Portuguese, Brazilian subtitrări

← Jes Fan: Beleza Infecta | Art21 "Nova Iorque de Perto"

Obține codul încorporat
7 Languages

Showing Revision 17 created 06/18/2020 by Jonathan Munar.

  1. [JES FAN]
    Quando você os vê,
  2. ficam grudados na sua mente.
  3. Principalmente pensando neles como
    uma das primeiras poucas representações
  4. da pessoa chinesa, como tema.
  5. Há um missionário médico
    chamado Peter Parker,
  6. que viajou para Cantão para realizar
    a incisão cirúrgica em tumores
  7. no início do século XIX.
  8. Lam Qua era um célebre
    pintor daquela época.
  9. Era famoso principalmente
    por pintar retratos.
  10. Mas acho que Lam Qua também era famoso
  11. pela sua precisão ao pintar seus modelos.
  12. Ele é conhecido por uma citação que diz:
  13. "O que o olho não vê, não pode fazer."
  14. Há algo de "chinesíssimo" aqui.
  15. Como "chinesíssimo" se tornou uma palavra?
  16. Quais são as tecnologias envolvidas
    na criação da ideia do outro?
  17. Por que o ombro precisa ficar nu?
  18. Como a trança de cabelo é colocada.
  19. É tão sedutor, e me pergunto
    se esse tipo de sedução
  20. tem que vir de uma forma
    que você veja o modelo
  21. como um humano familiar.
  22. "JES FAN: BELEZA INFECTA"

  23. Acho que isso me fez tentar entender
    a ideia de beleza e sedução.
  24. Acho que meu trabalho
    tem muito a ver com sedução.
  25. Hoje em dia, a beleza é muito plana.
  26. Só se pode expressar
    uma emoção na mídia social,
  27. que é o coraçãozinho, não é?
  28. É só um formato de coração.
  29. Quando algo é bonito,
    é só um simples coração.
  30. Mas quando você pensa
    em beleza no passado,
  31. é a beleza e o sublime.
  32. Tem que vir com essa suspensão, esse medo.
  33. Também significava, no passado,
  34. descrever algo que era tão bonito,
  35. que quase fazia você querer vomitar.
  36. [Risos]
  37. Eu cresci em Hong Kong.
  38. É muito opressor, ser queer lá.
  39. Não nos vemos representado na sociedade,
  40. nem ao menos vemos...
  41. queers adultos e felizes,
  42. ou queers adultos em geral.
  43. É como não conseguir ver
    um futuro para si mesmo.
  44. Vivi anos muito difíceis enquanto crescia,
  45. tentando descobrir quem eu posso ser.
  46. [JULIE WOLF]
    Pelo que entendi da peça,
  47. você a faz de vidro,
    com um certo formato.
  48. Então você adiciona melanina à peça,
  49. e a preenche com silicone no final, certo?
  50. [FAN]
    Isso.
  51. [WOLF]
    Queremos fazer melanina.
  52. Vamos fazer a forma física final.
  53. Isto se chama levodopa.
  54. Neste caso, a levodopa
    é uma molécula muito instável.
  55. Se você a expõe à luz
    ou à temperatura ambiente,
  56. ela vai começar a fazer algo
    chamado autopolimerização.
  57. Vai começar a fazer um polímero,
  58. que é uma subunidade repetida,
  59. que vai se ligar àquela melanina.
  60. Então, o que vamos fazer
    é criar as condições
  61. mais instáveis possíveis para a levodopa,
  62. assim podemos ignorar o processo biológico
  63. e passar diretamente à melanina.
  64. Não é tão escuro,
  65. mas dá para ver que há flocos lá dentro.
  66. [FAN]
    Que doido, elas são quentes.
  67. [WOLF]
    Sim.
  68. [FAN]
    Seria ótimo se elas fossem...
  69. algo que você pudesse
    identificar ou provocar,
  70. e torcer para que sejam.
  71. Porque as placas
    que você me deu com E. coli,
  72. são idênticas ao mofo.
  73. Então esperemos que elas cresçam felizes,
  74. e se tornem mais viscosas, sabe?
  75. Muito do que estou tentando fazer
  76. com o que consideramos
    materias generificados,
  77. ou materiais racializados,
  78. é muito, muito absurdo.
  79. É como um programa de culinária.
  80. Tenho sêmen, sangue,
  81. melanina e o xixi.
  82. [Risos]
  83. Na época eu estava pensando muito
    sobre como a raça,
  84. principalmente nos EUA,
  85. é vista como infecciosa.
  86. Pense na China e no coronavírus.
  87. Pense na SARS, estando em Hong Kong.
  88. E pense na Era Jim Crow,
    o não-compartilhamento da água.
  89. Aquela ideia de estar sendo infectado.
  90. Atualmente, na Ásia, a beleza é suave,
  91. não tem arestas, não respulsa.
  92. Tem uma coisa de...
  93. fazer isso está subvertendo
    esse equilíbrio,
  94. está mostrando o trabalho que dá
    conseguir essa suavidade.
  95. E assim, ela se parece
    com esses círculos infectos.
  96. Mas então, os materiais
    que estão nessas formas bulbosas
  97. são sêmen decaindo.
  98. Acho isso muito engraçado.
  99. [Risos]
  100. É muito sobre formas se encaixando,
  101. e de alguma forma evocando
    uma sensação dessa estranheza,
  102. mas ao mesmo tempo tão erótica,
    que você não pode evitar.
  103. Mas para ser atraído para isso,
  104. essa eroticidade
  105. te seduz.
  106. É beleza no brilho,
  107. e a possibilidade de ver
    seu próprio reflexo nele.
  108. Ao mesmo tempo, você está olhando
    para algo que te repulsa,
  109. que é considerado infecto ou sujo.
  110. Meu terapeuta diz que estou
    tão familiarizado com a opressão,
  111. que o perigo, o risco e a opressão
    fazem me sentir em casa.
  112. Então me escravizo no estúdio.
  113. Ou me privo do prazer,
  114. porque, como queer,
    não estou sendo oprimido aqui.
  115. [Risos]
  116. Então agora oprimo a mim mesmo.
  117. Porque não posso voltar, se eu fracassar.
  118. TRADUÇÃO:
    Grace Martins