Portuguese, Brazilian subtitrări

← Segredos da mente e do livre-arbítrio revelados por truques de mágica

Obține codul încorporat
38 Languages

Showing Revision 22 created 10/20/2020 by Raissa Mendes.

  1. Tudo bem.
  2. Eu gostaria de começar
    com um pequeno exercício de imaginação.
  3. Imagine que você está sentado a esta mesa,
    de frente para mim, neste momento.

  4. Agora, vou lhe pedir para tirar
    uma destas cartas para mim.
  5. Então, por favor, imagine-se
    tirando uma destas cartas para mim.
  6. Certo, pegue o número
    correspondente à carta que você tirou

  7. e lembre-se dele;
  8. será importante para mais tarde.
  9. Agora, vou passar rapidamente
    pelas cartas deste baralho

  10. e pedir para você escolher
    uma carta que verá nele.
  11. Preparado?
  12. Tudo bem, agora que você
    memorizou sua carta,

  13. some o valor dela ao número anterior.
  14. Por exemplo, se você escolheu
    6 de paus, some 6;
  15. se for um ás, some 1,
  16. e some 11 para cartas com figura.
  17. Você memorizou seu número final?

  18. Perfeito.
  19. Por favor, escolha o item
    correspondente ao seu número final.
  20. Agora, veja que curioso.

  21. Muitas pessoas assistirão a este vídeo,
  22. e todas têm peculiaridades
    e preferências diferentes.
  23. E, no entanto,
  24. a grande maioria está pensando
    agora em um kiwi
  25. ou, para quem for canhoto,
    talvez em uma espiga de milho.
  26. Sim, acabei de pregar uma peça em você.

  27. E usei seu viés psicológico
    para influenciar suas duas decisões.
  28. Eu trabalho no MAGIC Lab
    da Goldsmiths University of London,

  29. que não é apenas um lugar
    onde fazemos os assistentes desaparecerem,
  30. mas onde usamos truques de mágica
    para estudar processos psicológicos,
  31. como atenção, percepção,
    engano e livre-arbítrio.
  32. Fico fascinada pelos fatores sutis
    que influenciam nossas escolhas

  33. e pelo modo como entender nossas falhas
    pode nos devolver algum poder.
  34. Truques de mágica fornecem um instrumento
    poderoso para essa investigação,
  35. e nossos experimentos revelam isso.
  36. Primeiro, nós, seres humanos,
    tendemos a tomar as decisões mais fáceis.

  37. Com meu truque de cartas,
  38. a maioria das pessoas tende a escolher
    a carta que eu quero que escolham,
  39. porque demoro um pouco mais
    para apresentá-la do que as demais.
  40. E ela se torna a opção
    mais fácil para o cérebro.
  41. Em nosso caso,
  42. a maioria deve ter escolhido
    o dez de copas, não é mesmo?
  43. E muitos outros truques se baseiam
    nesse princípio da decisão fácil.
  44. Porque os mágicos estão muito cientes
    de que o cérebro, para não dizer "nós",
  45. tende a ser um pouco preguiçoso.
  46. Nosso exercício com as quatro cartas
    também é um bom exemplo disso.

  47. Ele se baseia em outro truque
    que investiguei,
  48. no qual peço aos participantes que movam
    uma das quatro cartas em minha direção.
  49. Descobrimos que cerca de 60% das pessoas
    escolhem a 3ª carta da esquerda
  50. e, se elas forem canhotas,
  51. costumam escolher a 2ª carta da esquerda.
  52. Isso se baseia novamente
    no princípio da opção fácil,
  53. porque a carta que a maioria
    das pessoas escolhe
  54. é a mais fácil de alcançar
    pela mão dominante.
  55. Então, eu sabia que a maioria
  56. acabaria escolhendo
    um desses dois números,
  57. e isso me permitiu avaliar
    suas duas escolhas mais prováveis.
  58. Mas não se trata apenas de mágica.

  59. Também tem a ver com a maneira
    como somos influenciados no dia a dia.
  60. Você sabe, histórias e políticos
  61. brincam com nossa mente o tempo todo,
  62. porque eles também sabem
    que tendemos a escolher e apreciar
  63. o que é fácil de pegar ou ver.
  64. Por exemplo, quando você
    está no supermercado,

  65. escolhendo um vinho ou um pacote de arroz,
  66. entre muitos produtos
    dispostos em prateleiras verticais,
  67. seu primeiro instinto é olhar
  68. somente para os produtos nas prateleiras
    no nível de seus olhos, não é mesmo?
  69. É mais fácil e requer menos esforço.
  70. Você sabia que muitas marcas
  71. negociam para seu produto ficar
    nas prateleiras no nível dos olhos
  72. por causa do princípio da opção fácil?
  73. E essa é uma tática
    usada por muitos políticos.

  74. Quando as informações estão
    bem diante dos olhos nas redes sociais,
  75. elas são facilmente acessadas
  76. e afetam de maneira absoluta
    nosso comportamento de votação.
  77. Resultados políticos,
    como o referendo do Brexit
  78. ou a eleição norte-americana de 2016,
  79. tiveram uma forte influência
    da publicidade direcionada,
  80. o que tornou algumas informações,
  81. que não eram necessariamente verdadeiras,
  82. desproporcionalmente acessíveis
    e visíveis para públicos específicos
  83. para influenciar o voto.
  84. Mas eis a boa notícia.

  85. Alguns fatores simples têm impacto
    sobre o quanto somos influenciáveis.
  86. Em um experimento usando
    o truque com as quatro cartas,
  87. descobrimos que informar
    explicitamente aos participantes
  88. que eles têm uma escolha
  89. pode, na verdade, levá-los a tomarem
    decisões mais deliberadas,
  90. em vez de se comportarem da maneira
    que tentamos fazê-los se comportar.
  91. Em outras palavras,

  92. ou eu simplesmente pedia aos participantes
    que movessem uma das cartas
  93. ou dizia:
  94. "Escolha uma carta e então a mova".
  95. Quando pedimos para escolher uma carta,
  96. o percentual de pessoas que escolheram
    por impulso a mais acessível
  97. caiu de 60% para 35%.
  98. Portanto, parece que, ao sermos lembrados
    de que temos controle de nossas escolhas,
  99. e sabemos que nossas ações
    são importantes,
  100. em vez de agir sem pensar,
  101. podemos tomar decisões mais pessoais
  102. e ser menos facilmente influenciados.
  103. Vou lhe mostrar outro truque,

  104. inventado por Derren Brown,
    mentalista britânico,
  105. para explicar meu ponto de vista.
  106. Esse truque usa o "priming",
    ou pré-ativação, em psicologia.
  107. O priming acontece
    quando a exposição a algo
  108. influencia nossos pensamentos
    e comportamento mais tarde,
  109. sem que nos demos conta
  110. de que a primeira coisa
    está nos guiando até certo ponto.
  111. O truque costuma ser feito
    em um contexto mais íntimo,
  112. em que eu estaria de frente para você,
  113. mas vamos tentar juntos.
  114. Concentre-se em mim
    da melhor maneira possível,
  115. mas não me deixe influenciar sua escolha.
  116. Vou tentar transmitir mentalmente
  117. a identidade de uma carta de baralho
    em que estou pensando.
  118. Preparado?
  119. Tudo bem, então primeiro
    torne a cor brilhante e viva.

  120. Imagine, em sua mente, uma tela
  121. com pequenos números nos cantos
    inferior e superior das cartas.
  122. E depois as coisas no meio,
  123. no centro das cartas,
  124. o bum, bum, bum, os naipes.
  125. Você entendeu?
  126. Está bem, aposto que a maioria
    pensou no três de ouros,

  127. mas escolheu outra carta, não é mesmo?
  128. Como você deve ter notado,
  129. tentei influenciar fortemente
    sua escolha com meus gestos
  130. enquanto dava as instruções.
  131. Ao estudar esse truque,
  132. descobrimos que cerca de 18%
    das pessoas escolhem o três de ouros
  133. e quase 40% escolhem
    o três de qualquer naipe,
  134. embora totalmente inconscientes
    do fato de que eu os manipulava.
  135. Então o que aconteceu aqui?

  136. Como você sabia que eu tentava
    influenciar sua escolha,
  137. deve ter prestado
    mais atenção ao que eu fazia.
  138. E isso levou a maioria das pessoas
    a escolherem de modo mais consciente
  139. do que os participantes que não sabem
    quem eu sou, o que estou estudando
  140. ou o que estou tentando fazer
    com a mente deles.
  141. Então a questão é que, em todos
    os nossos experimentos,

  142. conseguimos influenciar fortemente
    as escolhas de cartas das pessoas,
  143. embora elas digam que se sentem
    livres e no controle de suas escolhas.
  144. E essa falta de autoconsciência
  145. torna a influência de políticos, empresas
    e de outras pessoas ainda mais poderosa,
  146. porque podemos pensar que controlamos
    nossas escolhas e crenças,
  147. mas não controlamos.
  148. Politicamente ou em nosso
    comportamento de consumidor,

  149. se não prestarmos atenção,
  150. conteúdo enganoso ou anúncios chamativos
    podem simplesmente enganar a mente.
  151. E se, em nosso dia a dia,
  152. parássemos com mais frequência
    e fizéssemos uma escolha consciente
  153. antes de agir segundo essa fera
    impulsiva e reativa dentro de nós?
  154. Podemos agir de forma mais consciente
  155. se tivermos em mente
  156. que temos a capacidade
    de sermos influenciados.
  157. Obrigada.