Portuguese, Brazilian subtitles

← O que a lua mais misteriosa de Saturno pode nos ensinar sobre as origens da vida

Get Embed Code
42 Languages

Showing Revision 13 created 08/31/2020 by Leonardo Silva.

  1. Imagine um mundo com uma variedade
    de formas de relevo.
  2. Ele tem uma atmosfera densa
  3. dentro da qual ventos
    varrem sua superfície,
  4. e a chuva cai.
  5. Tem montanhas e planícies,
  6. rios, lagos e mares,
  7. dunas de areia
  8. e algumas crateras de impacto.
  9. Parece a Terra, não é mesmo?

  10. Esta é Titã.
  11. Em agosto de 1981,

  12. a Voyager 2 capturou esta imagem
    da maior lua de Saturno.
  13. As missões da Voyager
    viajaram mais longe do que nunca,
  14. tornando o Sistema Solar e além
    parte de nossa geografia.
  15. Mas esta imagem, esta lua nebulosa,
  16. era um lembrete desolador
    de quanto mistério permanecia.
  17. Aprendemos exponencialmente mais
    à medida que as Voyagers voavam por ela,
  18. mas não tínhamos ideia do que havia
    sob esse cobertor atmosférico.
  19. Haveria uma superfície gelada
  20. com formas de relevo
    como às de outras luas
  21. que foram observadas em Saturno e Júpiter?
  22. Ou talvez simplesmente um vasto
    oceano global de metano líquido?
  23. Envolta pela névoa obscura,

  24. a superfície de Titã
    era um mistério enorme e notável
  25. que a Cassini-Huygens, um par de sondas
    orbitadora e aterrissadora,
  26. lançada em 1997,
  27. foi projetada para resolver.
  28. Após a chegada em 2004,
  29. as primeiras imagens que a Cassini
    enviou da superfície de Titã
  30. apenas aumentaram o fascínio.
  31. Demoramos meses para entender
    o que estávamos vendo na superfície,
  32. para determinar, por exemplo,
  33. que as listras escuras,
  34. inicialmente tão irreconhecíveis
  35. que nos referíamos a elas
    como arranhões de gato,
  36. eram, na verdade, dunas de areia orgânica.
  37. Ao longo dos 13 anos
    que a Cassini passou estudando Saturno

  38. e seus anéis e luas,
  39. tivemos o privilégio
  40. de passar de não sabermos quase nada
    sobre a superfície de Titã
  41. até compreendermos sua geologia,
  42. o papel que a atmosfera desempenha
    na formação de sua superfície
  43. e até mesmo dicas do que está
    bem abaixo dessa superfície.
  44. Na verdade, Titã é
    um dos vários mundos oceânicos,

  45. luas no sistema solar externo frio,
  46. além das órbitas de Marte
    e do cinturão de asteroides,
  47. com imensos oceanos de água líquida
    abaixo de suas superfícies.
  48. O oceano interior de Titã pode ter
    mais de dez vezes mais água líquida
  49. do que todos os rios, lagos, mares
    e oceanos da Terra combinados.
  50. E, em Titã, também existem
  51. lagos e mares exóticos
    de metano e etano líquidos
  52. na superfície.
  53. Mundos oceânicos são alguns dos lugares
    mais fascinantes do Sistema Solar,
  54. e apenas começamos a explorá-los.
  55. Esta é a Dragonfly.

  56. No Applied Physics Laboratory
    da Johns Hopkins,
  57. estamos construindo essa missão
    para o programa New Frontiers da NASA.
  58. Programado para ser lançado em 2026
    e chegar a Titã em 2034,
  59. a Dragonfly é uma sonda espacial
    de asas rotativas,
  60. semelhante em tamanho
    aos "rovers" de Marte
  61. ou do tamanho aproximado
    de um carro pequeno.
  62. A densa atmosfera de Titã,
    combinada com sua baixa gravidade,
  63. a torna um ótimo lugar para voar,
  64. e é exatamente para isso
    que a Dragonfly foi projetada.
  65. Tecnicamente um octocóptero,

  66. a Dragonfly é um laboratório móvel
    capaz voar de um lugar a outro
  67. levando consigo todos
    os seus instrumentos científicos.
  68. A Dragonfly vai explorar Titã
    de forma verdadeiramente única,
  69. estudando detalhes
    de seu clima e geologia,
  70. e até mesmo colhendo
    amostras da superfície
  71. para saber do que são feitas.
  72. Ao todo, a Dragonfly passará
    cerca de três anos explorando Titã,
  73. medindo sua química detalhada,
  74. observando a atmosfera
    e como ela interage com a superfície,
  75. e até mesmo ouvindo terremotos,
  76. ou tecnicamente "titãmotos",
    na crosta de Titã.
  77. A equipe da Dragonfly,

  78. com centenas de pessoas
    da América do Norte e do mundo todo,
  79. trabalha arduamente no projeto
    para essa missão,
  80. desenvolvendo a sonda espacial,
    seu sistema de navegação autônomo
  81. e sua instrumentação,
  82. que precisarão trabalhar juntos
    para fazer medições científicas
  83. na superfície de Titã.
  84. A Dragonfly é o próximo passo

  85. em nossa exploração
    desse fascinante laboratório natural.
  86. Em sua trajetória, a Voyager
    nos deu uma ideia das possibilidades.
  87. Ao orbitar Saturno por mais de uma década
  88. e descer pela atmosfera de Titã,
  89. Cassini e Huygens abriram
    o véu de Titã um pouco mais.
  90. A Dragonfly viverá no ambiente de Titã,
  91. onde, até agora,
    nossa única visão de perto
  92. é esta imagem que a sonda Huygens
    tirou em janeiro de 2005.
  93. De muitas maneiras, Titã é o mais próximo
    que conhecemos da Terra primitiva,

  94. a Terra antes do desenvolvimento da vida.
  95. Das medições da Cassini-Huygens,
  96. sabemos que os ingredientes para a vida,
  97. pelo menos como a conhecemos,
  98. existiram em Titã,
  99. e a Dragonfly estará totalmente imersa
    nesse ambiente estranho,
  100. em busca de compostos
  101. semelhantes aos que poderiam ter permitido
    o desenvolvimento da vida aqui na Terra
  102. e nos ensinará a respeito
    da habitabilidade de outros mundos.
  103. A habitabilidade é um conceito fascinante.

  104. O que é necessário para tornar
    um ambiente adequado para hospedar a vida,
  105. seja a que conhecemos aqui na Terra,
  106. ou talvez uma vida exótica
  107. que se desenvolveu
    em condições muito diferentes?
  108. A possibilidade de vida em outros lugares
    inspirou a imaginação humana

  109. e a exploração ao longo da história.
  110. Em grande escala,
  111. os mundos oceânicos
    no Sistema Solar externo
  112. se tornaram, por isso,
    objetos tão importantes para estudo.
  113. É o "e se" que impulsiona
    a exploração humana.
  114. Não sabemos como a química
    deu início à biologia aqui na Terra,

  115. mas processos químicos semelhantes
    podem ter acontecido em Titã,
  116. onde moléculas orgânicas
    tiveram a oportunidade
  117. de se misturar com água
    líquida na superfície.
  118. A síntese orgânica
    progrediu nessas condições?
  119. E se sim, quanto?
  120. Não sabemos...
  121. ainda.
  122. O que aprenderemos com a Dragonfly,

  123. esse empreendimento
    fundamentalmente humano,
  124. é tentador.
  125. É uma busca por elementos básicos,
  126. alicerces,
  127. etapas químicas como aquelas
    que, por fim, levaram à vida na Terra.
  128. Não sabemos exatamente o que encontraremos
    quando chegarmos a Titã,
  129. mas é por isso mesmo que estamos indo.
  130. Em 1994, Carl Sagan escreveu:

  131. "Em Titã, as moléculas
    que choveram como maná do céu,
  132. nos últimos 4 bilhões de anos,
  133. ainda podem estar lá,
  134. em grande parte inalteradas, congeladas,
  135. aguardando os químicos da Terra".
  136. Nós somos esses químicos.
  137. A Dragonfly é uma busca
    por um maior entendimento,
  138. não apenas de Titã e dos mistérios
    de nosso Sistema Solar,
  139. mas de nossas próprias origens.
  140. Obrigada.