Portuguese υπότιτλους

← O ano em que disse que sim a tudo

Πάρτε τον Κωδικό ενσωμάτωσης
44 Γλώσσες

Showing Revision 82 created 03/24/2016 by Margarida Ferreira.

  1. Há uns tempos, fiz uma experiência.
  2. Durante um ano, ia dizer que sim
    a tudo o que me assustasse.
  3. Tudo o que me deixasse nervosa,
    me tirasse da minha zona de conforto.
  4. Forcei-me a dizer que sim.
  5. Se queria falar em público?
    Não, mas sim.
  6. Se queria aparecer em direto na TV?
    Não, mas sim.
  7. Se queria tentar representar?
    Não, não, mas sim, sim, sim.
  8. E aconteceu uma coisa estranha:

  9. o próprio ato de fazer aquilo
    que me assustava anulou o medo,
  10. deixou de ser assustador.
  11. O meu medo de falar em público
    e a minha ansiedade social foram-se.
  12. É incrível o que uma palavra
    consegue fazer.
  13. O "sim" mudou a minha vida.
    O "sim" mudou-me.
  14. Mas houve um "sim" em particular
    que afetou a minha vida profundamente,
  15. como nunca imaginei.
  16. Começou com uma pergunta
    da minha filha.
  17. Tenho três filhas fantásticas,
    a Harper, a Beckett e a Emerson.

  18. A Emerson é uma criança
    que chama "querida" a toda a gente,
  19. como se fosse uma tia de Cascais.
  20. (Risos)

  21. "Querida, deite-me leite no copo."

  22. (Risos)

  23. Uma noite, a tia de Cascais
    pediu-me para brincar com ela,

  24. quando estava de saída
    e eu disse que sim.
  25. E esse "sim" foi o início de uma
    nova forma de vida para a minha família.
  26. Prometi que, dali em diante,
  27. sempre que uma das minhas filhas
    me pedisse para brincar,
  28. independentemente do que estivesse
    a fazer ou onde fosse,
  29. eu diria que sim, de todas as vezes.
  30. Quase. Não sou perfeita,
    mas esforcei-me ao máximo por tentar.
  31. E teve um efeito mágico em mim,
    nas minhas filhas, na nossa família.
  32. Mas também teve
    um efeito secundário fantástico
  33. — e só há pouco tempo
    é que percebi totalmente:
  34. dizer que sim a brincar
    com as minhas filhas,
  35. provavelmente,
    salvou a minha carreira.
  36. Eu tenho o que muitos chamariam
    um trabalho de sonho.

  37. Sou escritora, imagino.
    Ganho a vida a inventar coisas.
  38. Um trabalho de sonho.
  39. Não.
    Sou uma titã.
  40. Trabalho de sonho.
  41. Eu produzo televisão.
  42. Eu faço televisão, muita televisão.
  43. De uma forma ou de outra,
    esta temporada,
  44. sou responsável por apresentar
    70 horas de televisão ao mundo.
  45. Quatro programas televisivos,
    70 horas de televisão...
  46. (Aplausos)

  47. ...três ou quatro séries em produção.

  48. Cada série gera centenas de empregos
    que não existiam antes.
  49. O orçamento
    para um episódio de televisão
  50. pode andar entre os três e os seis milhões
    de dólares, digamos cinco.
  51. A cada nove dias sai um episódio novo
    das quatro séries.
  52. A cada nove dias,
    são 20 milhões de dólares de televisão,
  53. quatro programas televisivos,
    70 horas de televisão,
  54. três ou quatro séries em produção,
    16 episódios permanentes:
  55. 24 episódios de "Anatomia de Grey",
    21 de "Scandal",
  56. 15 de "Como Defender um Assassino",
    10 de "The Catch", 70 horas de TV.
  57. São 350 milhões de dólares
    por temporada.
  58. Nos EUA, as minhas séries
    passam às quartas à noite.
  59. No resto do mundo, são emitidas
    em 256 territórios, em 67 línguas,
  60. para 30 milhões de espetadores.
  61. O meu cérebro é global
  62. e 45 dessas 70 horas de TV são séries
    que eu não só produzi, como criei.
  63. Para além disso tudo,
  64. tenho de arranjar tempo,
    tempo sossegado e criativo,
  65. para juntar os meus fãs à volta
    da fogueira e contar as minhas histórias.
  66. Quatro programas televisivos, 70 horas
    de TV, três ou quatro séries em produção,
  67. 350 milhões de dólares,
    fogueiras a arder pelo mundo inteiro.
  68. Sabem quem mais faz isso?
  69. Ninguém, por isso,
    como disse, sou uma titã.
  70. Trabalho de sonho.
  71. (Aplausos)

  72. Não vos digo isto para vos impressionar.

  73. Digo-o porque sei o que pensam
    quando ouvem a palavra "escritora".
  74. Digo-o para que todos aqueles
    que trabalham no duro,
  75. quer dirijam uma empresa, um país,
    uma sala de aula, uma loja ou um lar,
  76. me levem a sério
    quando falo sobre trabalho.
  77. Percebem que não estou em frente
    ao computador a imaginar o dia todo.
  78. Ouçam-me quando digo
  79. que um trabalho de sonho
    não se trata de sonhar.
  80. É só trabalho, realidade,
    sangue, suor e nada de lágrimas.
  81. Eu trabalho muito e adoro.
  82. Quando me esforço no trabalho,
    quando me empenho,

  83. não há nada como esse sentimento.
  84. Para mim, o meu trabalho
    é sempre construir uma nação do zero.
  85. É comandar as tropas,
    pintar uma tela.
  86. É atingir os tons agudos,
    é correr uma maratona.
  87. É ser a Beyoncé.
  88. São essas coisas todas ao mesmo tempo.
  89. Eu adoro trabalhar.
  90. É criativo, mecânico,
    cansativo e estimulante,
  91. hilariante, perturbador,
    rigoroso e maternal, cruel e exigente.
  92. E o que o torna tão bom é o zumbido.
  93. Há uma espécie de mudança dentro
    de mim quando o trabalho é bom.
  94. Sinto um zumbido na cabeça,
    que vai crescendo e crescendo.
  95. Esse zumbido parece uma estrada sem fim
    e podia percorrê-la para sempre.
  96. Quando tento explicar esse zumbido,
    muitos creem que estou a falar da escrita.
  97. Que a minha escrita me traz alegria.
    E não me interpretem mal, porque traz.
  98. Mas o zumbido...
  99. Só quando comecei a fazer televisão
  100. — a trabalhar, a fazer,
    a construir, a criar e a colaborar —
  101. é que descobri este zunzum,
    esta adrenalina, este zumbido.
  102. O zumbido é mais do que escrever.
  103. O zumbido é ação e atividade.
    O zumbido é uma droga.
  104. O zumbido é música.
    O zumbido é ar e luz.
  105. O zumbido é o murmúrio de Deus
    ao meu ouvido.
  106. E quando se tem um zumbido assim,
    é inevitável tentar alcançar a excelência.
  107. Esse sentimento — tentar alcançar
    a excelência, custe o que custar —
  108. chama-se "zumbido".
  109. Ou talvez se chame
    "trabalhador compulsivo".
  110. (Risos)

  111. Talvez se chame "genialidade".

  112. Talvez se chame "ego".
  113. Talvez seja só medo de falhar.
  114. Não sei.
  115. Só sei que não fui feita para falhar
    e que adoro o zumbido.
  116. Só sei que quero dizer-vos
    que sou uma titã
  117. e sei que não quero questioná-lo.
  118. Mas eis a questão:

  119. quanto mais sucesso tenho,
  120. quantos mais episódios, séries,
    mais barreiras eu quebro,
  121. mais trabalho há para fazer,
  122. mais responsabilidades tenho,
    mais olhos postos em mim,
  123. mais a história me observa,
    maiores são as expectativas.
  124. Quanto mais me esforço
    por ser bem-sucedida,
  125. mais preciso de trabalhar.
  126. E o que disse eu sobre o trabalho?
    Adoro trabalhar, certo?
  127. A nação que estou a construir,
    a maratona, as tropas, a tela,
  128. o zumbido, o zumbido, o zumbido.
  129. Eu gosto desse zumbido.
    Adoro esse zumbido.
  130. Preciso desse zumbido.
    Sou esse zumbido.
  131. Serei alguma coisa mais
    do que esse zumbido?
  132. E, então, o zumbido parou.

  133. Exausta, cansada, fatigada, esgotada.
  134. O zumbido parou.
  135. As minhas três filhas
    estão habituadas ao facto

  136. de a mãe delas
    ser uma trabalhadora titã solteira.
  137. A Harper diz às pessoas:
  138. "A minha mãe não vai poder ir,
    mas pode falar com a minha ama."
  139. E a Emerson diz: "Querida,
    quero ir para a Shondalândia."
  140. (Risos)
  141. São filhas de uma titã.
    São pequenas titãs.
  142. Tinham 12 anos, 3 anos e 1 ano
    quando o zumbido parou.
  143. O ruído do motor parou.
    Deixei de gostar de trabalhar.
  144. Não conseguia reiniciar o motor.
    O zumbido não voltava.
  145. O meu zumbido estava avariado.
  146. Fazia as mesmas coisas de sempre,
    o mesmo trabalho de titã.
  147. Trabalhava 15 horas por dia,
    o fim de semana todo,
  148. sem arrependimentos nem rendições.
  149. Um titã nunca dorme, nunca desiste.
  150. Corações cheios, olhos límpidos,
    o que seja.
  151. Mas não havia zumbido.
  152. Dentro de mim reinava o silêncio.
  153. Quatro programas televisivos,
    70 horas de TV,
  154. três ou quatro séries em produção.
  155. Quatro programas televisivos,
    70 horas de TV, três séries em produção...
  156. Eu era a titã perfeita.
  157. Era uma titã daquelas
    que se apresentam às mães.
  158. As cores eram todas as mesmas
    e eu já não me divertia.
  159. Era a minha vida.
  160. Não fazia outra coisa.
  161. Eu era o zumbido e o zumbido era eu.
  162. O que fazer quando aquilo que fazemos,
  163. o trabalho que amamos,
    começa a saber a poeira?
  164. Sei que está alguém aí a pensar:

  165. "Poupa-me, escritora titã idiota."
  166. (Risos)

  167. Mas vocês sabem.

  168. Se criam, se trabalham,
    se gostam do que fazem
  169. — dar aulas, trabalhar num banco,
    ser mãe, ser pintor, ser o Bill Gates —
  170. se simplesmente gostam de outra pessoa
    e sentem o zumbido,
  171. se conhecem o zumbido,
  172. se sabem o que é o zumbido,
    se já estiveram no zumbido,
  173. quando ele para, quem são vocês?
  174. O que são?
  175. O que sou eu? Ainda sou uma titã?
  176. Se a melodia no meu coração deixa
    de tocar, posso sobreviver no silêncio?
  177. Então, a minha tiazinha de Cascais
    faz-me uma pergunta.

  178. Estou a dirigir-me para a porta,
    estou atrasada e ela diz:
  179. "Mamã, vamos brincar?"
  180. Estou prestes a dizer que não,
    quando me apercebo de duas coisas.

  181. Primeira: tenho de dizer que sim a tudo.
  182. Segunda: a minha tia de Cascais
    não me chamou "querida".
  183. Já não chama "querida" a ninguém.
  184. Quando é que isso aconteceu?
    Estou a falhar.
  185. Sou uma titã a chorar a perda do meu
    zumbido e ela está a mudar a olhos vistos.
  186. Então, ela diz:
    "Mamã, vamos brincar?"
  187. E eu digo que sim.
  188. Não é nada de especial.
  189. Brincamos, as irmãs juntam-se a nós
    e rimo-nos muito.
  190. Eu faço uma leitura teatral
    do livro "Everyone Poops".
  191. Nada de anormal.
  192. (Risos)

  193. Contudo, é extraordinário,
    porque no meu pânico e na minha dor,

  194. na privação do meu zumbido,
  195. não tenho nada a fazer
    a não ser prestar atenção.
  196. Concentro-me. Sossego.
  197. A nação que estou a construir,
    a maratona, as tropas, a tela,
  198. as notas agudas não existem.
  199. Só existem dedos pegajosos,
  200. beijos melados,
    vozes pequeninas e lápis de cera,
  201. e aquela música sobre "deixar ir"
  202. daquela miúda do Frozen
    — O Reino do Gelo.
  203. (Risos)

  204. É só paz e simplicidade.

  205. Para mim, o ar é tão raro neste sítio,
    que mal consigo respirar.
  206. Mal consigo acreditar
    que estou a respirar.
  207. Brincar é o oposto de trabalhar.
  208. E estou feliz.
  209. Há algo em mim que se solta.
  210. Abre-se uma porta na minha cabeça
    e entra um fluxo de energia.
  211. Não é instantâneo, mas acontece.
  212. Eu sinto-o.
  213. O zumbido regressa.
  214. Não totalmente, mal se ouve.
  215. É fraquinho e tenho de estar
    muito quieta para o ouvir, mas está lá.
  216. Não "o" zumbido, mas "um" zumbido.
  217. E agora sinto que sei um segredo mágico.

  218. Não nos entusiasmemos.
    É só amor, nada mais.
  219. Não é magia, não é segredo. É só amor.
  220. Algo de que nos esquecemos.
  221. O zumbido do trabalho, o zumbido do titã,
  222. é apenas um substituto.
  223. Se tenho de vos perguntar quem sou,
    se tenho de vos dizer quem sou,
  224. se me descrevo em termos de séries,
  225. horas de televisão
    e da máquina global que é o meu cérebro,
  226. esqueci-me do que é o verdadeiro zumbido.
  227. O zumbido não é poder
    nem é apenas trabalho.
  228. É felicidade.
  229. O verdadeiro zumbido é amor.
  230. O zumbido é a eletricidade
    que advém da excitação da vida.
  231. O verdadeiro zumbido é confiança e paz.
  232. O verdadeiro zumbido ignora
    o olhar da história,
  233. as responsabilidades,
    as expectativas e a pressão.
  234. O verdadeiro zumbido é único e original.
  235. O verdadeiro zumbido é o murmúrio de Deus,
    mas talvez Deus estivesse errado.
  236. Qual dos deuses me estava
    a dizer que eu era uma titã?
  237. É só amor.

  238. Precisamos todos
    de um pouco mais de amor,
  239. de muito mais amor.
  240. Sempre que a minha filha
    me pedir para brincar,
  241. eu vou dizer que sim.
  242. Estabeleci essa regra
    por um único motivo:
  243. para me libertar da culpa
    associada ao trabalho compulsivo.
  244. É uma lei, por isso,
    não tenho alternativa.
  245. Não tenho alternativa,
    se quero sentir o zumbido.
  246. Oxalá fosse assim tão fácil,
    mas não sou boa a brincar.

  247. Não me agrada.
  248. Não tenho tanto interesse nisso
    como tenho em trabalhar.
  249. É incrivelmente humilhante
    encarar a verdade.
  250. Não gosto de brincar.
  251. Trabalho a toda a hora,
    porque gosto de trabalhar.
  252. Gosto mais de trabalhar
    do que de estar em casa.
  253. É incrivelmente difícil
    encarar esse facto.
  254. Que tipo de pessoa gosta mais
    de trabalhar do que estar em casa?
  255. Eu.

  256. Convenhamos, eu digo que sou uma titã.
  257. Tenho problemas.
  258. (Risos)

  259. E um desses problemas
    não é ser demasiado relaxada.

  260. (Risos)

  261. Corremos à volta do jardim,
    para cima e para baixo.

  262. Fazemos festas de danças de 30 segundos.
  263. Cantamos músicas. Jogamos à bola.
  264. Faço bolhinhas de sabão
    e elas rebentam-nas.
  265. Sinto-me tensa, delirante
    e confusa a maior parte do tempo.
  266. Estou sempre a pensar no telemóvel.
  267. Mas não faz mal.
  268. As minhas pequeninas ensinam-me a viver
    e o zumbido do universo preenche-me.
  269. Brinco mais e mais
    até começar a perguntar-me
  270. porque parámos de brincar.
  271. Vocês também o podem fazer,

  272. dizer que sim sempre que
    a vossa filha vos pede para brincar.
  273. Estão a pensar que sou uma estúpida
    com sapatos de diamante?
  274. Têm razão, mas podem fazê-lo na mesma.
  275. Têm tempo.
  276. Sabem porquê? Porque não são
    a Rihanna nem um Marreta.
  277. Os vossos filhos não vos acham
    assim tão interessantes.
  278. (Risos)
  279. Só precisam de 15 minutos.

  280. As minhas filhas mais novas só querem
    brincar comigo durante cerca de 15 minutos
  281. até descobrirem
    que querem fazer outra coisa.
  282. São uns 15 minutos incríveis,
    mas são 15 minutos.
  283. Se não for uma joaninha ou um doce,
    sou invisível passados 15 minutos.
  284. (Risos)

  285. E se conseguir fazer com que a minha filha
    de 13 anos fale comigo durante 15 minutos,

  286. sou a Mãe do Ano.
  287. (Risos)

  288. Só precisam de 15 minutos.

  289. Eu consigo despender 15 minutos
    de tempo ininterrupto no meu pior dia.
  290. Ininterrupto é a chave.
  291. Sem telemóvel, sem roupa
    para lavar, sem nada.
  292. Têm uma vida agitada.
  293. Têm de os obrigar a tomar banho,
    mas podem despender 15 minutos.
  294. As minhas filhas são a minha felicidade,
    o meu mundo.
  295. Mas os vossos filhos não têm de ser
  296. o combustível que alimenta o zumbido,
    o sítio onde a vida nos sabe melhor.
  297. Não se trata de brincarem
    com os vossos filhos,
  298. mas de felicidade, de brincar, no geral.
  299. Deem a vocês mesmos os 15 minutos.
    Descubram o que vos faz sentir bem.
  300. Descubram-no e brinquem nesse cenário.
  301. Não sou perfeita nisto.
    Falho tantas vezes como prospero,

  302. ao visitar amigos, ao ler livros,
    ao olhar para o teto.
  303. "Vamos brincar?" começa
    a tornar-se um código para me mimar
  304. de formas que deixara de parte
    quando fiz a minha primeira série,
  305. quando me tornei uma aspirante a titã,
  306. quando comecei a competir
    comigo mesma de formas impensáveis.
  307. Quinze minutos? Qual é o mal
    de dar a mim mesma atenção plena
  308. durante 15 minutos?
  309. Ao que parece, nenhum.
  310. O próprio ato de não trabalhar
    possibilitou que o zumbido voltasse,
  311. como se o motor do zumbido só pudesse
    reabastecer enquanto estivesse ausente.
  312. O trabalho não funciona sem brincadeira.
  313. Demora um bocadinho,
    mas, uns meses depois,

  314. as comportas abrem,
  315. há uma torrente
    e dou por mim no meu escritório,
  316. com uma melodia desconhecida, cheia
    de onda dentro de mim e à minha volta,
  317. que me inspira novas ideias.
  318. A estrada do zumbido está à minha frente
    e posso percorrê-la sem fim.
  319. Adoro trabalhar outra vez.
  320. Agora, gosto daquele zumbido,
    mas não o adoro.
  321. Não preciso dele.
  322. Não sou esse zumbido.
    Esse zumbido não sou eu.
  323. Deixou de ser.
  324. Sou bolhinhas de sabão,
    dedos pegajosos e jantares com os amigos.
  325. Sou esse zumbido.
  326. O zumbido da vida.
    O zumbido do amor.
  327. O zumbido do trabalho ainda faz
    parte de mim, mas já não é tudo.
  328. Estou muito grata.
  329. E estou-me nas tintas para ser uma titã,
  330. porque nunca vi um titã
    a jogar ao Bom Barqueiro.
  331. Eu disse que sim a menos trabalho e mais
    brincadeira e ainda controlo o meu mundo.

  332. O meu cérebro ainda é global,
    a minha fogueira ainda arde.
  333. Quanto mais brinco, mais feliz me sinto
    e mais felizes as minhas filhas ficam.
  334. Quanto mais brinco,
    mais me sinto uma boa mãe.
  335. Quanto mais brinco, mais liberto a mente.
  336. Quanto mais brinco, melhor trabalho.
  337. Quanto mais brinco,
    mais sinto o zumbido,
  338. a nação que estou a construir,
    a maratona, as tropas, a tela,
  339. as notas agudas,
    o zumbido, o zumbido,
  340. o outro zumbido,
    o verdadeiro zumbido.
  341. O zumbido da vida.
  342. Quanto mais sinto esse zumbido,
    mais esta estranha, trémula, desprotegida,
  343. estranha e nova pessoa
    que não é uma titã se sente igual a mim.
  344. Quanto mais sinto esse zumbido,
    mais sei quem sou.
  345. Sou escritora, invento coisas, imagino.
  346. Essa parte do trabalho
    é que é viver o sonho.
  347. É o sonho do trabalho.
  348. Porque um trabalho de sonho
    deve ser um pouco sonhador.
  349. Eu disse que sim a menos trabalho
    e mais brincadeira.

  350. Os titãs não precisam de se candidatar.
  351. Vamos brincar?

  352. Obrigada.

  353. (Aplausos)