Return to Video

Recruiting and Retaining Employees with Disabilities

  • 0:03 - 0:04
    Meu nome é Sean Marihugh
  • 0:04 - 0:07
    e trabalho na Microsoft
    como engenheiro de escalação
  • 0:07 - 0:09
    no Centro de Respostas sobre Deficiências,
  • 0:09 - 0:11
    um serviço gratuito
    de suporte técnico
  • 0:11 - 0:12
    para clientes com deficiência.
  • 0:12 - 0:15
    >>Jean Hodgson:
    Sou Jean Hodgson.
  • 0:15 - 0:16
    Trabalho para a PROVAIL.
  • 0:16 - 0:18
    Somos uma organização sem fins lucrativos
  • 0:18 - 0:21
    que defende pessoas com deficiência.
  • 0:21 - 0:25
    Ajudamos a integrá-los
    ao mercado de trabalho,
  • 0:25 - 0:28
    em trabalhos convencionais
    trabalhando com americanos
  • 0:28 - 0:31
    em todos os campos de trabalho.
  • 0:31 - 0:33
    >>Sam Sepah:
    Sou Sam Sepah.
  • 0:33 - 0:36
    Sou profissional de RH e trabalhei
  • 0:36 - 0:40
    para uma variedade de empresas de TI
    nos últimos 10 anos da minha carreira.
  • 0:40 - 0:44
    E agora foco no recrutamento
    de engenheiros de software.
  • 0:46 - 0:50
    >>Susan Sears: Sou Susan Sears,
    trabalho para a Universidade de Illinois,
  • 0:50 - 0:54
    no escritório de Recursos de Deficiência
    e Serviços Educacionais.
  • 0:54 - 0:56
    >>Mike Forehand:
    Sou Mike Forehand.
  • 0:56 - 0:58
    Trabalho no recrutamento
  • 0:58 - 1:03
    com foco em criar divulgação
    para a diversidade.
  • 1:03 - 1:05
    primeiramente para a comunidade
    deficiente.
  • 1:06 - 1:08
    >>Tony Baylis:
    Meu nome é Tony Baylis.
  • 1:08 - 1:12
    Trabalho no Laboratório Nacional
    Lawrence Livermore
  • 1:12 - 1:14
    que fica em Livermore, na California.
  • 1:14 - 1:18
    É um dos 17 Departamentos de laboratórios
    de Energia.
  • 1:18 - 1:20
    Nosso foco é a segurança nacional.
  • 1:20 - 1:21
    [música]
  • 1:27 - 1:28
    >>Sean Marihugh:
    Essas pessoas
  • 1:28 - 1:32
    São normalmente sub-representadas
    em muitos campos.
  • 1:32 - 1:37
    Computação é definitivamente
    um desses principais campos.
  • 1:37 - 1:40
    Acho que é realmente crítico que nós,
    que os estudantes,
  • 1:40 - 1:43
    sintam-se encorajados e empoderados
    para explorar a computação
  • 1:43 - 1:46
    porque acho que eles podem
    abrir o caminho
  • 1:46 - 1:48
    para melhorar a experiência
    de todos com a tecnologia.
  • 1:49 - 1:52
    >> Tony Baylis: Como devemos resolver
    os problemas da sociedade
  • 1:52 - 1:56
    se não a estamos representando
    como um todo?
  • 1:56 - 2:00
    Em relação a isso,
    você precisa ser inclusivo
  • 2:00 - 2:05
    com os indivíduos que está servindo,
    e isso inclui toda a população.
  • 2:05 - 2:10
    Se você tem 2 bilhões
    de pessoas com deficiência,
  • 2:10 - 2:11
    como pode ignorar isso?
  • 2:11 - 2:17
    Como pode ignorar que eles não sejam
    incluídos na discussão?
  • 2:19 - 2:21
    >> Sam Sepah:
    Candidatos com deficiência
  • 2:21 - 2:24
    tem um processo de pensamento único
    para trazer para uma empresa.
  • 2:24 - 2:27
    Nosso país é diverso, então o
    local de trabalho precisa atrair
  • 2:27 - 2:29
    várias pessoas diferentes que irão
  • 2:29 - 2:33
    usar os produtos que estamos vendendo
    ou os serviços que estamos prestando.
  • 2:33 - 2:40
    Se o país é diverso,
    sua equipe também precisa ser
  • 2:40 - 2:45
    para estar equiparada
    à demografia do país.
  • 2:46 - 2:48
    >> Mike Forehand:
    Como membros de uma equipe
  • 2:48 - 2:52
    eles são tão entusiasmados
    em contribuir
  • 2:52 - 2:57
    e em fazer parte de um time
    como todos os outros,
  • 2:57 - 3:00
    a diferença é que
    eles olham para o mundo
  • 3:00 - 3:03
    e tem diferentes habilidades para resolver
    e lidar com problemas
  • 3:03 - 3:05
    que os leva a diferentes soluções.
  • 3:05 - 3:07
    >> Sean Marihugh:
    Não acho que significa
  • 3:07 - 3:11
    que alguém com uma deficiência
    sabe tudo sobre todas as deficiências,
  • 3:11 - 3:13
    mas acho que eles trazem uma
    certa empatia para uma empresa
  • 3:13 - 3:16
    então entenderão que pessoas
    possuem diferentes experiências
  • 3:16 - 3:19
    e ter estagiários e empregados
    com deficiências,
  • 3:19 - 3:22
    pode trazer essa perspectiva.
  • 3:22 - 3:26
    >> Tony Baylis: Eu penso que ter pessoas
    com deficiências em seu meio
  • 3:26 - 3:30
    ajuda as pessoas a entenderem melhor
  • 3:30 - 3:33
    sobre nossas diferenças culturais,
    diferenças no aprendizado,
  • 3:33 - 3:37
    sobre como você pode ter
    diferentes perspectivas.
  • 3:38 - 3:39
    >>Sam Sepah:
    É necessária mais sensibilidade
  • 3:39 - 3:43
    quando se fala em entrevistar
    esse tipo de candidato.
  • 3:43 - 3:46
    Você precisa pensar sobre o apoio
    que eles vão precisar
  • 3:46 - 3:49
    na entrevista com antecedência.
  • 3:49 - 3:50
    E ter um processo mais simplificado
  • 3:50 - 3:54
    que faça os candidatos se sentirem bem-vindos
    logo no inicio da entrevista
  • 3:54 - 3:57
    e assim se sentirem
    bem-vindos ao time.
  • 3:57 - 3:59
    Eles sabem o que vai acontecer
  • 3:59 - 4:01
    no processo da entrevista.
  • 4:01 - 4:03
    Isso os empodera
    e realmente permite
  • 4:03 - 4:06
    que a mágica aconteça
    no processo da entrevista.
  • 4:07 - 4:10
    >> Jean Hodgson: Hoje somos parceiros
    da Microsoft
  • 4:10 - 4:12
    no programa de contratação de autistas.
  • 4:12 - 4:17
    Nós ajudamos no recrutamento,
    para que consigam muitas pessoas
  • 4:17 - 4:20
    que possam ser incluídas
    no grupo de candidatos.
  • 4:20 - 4:23
    Nós treinamos o pessoal
    que vai fazer realizar as entrevistas,
  • 4:23 - 4:25
    nós treinamos os entrevistados
  • 4:25 - 4:28
    para ajudá-los em algumas
    áreas difíceis
  • 4:28 - 4:30
    como entrevistas por telefone,
  • 4:30 - 4:34
    fazendo um processo seletivo mais suave
  • 4:34 - 4:37
    para que você possa chegar à essência
    das habilidades de cada pessoa
  • 4:37 - 4:41
    e detectar se eles se encaixam
    perfeitamente na vaga.
  • 4:42 - 4:45
    >>Sam Sepah: Um estudo
    que me inspirou muito
  • 4:45 - 4:52
    e que eu li a respeito foi
    perguntar aos clientes no mercado
  • 4:52 - 4:58
    se eles conheciam empresas
    que contratavam pessoas deficientes.
  • 4:58 - 5:01
    O que eles perceberam foi que
    os clientes que sabiam disso
  • 5:01 - 5:04
    estariam mais dispostos a comprar
    seus produtos e serviços.
  • 5:04 - 5:06
    e isso ocorre porque
    os clientes respeitam mais
  • 5:06 - 5:08
    uma empresa que faz isso
  • 5:08 - 5:11
    não somente porque
    é a coisa certa a ser feita
  • 5:11 - 5:15
    mas porque essas empresas
    de fato assumem essa responsabilidade.
  • 5:15 - 5:18
    São comprometidas com a diversidade
    em sua força de trabalho,
  • 5:18 - 5:20
    incluindo pessoas deficientes.
  • 5:21 - 5:27
    >>Jean Hodgson: Sempre que a inclusão
    é parte de uma meta, todos se beneficiam.
  • 5:27 - 5:30
    e quando existe tecnologia
    que é inclusiva
  • 5:30 - 5:32
    como vídeos legendados
  • 5:32 - 5:40
    ou sites que são mais acessíveis
    a pessoas com algum tipo de deficiência,
  • 5:40 - 5:42
    isso gera um público mais amplo,
  • 5:42 - 5:45
    há um potencial mais abrangente de lucro.
  • 5:46 - 5:49
    >>Susan Sears: Penso que
    o investimento no futuro de todos
  • 5:49 - 5:54
    tem a ver com a construção
    e com o desenho de coisas acessíveis
  • 5:54 - 5:56
    desde o início.
  • 5:56 - 5:58
    É um investimento no
    futuro de todos nós,
  • 5:58 - 6:02
    não apenas na pessoa
    ou indivíduo com deficiências.
  • 6:02 - 6:07
    Ninguém sabe o que vai acontecer
    a cada um de nós individualmente.
  • 6:07 - 6:09
    Em questão de segundos,
    toda a sua vida pode mudar
  • 6:09 - 6:12
    e você mesmo pode se juntar
    à comunidade de deficientes
  • 6:12 - 6:14
    e precisar dessas adaptações,
  • 6:14 - 6:18
    portanto isso não é sobre contratar
    e recrutar pessoas, entende,
  • 6:18 - 6:20
    e sim um investimento
    para todos nós.
  • 6:21 - 6:23
    >>Tony Baylis:
    Penso que temos um desafio,
  • 6:23 - 6:28
    porém para incluir
    pessoas com deficiências
  • 6:28 - 6:33
    temos que iniciar um trabalho para
    acabar com os preconceitos em geral,
  • 6:33 - 6:36
    aqueles implícitos e inconscientes
    em todos os sentidos
  • 6:36 - 6:39
    e isso inclui as pessoas com deficiências.
  • 6:39 - 6:42
    Acho que temos um longo caminho,
    infelizmente, mas
  • 6:42 - 6:47
    penso que é um caminho
    que podemos trilhar juntos.
  • 6:47 - 6:49
    Acho que precisamos de organizações
    e empresas
  • 6:49 - 6:51
    que trabalhem em conjunto
    neste esforço.
  • 6:51 - 6:53
    >>Mike Forehand:
    Em um ambiente
  • 6:53 - 6:59
    onde a indústria é baseada
    em uma colaboração intercultural
  • 6:59 - 7:02
    e tudo é orientado
    para o trabalho em equipe,
  • 7:02 - 7:08
    ter um ponto de vista totalmente diferente
    é inestimável.
  • 7:09 - 7:12
    >> Sean Marihugh: Quando estamos
    trazendo perspectivas
  • 7:12 - 7:14
    e considerando os pontos de vista
    de outras pessoas,
  • 7:14 - 7:17
    podemos tornar os produtos
    muito mais inclusivos,
  • 7:17 - 7:20
    tornar a nossa cultura,
    tornar nosso local de trabalho
  • 7:20 - 7:22
    apenas mais inclusivo
    e um melhor lugar para estar.
  • 7:23 - 7:24
    Sinceramente,
  • 7:24 - 7:30
    o acesso comportamental
    é o mais importante de ser inclusivo.
  • 7:30 - 7:33
    Não é o acesso físico.
    É o acesso comportamental.
  • 7:33 - 7:39
    Portanto temos que mudar a cultura
    e sei que isso leva tempo
  • 7:39 - 7:41
    e pode ser desafiador
  • 7:41 - 7:45
    mas acho que começar aos poucos
    e conseguir um caso de sucesso
  • 7:45 - 7:48
    é um início incrível e então
    você consegue um impulso a partir daí.
Title:
Recruiting and Retaining Employees with Disabilities
Description:

more » « less
Video Language:
English
Team:
DO-IT
Duration:
09:14

Portuguese, Brazilian subtitles

Revízie Compare revisions