YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese subtitles

← As fantásticas avós dos grupos familiares das orcas — Darren Croft

Get Embed Code
17 Languages

Showing Revision 5 created 01/01/2019 by Margarida Ferreira.

  1. Ao largo da costa escarpada
    do noroeste do Pacífico,

  2. grupos familiares de orcas
    povoam as águas frígidas.
  3. Cada família consegue sobreviver ali
  4. graças principalmente
    a um dos seus membros,
  5. a caçadora mais experiente:
  6. a avó.
  7. Estas matriarcas podem viver
    80 anos ou mais

  8. enquanto a maioria dos machos
    morre por volta dos 30 anos.
  9. Embora as orcas povoem
    todos os grandes oceanos,
  10. até há pouco tempo
    pouco sabíamos sobre elas.
  11. Os pormenores da vida delas
    escapavam aos cientistas
  12. até uma organização chamada
    Centro para Investigação das Baleias
  13. ter começado a estudar uma população
  14. perto do estado de Washington
    e da Colúmbia Britânica, em 1976.
  15. Graças ao seu trabalho em curso,
  16. aprendemos muito sobre estes golfinhos,
  17. conhecidos como residentes do sul.
  18. Quanto mais vamos sabendo,
  19. mais se destaca o papel vital
    das anciãs desta população.
  20. Cada avó começa a sua vida como uma cria

  21. nascida no grupo familiar da sua mãe,
    ou seja, numa linha matrilinear.
  22. A família faz tudo em conjunto,
  23. caçando e brincando, e até comunicando
  24. através do seu conjunto único
    de chamamentos.
  25. Tanto os filhos como as filhas
  26. passam toda a vida
    com as famílias da mãe.
  27. Isso não significa que um jovem golfinho
    só interaja com os seus parentes.

  28. Para além dos seus chamamentos especiais,
  29. a família matrilinear partilha
    um dialeto com as famílias vizinhas
  30. e socializa com regularidade.
  31. Quando uma fêmea chega
    à idade dos 15 anos,
  32. estes encontros tornam-se oportunidades
  33. para acasalar com os machos
    de outros grupos.
  34. As relações não duram muito
    para além do acasalamento.
  35. A fêmea e as suas crias
    mantêm-se junto da família,
  36. enquanto o macho regressa
    para junto da mãe.
  37. Até cerca dos 40 anos,

  38. uma fêmea dá à luz
    de seis em seis anos, em média.
  39. Depois, passa pela menopausa
  40. o que é quase uma exceção no reino animal.
  41. Com efeito, os seres humanos,
    as orcas e algumas outras baleias
  42. são as únicas espécies cujas fêmeas
    continuam a viver durante anos
  43. depois de deixarem de se reproduzir.
  44. Depois da menopausa,

  45. as avós assumem a chefia
    da caça ao salmão,
  46. a principal fonte de alimento
    das residentes do sul.
  47. Durante a maior parte do inverno,
    procuram comida no mar alto,
  48. complementando o salmão com outros peixes.
  49. Mas, quando os salmões se dirigem
    para a costa, aos magotes, para desovar,
  50. as orcas vão atrás deles.
  51. A matriarca mostra às jovens baleias
  52. onde encontrar os terrenos
    de caça mais férteis.
  53. Também partilha com elas
    mais de 90% dos salmões que apanha.
  54. A cada ano que passa,
  55. esta contribuição torna-se mais vital.
  56. A pesca excessiva
    e a destruição do "habitat"
  57. têm dizimado a população dos salmões,
  58. pondo as baleias em risco quase
    permanente de morrerem à fome.
  59. A competência destas avós

  60. pode significar a diferença
    entre a vida e a morte da família
  61. mas porque é que deixam de ter crias?
  62. É quase sempre vantajoso
    que uma fêmea continue a reproduzir-se,
  63. apesar de ela cuidar das filhas
    e das netas existentes.
  64. Algumas circunstâncias especiais
    alteram esta equação para as orcas.
  65. O facto de os filhos e as filhas

  66. nunca abandonarem as suas famílias
    de origem é extremamente raro.
  67. Em quase todas as espécies animais,
  68. um ou os dois sexos afastam-se.
  69. Isso significa que, à medida
    que uma baleia assassina envelhece,
  70. uma maior percentagem da sua família
  71. é formada pelos seus filhos e netos
  72. enquanto os parentes mais distantes
    vão morrendo.
  73. Como as fêmeas mais velhas
    estão mais ligadas ao grupo
  74. do que as fêmeas mais novas,
  75. investem melhor na família,
    enquanto grupo,
  76. e as fêmeas mais novas
    investem mais na reprodução.
  77. No ambiente das orcas,

  78. cada nova cria é mais uma boca a alimentar
  79. com recursos limitados, escassos.
  80. Uma fêmea mais velha pode
    transmitir os seus genes
  81. sem sobrecarregar a família
  82. sustentando os filhos adultos,
  83. que produzem as crias
    que outras famílias criarão.
  84. Pode ser esta a razão
    por que as fêmeas evoluíram
  85. para deixarem de se reproduzir
    na meia idade.
  86. Apesar das contribuições das avós,

  87. as orcas residentes do sul
    estão fortemente ameaçadas,
  88. em parte devido à diminuição dos salmões.
  89. Precisamos urgentemente de investir
    na reposição das populações de salmões
  90. para as salvar da extinção.
  91. A longo prazo, precisamos de mais estudos
  92. como os do Centro
    para a Investigação das Baleias.
  93. O que aprendemos com as residentes do sul
  94. pode não se verificar com outros grupos.
  95. Ao estudar outras populações
    aprofundadamente,
  96. podemos descobrir
    mais adaptações surpreendentes
  97. e prever as suas vulnerabilidades
    perante a interferência humana,
  98. antes de a sobrevivência delas
    correr perigo.