Portuguese, Brazilian subtitrări

← Como evitar que homens tirem a própria vida? | Ben Akers | TEDxRoyalTunbridgeWells

Obține codul încorporat
14 Languages

Showing Revision 76 created 10/22/2020 by Ruy Lopes Pereira.

  1. Estatisticamente,
  2. quem mais provavelmente
    pode me matar sou eu mesmo.
  3. Suicídio é a principal causa de morte
    em homens abaixo dos 45 no Reino Unido:
  4. 12 homens por dia,
  5. 84 por semana,
  6. um homem a cada 2 horas.
  7. Um desses homens era meu melhor amigo
    de infância, Steve Yates.
  8. Mas ele não era um número.
  9. Ele era um pai,
  10. um filho,
  11. um marido e um amigo,
  12. meu amigo.
  13. Ele era um cara ótimo,
  14. divertido, incrível.
  15. Quando adolescentes, éramos inseparáveis.
  16. Aonde um ia, o outro ia também.
    Vivíamos grudados.
  17. Éramos unha e carne, irmãos de outra mãe.
  18. Mas, quando ficamos mais velhos,
  19. a vida nos separou,
    e começamos a nos distanciar.
  20. Então eu nunca soube
    do verdadeiro estado do Steve,
  21. até ser tarde demais.
  22. Steve ficou tão mal mentalmente
  23. que acreditava
  24. que estaríamos melhor sem ele,
  25. o que, claro, é completamente falso.
  26. Batíamos papo de vez em quando,
  27. mas ele sempre me dizia
    que estava tudo ótimo.
  28. Quando Steve morreu,
  29. eu, como muitos outros, me culpei:
  30. "O que eu poderia ter feito de diferente?
  31. Como eu poderia tê-lo ajudado?
  32. Por que ele tinha feito aquilo?"
  33. Mas eu sabia que...
  34. eu sabia que não tinha
    como voltar no tempo.
  35. Eu tinha de seguir em frente,
    mas como fazer isso?
  36. Eu precisava ajudar o próximo Steve,
  37. para que outros amigos e parentes
    não passassem pelo que estávamos passando.
  38. Naquela época, li um artigo que dizia
  39. que homens da minha idade
    assistem a esporte e documentários.
  40. Então,
  41. pensei o seguinte:
  42. "Vou fazer um filme".
  43. "Steve" é um documentário positivo
    sobre doença mental masculina:
  44. pessoas de verdade,
  45. conversas de verdade
  46. e, o mais importante, soluções de verdade.
  47. Viajei pelo país durante um ano,
  48. conversando com pessoas incríveis
    sobre o que elas estavam fazendo
  49. e, acima de tudo,
    o que podíamos fazer para prevenir.
  50. E descobri que, quando eu mostrava
    minha vulnerabilidade,
  51. quando mostrava que não estava legal,
  52. isso facilitava, era mais fácil
    as pessoas se abrirem.
  53. Tivemos uma estreia incrível
    março passado,
  54. com um público inacreditável
    de 300 pessoas,
  55. e o filme recebeu uma ovação de pé.
  56. Fiquei completamente honrado.
  57. Considerando a maneira
    como as pessoas reagiram,
  58. pensei que poderia ser
    o começo de algo ainda maior.
  59. Descobri que fazer o filme
    era na verdade metade da solução.
  60. Como e, principalmente, onde mostrar
    o filme poderia fazer toda a diferença.
  61. Eu me perguntei: "Como fazer esse filme
    chegar aos homens que mais precisam dele?"
  62. Pois eu precisava chegar até eles.
  63. E foi aí que o trabalho duro começou,
  64. ir aonde os homens estavam.
  65. Então, fiz o seguinte:
  66. fui a bares,
  67. clubes esportivos,
  68. academias, construções,
  69. onde quer que normalmente houvesse homens.
  70. Fiz 47 apresentações do filme,
  71. para todo mundo, desde em bancos
    como Coutts e Queens Bank,
  72. até numa prisão de segunda categoria,
  73. e cada uma delas
  74. foi muito diferente,
  75. cada uma delas ensejou
    uma conversa incrível.
  76. todas mais abrangentes
    que discutir um filme.
  77. Descobri que os bares
    eram os melhores lugares.
  78. Sim, conheço a relação
    entre álcool e depressão.
  79. Mas boa parte dos homens estão nos bares.
  80. E...
  81. quando um homem pode se sentar ali,
  82. sem ser pressionado a falar,
  83. apenas abraçando sua dor,
  84. e ouvir outros se abrirem,
  85. no fim ele pode simplesmente dizer:
  86. "Sim, eu também me sinto assim".
  87. É como a primeira pessoa
    que se levanta pra dançar.
  88. Quando alguém começa,
  89. isso dá aos demais a confiança
    para fazer o mesmo.
  90. Eu estava lá quando um grupo de homens
    que não se conheciam
  91. de repente se abriram
    sobre o estresse e a pressão que sentiam,
  92. simplesmente porque viram
    outros fazendo o mesmo na tela.
  93. Uma semana, numa segunda,
    fui a uma agência de publicidade.
  94. Passei o filme lá,
  95. e conversei com um cara que devia ganhar
    umas 300 mil libras por ano.
  96. Daí, numa sexta, eu estava numa prisão
  97. conversando com um homem preso há 9 anos
    cumprindo uma pena de 21 anos.
  98. E o que realmente me surpreendeu
    foi como as preocupações eram parecidas.
  99. Um, fisicamente encarcerado;
  100. o outro, financeiramente encarcerado,
  101. sentindo que seu emprego o controlava:
  102. ambos se sentindo isolados,
    ambos sentindo falta da família,
  103. ambos arrependidos de decisões tomadas,
    e ambos precisando de conversar.
  104. Então, pensei:
  105. "Esse é um jeito real de fazer a diferença
  106. e transformar a conscientização sobre
    saúde mental em ação de saúde mental.
  107. Então, comecei um grupo de conversas.
  108. E criamos o "Talk Club",
    o clube da conversa,
  109. que fundei com outras pessoas do filme,
  110. com regras simples sobre como conversar:
  111. sem dar conselhos ou julgar,
  112. apenas ouvir.
  113. Mas, para tanto, era preciso achar
    um jeito de os homens se identificarem,
  114. usando, por exemplo, o vocabulário certo.
  115. Será que isso podia ajudar
    os homens a enxergar o modo
  116. como eles viam a própria saúde mental?
  117. Mesmo aquelas duas palavras
    pareciam ser uma barreira.
  118. Muitos homens com quem falei
    achavam que saúde mental e doença mental
  119. eram a mesma coisa.
  120. Mas, se compararmos
    com nossa saúde física,
  121. as coisas ficam mais claras.
  122. Tipo, se olharmos
    para o cérebro como um músculo:
  123. ele precisa de ajuda pra ficar mais forte,
    mas também precisa de descanso.
  124. Assim, falamos sobre a boa forma mental,
  125. ajudando-os a ficar mentalmente em forma
    para ficarem mentalmente mais fortes:
  126. ficar em forma, ficar forte.
  127. E acreditamos que o Talk Club,
    simplesmente com conversas regulares,
  128. pode manter os homens
    mentalmente em forma.
  129. Tudo começa com três palavras:
  130. "Como vai você?"
  131. Mas sabemos que muitos homens
    acham difícil responder isso,
  132. então acrescentamos
    mais quatro palavras: "de um a dez".
  133. "Como vai você de um a dez?"
  134. E aí pedimos a eles que expliquem
    por que disseram tal número.
  135. O número de cada um é diferente,
  136. é bem pessoal.
  137. O "cinco"de um pode ser o "sete" de outro.
  138. Trata-se na verdade de uma técnica,
  139. um modo de compartilhar o estado mental,
  140. mas funciona.
  141. Hoje de manhã, por exemplo,
  142. ensaiamos a palestra,
  143. e eu me atrapalhei um pouco,
  144. e fiquei preocupado.
  145. Fiquei preocupado de estar
    na frente de vocês hoje.
  146. E não dormi muito bem...
  147. foi a ansiedade de estar aqui.
  148. E também não tive um sonho muito bom.
  149. Então, para mim foi assim,
  150. eu acordei e falei:
  151. "Acordei um 'cinco'.
    Como virar um 'seis' até a hora do café?
  152. Chegar a um 'sete' na hora do almoço?
  153. Chegar a um 'oito'?"
  154. E descobri que cuidar bem de mim
  155. era a resposta.
  156. Então, saí pra correr hoje de manhã,
  157. e tive um café da manhã ótimo,
  158. liguei para meus filhos,
    tive uma conversa boba com eles,
  159. e meu número começou a aumentar.
  160. Pra mim, tem a ver
    como os homens funcionam,
  161. desde o folheto que distribuímos
    até onde os grupos se reúnem.
  162. Vejam bem, estas são as regras.
  163. Tudo bem,
  164. não lemos instruções,
    mas precisamos de regras pra conversar.
  165. Então, qual a primeira coisa
  166. que um cara faz com um folheto deste?
  167. Ele vai dobrar ao meio.
  168. Ele vai dobrar ao meio de novo,
    e dobrar ao meio novamente,
  169. e vai colocar no bolso de trás da calça.
  170. (Risos)
  171. Então, vou usar todos os lados do folheto
  172. pra convencer você
  173. (Risos)
  174. de que você precisa
    participar do Talk Club.
  175. Nossa comunidade on-line está
    funcionando há poucos meses,
  176. e já temos mais de mil homens
    falando sobre seus números regularmente.
  177. Temos 21 grupos físicos,
  178. ao redor do mundo,
  179. funcionando semanal ou mensalmente,
  180. em bares, academias,
  181. espaços dominados por homens,
    espaços confortáveis para os homens.
  182. Nós cuidamos
  183. para que sejam ambientes seguros,
    confortáveis e confidenciais
  184. onde os homens sintam que podem
    falar seja lá o que vier à cabeça.
  185. Um grupo normalmente tem oito homens.
  186. Sentamos em círculo,
  187. temos uma bolinha "da vez";
  188. Só quem estiver com a bola pode falar.
  189. Daí, cada um fala sobre seu "número".
  190. Depois falamos de coisas
    pelas quais somos gratos.
  191. E aí temos uma rodada
  192. de como vamos cuidar
    da nossa forma mental naquela semana,
  193. e depois falamos os números
    antes de ir embora.
  194. É tão simples, tão poderoso
  195. e, de algum modo,
    isso pode durar duas horas.
  196. Antes do Talk Club,
  197. muitos membros me disseram
  198. que costumavam achar que era
    fraqueza falar de seus sentimentos.
  199. Agora eles sabem que falar regulamente
  200. sobre suas preocupações
    os torna mais fortes.
  201. E, se tivermos homens
    mentalmente mais fortes,
  202. talvez consigamos impactar
    seus níveis de estresse e ansiedade.
  203. Assim, quando me perguntaram
  204. o que eu queria que vocês levassem
    deste momento nosso aqui,
  205. bem, eu queria que vocês levassem
    a ideia da boa forma mental,
  206. e perguntassem a alguém que vocês amam:
  207. "Como vai você de um a dez?"
  208. Porque descobri que essa simples pergunta
  209. pode mudar vidas.
  210. Depois de cada exibição
    do filme "Steve", eu digo:
  211. "Se estiver preocupado
    com alguém, pergunte:
  212. "Como vai você de um a dez?"
  213. E um homem me contou
    que ele fez exatamente isso.
  214. Voltando pra casa,
    ele ligou para o melhor amigo.
  215. Pois estava preocupado com ele.
  216. Ele ia ser padrinho de casamento
    do amigo no fim de semana,
  217. mas ele sabia que havia
    alguma coisa errada.
  218. Daí, ele perguntou ao amigo:
  219. "Como vai você de um a dez?"
  220. Depois de uma longa pausa,
  221. aquele homem respondeu,
  222. e ele desabafou.
  223. E descobriu que o amigo estava
    prestes a cancelar o casamento.
  224. Ele estava pensando em fugir,
    e chegou a falar de suicídio.
  225. Fazer aquela pergunta
    e mostrar apoio mudou aquilo tudo.
  226. Aquele homem hoje está casado,
    está esperando um filho,
  227. e o amigo e ele estão no Talk Club.
  228. Acredito
  229. que, se o Talk Club existisse
    dez anos atrás,
  230. Steve ainda estaria conosco,
    e eu não estaria neste palco agora.
  231. Mas eu não posso voltar.
  232. Só posso seguir em frente.
  233. Posso apenas tentar ajudar os novos Steve.
  234. Então, eu lhes pergunto:
  235. "Como vão vocês de um a dez?"
  236. Obrigado.
  237. (Aplausos)
  238. (Vivas)
  239. (Aplausos) (Vivas)