Return to Video

La vita di Ludovico Ariosto

  • 0:05 - 0:08
    Ludovico Ariosto é um grande poeta
  • 0:08 - 0:09
    do renascimento italiano
  • 0:09 - 0:11
    e encarna a figura
  • 0:11 - 0:12
    do intelectual cortesão
  • 0:12 - 0:14
    tão importante nesse período.
  • 0:14 - 0:16
    Vocês sabem que o nosso poeta
  • 0:16 - 0:18
    viajou até a lua já em 1500?
  • 0:18 - 0:20
    Pelo menos com a fantasia…
  • 0:20 - 0:22
    Hoje trataremos da sua vida.
  • 0:22 - 0:25
    Ludovico Ariosto nasce em 1474
  • 0:25 - 0:27
    na cidade de Régio Emília
  • 0:27 - 0:29
    que pertencia então ao duque estense
  • 0:29 - 0:33
    e morre em 1533 aos 59 anos
  • 0:33 - 0:35
    na sua casa no território de Mirasole
  • 0:35 - 0:38
    na periferia da cidade de Ferrara.
  • 0:38 - 0:40
    Ariosto provinha de uma família nobre
  • 0:40 - 0:42
    Seu pai Niccolò era um funcionário
  • 0:42 - 0:44
    dos duques Este e comandava
  • 0:44 - 0:46
    a guarnição militar de Régio Emília
  • 0:46 - 0:49
    Com ele, Ludovico se transfere em 1484
  • 0:49 - 0:51
    para Ferrara onde realiza
  • 0:51 - 0:53
    os primeiros estudos
  • 0:53 - 0:55
    Entre os 15 e 20 anos Ludovico
  • 0:55 - 0:57
    para obedecer o pai frequenta os cursos
  • 0:57 - 1:00
    de direito na Universidade de Ferrara
  • 1:00 - 1:01
    mas a sua verdadeira paixão é outra
  • 1:01 - 1:04
    E aqueles estudos que pouco lhe agradavam
  • 1:04 - 1:06
    tiram dessa muito tempo
  • 1:06 - 1:07
    assim deixou o direito
  • 1:07 - 1:10
    para concentrar-se na sua formação
  • 1:10 - 1:11
    literária humanista e lê entre
  • 1:11 - 1:13
    os poetas latinos (seus modelos):
  • 1:13 - 1:15
    Horácio, Catulo e Virgílio
  • 1:15 - 1:19
    e os elegíacos: Tibulo, Propércio e Ovídio
  • 1:20 - 1:22
    Nos anos juvenis então Ariosto coloca
  • 1:22 - 1:24
    imediatamente em prática os seus estudos
  • 1:24 - 1:27
    escrevendo 67 composições
  • 1:27 - 1:29
    em língua italiana, hoje compiladas
  • 1:29 - 1:32
    sob o nome “Líricas latinas”
  • 1:32 - 1:35
    Entre 1497 e 1499 primeiramente
  • 1:35 - 1:39
    e depois entre 1501 e 1505, Ariosto
  • 1:39 - 1:42
    encontra e faz amizade com um dos maiores
  • 1:42 - 1:45
    intelectuais da época: Pietro Bembo
  • 1:45 - 1:48
    que naqueles anos se hospedava em Ferrara
  • 1:48 - 1:51
    Pietro Bembo nasceu em Veneza em 1470
  • 1:51 - 1:54
    Graças à influência do pai Bernardo
  • 1:54 - 1:57
    Bembo se aproximou do estudo das letras
  • 1:57 - 2:00
    Nos anos da sua amizade com Ariosto
  • 2:00 - 2:01
    Bembo publica as edições
  • 2:01 - 2:03
    de Dante e Petrarca
  • 2:03 - 2:06
    adquirindo assim um profundo conhecimento
  • 2:06 - 2:08
    da literatura em língua vulgar
  • 2:08 - 2:09
    Pietro Bembo com obra
  • 2:09 - 2:11
    “Prosas da língua vulgar "
  • 2:11 - 2:14
    um tratado de 1525
  • 2:14 - 2:16
    estabelece o princípio da imitação
  • 2:16 - 2:18
    na base de toda a literatura italiana
  • 2:18 - 2:19
    do seu tempo
  • 2:19 - 2:21
    Os modelos são: Petrarca para a poesia
  • 2:21 - 2:23
    e Boccaccio para a prosa
  • 2:23 - 2:25
    Graças a amizade com Bembo
  • 2:25 - 2:28
    Ariosto se aproxima da produção em vulgar
  • 2:28 - 2:30
    iniciando a compor as "Rimas"
  • 2:30 - 2:31
    poemas reunidos em um canzoniere
  • 2:31 - 2:33
    somente depois da morte do autor
  • 2:34 - 2:37
    A partir de 1500, após a morte do pai
  • 2:37 - 2:40
    Ariosto que era tinha entrado no círculo
  • 2:40 - 2:43
    dos intelectuais pagos na corte estense
  • 2:43 - 2:45
    começa a aceitar
  • 2:45 - 2:47
    os encargos políticos que lhe eram
  • 2:47 - 2:48
    atribuídos pelos duques de Ferrara
  • 2:48 - 2:50
    e entrando rapidamente ao serviço
  • 2:50 - 2:52
    do cardeal Hipólito
  • 2:52 - 2:53
    filho do duque Hércules I
  • 2:55 - 2:57
    A forma de governo que se consolidou
  • 2:57 - 3:00
    na Itália no curso dos anos 1300 e 1400
  • 3:00 - 3:02
    era aquela da senhoria no interior
  • 3:02 - 3:04
    das várias comunas italianas
  • 3:04 - 3:05
    o poder era pouco a pouco passado
  • 3:05 - 3:08
    nas mãos de um único indivíduo: o senhor
  • 3:08 - 3:11
    que o transmitia em herança à sua família
  • 3:11 - 3:14
    O poder de alguns senhores
  • 3:14 - 3:17
    ao longo dos anos 1400 é reconhecido
  • 3:17 - 3:19
    pelo papa ou pelo imperador
  • 3:19 - 3:21
    que concederam a esses títulos feudais
  • 3:21 - 3:22
    como o de duque
  • 3:23 - 3:26
    Assim por vontade do papa Paulo II
  • 3:26 - 3:30
    no ano de 1471 nasceu o ducado de Ferrara
  • 3:30 - 3:32
    O papa legitimou o título
  • 3:32 - 3:34
    de “Borso d’Este”
  • 3:35 - 3:37
    Em Borso d’Este se alternaram no comando
  • 3:37 - 3:39
    do ducado: Hércules I
  • 3:39 - 3:41
    e depois dele Afonso I
  • 3:41 - 3:44
    Durante a senhoria desses últimos
  • 3:44 - 3:46
    o nosso Ariosto vive prestando
  • 3:46 - 3:48
    serviços diplomáticos e políticos mas
  • 3:48 - 3:51
    sobretudo afirmando-se como um dos
  • 3:51 - 3:53
    intelectuais de destaque na corte Este
  • 3:53 - 3:56
    Para os espetáculos nas festas de corte
  • 3:56 - 3:58
    Ariosto escreveu numerosas comédias
  • 3:58 - 3:59
    em vulgar
  • 3:59 - 4:01
    e para o cardeal Hipólito
  • 4:01 - 4:02
    filho de Hércules I
  • 4:02 - 4:06
    dedicou a sua maior obra: Orlando Furioso
  • 4:06 - 4:09
    A primeira edição é de 1516
  • 4:09 - 4:11
    Ao serviço dos duques Este
  • 4:11 - 4:14
    Ariosto realiza numerosas viagens
  • 4:14 - 4:15
    nas cortes da Itália
  • 4:15 - 4:17
    conservando porém
  • 4:17 - 4:19
    a necessidade de retirar-se
  • 4:19 - 4:20
    para escrever e estudar
  • 4:20 - 4:22
    Serão essas as duas atividades
  • 4:22 - 4:24
    que o acompanharão pelo resto da sua vida
  • 4:24 - 4:27
    Durante a sua permanência em Florença
  • 4:27 - 4:32
    em 1513, Ariosto conhece uma mulher casada
  • 4:32 - 4:35
    Alessandra Benucci por quem se apaixona
  • 4:35 - 4:38
    Alessandra continua ao seu lado
  • 4:38 - 4:39
    por toda a vida
  • 4:39 - 4:41
    mas os dois só conseguem se casar
  • 4:41 - 4:43
    em segredo muitos anos mais tarde
  • 4:43 - 4:47
    Em 1522 ao serviço do duque Afonso
  • 4:47 - 4:50
    Ariosto se torna governador da Garfagnana
  • 4:50 - 4:52
    uma região apenínica muito turbulenta
  • 4:52 - 4:54
    que tinha sido anexada ao ducado
  • 4:54 - 4:55
    há pouco tempo
  • 4:55 - 4:57
    Ludovico demonstra grande
  • 4:57 - 4:58
    habilidade política
  • 4:58 - 5:00
    mas deseja voltar para Ferrara
  • 5:00 - 5:03
    na sua casa, para dedicar-se aos estudos
  • 5:03 - 5:05
    e à poesia até o final
  • 5:05 - 5:08
    Como vimos, Ludovico Ariosto transcorre
  • 5:08 - 5:10
    toda a sua vida dividido
  • 5:10 - 5:12
    entre a sua grande paixão pela poesia
  • 5:12 - 5:15
    e as obrigações com o ducado
  • 5:15 - 5:17
    Tanto que ele dizia de si
  • 5:18 - 5:21
    “De poeta me fizeram cavaleiro”
  • 5:21 - 5:23
    isto é de um poeta que eu era
  • 5:23 - 5:25
    me fizeram cavaleiro
  • 5:25 - 5:28
    Essa relação de sutil polêmica com a corte
  • 5:28 - 5:30
    terá importante reflexos
  • 5:30 - 5:32
    em toda a sua obra
Título:
La vita di Ludovico Ariosto
Idioma do vídeo:
Italian
Duração:
05:41
luiza.gomes editou legendas em Português do La vita di Ludovico Ariosto

Legendas em Portuguese

Revisões