • 2:10 - 2:16
    Na Grécia antiga, os templos de cura esculapiana
    reconheciam o poder da espiral primordial
  • 2:16 - 2:22
    a qual era simbolizada
    pelo bastão de Esculápio.
  • 2:23 - 2:26
    Dizem que Hipócrates, o pai da medicina,
  • 2:26 - 2:30
    cujos juramentos ainda formam
    o código da profissão médica atual,
  • 2:30 - 2:34
    recebeu seus treinamentos
    num templo de esculapiano.
  • 2:34 - 2:37
    Até hoje, esse símbolo
    de nossa energia evolutiva
  • 2:37 - 2:41
    permanece sendo o logotipo da
    Associação Médica Americana
  • 2:41 - 2:47
    e de outras organizações
    médicas mundo afora.
  • 2:48 - 2:50
    Na iconografia egípcia,
  • 2:51 - 2:57
    a serpente e o pássaro representam a
    dualidade ou polaridade da natureza humana.
  • 3:02 - 3:07
    A serpente em direção descendente
    é a espiral manifestada,
  • 3:07 - 3:12
    a energia evolutiva do mundo.
  • 3:13 - 3:16
    O pássaro é adireção ascendente:
  • 3:16 - 3:19
    a corrente acima,
    em direção ao sol
  • 3:19 - 3:22
    ou a consciência unifocalizada desperta:
  • 3:22 - 3:29
    o vazio da Akasha.
  • 3:33 - 3:37
    Faraós e deuses são representados
    com sua energia desperta
  • 3:37 - 3:40
    pois a serpente Kundalini
    ascende a coluna vertebral
  • 3:40 - 3:47
    e perfura o "chacra Ajna" entre os olhos.
  • 3:49 - 3:53
    Este é chamado de olho de Hórus.
  • 3:53 - 3:58
    Na tradição Hindu, o bindi também
    é uma representação do terceiro olho:
  • 3:58 - 4:05
    a conexão divina com o espírito.
  • 4:08 - 4:15
    A máscara do Rei Tutankhamon é um exemplo
    clássico que mostra o tema de aves e serpentes.
  • 4:19 - 4:24
    A tradição maia e asteca combinam o tema
    da serpente e do pássaro em um único deus.
  • 4:25 - 4:27
    Quetzalcoatl ou Kukulcán.
  • 4:27 - 4:34
    O deus da serpente emplumada representa a
    consciência evolutiva desperta ou a Kundalini desperta.
  • 4:35 - 4:38
    A pessoa que desperta
    Quetzalcoatl dentro dela mesma
  • 4:38 - 4:43
    se torna uma manifestação viva do divino.
  • 4:43 - 4:47
    Dizem que Quetzalcoatl,
    ou a serpente de energia,
  • 4:47 - 4:53
    regressará no final dos tempos.
  • 5:01 - 5:06
    Os símbolos da serpente e do pássaro
    também são encontrados no Cristianismo.
  • 5:06 - 5:09
    Seus significados reais podem
    estar muito mais codificados
  • 5:09 - 5:14
    mas o significado é o mesmo
    do de outras antigas tradições.
  • 5:14 - 5:19
    No Cristianismo, o pássaro ou pomba
    geralmente visto acima da cabeça de Cristo
  • 5:19 - 5:23
    representa o Espírito Santo
    ou Kundalini Shakti
  • 5:24 - 5:30
    a medida que ascende
    o sexto chacra e mais além.
  • 5:31 - 5:38
    Os místicos cristãos chamam a Kundalini
    por outro nome: Espírito Santo.
  • 5:38 - 5:45
    Em João 3:12 está escrito: "E, como
    Moisés levantou a serpente no deserto,
  • 5:45 - 5:51
    assim importa que o Filho
    do homem seja levantado"
  • 5:51 - 5:54
    Jesus e Moisés despertaram
    sua energia Kundalini,
  • 5:55 - 6:03
    trazendo o despertar da consciência às forças
    inconscientes reptilianas que regem os desejos humanos.
  • 6:03 - 6:08
    Dizem que Jesus permaneceu
    quarenta dias e quarenta noites no deserto,
  • 6:08 - 6:13
    e durante esse período
    ele foi tentado por Satanás.
  • 6:15 - 6:18
    Da mesma maneira,
    Buda foi tentado por "Mara"
  • 6:18 - 6:25
    enquanto estava sentado em busca da iluminação,
    abaixo da árvore Bodhi, ou árvore da sabedoria.
  • 6:27 - 6:29
    Tanto Cristo quanto Buda
  • 6:29 - 6:37
    tiveram de livrar-se da tentação dos
    prazeres sensoriais e apegos mundanos.
  • 6:38 - 6:46
    Em ambas as histórias, o demônio é a
    personificação de seus próprios apegos.
  • 7:01 - 7:06
    Se lermos a história de Adão e Eva
    sob a luz das tradições védicas e egípcias,
  • 7:06 - 7:11
    descobriremos que a serpente que
    protege a árvore da vida é a Kundalini.
  • 7:11 - 7:16
    A maçã representa o encanto e a
    tentação do mundo sensorial externo,
  • 7:16 - 7:20
    nos distraíndo do conhecimento do mundo interior,
  • 7:20 - 7:26
    a árvore do conhecimento interior.
  • 7:33 - 7:39
    A árvore é apenas a rede de Nadis ou os
    meridianos de energia dentro de nós mesmo,
  • 7:39 - 7:45
    os quais formam, literalmente, estruturas
    em forma de árvore por todo nosso corpo.
  • 7:45 - 7:48
    Em nossa busca egóica
    por gratificação externa,
  • 7:49 - 7:53
    acabamos por nos segregar do
    conhecimento do mundo interior,
  • 7:53 - 8:00
    nossa conexão com a Akasha
    e com a fonte da sabedoria.
  • 8:07 - 8:10
    Muitos dos mitos históricos
    mundo afora a respeito de dragões
  • 8:10 - 8:15
    podem ser interpretados como metáforas das
    energias internas das culturas as quais faziam parte.
  • 8:15 - 8:23
    Na China, o dragão ainda é um símbolo
    sagrado que representa a felicidade.
  • 8:24 - 8:26
    Assim como os faraós egípcios,
  • 8:26 - 8:31
    os antigos imperadores chineses que
    despertaram suas energias evolutivas
  • 8:31 - 8:36
    eram representados pela
    serpente alada ou dragão.
  • 8:36 - 8:41
    O totem real do Imperador de
    Jade ou Imperador Celestial
  • 8:41 - 8:46
    exibe um equilíbrio
    similar ao de Ida e Pingala.
  • 8:46 - 8:50
    O yin-yang do Taoísmo,
    despertando o centro pineal
  • 8:50 - 8:57
    ou o que no Taoísmo é
    chamado de Dan Tian Superior.
  • 9:06 - 9:11
    A Natureza é repleta de formas
    distintas de detectar e assimilar a luz.
  • 9:11 - 9:16
    Por examplo, um ouriço-do-mar é capaz
    de enxergar com seu corpo espinhento,
  • 9:16 - 9:19
    que age como se fosse um grande olho.
  • 9:20 - 9:23
    Ouriços-do-mar detectam a luz
    que incide em seus espinhos
  • 9:23 - 9:30
    e comparam a intensidade dos raios para
    terem melhor noção de seus arredores.
  • 9:37 - 9:40
    Iguanas verdes e outros
    répteis possuem um olho parietal
  • 9:40 - 9:43
    ou glândula pineal no topo de suas cabeças
  • 9:43 - 9:48
    e o usam para detectar
    predadores vindos de cima.
  • 9:57 - 10:00
    A glândula pineal humana é
    uma pequena glândula endócrina
  • 10:00 - 10:04
    que ajuda a regular os
    padrões de sono e vigília.
  • 10:04 - 10:11
    Mesmo ela estando profundamente alocada
    na cabeça a glândula pineal é sensível à luz.
  • 10:12 - 10:16
    O filósofo Descartes reconheceu que
    a área da glândula pineal ou terceiro olho
  • 10:17 - 10:20
    era a interface entre a
    consciência e a matéria.
  • 10:20 - 10:23
    Praticamente tudo é
    simétrico no corpo humano:
  • 10:24 - 10:30
    Dois olhos, dois ouvidos, duas narinas,
    até mesmo o cérebro possui dois lados.
  • 10:30 - 10:34
    Mas existe uma área do
    cérebro que não é espelhada.
  • 10:34 - 10:40
    Essa é a área da glândula pineal
    e o centro energético que a circunda.
  • 10:40 - 10:42
    No nível físico,
  • 10:42 - 10:48
    moléculas únicas são formadas naturalmente pela
    glândula pineal, tais como a DMT (Dimetiltriptamina).
  • 10:48 - 10:53
    A DMT também é produzida naturalmente
    no momento do nascimento e da morte,
  • 10:53 - 11:00
    agindo literalmente como uma ponte
    única entre o mundo dos vivos e dos mortos.
  • 11:01 - 11:07
    A DMT é produzida naturalmente durante
    os estados de meditação profunda e Samadhi,
  • 11:07 - 11:10
    ou por meios enteogênicos.
  • 11:10 - 11:16
    Por examplo, a Ayahuasca é usada nas
    tradições xamânicas na América do Sul
  • 11:16 - 11:22
    para remover o véu entre o
    mundo interior e o mundo exterior.
  • 11:23 - 11:27
    A própria palavra pineal tem
    a mesma raiz da palavra pinha
  • 11:27 - 11:32
    pois a glândula pineal possui um padrão
    espiral de filotaxia semelhante ao da pinha.
  • 11:32 - 11:36
    Esse padrão, também conhecido
    como padrão da Flor da Vida,
  • 11:36 - 11:41
    é bastante comum nas obras de arte antigas
    que representam seres iluminados ou despertos.
  • 11:41 - 11:45
    Quando a imagem de uma pinha
    é vista em obras de arte sagradas,
  • 11:45 - 11:50
    ela representa o terceiro olho desperto:
    a consciência unifocalizada desperta
  • 11:50 - 11:54
    direcionando o fluxo
    da energia evolutiva.
  • 11:55 - 11:58
    A pinha representa o
    florescer dos chacras superiores
  • 11:59 - 12:06
    os quais são ativados assim que Sushumna
    se eleva até o chacra Ajna e além.
  • 12:06 - 12:11
    Na Mitologia Grega, os seguidores de
    Dionísio carregavam consigo um tirso,
  • 12:11 - 12:16
    ou cajado gigante com videiras
    enroladas em espiral e com uma pinha no topo.
  • 12:16 - 12:21
    Novamente, representando a
    energia de Dionísio ou Kundalini Shakti
  • 12:21 - 12:28
    enquanto viaja através da coluna
    vertebral até o corpo pineal no sexto chacra.
  • 12:31 - 12:36
    No coração do Vaticano, talvez espera-se ver
    alguma escultura gigante de Jesus ou de Maria,
  • 12:36 - 12:40
    mas no lugar encontramos uma
    estátua gigande de uma pinha
  • 12:40 - 12:42
    indicando que na história do Cristianismo,
  • 12:42 - 12:45
    pode ter havido conhecimento
    sobre os chacras e a Kundalini
  • 12:45 - 12:48
    mas, por algum motivo, foram
    mantidos em segredo das massas.
  • 12:49 - 12:50
    A explicação oficial da igreja
  • 12:51 - 12:54
    é de que a pinha é
    um símbolo da regeneração
  • 12:54 - 13:00
    e representa uma vida nova em Cristo.
  • 13:10 - 13:15
    O filósofo e místico do
    século XIII, Mestre Eckhart disse:
  • 13:15 - 13:20
    "O olho com que vejo Deus
    e o olho com que Deus me vê
  • 13:21 - 13:25
    é o mesmo."
  • 13:25 - 13:31
    Na Bíblia (versão rei James) Jesus diz:
    "A candeia do corpo são os olhos,
  • 13:31 - 13:38
    se os teus olhos forem bons,
    todo o teu corpo terá luz."
  • 13:47 - 13:52
    Buda disse: "O corpo é um olho."
  • 13:53 - 13:57
    No estado de Samadhi, a pessoa é,
    ao mesmo tempo o observador e o observado.
  • 13:58 - 14:05
    Somos o universo consciente de si mesmo.
  • 14:14 - 14:20
    Quando a Kundalini é ativada, ela
    estimula o sexto chacra e o centro pineal
  • 14:20 - 14:25
    e essa região começa a recuperar
    algumas de suas funções evolutivas.
  • 14:26 - 14:30
    A meditação no escuro foi
    usada por milhares de anos
  • 14:30 - 14:35
    como uma forma de ativar o sexto
    chacra na região da glândula pineal.
  • 14:35 - 14:41
    A ativação desse centro permite
    uma pessoa ver sua própria luz interior.
  • 14:41 - 14:46
    Seja o iogue proverbial ou o xamã
    em retiro profundo numa caverna
  • 14:46 - 14:50
    ou um taoísta ou iniciado maia,
    até mesmo um monge tibetano,
  • 14:50 - 14:53
    todas as tradições
    incorporaram um período
  • 14:53 - 14:57
    em que alguém permanece na escuridão.
  • 14:57 - 15:04
    A glândula pineal é o portal para experimentarmos
    nossa própria energia sutil de maneira direta.
  • 15:05 - 15:10
    O filósofo Nietzsche disse: "Quando se
    olha muito tempo para um abismo,
  • 15:10 - 15:17
    eventualmente descobrirá que
    o abismo olha para você de volta."
  • 15:19 - 15:22
    Dólmens, ou tumbas antigas em forma de pórtico
  • 15:22 - 15:26
    são uma das mais antigas
    estruturas remanescentes na Terra.
  • 15:26 - 15:31
    A maioria delas datam do
    período Neolítico, de 3.000 a 4.000 AC
  • 15:31 - 15:36
    e algumas delas na Europa ocidental
    possuem 7.000 anos de idade.
  • 15:36 - 15:40
    O dólmen era usado para
    entrar em meditação perpétua
  • 15:40 - 15:47
    como uma forma para humanos formarem uma
    ponte entre os mundos internos e externos.
  • 15:47 - 15:50
    Enquanto alguém permanecer
    meditando em completa escuridão,
  • 15:50 - 15:54
    eventualmente ela começa a
    observar a energia interior ou a luz,
  • 15:54 - 15:59
    assim que o terceiro olho é ativado.
  • 15:59 - 16:04
    O ritmo circadiano que é
    governado pelos canais do sol e da lua
  • 16:04 - 16:12
    não mais controlam as funções do
    corpo e um novo ritmo é estabelecido.
  • 16:16 - 16:22
    O sétimo chacra, há milhares de anos,
    tem sido representado pelo símbolo "OM".
  • 16:22 - 16:28
    É um símbolo construído por sinais em
    sânscrito que representam os elementos.
  • 16:28 - 16:31
    Quando a Kundalini ascende
    além do sexto chacra,
  • 16:31 - 16:34
    começa a criar um halo de energia.
  • 16:34 - 16:39
    Halos aparecem com grande frequência nas
    pinturas religiosas de diferentes tradições
  • 16:39 - 16:41
    em diferentes partes do mundo.
  • 16:42 - 16:47
    Templo Jain, Ranakpur, Índia
  • 16:48 - 16:53
    Buda Maitreya, Dinastia Wei do Norte (386-534)
  • 16:55 - 17:00
    Afresco Cristão Búlgaro
  • 17:02 - 17:07
    Lao Tzu, Dinastia Zhou, 604 AC
  • 17:10 - 17:14
    Sol Invicto, Deus Sol Romano, Século III
  • 17:16 - 17:21
    Templo Budista Chinês, Tailândia
  • 17:23 - 17:28
    Arte Mexicana Pré-Colombiana
  • 17:28 - 17:31
    Buda de Gandhara, Século I e II - Paquistão
  • 17:31 - 17:36
    O halo, ou a imagem do sinal de uma
    energia ao redor de um ser desperto,
  • 17:36 - 17:42
    é comum em virtualmente
    todas as religiões ao redor do mundo.
  • 17:42 - 17:46
    O processo evolutivo de despertar os chacras
  • 17:46 - 17:50
    não é propriedade de um grupo ou religião,
  • 17:50 - 17:57
    é o direito inalienável de
    cada ser humano neste planeta.
  • 18:07 - 18:12
    O chacra da coroa é a conexão com o divino:
  • 18:12 - 18:15
    aquilo que está além da dualidade.
  • 18:15 - 18:21
    Além de nome e forma.
  • 18:22 - 18:28
    Akhenaton foi um faraó que
    teve como esposa Nefertiti.
  • 18:28 - 18:32
    Ele é chamado de filho do sol.
  • 18:32 - 18:37
    Ele redescobriu "Aton", ou a palavra
    de Deus dentro de si mesmo,
  • 18:37 - 18:44
    unindo a Kundalini e a consciência.
  • 18:47 - 18:49
    Na iconografia egípcia,
  • 18:49 - 18:54
    mais uma vez a consciência
    desperta é representada pelo disco solar
  • 18:54 - 19:02
    visto acima da cabeça de deuses ou seres despertos.
  • 19:04 - 19:11
    Na tradição Hindu e iogue, esse halo é
    chamado de "Sahasrara", a lótus de mil pétalas.
  • 19:17 - 19:23
    Buda é associado com o símbolo de uma lótus.
  • 19:23 - 19:29
    O padrão de filotaxia É O MESMO padrão
    que pode ser encontrado numa lótus florescida.
  • 19:29 - 19:32
    É o padrão da Flor da Vida.
  • 19:32 - 19:34
    A semente da vida.
  • 19:34 - 19:38
    É o padrão fundamental no
    qual todas as formas se encaixam.
  • 19:38 - 19:47
    É, na verdade, a forma absoluta do próprio
    espaço ou uma qualidade inerente da Akasha.
  • 19:54 - 20:02
    Em algum período da história, o símbolo
    da flor da vida era predominante na Terra.
  • 20:02 - 20:04
    A flor da vida
  • 20:04 - 20:13
    é encontrada sob custódia de leões nos lugares
    mais sagrados da China e em outras partes da Ásia.
  • 20:16 - 20:22
    Os 64 hexagramas do I Ching geralmente
    dispostos ao redor do símbolo do yin-yang,
  • 20:22 - 20:27
    são uma outra maneira de
    representar a flor da vida,
  • 20:27 - 20:33
    Dentro da flor da vida está a base
    geométrica de todos os sólidos platônicos:
  • 20:33 - 20:37
    simplesmente todas as formas que podem existir.
  • 20:37 - 20:42
    A antiga flor da vida começa
    com a geometria da estrela de Davi,
  • 20:42 - 20:45
    ou os triângulos para cima e para baixo,
  • 20:45 - 20:49
    ou ainda em 3D,
    as estruturas em forma de tetraedros.
  • 20:49 - 20:52
    Esse símbolo é um yantra,
  • 20:52 - 20:55
    um tipo de programa
    que existe dentro do universo:
  • 20:56 - 21:01
    a máquina que está gerando nosso mundo fractal.
  • 21:01 - 21:06
    Yantras tem sido usados durante milhares de anos
    como ferramentas para despertar a consciência.
  • 21:07 - 21:09
    A forma visual de um yantra
  • 21:09 - 21:17
    é a representação externa de um processo
    interno do desdobramento espiritual.
  • 21:18 - 21:21
    É a música oculta do
    universo, tornada visível,
  • 21:21 - 21:29
    composta de intersecções de formas
    geométricas e padrões de interferência.
  • 21:39 - 21:42
    Cada chacra é uma lótus,
  • 21:42 - 21:50
    um yantra, um centro psicofisiológico através
    do qual o mundo pode ser experimentado.
  • 22:16 - 22:21
    Um yantra tradicional, tal como os
    encontrados na tradição tibetana,
  • 22:21 - 22:24
    possuem ricas camadas de significado,
  • 22:25 - 22:29
    às vezes incorporando uma
    completa cosmologia e visão do mundo.
  • 22:30 - 22:33
    O yantra é um padrão de constante evolução
  • 22:33 - 22:38
    que trabalha através do poder da
    repetição ou iteração de um ciclo.
  • 22:38 - 22:42
    O poder do yantra está
    praticamente perdido no mundo atual,
  • 22:42 - 22:45
    pois buscamos o significado
    apenas na forma exterior
  • 22:45 - 22:52
    e não nos conectamos com nossas
    energias interiores através da intuição.
  • 22:59 - 23:04
    Existe um bom motivo para padres, monges e
    iogues serem, tradicionalmente, celibatários.
  • 23:04 - 23:08
    Atualmente, poucas delas sabem
    realmente a razão de praticarem o celibato
  • 23:09 - 23:11
    pois o propósito real se perdeu.
  • 23:11 - 23:16
    Bem simples: se sua energia será consumida
    para a produção de esperma ou óvulos,
  • 23:16 - 23:21
    seja qual for o caso, então não terá
    força suficiente para elevar a Kundalini
  • 23:21 - 23:24
    o qual ativa os chacras superiores.
  • 23:24 - 23:31
    A Kundalini é a energia vital,
    que também é a energia sexual.
  • 23:34 - 23:38
    Quando a consciência é menos
    focada em desejos animais
  • 23:38 - 23:42
    e posta em objetivos que
    refletem os chacras superiores,
  • 23:42 - 23:49
    essa energia flui pela coluna
    vertebral até esses chacras.
  • 23:49 - 23:54
    Muitas das práticas tântricas
    ensinam como dominar a energia sexual
  • 23:55 - 24:02
    para que possa ser usada para
    uma evolução espiritual superior.
  • 24:07 - 24:12
    Seu estado de consciência cria as condições
    adequadas para que sua energia possa crescer.
  • 24:12 - 24:16
    Entrar num estado de
    consciência não toma tempo algum.
  • 24:16 - 24:22
    Como Eckhart Tolle disse: "Consciência
    e presença sempre ocorrem no agora."
  • 24:22 - 24:28
    Se está tentando fazer algo acontecer, então
    você está criando uma resistência ao que está.
  • 24:28 - 24:30
    É ao removermos toda resistência
  • 24:31 - 24:37
    que permitimos que a
    energia evolutiva se desdobre.
  • 24:38 - 24:40
    Na antiga tradição iogue,
  • 24:40 - 24:45
    as posturas da Ioga eram usadas
    para preparar o corpo para a meditação.
  • 24:45 - 24:49
    A Ioga Hatha jamais foi intencionada
    apenas como mero regime de exercícios,
  • 24:49 - 24:54
    mas como um caminho para ligar os
    mundos interiores e exteriores das pessoas.
  • 24:54 - 25:02
    A palavra em Sânscrito "hatha" significa:
    Sol "ha", e Lua "tha".
  • 25:02 - 25:05
    Na Yoga Sutra original de Patandjáli
  • 25:05 - 25:11
    o propósito dos oito passos da Ioga é o
    mesmo do caminho de oito passos de Buda:
  • 25:11 - 25:14
    liberar a pessoa do sofrimento.
  • 25:15 - 25:21
    Quando as polaridades do mundo
    dualístico estão equilibradas, uma terceira nasce.
  • 25:21 - 25:28
    Encontramos uma misteriosa Chave de Ouro
    que destranca as forças evolutivas da natureza.
  • 25:28 - 25:36
    Essa síntese dos canais sol e da
    lua é nossa energia evolutiva.
  • 25:43 - 25:48
    Devido a humanidade se identificar quase que
    exclusivamente com seus pensamentos
  • 25:48 - 25:54
    e o mundo externo, é raro um indivíduo que consiga
    equilibrar as forças de seus mundos interior e exterior
  • 25:54 - 25:59
    assim permitindo que a
    Kundalini desperte naturalmente.
  • 25:59 - 26:02
    Para aqueles que se identificam apenas com a ilusão,
  • 26:03 - 26:08
    a Kundalini sempre será apenas mais uma metáfora,
  • 26:08 - 26:10
    uma ideia,
  • 26:11 - 26:18
    ao invés de uma experiência direta
    da energia e consciência de uma pessoa.
Title:
IWOW - Part 4 - Beyond Thinking
Description:

more » « less
Video Language:
English
Team:
Awaken the World
Project:
02 - Inner Worlds, Outer Worlds
Duration:
31:56

Portuguese, Brazilian subtitles

Revisions