Portuguese, Brazilian subtitles

← Como sentimos admiração e por que isso importa

Get Embed Code
25 Languages

Showing Revision 21 created 12/02/2019 by Gustavo Rocha.

  1. Antes de começar,
    estou muito animado por estar aqui
  2. para assistir ao que vai acontecer.
  3. Dito isso, vamos começar com:
  4. qual é uma de nossas maiores necessidades,
  5. uma das maiores necessidades do cérebro?
  6. Em vez de dizer a vocês,
    quero lhes mostrar.
  7. Na verdade, quero que sintam.
  8. Quero que sintam muita coisa
    nos próximos 14 minutos.
  9. Vamos todos ficar em pé.

  10. Vamos todos reger
    uma peça de Strauss juntos.
  11. Está bem? E todos vocês a conhecem.
  12. Tudo bem. Estão prontos?
  13. Plateia: Sim!
  14. Beau Lotto: Preparem-se, um, dois, três!
  15. É apenas o final.
  16. (Música "Assim falou Zaratustra"
    de Richard Strauss)

  17. Certo?

  18. Vocês conhecem a música.
  19. (Música)

  20. Ah, está chegando!

  21. (A música para bruscamente)

  22. Ah!

  23. (Risos)

  24. Certo?

  25. Coito coletivo interrompido.
  26. Todos podem se sentar.
  27. (Risos)

  28. Temos uma necessidade básica
    de encerramento.

  29. (Risos)

  30. Adoramos encerramentos.

  31. (Aplausos)

  32. Me contaram a história de que Mozart,
    pouco antes de ir para a cama,

  33. ia ao piano e fazia:
  34. "da-da-da-da-da".
  35. O pai dele, já na cama, pensava: "Ah!"
  36. Ele tinha que se levantar
    e tocar a nota final do acorde
  37. antes de poder voltar a dormir.
  38. (Risos)

  39. Portanto, a necessidade
    de encerramento nos leva a pensar:

  40. "Qual é o nosso maior medo?"
  41. Pensem: qual é o nosso maior medo
    na infância, ou mesmo agora?
  42. É o medo do escuro.

  43. Detestamos a incerteza.
  44. Detestamos não saber.
  45. Detestamos.
  46. Pensem nos filmes de terror.
  47. Os filmes de terror são sempre
    rodados no escuro,
  48. na floresta,
  49. à noite,
  50. nas profundezas do mar,
  51. na escuridão do espaço.
  52. O motivo é a facilidade de morrer
    durante a evolução.
  53. Se você não sabia que era um predador,
  54. era tarde demais.
  55. Seu cérebro evoluiu para prever.
  56. Se você não conseguia prever, você morria.
  57. O cérebro prevê por meio da codificação
    das tendências e das suposições
  58. que foram úteis no passado.
  59. Mas essas suposições
    não ficam dentro do cérebro.

  60. Você as projeta para o mundo.
  61. Não há um pássaro ali.
  62. Você está projetando
    o significado na tela.
  63. Tudo o que estou lhes dizendo agora
    literalmente não faz sentido.
  64. (Risos)

  65. Vocês estão criando o significado
    e projetando-o em mim.

  66. A verdade para objetos
    é verdade para outras pessoas.
  67. Embora você possa medir
    o "quê" e o "quando" delas,
  68. nunca consegue medir o "porquê" delas.
  69. Colorimos outras pessoas.
  70. Projetamos um significado nelas com base
    em nossas tendências e experiências.
  71. É por isso que o melhor do modelo é
    quase sempre a diminuição da incerteza.
  72. Quando entramos na incerteza,

  73. o corpo reage de modo
    fisiológico e mental.
  74. O sistema imunológico
    começará a se deteriorar.
  75. As células cerebrais
    definham e até morrem.
  76. Sua criatividade e inteligência diminuem.
  77. Costumamos passar
    do medo à raiva, quase sempre.
  78. Por quê? Porque o medo
    é um estado de certeza.
  79. Você se torna moralmente crítico.
  80. Você se torna uma versão
    extrema de si mesmo.
  81. Se você é conservador,
    torna-se mais conservador.
  82. Se você é liberal, torna-se mais liberal.
  83. Porque você vai a um lugar conhecido.
  84. O problema é que o mundo muda.

  85. Temos que nos adaptar ou morrer.
  86. Se você quiser mudar de A para B,
  87. o primeiro passo não é o B.
  88. O primeiro passo
    é passar do A para o não A,
  89. deixar de lado tendências e suposições;
  90. entrar no mesmo lugar
    que o cérebro evoluiu para evitar;
  91. entrar no lugar do desconhecido.
  92. Mas é tão importante irmos a esse lugar
  93. que o cérebro nos deu uma solução.
  94. A evolução nos deu uma solução.
  95. Talvez seja uma das experiências
    perceptivas mais profundas.
  96. É a experiência da admiração.
  97. (Música)

  98. (Aplausos)

  99. (Música)

  100. (Aplausos)

  101. (Música)

  102. (Aplausos)

  103. (Música)

  104. (Aplausos)

  105. (Vivas)

  106. (Aplausos)

  107. Beau Lotto: Ah, que maravilha, não é?

  108. Agora vocês todos devem
    estar sentindo, em algum nível...
  109. admiração.
  110. Certo?
  111. O que está acontecendo
    dentro de seu cérebro agora?
  112. Por milhares de anos,
  113. estivemos pensando, escrevendo
    e sentindo admiração,
  114. e sabemos muito pouco a respeito.
  115. Para tentar entender
    o que é admiração e o que ela faz,
  116. meu Lab of Misfits teve a maravilhosa
    oportunidade e o prazer
  117. de trabalhar com alguns dos maiores
    criadores de admiração que conhecemos:
  118. os escritores, os criadores,
    os diretores, os contadores,
  119. as pessoas que são o Cirque Du Soleil.
  120. Fomos a Las Vegas

  121. e gravamos a atividade cerebral de pessoas
  122. enquanto assistiam à apresentação,
  123. mais de dez apresentações de "O",
  124. que é uma apresentação famosa do Cirque.
  125. Também medimos o comportamento
    antes da apresentação,
  126. bem como um grupo diferente
    após o apresentação.
  127. Tivemos mais de 200 pessoas envolvidas.
  128. O que é admiração?

  129. O que está acontecendo
    em seu cérebro agora?
  130. É um estado cerebral.
  131. A parte frontal do cérebro,
    o córtex pré-frontal,
  132. responsável por sua função executiva,
  133. seu controle de atenção,
  134. está agora sendo infrarregulado.
  135. A parte do cérebro chamada RMP,
    rede de modo padrão,
  136. que é a interação
    entre várias áreas do cérebro,
  137. fica ativa durante uma espécie de ideação,
  138. pensamento criativo em termos
    de pensamento divergente e devaneios,
  139. está agora sendo suprarregulada.
  140. Agora mesmo,
  141. a atividade em seu córtex
    pré-frontal está mudando.
  142. Está se tornando assimétrica
    em sua atividade,
  143. tendendo para a direita,
  144. que está altamente correlacionada
    quando as pessoas avançam no mundo,
  145. em vez de recuar.
  146. De fato, a atividade no cérebro de todas
    essas pessoas estava tão correlacionada
  147. que conseguimos treinar
    uma rede neural artificial
  148. para prever se as pessoas
    estão ou não sentindo admiração
  149. com uma precisão média de 75%
  150. e máxima de 83%.
  151. O que esse estado cerebral faz?

  152. Outros demonstraram,
  153. por exemplo, os professores
    Haidt e Keltner,
  154. nos disseram que as pessoas se sentem
    pequenas, mas conectadas ao mundo.
  155. O comportamento pró-social delas aumenta,
  156. porque elas sentem uma maior
    afinidade com os outros.
  157. Também mostramos, nesse estudo,
  158. que as pessoas têm menos
    necessidade de controle cognitivo.
  159. Elas se sentem mais à vontade
    com a incerteza sem ter o encerramento.
  160. O apetite delas por riscos também aumenta.
  161. Na verdade, elas buscam o risco
    e são mais capazes de aceitá-lo.
  162. Algo muito profundo ocorre
    quando perguntamos às pessoas:
  163. "Você é alguém propenso
    a sentir admiração?"
  164. Era mais provável que elas dessem
    uma resposta positiva
  165. após a apresentação do que antes.
  166. Elas literalmente se redefiniram
    e redefiniram sua história.
  167. A admiração é possivelmente a percepção
    que é maior do que nós.

  168. Nas palavras de Joseph Campbell:
  169. "A admiração é o que nos permite avançar".
  170. Ou, nas palavras de um amigo querido,
  171. provavelmente um de nossos maiores
    fotógrafos ainda vivos, Duane Michaels,
  172. que me disse outro dia
  173. que talvez a admiração nos dê
    a curiosidade de superar nossa covardia.
  174. Quem se importa?

  175. Por que devemos nos importar?
  176. Considerem o conflito,
  177. que parece ser tão onipresente
    em nossa sociedade no momento.
  178. Se você e eu estamos em conflito,
  179. é como se estivéssemos
    nos extremos opostos da mesma linha.
  180. Meu objetivo é provar que você está errado
    e mudá-lo para o meu lado.
  181. O problema é que você
    faz exatamente o mesmo.
  182. Você tenta provar que estou errado
    e me mudar para o seu lado.
  183. Notem que o conflito é a configuração
    para vencer, mas não para aprender.
  184. O cérebro só aprende se nos movermos.
  185. Vida é movimento.
  186. E se pudéssemos usar a admiração
    não para nos livrarmos do conflito,

  187. que é essencial, que é
    como o cérebro se expande,
  188. é como o cérebro aprende,
  189. mas para entrar no conflito
    de um modo diferente?
  190. E se a admiração nos permitisse entrar,
    pelo menos, de dois modos diferentes?
  191. Um, para nos dar a humildade
    e a coragem para não saber.
  192. Para entrar no conflito com uma pergunta
    em vez de uma resposta.
  193. O que aconteceria?
  194. Entrar no conflito com incerteza
    em vez de certeza.
  195. E o segundo é, ao entrar
    no conflito desse modo,
  196. procurar entender, em vez de convencer.
  197. Porque todo mundo faz sentido para si.
  198. E entender outra pessoa
  199. é entender as tendências e as suposições
    que dão origem ao seu comportamento.
  200. Na verdade, iniciamos um estudo piloto

  201. para verificar se poderíamos
    usar a admiração induzida pela arte
  202. para viabilizar a tolerância.
  203. Os resultados são incrivelmente positivos.
  204. Conseguimos mitigar a raiva e o ódio
  205. por meio da experiência
    de admiração gerada pela arte.
  206. Onde podemos encontrar a admiração,

  207. dada a sua importância?
  208. Então, e se...
  209. Uma sugestão:
  210. que a admiração não seja encontrada
    apenas na grandiosidade.
  211. A admiração é essencial.
  212. Muitas vezes, é proporção:
    as montanhas, a paisagem solar.
  213. Mas e se pudéssemos, na verdade,
    nos redimensionar
  214. e encontrar o impossível no simples?
  215. E se isso for verdade,
  216. e nossos dados estiverem corretos,
  217. esforços como ciência,
  218. aventura, arte, ideias, amor,
  219. uma conferência TED, apresentação,
  220. não são apenas inspirados pela admiração,
  221. mas podem ser, de fato,
    nossos degraus para a incerteza
  222. para nos ajudar a nos desenvolvermos.
  223. Muito obrigado.

  224. (Aplausos)

  225. Por favor, venham.

  226. (Aplausos)

  227. (Vivas)

  228. (Aplausos)