Return to Video

Alastair Cole - International Translation Day 2017 (Colours of the Alphabet Film)

  • 0:01 - 0:02
    Olá, meu nome é Alastair Cole,
  • 0:02 - 0:06
    eu sou um cineasta de documentários
    baseado aqui na Escócia.
  • 0:06 - 0:09
    É um prazer estar aqui hoje para celebrar
  • 0:09 - 0:11
    o Dia Internacional da Tradução 2017,
  • 0:11 - 0:13
    e por falar aqui no blog do Amara
  • 0:13 - 0:16
    que é, claramente,
    uma maravilhosa plataforma de tradução.
  • 0:16 - 0:18
    Como parte da minha função de cineasta,
  • 0:18 - 0:22
    tradução e legendagem
    são partes chave naquilo que faço.
  • 0:22 - 0:24
    Especialmente quando faço filmes,
    e naquele momento,
  • 0:24 - 0:27
    estou fazendo um filme sobre idiomas
    sobre o sujeito do idioma,
  • 0:27 - 0:30
    incluindo um projeto recente,
    o documentário longa-metragem
  • 0:30 - 0:32
    chamado "As Cores do Alfabeto",
  • 0:32 - 0:34
    sobre o qual irei falar um pouco agora,
  • 0:34 - 0:37
    porque a tradução e a legendagem
    foram tão centrais e fundamentais
  • 0:37 - 0:40
    em como esse filme foi feito.
  • 0:40 - 0:43
    Aqueles nele, aqueles comigo nele,
  • 0:43 - 0:46
    sem eles eu não seria capaz
    de fazer o filme.
  • 0:46 - 0:49
    O filme é um longa documental.
  • 0:49 - 0:51
    Foi lançado no último
    Glasgow Film Festival,
  • 0:51 - 0:54
    e explodiu em festivais
    e cinemas pelo Reino Unido,
  • 0:54 - 0:56
    na Europa e na África, até então.
  • 0:56 - 1:00
    É a história de três crianças
    em um vilarejo na Zâmbia,
  • 1:00 - 1:01
    na antiga vila Lwimba.
  • 1:01 - 1:06
    É a história da língua e da política
    na educação, e na infância.
  • 1:06 - 1:10
    Ele segue as crianças por 12 meses
    em seu primeiro ano da escola.
  • 1:10 - 1:11
    E há uma escola na comunidade,
  • 1:11 - 1:14
    onde a comunidade
    fala uma língua, chamada soli,
  • 1:14 - 1:17
    a região e o professor
    falam outra lígua, chamada nyanja,
  • 1:17 - 1:18
    e devem aprender inglês,
  • 1:18 - 1:21
    porque inglês
    é a única língua oficial da Zâmbia
  • 1:21 - 1:24
    apesar de haverem 72 línguas diferentes,
  • 1:24 - 1:28
    e menos de 2% da população
    falar o inglês em casa.
  • 1:28 - 1:31
    Então, claro, é um filme
    sobre essa dinâmica política,
  • 1:31 - 1:34
    mas ao mesmo tempo,
    é um filme sobre infância, e é legal,
  • 1:34 - 1:38
    e é um filme que todos
    podemos nos identificar, esperançosamente,
  • 1:38 - 1:40
    lembrando dos primeiros dias
    na escola e sua dificuldade,
  • 1:40 - 1:41
    mas claro,
  • 1:41 - 1:45
    para alguém que vai para a escola
    com uma língua totalmente diferente,
  • 1:45 - 1:50
    essas dificuldades são muito destacadas
    e exacerbadas, se posso dizer.
  • 1:51 - 1:55
    Mas dentro do processo do cineasta
    a legenda e tradução são fundamentais.
  • 1:55 - 1:57
    Usamos legendas multicoloridas no filme
  • 1:57 - 2:00
    para representar as mudanças
    das diferentes línguas
  • 2:00 - 2:03
    que estavam acontecendo na aula,
    e em um lugar como a Zâmbia.
  • 2:03 - 2:06
    Essa multilinguagem é incrível,
    é muito impressionante, mas claro.
  • 2:06 - 2:12
    levar ela para um público não-indígena
    e não-falante de língua africana
  • 2:12 - 2:15
    é muito difícil, e muitas vezes
    não é encarado como prioridade.
  • 2:15 - 2:16
    Para nós era uma prioridade,
  • 2:16 - 2:20
    então usamos uma abordagem criativa
    para legendar, se me permite, o filme,
  • 2:20 - 2:23
    que você pode ver
    no teaser no fim desse vídeo.
  • 2:24 - 2:26
    Soli, uma das línguas, é laranja,
    tem legendas laranjas.
  • 2:26 - 2:29
    Nyanja tem legendas verdes.
    Bemba tem legendas rosas.
  • 2:29 - 2:32
    E inglês tem legendas brancas.
  • 2:32 - 2:36
    E essa técnica foi capaz de reunir mais
    conversações, e esperançosamente,
  • 2:36 - 2:39
    um maior entendimento
    sobre essa multilinguagem que existe,
  • 2:39 - 2:43
    essa linda multilinguagem que existe,
    e as complexidades e habilidades
  • 2:43 - 2:48
    que tantas pessoas
    através do continente abraçam.
  • 2:48 - 2:51
    E eu presumo, que amplamente
    dentro do documentário,
  • 2:51 - 2:53
    a tradução e legendagem
    é tão importante...
  • 2:53 - 2:56
    e é do meu time
    deste filme que falo sobre.
  • 2:56 - 2:59
    Meu time de legendas
    e traduções na Zâmbia,
  • 2:59 - 3:04
    Suwilanji Ngambi, Peter Lupiya,
    e Brighton Lubasi foram tão importantes,
  • 3:04 - 3:06
    e sem eles não seríamos capazes
    de fazer o filme.
  • 3:06 - 3:11
    E também meu time no Reino Unido,
    Elena Zini e os da Screen Language,
  • 3:11 - 3:14
    que ajudaram a levar esse filme
    para públicos internacionais,
  • 3:14 - 3:17
    e criaram versões
    de língua estrangeira do filme.
  • 3:17 - 3:21
    Mas mais amplamente,
    um documentário tendo tradução
  • 3:21 - 3:24
    e tradutores que trabalhem
    sério no projeto,
  • 3:24 - 3:26
    para entender a importância
    de representar alguém,
  • 3:26 - 3:30
    a língua pode ser mal interpretada
    e mal entendida na tradução
  • 3:30 - 3:32
    não levada a sério, e é muito importante.
  • 3:33 - 3:35
    Penso que a criação de documentários
    é um caso específico,
  • 3:35 - 3:40
    porque as pessoas e o filme
    que o público pode ver e ouvir
  • 3:40 - 3:42
    são pessoas reais antes e depois do filme,
  • 3:42 - 3:46
    então, a sua representação precisa
    é muito importante,
  • 3:46 - 3:49
    e seu entendimento deles
    como pessoa é muito importante.
  • 3:49 - 3:53
    Penso que a tradução e legendagem
    podem fazer um trabalho maravilhoso
  • 3:53 - 3:55
    para ajudar públicos ao redor do mundo
  • 3:55 - 3:58
    viverem diferentes culturas e idiomas,
    mas também ao mesmo tempo,
  • 3:58 - 4:02
    entenderem as pessoas
    da melhor forma possível.
  • 4:03 - 4:06
    Também quero mencionar um novo projeto
    em que trabalho ao redor
  • 4:06 - 4:07
    do "As Cores do Alfabeto",
  • 4:07 - 4:09
    mas o lançamento de "As Cores do Alfabeto"
  • 4:09 - 4:12
    no início do próximo ano pela África,
  • 4:12 - 4:16
    onde será transmitido
    em 49 países diferentes com o Afridocs.
  • 4:16 - 4:19
    E como parte da transmissão,
    estamos trabalhando com Amara
  • 4:19 - 4:22
    para criar 25 versões
    de línguas indígenas do filme.
  • 4:22 - 4:24
    É um projeto muito empolgante para nós
  • 4:24 - 4:27
    pois, claro, queremos
    que esse filme viaje pela África,
  • 4:27 - 4:29
    que é onde o filme foi feito,
  • 4:29 - 4:32
    que onde, esperançosamente,
    o filme fale com muitos públicos.
  • 4:32 - 4:33
    Mas, ao mesmo tempo,
  • 4:33 - 4:37
    é importante que o filme seja visto
    na linguagem do seu público,
  • 4:37 - 4:39
    que é a meta principal do filme,
  • 4:39 - 4:42
    mas queremos que as pessoas
    possam ter o seu próprio entendimento.
  • 4:42 - 4:45
    Então, iremos trablhar nos próximos meses
  • 4:45 - 4:49
    com tradutores e intérpretes
    de idiomas indígenas
  • 4:49 - 4:51
    para criar 25 versões diferentes.
  • 4:51 - 4:55
    Ofereceremos a eles a oportunidade
    de treinar e trabalhar conosco,
  • 4:55 - 4:57
    e no fim do dia,
  • 4:57 - 4:59
    para as pessoas capazes
    de traduzir esse filme,
  • 4:59 - 5:04
    esperançosamente, adotarem
    o que pode ser uma das primeiras
  • 5:04 - 5:07
    grandes redes
    de tradução de filmes da África.
  • 5:07 - 5:10
    Então, fique de olho nisso,
    fique de olho no site abaixo,
  • 5:10 - 5:12
    coloursofthealphabet.com
  • 5:12 - 5:14
    e também na nossa página do Facebook,
  • 5:14 - 5:17
    e você verá mais anúncios
    sobre esse empolgante projeto.
  • 5:17 - 5:19
    E antes de irmos,
    você pode assistir um teaser
  • 5:19 - 5:23
    e finalmente, outro grande
    e feliz Dia Internacional da Tradução!
  • 5:23 - 5:24
    E uma mensagem positiva
  • 5:24 - 5:27
    para todos os tradutores e intérpretes
    que trabalham por aí.
  • 5:27 - 5:29
    Obrigado!
  • 5:30 - 5:34
    Como a língua oficial
    da Zâmbia é o inglês,
  • 5:35 - 5:38
    M'barak precisa mesmo
    aprender como falá-la.
  • 5:38 - 5:41
    Ele tem que fazer todas as provas
    em inglês, o idioma que aprendem.
  • 5:45 - 5:49
    Nos escritórios modernos
    todos usam o inglês.
  • 5:49 - 5:54
    Então, se quer um bom emprego aqui
    na Zâmbia, precisa aprender.
  • 5:54 - 5:58
    Todos os bons pais
    acreditam que a educação é o futuro.
  • 6:02 - 6:06
    A escola é onde
    você se prepara para a vida.
  • 6:09 - 6:13
    Mas a vida
    deve ser sempre entendida em inglês?
  • 6:25 - 6:28
    As Cores do Alfabeto
  • 6:28 - 6:31
    Nove meses, três crianças,
    uma sala de aula
  • 6:32 - 6:37
    "Comovente, tocante
    e muito divertido pelas artes."
  • 6:38 - 6:42
    "Lírico, lindamente filmado, um inspirador
    documentário agridoce sobre a linguagem,
  • 6:42 - 6:44
    a comunicação e a identidade nacional."
Title:
Alastair Cole - International Translation Day 2017 (Colours of the Alphabet Film)
Description:

more » « less
Video Language:
English
Team:
International Translation Day
Duration:
06:48

Portuguese, Brazilian subtitles

Revízie Compare revisions