Portuguese, Brazilian subtitrări

← Como a arte e a música funk influenciaram minha vida | David Webb | TEDxDayton

Obține codul încorporat
12 Languages

Showing Revision 32 created 10/18/2020 by Raissa Mendes.

  1. Vocês estão sentindo o funk?
  2. Estão sentindo o funk?
  3. (Plateia) Sim!
  4. David Webb: Batam palmas! Vamos lá!
  5. (Música funk)
  6. Sintam o funk! Sintam
    o funk! Isso! Isso! Isso!
  7. Isso aí! Isso! Isso!
  8. Queremos o funk!
  9. Vamos lá!
  10. Sintam! Estão sentindo?
    Não estou ouvindo. Estão sentindo?
  11. (Plateia) Sim!
  12. DW: Estão sentindo?
  13. (Plateia) Sim!
  14. DW: Essa parte? Estão sentindo?
  15. (Plateia) Sim!
  16. DW: Ótimo.
  17. Nos anos 1960, houve um movimento no Sul

  18. de migração para o Norte
    em busca de empregos na indústria.
  19. Na época, minha família havia se mudado
    de Milan, Tennessee, para Dayton, Ohio,
  20. em busca de uma vida melhor.
  21. Foi quando, ainda muito jovem,
    fui apresentado ao funk.
  22. Naquela época, os jovens estavam focados
    em expressão artística musical na escola.
  23. E eu estava na quinta série
    na Jefferson Elementary School,

  24. (Risos)
  25. e aprendendo a tocar
    um instrumento pela primeira vez.
  26. Eu queria tocar bateria.
  27. Fui até a professora de música
  28. e perguntei: "Posso tocar
    bateria na banda da turma?"
  29. Mas ela me deu uma flauta infantil.
  30. (Risos)
  31. Ela achou
  32. que a bateria seria
    muito difícil para eu aprender.
  33. E disse que eu não conseguia
    manter o ritmo.
  34. Então depois da aula eu corri para casa
  35. para mostrar meu instrumento a meus pais,
  36. a flauta infantil.
  37. (Risos)
  38. Minha mãe ficou um pouco desapontada.
  39. Ela sabia que meu sonho era tocar bateria.
  40. Naquele dia, naquele momento,
    eu descobri uma coisa:

  41. minha mãe
  42. era viciada em "drogas".
  43. Ela me arrastou para a droga
    da aula de música.
  44. (Risos)
  45. Ela me arrastou para os ensaios
    das bandas marciais.
  46. Me arrastou para a igreja.
  47. Me arrastou para qualquer lugar
    onde eu pudesse aprender a tocar
  48. um instrumento.
  49. (Risos)
  50. Mas, no início dos anos 1970,

  51. existia um grupo em Dayton, Ohio,
  52. chamado The Ohio Players.
  53. (Vivas)
  54. (Aplausos)
  55. Eu ouvia músicas como "Pain",
    "Funky worm", "Skin tight" e "Fire",
  56. e nesse momento
  57. eu soube que queria ser um baterista.
  58. Então o funk explodiu
    em Dayton, Ohio, para mim,
  59. transformando a cidade
  60. na capital mundial do funk.
  61. (Aplausos)
  62. Mas houve outros inovadores
    que me influenciaram

  63. em minha jornada de conhecimento do funk.
  64. Em Augusta, Geórgia, foi James Brown,
  65. que combinou os ritmos rhythm and blues,
  66. jazz e soul numa forma de arte
  67. que hoje conhecemos como funk.
  68. Em Detroit, Michigan, foi George Clinton.
  69. E também em Memphis,
    no Tennessee, Isaac Heyes.
  70. E na costa oeste, em São Francisco,
  71. influenciando as mensagens
    de família e cultura positiva,
  72. havia Sylvester Stewart,
  73. que depois ficou conhecido com sua banda
  74. Sly and the Family Stone.
  75. Esses cavalheiros, entre outros,
  76. plantaram a semente do funk como uma forma
    de arte criativa em Dayton, Ohio.
  77. E eles também influenciaram
    minha carreira de baterista profissional.
  78. Depois de tantos anos,

  79. a música funk se tornou uma arte perdida,
  80. caída no esquecimento,
    como as aulas de arte e música,
  81. não mais oferecidas em escolas públicas,
  82. até
  83. a parceria da Arts Education Partnership
  84. com o Committee on the Arts and Humanities
  85. começar um estudo para examinar o impacto
  86. e por que e como um jovem como eu,
  87. com 13 anos de idade, foi transformado
  88. pela experiência com a arte.
  89. Evidências mostram que crianças
    com mais atividades artísticas
  90. têm resultados melhores
  91. que aqueles com pouco ou nenhum contato
    com a arte, em todas as áreas.
  92. O estudo "Champions of Change",
    campeões da mudança,
  93. descobriu evidências
    de que o ensino de artes
  94. ajuda a desenvolver hábitos
    que ajudam em outras áreas
  95. e pode alcançar alunos em risco
    quando outras disciplinas não conseguem.
  96. As artes proporcionam experiências
    autênticas de aprendizado para jovens
  97. que envolvem sua mente,
    seu coração e seu corpo.
  98. A educação artística ajuda
    os alunos a aprender.
  99. Pode melhorar a criatividade,
    a autodisciplina,
  100. e habilidade e confiança necessárias
  101. para os momentos desafiadores,
  102. como na minha vida,
    tanto como estudante ou adulto.
  103. Então deixem-me fazer uma demonstração

  104. de como manter a batida do funk no ritmo.
  105. (Risos)
  106. A música funk preenche
    a lacuna de nosso racismo.
  107. Por exemplo, vocês se lembram
    de KC and the Sunshine Band?
  108. Lembram-se deles?
  109. É isso aí! Isso!
  110. Lembram-se do grupo Average White Band
  111. e do grupo aqui de Ohio
    chamado Wild Cherry?
  112. Todos se lembram de "Play
    that funky music, white boy", certo?
  113. Ótimo. Vamos fazer uma demonstração.
  114. Vamos tocar uma música qualquer
    e ver se conhecem isso.

  115. Se eu falar "There she was just walking
    down the street", vocês dizem:
  116. (Plateia) Do wah diddy
    diddy dum diddy do.
  117. DW: Puxa! Isso foi demais.
  118. (Risos)
  119. Então vamos fazer isso.
    Vamos colocar uma batida,
  120. porque isso é feito em um dois-quatro, tá?
  121. Então vou contar e quero
    que me ajudem a cantar, certo?
  122. Estão prontos?
  123. Lá vamos nós.
  124. Um, dois, um, dois, três, quatro:
  125. "There she goes just a walking down
    the street singin'.
  126. (Plateia) Do wah diddy
    diddy dum diddy do."
  127. DW: Mais uma vez:
  128. "There she goes just
    a walking down the street singin'.
  129. (Plateia) Do wah diddy
    diddy dum diddy do".
  130. DW: Bom, bom, bom.
  131. Bem, a batida do funk é no um e no três.

  132. Ok? Vamos pegar um pouco de...
  133. "Play that funky music,
    white boy" de Wild Cherry.
  134. Todos conhecem, certo?
  135. Vamos da parte que eles falam...
  136. e se vocês sabem, me ajudem:
  137. "And they were dancin' and singin'
  138. and movin' to the groovin',
  139. and just like it hit me
  140. somebody turned around and shouted:
  141. (Plateia) Play that funky
    music, white boy".
  142. DW: Vocês são muito bons!
  143. (Risos)
  144. Podemos colocar uma batida?
  145. Vamos colocar uma batida.
  146. Vamos tentar de novo, eu vou contar.
  147. Então lá vamos nós.
  148. Um, dois, um, dois, três:
  149. "And they were dancing, and singing
  150. and moving to the grooving
  151. and just like it hit me
  152. somebody turned around and shouted:
  153. (Pateia) play that funky
    music, white boy".
  154. DW: Bom, bom.
  155. Bem, alguns de vocês não pegaram.
  156. (Risos)
  157. Alguns de vocês ainda não pegaram.
  158. Então façam o seguinte.

  159. Vire para seu vizinho e diga: "Vizinho",
  160. vire e diga: "Vizinho"...
  161. (Plateia) Vizinho...
  162. DW: quero ficar funky.
  163. (Plateia) quero ficar funky.
  164. DW: Agora...
  165. (Risos)
  166. Agora...
  167. (Risos)
  168. Vire para seu outro vizinho
    e diga: "Vizinho"...
  169. (Plateia) Vizinho...
  170. DW: Vizinho...
  171. (Plateia) Vizinho...
  172. DW: espero que me dê outra chance...
  173. (Plateia) espero que me dê
    outra chance...
  174. DW: de ficar funky.
    (Plateia) de ficar funky.
  175. DW: Tudo bem, vou dar
    outra chance para se redimirem.

  176. Então todos em pé, vamos lá!
  177. Todos de pé.
  178. Vamos fazer um pouco de exercício, tá?
  179. Bem...
  180. todos sabem como se escreve Ohio, certo?
  181. (Plateia) Sim.
  182. DW: Quem for de Michigan e torce
    pros Wolverines, eu entendo,
  183. pode ser um pouco difícil,
    mas vamos soletrar
  184. usando as mãos e a boca
    ao mesmo tempo, tá bom?
  185. É assim:
  186. o padrão é um, dois, três, quatro e...
  187. O - h - i - o!
  188. E O - h - i - o!
  189. Vamos acrescentar um pouco de música aqui.
  190. Estão prontos?
  191. Som na caixa.
  192. (Música funk)
  193. Estão prontos? Sintam o funk.
  194. (Palmas ritmadas)
  195. E O - h - i - o!
  196. E O - h - i - o! Vamos lá!
  197. Vamos lá! O - h - i - o!
  198. O - h - i - o!
  199. No mezanino:
  200. (Plateia) O - h - i - o!
  201. DW: No mezanino:
  202. (Plateia) O - h - i - o!
  203. DW: Esse lado:
  204. (Plateia) O - h - i - o!
  205. DW: Esse lado:
  206. (Plateia) O - h - i - o!
  207. DW: Esse lado:
  208. (Plateia) O - h - i - o!
  209. DW: Uma salva de palmas para vocês.
    Sentem-se por favor.
  210. (Aplausos)
  211. Vejam bem, uma pessoa me perguntou

  212. qual o meu propósito.
  213. E eu disse o seguinte:
  214. "É educar o público sobre a história
    do funk com o ritmo".
  215. Esse gênero, a música funk,
    foi criada num ritmo
  216. sob medida para mim,
  217. como adulto ou criança,
    ou como artista profissional, tocando.
  218. Concluindo,
  219. Ohio
  220. é o coração de toda a música funk,
  221. e Dayton, Ohio, é
    o sistema nervoso do funk.
  222. Música é harmonia.
  223. Harmonia é música.
  224. Harmonia é a força
    que apoia todas instituições,
  225. especialmente esta.
  226. Música funk, o empoderamento da educação
  227. na minha vida.
  228. Obrigado.
  229. (Aplausos) (Vivas)