Portuguese, Brazilian 字幕

← Conversando com Elaine Díaz sobre a blogosfera de Cuba

Conversando com Elaine Diaz sobre a blogosfera Cubana, na cúpula GV 2012. Na Inn Raphta Road, Nairobi, Quênia, 3 de julho de 2012, 3:22 pm.

埋め込みコードを取得する
9言語

Showing Revision 3 created 03/16/2015 by Rodrigo Ramos.

  1. Olá Eliane, conte me sobre...
  2. Bem, além de sua vida em Cuba
  3. e tudo
  4. como você vê e quais problemas você tem
  5. na cobertura que você faz para a Global Voices
  6. na ilha?
  7. Eu escrevo para a Global Voices desde 2010
  8. quando o editor regional em espanhol
  9. perguntou se eu queria colaborar
  10. e começa a escrever
  11. notícias muito tristes para nós:
  12. a queda de um avião
  13. em uma província chamada Sacti Spiritus.
  14. A partir daquele momento
  15. eu tentei reconstruir
  16. as vozes do que estava sendo falado
  17. pelos blogueiros na ilha e pessoas que tinham internet
  18. pessoas ainda com meios limitados
  19. e conexões lentas.
  20. Atualmente, o principal problema que eu tenho
  21. para fazer a cobertura com a Global Voices
  22. é tentar dar voz à blogosfera
  23. e espaços na internet
  24. mas muitas vezes coisas acontecem em Cuba
  25. e demora para chegar à internet
  26. especialmente por causa dessa limitação da tecnologia
  27. ou do uso da internet.
  28. Então nós nos perguntamos durante a cúpula
  29. se nós esperamos e perdemos uma semana
  30. ou nós tentamos ir em frente com os eventos
  31. com se fosse uma cobertura ao vivo,
  32. não tendo ainda uma reflexão sobre a Mídia Social.
  33. Esse é um debate que talvez
  34. não afete muito os outros países
  35. mas para nós em Cuba,

  36. pertence ao nosso dia-a-dia.
  37. Nós também tentamos fazer as postagens o mais compreensível possível.
  38. Cuba é políticamente controversa
  39. e há espaços distantes no espaço da blogosfera
  40. opostos entre si.
  41. Este é um desafio diário
  42. é tentar fazer a cobertura em Cuba
  43. Ser tão natural quanto possível
  44. embora eu pessoalmente ache

  45. que isso é algo difícil de alcançar
  46. Pelo menos tentamos fazer isso o mais justo e honesto possível.
  47. De todos os artigos que você escreveu
  48. qual das reações você captou
  49. para de alguma forma
  50. agradecer os comentários
  51. do site ou outros meios?
  52. Bem, quase todos os artigos
  53. geram muitos comentários polêmicos
  54. mas nós sempre tentamos respondê-los.
  55. A coisa mais interessante que aconteceu
  56. é que todas as pessoas que tentam contatar-me
  57. por e-mail
  58. para aprender mais sobre Cuba
  59. pelo que eu escrevo na Global Voices.
  60. E também pelas séries que eu escrevo
  61. sobre os cabos do Wikileaks, eu acho,
  62. o que os cabos disseram sobre Cuba.
  63. Isto gerou muitos comentários e réplicas
  64. na mídia oficial.
  65. Eles começaram a copiar as postagens
  66. na corrente principal da mídia
  67. para tentar analisar em 3 postagens
  68. que eu escrevi essencialmente
  69. sobre os tópicos
  70. Uma análise quantitativa no começo.
  71. Depois explicando os tópicos, as posturas
  72. sobre os tópicos
  73. e isto foi muito interessante
  74. porque foi publicada
  75. exclusivamente para a Global Voices
  76. e rapidamente outras mídias começaram a publicá-la.
  77. Traduções também são interessantes.
  78. Isto não é tão emocionante e novo para mim,
  79. ver as postagens traduzidas para o Inglês.
  80. Mas para entrar um dia e ver as postagens
  81. em Húngaro ou Aymara
  82. ou idiomas não muito conhecidos no mundo
  83. é extremamente bom porque você sabe que
  84. pessoas de lá podem ler sobre Cuba
  85. ou pelo menos ter a possibilidade
  86. de ter aquelas histórias sobre Cuba.
  87. Você toma parte na blogosfera cubana.
  88. Como é a relação com seus pais?
  89. Tomar parte na blogosfera cubana
  90. é algo complicado e complexo.
  91. A blogosfera está crescendo constantemente.
  92. Cuba tem quase 600 blogs nos dias de hoje.
  93. Pode não parecer muito,
  94. mas para um país com apenas 14%
  95. de penetração da internet, isto é muito,
  96. porque muitas pessoas estão dedicando
  97. seu tempo livre e conexão de seus empregos,
  98. porque eles dificilmente têm em casa,
  99. para contar algo sobre a realidade em Cuba.
  100. Rápidamente estando imersa nessas dinâmicas

  101. em 2009 quando eu criei meu blog era algo
  102. muito solitário, não havia muitas pessoas
  103. não muito blogueiros
  104. e nós mal falávamos uns com os outros.
  105. Mas em 2012 alguns encontros nacionais
  106. presenciais de blogueiros de Cuba
  107. Havia ações de cidadania
  108. como a limpeza do rio Almendares
  109. completamente anunciada pela rede social
  110. que reuniu pessoas de dentro e de fora de Cuba.
  111. Houve programas de ensino de informática
  112. relacionados com tecnologia
  113. para pessoas com menos conhecimento.
  114. Isto começa a ser uma grande comunidade
  115. onde ainda é difícil ampliar o consenso
  116. mas onde uma pessoa pode criar áreas de debate interessantes,
  117. gerar diálogos produtivos
  118. onde estamos aprendendo um pouco
  119. a ser mais compreensívo,
  120. respeitar as vozes dos outros,
  121. entender que todo blog é uma experiência individual única
  122. que não tem que combinar com todos.
  123. Aquilo nos ensina a respeitar os outros,
  124. entender os termos como
    Liberdade de Expressão
  125. ou o respeito às diferenças.
  126. Em Cuba, eu acho que há apenas uma mídia do governo,
  127. corrija-me se eu estou errada.
  128. Nós temos a mídia oficial, que é do estado.
  129. A mídia oficial cubana pertence ao estado.
  130. Os trabalhadores da União Central de Cuba, por exemplo,
  131. têm sua própria mídia; o Partido Comunista,
  132. A União Comunista Jovem de Cuba também tem sua própria mídia...
  133. Como para estudantes universitários,
  134. eles têm a revista Alma Mater,
  135. e quase todo setor é representado
  136. Embora a mais reconhecida mídia seja do estado
  137. a relação da blogosfera com a mídia do estado
  138. é muito interessante,
  139. mesmo que no começo
  140. eles não tenham sido ouvidos ou lidos
  141. porque eles eram poucos.
  142. Atualmente eles são bastante lidos e citados,
  143. Bogueiros cubanos são entrevistados na imprensa
  144. e há também muitos tópicos
  145. que interessam os cidadãos
  146. e eles são pegos por um jornalismo tradicional.
  147. Eles procuram mais a fundo, investigam,
  148. e então começa a existir o diálogo
  149. entre blogueiros e jornalistas tradicionais.
  150. Eu não acho que e uma relação de grande aversão
  151. ou descrédito aos blogueiros
  152. pelo fato de serem blogueiro.
  153. Se há um discrédito aos blogueiros
  154. é por certas tendências políticas
  155. exceto na base de documentos políticos,
  156. para não ser um blogueiro
  157. ou usar novas tecnologias para nos contar a realidade,
  158. como pode acontecer em outros países
  159. onde não ter uma graduação em jornalismo
  160. pode invalidar o cidadão.
  161. Eu não acho que é o caso de cuba, ainda.
  162. Pelo menos não nesse momento.
  163. Obrigado, Elaine