YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtitles

← Tempos perigosos pedem por mulheres perigosas

Get Embed Code
20 Languages

Showing Revision 38 created 01/25/2020 by Maricene Crus.

  1. Recentemente,
  2. tenho declarado abertamente
  3. que sou uma mulher perigosa.
  4. (Aplausos)

  5. Declarar isso com essa audácia

  6. ainda me parece um pouco perigoso,
  7. mas também sinto que é certo.
  8. A essa altura da minha vida,
  9. prestes a fazer 77, eu tenho...
  10. (Aplausos)

  11. Adoro quando se é aplaudido pela idade.

  12. (Risos)

  13. Vou aceitar.

  14. (Aplausos)

  15. Prestes a fazer 77, percebi
    que não tenho mais nada a provar,

  16. ainda menos a perder,
  17. e estou mais impaciente com tudo.
  18. Os passos firmes e lentos
    em direção à igualdade,
  19. o aumento do sexismo, do racismo,
  20. violência contra mulheres e meninas...
  21. E estou zangada, também,
  22. pelos negacionistas do clima,
    que estão roubando o futuro
  23. das nossas crianças e netos.
  24. Amigos, estamos vivendo tempos perigosos.
  25. E tempos assim pedem
    que sejamos mais perigosos.
  26. O que quero dizer com isso?

  27. Não digo sermos temidos.
  28. Não é esse tipo de perigo.
  29. Mas refiro-me a sermos mais destemidos.
  30. Refiro-me a dizermos a verdade,
    quando o silêncio é bem mais seguro.
  31. Falarmos por aqueles
    que não estão presentes,
  32. especialmente naqueles lugares
    onde decisões são tomadas
  33. sobre nossa vida e nosso corpo.
  34. Precisamos estar naqueles lugares,
  35. marcando presença uns pelos outros,
  36. desafiando a construção social
    que nos encoraja,
  37. principalmente mulheres e meninas,
  38. a competir, comparar,
  39. criticar.
  40. Temos que acabar com isso.
  41. E nos pronunciando
  42. contra as normas e as políticas
  43. que nos dividem e enfraquecem
    nosso poder coletivo
  44. como comunidade global de mulheres,
  45. e os homens e seus aliados
    que estão ao nosso lado.
  46. Tornar-se perigoso também significa
    correr os riscos que forem necessários

  47. para criar um mundo onde
    mulheres e meninas estejam seguras
  48. em seus lares e no trabalho,
  49. onde todas as vozes são representadas
  50. e respeitadas,
  51. todos os votos contem,
  52. e o planeta seja protegido.
  53. E tudo isso é possível.

  54. Porque estamos prontos para isso.
  55. Estamos mais bem preparados
    do que qualquer outra geração anterior,
  56. temos mais recursos,
    estamos mais conectados.
  57. Em várias partes do mundo,
    estamos vivendo mais do que nunca.
  58. Mulheres acima de 65 anos fazem parte
    da população que mais cresce no mundo,
  59. com o potencial de se tornar
    a mais poderosa também.
  60. Agora...
  61. (Aplausos)
  62. Que grande mudança isso representa.
  63. Mulheres na pós-menopausa,
    até há pouco tempo,
  64. eram consideradas inúteis,
  65. ou malucas.
  66. Éramos valorizadas como cuidadoras e avós,
  67. e eu realmente adoro essa parte.
  68. Mas éramos colocadas de lado
  69. e esperavam que nos retirássemos
    à nossa cadeira de balanço.
  70. Mulheres na área perigosa dos 60
    não estão se aposentando.
  71. Estamos nos refazendo...
  72. (Aplausos)

  73. usando tudo o que sabemos
    e temos feito, e isso é muito,

  74. para redefinir a imagem da idade,
  75. do que ela é capaz e pode cumprir.
  76. Mas tornar-se perigoso não tem a ver
    com alcançar uma certa idade,
  77. porque em cada extremidade
    das faixas etárias,
  78. mulheres e meninas corajosas
    estão dando um passo à frente,
  79. correndo o risco para criar mudanças.
  80. Eu resolvi assumir riscos
    muito cedo na minha vida.

  81. Teve que ser assim,
  82. ou teria minha vida definida
    pelas limitações impostas
  83. a uma garota crescendo
    no interior do sul do país,
  84. sem dinheiro, sem contatos,
  85. sem influência.
  86. Mas a minha curiosidade
    sobre o mundo era ilimitada,
  87. além da minha pequena cidade,
  88. além das mentes pequenas
    de uma região ainda segregada.
  89. Um mundo que vislumbrei no noticiário,
  90. no único cinema da cidade,
  91. e um mundo que tive
    muito mais próximo de mim
  92. quando conheci a Srta. Shirley Rountree,
    minha professora de inglês do oitavo ano.
  93. Desde o minuto que ela entrou na classe,

  94. com o barulho do seu salto alto,
  95. ela era uma mulher no comando,
  96. com seu cabelo perfeito,
    lábios sempre vermelhos,
  97. roupa combinando, dos pés à cabeça.
  98. Eu quis ser ela.
  99. Ela se tornou minha primeira mentora
    e ajudou a me tornar em quem sou.
  100. Com a ajuda dela, consegui
    uma bolsa de estudos para a faculdade,

  101. a primeira na minha família,
  102. e acabei em uma grande
    universidade pública,
  103. bem no meio de dois grandes
    movimentos de justiça social:
  104. direitos civis para afro-americanos
  105. e direitos iguais para mulheres.
  106. Juntei-me a ambos com entusiasmo,
  107. apenas para descobrir
    que meu ativismo recente
  108. e meu feminismo borbulhante
  109. frequentemente entrariam em conflito
    com meu profundo desejo de agradar,
  110. e ser popular.
  111. Em meu primeiro trabalho na faculdade
    como professora, quebrei as regras,

  112. e encorajei os estudantes
    a juntarem-se a mim nos protestos.
  113. E quando descobri que meu colega,
  114. com a mesma experiência e formação,
  115. era mais bem pago do que eu,
  116. fiz um protesto pessoal.
  117. Quando meu aumento foi negado,
  118. com a desculpa de que ele
    tinha uma família para sustentar,
  119. eu também tinha,
    criando meus filhos sozinha.
  120. Mas desisti do meu protesto
    para manter o meu emprego.
  121. Hoje, milhões de mulheres
    estão se comprometendo

  122. a manter o seu emprego
    sem o mesmo pagamento
  123. para o mesmo trabalho.
  124. E como uma das primeiras mulheres
    a trabalhar na televisão nos anos 70,

  125. fui advertida que, focar histórias sobre
    mulheres poderia limitar minha carreira,
  126. e talvez tenha limitado.
  127. Mas consegui produzir e apresentar
    um programa inovador para mulheres,
  128. e ao mesmo tempo,
  129. me manter calada sobre assédio sexual,
  130. e dar ouvidos a consultores
    que eram contratados
  131. para me aconselhar sobre minha aparência.
  132. "Pinte o cabelo de loiro."
  133. Eu pintei.
  134. "Baixe o tom de voz."
  135. Eu tentei.
  136. "Aumente o seu decote."
  137. Eu não aumentei.
  138. (Risos)

  139. Mas usei aqueles terninhos
    bem feios de apresentadora

  140. com aqueles lenços que se parecem
    mais com gravatas.
  141. E mais tarde, em posições
    de poder na mídia,
  142. muitas vezes como primeira
    ou única mulher,
  143. ciente de estar sendo julgada
    através de lentes sexistas,
  144. era uma luta encontrar o equilíbrio,
  145. entre ser uma líder para mulheres
  146. e não ser totalmente definida
    como uma liderança feminina.
  147. Hoje, estou orgulhosa por ser conhecida
    como uma liderança feminina.
  148. (Aplausos)

  149. Como ativista, defensora, feminista,

  150. e recém-declarada mulher perigosa,
  151. preocupo-me menos
    com o que os outros dizem
  152. e digo mais claramente
    o que penso e sinto.
  153. E quero deixar claro:
  154. admito meu privilégio de poder fazer isso,
  155. falar a minha verdade.
  156. E estar aqui hoje
  157. com esta oportunidade
  158. de falar a vocês sobre mulheres e poder...
  159. notem que eu não disse "empoderada".
  160. Não acho que estamos esperando
    para sermos empoderadas.
  161. Acho que nós temos poder.
  162. (Aplausos)

  163. O que precisamos é de mais oportunidades
    para reivindicá-lo, usá-lo,

  164. e partilhá-lo.
  165. E sim, eu sei,

  166. há mulheres com poder
    que não o usam bem ou sabiamente,
  167. e que não o partilham.
  168. Eu ouvi, e com certeza vocês também,
  169. aquelas histórias que começam assim:
    "Minha pior chefe foi uma mulher..."
  170. E todos nós podemos apontar líderes
    das quais não nos orgulhamos.
  171. Mas podemos mudar isso

  172. com uma ideia simples, mas genial,
    que ouvi pela primeira vez
  173. de uma congressista de Nova Iorque,
    perigosa e que gosta de assumir riscos,
  174. chamada Bella Abzug.
  175. Bella disse: "No século 21,
  176. as mulheres vão mudar a natureza do poder
  177. em vez do poder mudar
    a natureza da mulher".
  178. No momento em que ouvi aquilo,
  179. (Aplausos)

  180. pensei: "Essa é a nossa chamada para ação.

  181. Essa é a nossa maior oportunidade".
  182. E como jornalista e ativista,
    tenho visto essa ideia em ação,

  183. documentando a história de mulheres
    de ambos os lados em longos conflitos,
  184. unindo-se e desafiando o poder oficial
  185. para formar alianças e encontrar maneiras
    de acabar com a violência nas comunidades.
  186. E como ativista, viajei para lugares
  187. onde é perigoso ter nascido mulher,
  188. como no leste do Congo,
  189. onde uma guerra tem sido travada
    sobre o corpo das mulheres.
  190. Lá, em um centro de saúde e liderança
    chamado Cidade da Alegria,
  191. corajosas congolesas
    transformam dor em poder
  192. ao treinar sobreviventes de abuso sexual
    para retornar aos vilarejos delas
  193. como líderes.
  194. E em recentes cúpulas sobre o clima,
  195. tenho observado mulheres líderes do clima
    trabalhando nos bastidores,
  196. fora dos holofotes públicos,
  197. certificando-se que as negociações
    em direção a um acordo climático global
  198. continuem avançando.
  199. Então, à medida que avançamos
    na nossa vida e no trabalho,

  200. e temos mais poder e influência,
  201. vamos mudar a natureza do poder,
  202. demolindo algumas das barreiras
    que permanecem para os que vêm a seguir,
  203. defendendo e instigando
  204. por uma representação mais justa,
    mais verdadeira e mais imparcial
  205. em todos os lugares e todas as mesas.
  206. Mas estejam avisados,

  207. pois se você defende uma mulher
  208. por uma posição ou promoção,
  209. você poderá ser desafiado:
  210. "Você está tirando partido
    da causa feminina",
  211. ou "tirando partido da causa racial",
    se estiver defendendo uma mulher negra.
  212. Já tive essa experiência,
    e certamente vocês também:
  213. "Você está liderando um programa
    de ações afirmativas, aqui na PBS?"
  214. Perguntou um dos meus colegas
    quando, como a nova presidente,
  215. anunciei cinco mulheres qualificadas
    como minhas primeiras contratações.
  216. Minha ação afirmativa tinha sido
  217. de pedir à agência de empregos
    que me enviasse uma lista de candidatos
  218. que incluísse nomes de mulheres,
    e pessoas de cor, que seriam,
  219. na minha opinião, os melhores
    candidatos para a posição.
  220. Ouçam, mulheres perigosas,
  221. e nossos aliados:
  222. está na hora de tirar partido
    das causas das mulheres,
  223. das causas raciais
  224. tirar partido das causas de todos.
  225. (Aplausos)

  226. Não para ganhar o jogo do poder,

  227. mas para conduzir a melhores resultados
  228. para todos.
  229. E está na hora, também,

  230. de descartar a teoria da escassez,
  231. aquela que diz
  232. que só há espaço para um de nós no topo.
  233. "Proteja seu território,
    não faça amigos nem aliados".
  234. Mudar a natureza do poder
  235. transforma "proteja seu território"
    em "compartilhe seu território",
  236. encoraja coalizões,
  237. constrói alianças,
  238. reforça e sustenta amizades.
  239. Minhas amigas são minha fonte
    de energia renovável.
  240. (Aplausos)

  241. Assim como meus mentores, meus defensores,

  242. meus apoiadores, meus patrocinadores,
  243. e todos os meios que podemos
    apoiar uns aos outros.
  244. Podemos nos transformar
    na nossa própria fonte de energia
  245. uns pelos outros.
  246. E ao longo do caminho,

  247. precisamos cuidar melhor de nós mesmos,
  248. e aqui, não sou o melhor exemplo.
  249. Eu não medito.
  250. Não me exercito regularmente.
  251. Mas vivo "aerobicamente".
  252. (Risos)

  253. (Aplausos)

  254. Acredito que não podemos ser perigosos

  255. pelas beiradas,
  256. e há muito trabalho a ser feito.
  257. Então vamos usar todo o nosso poder.

  258. Que tal o poder financeiro?
  259. Vamos compartilhar
    nossos dólares filantrópicos,
  260. nossas campanhas de arrecadação,
  261. nossos fundos de investimento,
  262. para aumentar a igualdade
    econômica e social.
  263. E vamos alavancar o poder
    da mídia e da tecnologia
  264. que temos em mãos, literalmente,
  265. para elevar nossas histórias e ideias,
  266. para praticar civilidade
    e buscar a verdade,
  267. que está enfraquecendo
  268. e ameaçando sociedades livres e abertas.
  269. Sim, temos tudo o que precisamos
    para impulsionar nossas comunidades.

  270. E a melhor coisa que temos,
  271. e o que temos que nos lembrar,
  272. é apoiar uns aos outros.
  273. Vamos avançar juntos,
  274. agora dispostos a correr mais riscos,
  275. sermos mais destemidos,
  276. falarmos mais alto, opinarmos,
  277. e oferecer apoio uns aos outros.
  278. George Bernard Shaw uma vez escreveu,

  279. que na sua opinião, a vida dele
    pertencia à comunidade,
  280. que quanto mais trabalhasse,
    mais ele viveria,
  281. e que ele queria estar completamente
    esgotado quando morresse.
  282. Ele continua:
  283. "A vida, para mim, não é uma vela curta,
  284. mas uma esplêndida tocha
  285. que segurei por um momento
  286. antes de passar para futuras gerações".
  287. Eu, também, não vejo a minha vida
    como uma vela curta
  288. apesar de estar queimando dos dois lados.
  289. (Risos)

  290. E eu quero isso,

  291. estar completamente esgotada
    quando morrer.
  292. Mas a essa altura da minha jornada,

  293. não estou passando a minha tocha.
  294. Estou segurando-a mais alto do que nunca,
  295. com coragem e genialidade,
  296. convidando vocês para juntarem-se a mim
    em sua luz perigosa.
  297. Obrigada.

  298. (Aplausos)