Return to Video

Setting Up Your Workspace on Mac - How to Use Git and GitHub

  • 0:01 - 0:02
    Agora, vou mostrar
    o processo de configuração de
  • 0:02 - 0:05
    seu espaço de trabalho no Mac.
  • 0:05 - 0:06
    E o processo no Linux é semelhante.
  • 0:07 - 0:10
    Também há instruções por escrito
    nas Notas do instrutor.
  • 0:10 - 0:14
    Se você está usando o Windows,
    as instruções estão no vídeo anterior.
  • 0:14 - 0:16
    Primeiro, vou baixar
    dois arquivos que são necessários para
  • 0:16 - 0:20
    a configuração que acabei de mostrar;
    um para habilitar a conclusão de guia
  • 0:20 - 0:24
    e outro para habilitar os recursos especiais
    do Git no prompt.
  • 0:24 - 0:26
    Então, vou para a página da Web
    com o primeiro arquivo;
  • 0:26 - 0:29
    você encontra o link para esse
    arquivo nas Notas do instrutor.
  • 0:29 - 0:33
    Depois, clico com o botão direito em qualquer lugar
    da página e seleciono Save As.
  • 0:33 - 0:35
    Vou salvar o arquivo no
    meu diretório Downloads.
  • 0:36 - 0:39
    Agora quero assegurar que
    a opção Hide extension esteja desmarcada,
  • 0:39 - 0:42
    de forma que possa ver o nome exato
    que o arquivo terá.
  • 0:42 - 0:46
    Por padrão,
    ele sugere Redirecting.txt.
  • 0:46 - 0:50
    Mas quero alterar esse nome
    para git-completion.bash;
  • 0:50 - 0:50
    depois, eu salvo o arquivo.
  • 0:52 - 0:54
    Agora, quero mover o arquivo
    para meu diretório raiz,
  • 0:54 - 0:56
    o que vou fazer usando o Terminal.
  • 0:56 - 1:00
    Quando abro o Terminal pela primeira vez,
    inicio em meu diretório raiz,
  • 1:00 - 1:04
    ou posso digitar cd ~
    para chegar a ele, se necessário.
  • 1:04 - 1:06
    Vou usar o comando mv,
    que quer dizer mover,
  • 1:06 - 1:10
    para mover o arquivo que acabei de
    salvar para meu diretório raiz.
  • 1:10 - 1:12
    O primeiro argumento é
    o arquivo que quero mover,
  • 1:12 - 1:16
    que está no meu diretório Downloads,
    e se chama git-completion.bash.txt.
  • 1:16 - 1:22
    Quero movê-lo para o diretório atual,
    mantendo o mesmo nome.
  • 1:22 - 1:24
    Em seguida, seguirei o mesmo processo
    para salvar o segundo arquivo, vinculado às
  • 1:24 - 1:28
    Notas do instrutor como git-prompt.sh.
  • 1:28 - 1:30
    Depois vou criar
    um arquivo chamado .bash_profile,
  • 1:30 - 1:33
    que contém a configuração
    para o Terminal.
  • 1:34 - 1:38
    Eu recomendo o uso do arquivo de configuração
    que usei ao filmar o curso.
  • 1:39 - 1:42
    Para fazer isso, você pode baixar o arquivo
    bash_profile_course na
  • 1:42 - 1:43
    seção de downloads.
  • 1:45 - 1:49
    Em seguida, use o Terminal para mover
    este arquivo para seu diretório raiz.
  • 1:49 - 1:53
    Chame-o de .bash_profile e
    não se esqueça do ponto no início.
  • 1:53 - 1:57
    Se você já tem um .bash_profile,
    não execute este comando;
  • 1:57 - 1:58
    em vez disso você pode copiar e
  • 1:58 - 2:01
    colar o conteúdo deste arquivo
    no .bash_profile existente.
  • 2:03 - 2:04
    Se você está executando o Linux,
  • 2:04 - 2:09
    talvez seja necessário nomear esse arquivo como
    .bashrc, em vez de .bash_profile.
  • 2:09 - 2:13
    Ainda não vejo as alterações feitas em meu prompt,
    isso ocorre porque preciso
  • 2:13 - 2:16
    fechar e reabrir o Terminal
    para que as alterações tenham efeito.
  • 2:16 - 2:19
    Vou fazer isso
    no final do vídeo.
  • 2:19 - 2:22
    Caso você esteja curioso sobre
    o que há neste .bash_profile
  • 2:22 - 2:23
    ou queira escolher apenas
  • 2:23 - 2:27
    as linhas de seu interesse,
    vou dizer o que cada linha faz.
  • 2:27 - 2:31
    Mas não se preocupe se você não
    entende como cada linha funciona.
  • 2:31 - 2:35
    Até mesmo programadores experientes em Unix
    copiam e colam esse tipo de
  • 2:35 - 2:37
    coisa de seus amigos com frequência,
    em vez de escrevê-lo do zero.
  • 2:39 - 2:42
    A primeira linha carrega um dos
    arquivos que você baixou antes e
  • 2:42 - 2:43
    habilita a conclusão de guia.
  • 2:44 - 2:47
    Estas linhas definem algumas cores
    que serão usadas no seu prompt.
  • 2:48 - 2:51
    Esta linha carrega o outro
    arquivo que você baixou antes.
  • 2:51 - 2:52
    E é necessária para que
  • 2:52 - 2:54
    as coisas relacionadas ao git,
    como IDs de commit, apareçam em seu prompt.
  • 2:56 - 2:58
    Esta linha é o que garante que
    o asterisco apareça no prompt
  • 2:58 - 3:01
    se você fizer alterações
    em um repositório git.
  • 3:01 - 3:04
    E esta linha realmente
    define como será o prompt.
  • 3:04 - 3:07
    O prompt mostrará
    seu nome de usuário em roxo,
  • 3:07 - 3:11
    o commit do qual você fez check-out
    ou outros itens relacionados ao git em verde.
  • 3:11 - 3:14
    E o diretório no qual você está
    seguido de um cifrão em azul.
  • 3:14 - 3:17
    Todo o texto que vem depois disso
    será exibido na cor padrão.
  • 3:17 - 3:20
    Se você estiver curioso para saber mais
    sobre como os prompts funcionam no bash,
  • 3:20 - 3:23
    confira o link nas Notas do instrutor,
    mas não é necessário fazer isso
  • 3:23 - 3:25
    para o restante do curso.
  • 3:25 - 3:28
    Em seguida, é importante garantir
    que você possa iniciar seu
  • 3:28 - 3:29
    editor de texto favorito a partir do
  • 3:29 - 3:33
    Terminal, de forma que possa defini-lo
    como editor padrão no git.
  • 3:33 - 3:35
    Vou mostrar como fazer isso para o Sublime.
  • 3:35 - 3:37
    Se você está usando outro editor de texto,
  • 3:37 - 3:41
    recomendo procurar no Google para descobrir
    como usá-lo a partir do Terminal.
  • 3:41 - 3:45
    Eu posso iniciar o Sublime de dentro do
    Terminal executando este longo comando.
  • 3:45 - 3:49
    Este é o local onde o Sublime
    está armazenado em meu computador,
  • 3:49 - 3:51
    mas eu gostaria de ter um atalho.
  • 3:51 - 3:55
    Para criar um, vou usar o Sublime para
    adicionar uma linha ao meu .bash_profile.
  • 3:56 - 3:59
    Normalmente, os arquivos com um ponto
    no início do nome não aparecem nos
  • 3:59 - 4:01
    exploradores do sistema de arquivos.
  • 4:01 - 4:04
    Por isso, vou ter problemas para abrir
    meu .bash_profile com o Sublime.
  • 4:04 - 4:07
    Para corrigir isso, vou usar o truque
    de mover meu .bash_profile
  • 4:08 - 4:11
    para um arquivo sem um ponto
    no início do nome.
  • 4:12 - 4:15
    Depois, para abrir o arquivo no Sublime,
    primeiro navego até meu diretório raiz,
  • 4:15 - 4:19
    o que posso fazer pressionando Cmd+Shift+H.
  • 4:19 - 4:22
    Então, seleciono
    o arquivo bash_profile.
  • 4:22 - 4:25
    Vou adicionar esta linha a ele para
    fazer o comando subl corresponder
  • 4:25 - 4:27
    ao mesmo comando que você
    me viu inserir antes.
  • 4:29 - 4:30
    Você poderá copiar e colar
  • 4:30 - 4:32
    esta linha das Notas do instrutor,
    se estiver usando o Sublime.
  • 4:34 - 4:36
    Agora vou salvar o arquivo e
  • 4:36 - 4:41
    mudar seu nome novamente usando o Terminal
    para que haja um ponto no início do nome.
  • 4:41 - 4:41
    Se eu não fizer isso,
  • 4:41 - 4:45
    o .bash_profile não terá
    efeito quando eu abrir o Terminal.
  • 4:45 - 4:48
    Novamente, este comando não funcionará
    até que eu reinicie o Terminal.
  • 4:49 - 4:51
    Agora, vou configurar o git para
    usar o Sublime como meu editor de
  • 4:51 - 4:53
    coisas como mensagens de commit.
  • 4:53 - 5:00
    Para fazer isso, vou executar git config
    --global core.editor e,
  • 5:00 - 5:04
    aqui, preciso inserir, entre aspas duplas,
    o comando para abrir meu editor de texto.
  • 5:05 - 5:09
    Para o Sublime, é subl -n -w.
  • 5:09 - 5:13
    Onde -n abrirá o
    Sublime em uma nova janela,
  • 5:13 - 5:16
    e -w aguardará até você fechar
    seu arquivo para continuar.
  • 5:18 - 5:19
    Se você usar outro editor,
  • 5:19 - 5:23
    precisará modificar esta parte do
    comando para usar o editor desejado.
  • 5:23 - 5:26
    Veja as Notas do instrutor
    para obter mais detalhes.
  • 5:26 - 5:29
    Em seguida, vou executar
    estes dois comandos git config,
  • 5:29 - 5:32
    que serão úteis
    mais adiante neste curso.
  • 5:32 - 5:33
    Copie e cole
  • 5:33 - 5:36
    esses comandos das
    Notas do instrutor e execute-os.
  • 5:36 - 5:39
    Por fim, vou fechar e reabrir
    o Terminal.
  • 5:39 - 5:42
    Agora, posso ver que meu prompt mudou,
    tornando-se mais colorido.
  • 5:43 - 5:46
    Se quiser ver meu perfil
    bash usando o Sublime,
  • 5:46 - 5:49
    posso executar subl .bash_profile.
  • 5:49 - 5:52
    Lembre-se de fechar e
    reabrir o Terminal quando terminar, ou
  • 5:52 - 5:53
    suas alterações não terão efeito.
Tytuł:
Setting Up Your Workspace on Mac - How to Use Git and GitHub
Opis:

s_eFuGauy6k

more » « less
Video Language:
English
Team:
Udacity
Projekt:
UD775 - How to Use Git and GitHub
Duration:
05:55

Portuguese, Brazilian subtitles

Revisions Compare revisions