Return to Video

Milagres escondidos no mundo natural

  • 0:01 - 0:02
    Qual é a intersecção
  • 0:02 - 0:07
    entre a tecnologia, a arte e a ciência?
  • 0:07 - 0:09
    A curiosidade e o deslumbramento,
  • 0:09 - 0:12
    porque nos levam a explorar,
  • 0:12 - 0:15
    porque estamos rodeados
    de coisas que não conseguimos ver.
  • 0:15 - 0:17
    Adoro usar o vídeo
  • 0:17 - 0:18
    para nos levar numa viagem
  • 0:18 - 0:21
    através dos portais do tempo e do espaço,
  • 0:21 - 0:23
    para tornar visível o invisível,
  • 0:23 - 0:25
    porque isso
  • 0:25 - 0:27
    alarga os nossos horizontes,
  • 0:27 - 0:29
    transforma a nossa percepção,
  • 0:29 - 0:32
    abre-nos a mente
  • 0:32 - 0:34
    e toca-nos o coração.
  • 0:34 - 0:35
    Portanto, aqui estão algumas cenas
  • 0:35 - 0:37
    do meu filme IMAX em 3D,
  • 0:37 - 0:40
    "Mistérios do Mundo Invisível".
  • 0:40 - 0:42
    (Música)
  • 0:42 - 0:44
    Há movimentos que são demasiado lentos
  • 0:44 - 0:46
    para os nossos olhos detectarem,
  • 0:46 - 0:49
    e a câmara parada permite-nos descobrir
  • 0:49 - 0:52
    e alargar a nossa perspectiva da vida.
  • 0:52 - 0:56
    Conseguimos ver como
    os organismos emergem e crescem,
  • 0:56 - 1:00
    como uma planta trepadeira sobrevive
    rastejando desde o solo da floresta
  • 1:00 - 1:03
    para ver a luz do Sol.
  • 1:04 - 1:06
    E, em grande escala,
  • 1:06 - 1:11
    a câmara parada permite-nos
    ver o nosso planeta em movimento.
  • 1:11 - 1:14
    Conseguimos ver não só
    a vasta extensão da Natureza,
  • 1:14 - 1:17
    como também o movimento
    irrequieto da Humanidade.
  • 1:17 - 1:21
    Cada um destes pontos que deixam rasto
    representa um avião de passageiros,
  • 1:21 - 1:22
    e, transformando os dados do tráfego aéreo
  • 1:22 - 1:24
    em imagens de câmara parada,
  • 1:24 - 1:27
    conseguimos ver algo que está
    constantemente sobre a nossa cabeça
  • 1:27 - 1:28
    mas é invisível:
  • 1:28 - 1:34
    a vasta rede de deslocações
    aéreas sobre os Estados Unidos.
  • 1:34 - 1:37
    Podemos fazer o mesmo
    com os navios no oceano.
  • 1:37 - 1:39
    Podemos transformar os dados
    numa visão com câmara parada
  • 1:39 - 1:44
    de uma economia global em movimento.
  • 1:50 - 1:51
    E décadas de dados
  • 1:51 - 1:53
    dão-nos uma visão de todo o planeta
  • 1:53 - 1:55
    como um único organismo
  • 1:55 - 1:58
    sustentado por correntes que circulam,
    percorrendo todos os oceanos
  • 1:58 - 2:03
    e por nuvens que rodopiam
    por toda a atmosfera,
  • 2:03 - 2:05
    pulsando com relâmpagos,
  • 2:05 - 2:08
    coroadas pela aurora boreal.
  • 2:08 - 2:12
    Pode ser a sequência temporal
    de imagens mais elementar:
  • 2:12 - 2:16
    a anatomia da Terra trazida à vida.
  • 2:19 - 2:21
    No extremo oposto,
  • 2:21 - 2:25
    há coisas que se mexem demasiado
    depressa para os nossos olhos,
  • 2:25 - 2:27
    mas também temos tecnologia
  • 2:27 - 2:31
    que consegue olhar para esse mundo.
  • 2:32 - 2:33
    Com câmaras de alta velocidade,
  • 2:33 - 2:35
    podemos fazer o contrário
    da câmara parada.
  • 2:35 - 2:37
    Podemos captar imagens
    que são milhares de vezes
  • 2:37 - 2:41
    mais rápidas do que a nossa visão.
  • 2:41 - 2:45
    E podemos ver como funcionam
    os dispositivos engenhosos da Natureza,
  • 2:45 - 2:49
    e talvez até consigamos imitá-los.
  • 2:50 - 2:53
    Quando uma libelinha
    passa por nós a bater as asas,
  • 2:53 - 2:54
    talvez não se apercebam,
  • 2:54 - 2:57
    mas é a maior voadora da Natureza.
  • 2:57 - 3:01
    Consegue pairar, voar para trás,
  • 3:01 - 3:04
    até de pernas para o ar.
  • 3:04 - 3:08
    E, seguindo marcadores
    nas asas de um insecto,
  • 3:08 - 3:11
    conseguimos visualizar
    o fluxo de ar que produzem.
  • 3:11 - 3:13
    Ninguém sabia o segredo,
  • 3:13 - 3:15
    mas a alta velocidade
    mostra que uma libelinha
  • 3:15 - 3:18
    consegue mexer
    as quatro asas em direcções diferentes
  • 3:18 - 3:20
    ao mesmo tempo.
  • 3:20 - 3:21
    E o que descobrimos pode levar-nos
  • 3:21 - 3:23
    a novos tipos de voadores robóticos
  • 3:23 - 3:25
    que conseguem expandir a nossa visão
  • 3:25 - 3:30
    de lugares importantes e remotos.
  • 3:32 - 3:34
    Somos gigantes e não nos apercebemos
  • 3:34 - 3:37
    de coisas que são demasiado pequenas para vermos.
  • 3:37 - 3:40
    O microscópio electrónico dispara electrões
  • 3:40 - 3:41
    que criam imagens
  • 3:41 - 3:43
    que conseguem ampliar as coisas
  • 3:43 - 3:46
    até um milhão de vezes.
  • 3:46 - 3:49
    Isto é o ovo de uma borboleta.
  • 3:49 - 3:53
    E há criaturas ocultas que vivem
    por todo o nosso corpo,
  • 3:53 - 3:55
    incluindo ácaros que passam a vida inteira
  • 3:55 - 3:57
    a andar pelas nossas pestanas,
  • 3:57 - 4:01
    a rastejar pela nossa pele à noite.
  • 4:01 - 4:04
    Conseguem adivinhar o que é isto?
  • 4:04 - 4:06
    Pele de tubarão.
  • 4:08 - 4:10
    A boca de uma lagarta.
  • 4:12 - 4:15
    O olho de uma mosca-da-fruta.
  • 4:17 - 4:20
    Uma casca de ovo.
  • 4:22 - 4:25
    Uma pulga.
  • 4:27 - 4:30
    A língua de um caracol.
  • 4:31 - 4:34
    Achamos que conhecemos
    a maior parte do reino animal,
  • 4:34 - 4:37
    mas pode haver milhões
    de espécies minúsculas
  • 4:37 - 4:41
    à espera de ser descobertas.
  • 4:43 - 4:46
    Uma aranha também
    tem segredos notáveis,
  • 4:46 - 4:48
    porque o fio da seda da aranha,
    fazendo um termo de comparação,
  • 4:48 - 4:50
    é mais resistente do que o aço
  • 4:50 - 4:52
    mas completamente elástico.
  • 4:52 - 4:54
    Esta viagem irá levar-nos
    até ao fim do percurso,
  • 4:54 - 4:56
    até ao nano-mundo.
  • 4:56 - 4:58
    A seda é 100 vezes mais fina
  • 4:58 - 5:00
    do que o cabelo humano.
  • 5:00 - 5:04
    À superfície desta seda,
    uma bactéria,
  • 5:04 - 5:08
    e, junto dela,
    10 vezes mais pequeno,
  • 5:08 - 5:10
    um vírus.
  • 5:10 - 5:14
    Dentro dele,
    10 vezes mais pequenas,
  • 5:14 - 5:17
    três cadeias de ADN,
  • 5:17 - 5:21
    e, quase no limite dos nossos
    microscópios mais potentes,
  • 5:21 - 5:24
    átomos de carbono isolados.
  • 5:24 - 5:26
    Com a ponta de um microscópio potente,
  • 5:26 - 5:29
    conseguimos na verdade deslocar átomos
  • 5:29 - 5:33
    e começar a criar
    nano-dispositivos extraordinários.
  • 5:33 - 5:37
    Alguns poderão um dia patrulhar o nosso corpo
  • 5:37 - 5:40
    à procura de todo o tipo de doenças
  • 5:40 - 5:43
    e limpar artérias entupidas pelo caminho.
  • 5:43 - 5:46
    Minúsculas máquinas químicas do futuro
  • 5:46 - 5:51
    conseguirão um dia, talvez, reparar o ADN.
  • 5:51 - 5:53
    Estamos no limiar
    de avanços extraordinários,
  • 5:53 - 5:55
    nascidos do nosso impulso
  • 5:55 - 5:58
    de desvendar os mistérios da vida.
  • 5:58 - 6:03
    Portanto, sob uma chuva
    interminável de pó cósmico,
  • 6:03 - 6:05
    o ar está cheio de pólen,
  • 6:05 - 6:08
    micro-diamantes
    e jóias de outros planetas,
  • 6:08 - 6:11
    e explosões de supernovas.
  • 6:11 - 6:14
    As pessoas vivem no dia-a-dia
  • 6:14 - 6:17
    rodeadas pelo que não se consegue ver.
  • 6:17 - 6:20
    Saber que há tanta coisa à nossa volta
  • 6:20 - 6:22
    que podemos ver
  • 6:22 - 6:24
    muda para sempre
    a nossa compreensão do mundo,
  • 6:24 - 6:27
    e, olhando para os mundos
    invisíveis, reconhecemos
  • 6:27 - 6:29
    que existimos no universo vivo,
  • 6:29 - 6:32
    e esta nova perspectiva cria deslumbramento
  • 6:32 - 6:35
    e inspira-nos a tornarmo-nos exploradores
  • 6:35 - 6:37
    no nosso próprio quintal.
  • 6:37 - 6:41
    Quem sabe o que aguarda para ser visto
  • 6:41 - 6:45
    e que novas maravilhas
    irão transformar as nossas vidas.
  • 6:45 - 6:48
    Teremos de ver.
  • 6:48 - 6:54
    (Aplausos)
  • 6:54 - 7:03
    Obrigado. (Aplausos)
Title:
Milagres escondidos no mundo natural
Speaker:
Louie Schwartzberg
Description:

Vivemos num mundo de beleza que não se vê, tão subtil e delicada que é imperceptível para o olho humano. Para trazer à luz este mundo invisível, o realizador Louie Schwartzberg dá a volta às fronteiras do tempo e do espaço com câmaras de alta velocidade, sequências temporais de imagens e microscópio. No TED2014, partilha os destaques do seu projecto mais recente, um filme em 3D intitulado "Mistérios do Mundo Invisível", que abranda, acelera e amplia as espantosas maravilhas da Natureza.

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Project:
TEDTalks
Duration:
07:24

Portuguese subtitles

Revisions Compare revisions