Portuguese, Brazilian subtitles

← Um robô autônomo e amigável que entrega sua comida

Get Embed Code
41 Languages

Showing Revision 13 created 07/10/2020 by Leonardo Silva.

  1. Entrega de comida.
  2. É o que salva a geração Y da fome.
  3. Segundo meus cálculos,
  4. os norte-americanos encomendam
  5. mais de 20 milhões
    de entregas de restaurantes
  6. todos os dias.
  7. Mais da metade dessas entregas
    estão a uma curta distância,
  8. mas nove em cada dez
    são entregues em carros.
  9. Então, basicamente,
  10. movimentamos uma refeição de 900 g
  11. em um carro de duas toneladas
  12. 20 milhões de vezes por dia.
  13. A energia para levar essa refeição
  14. é a de uma estrutura de metal
    de duas toneladas com assentos aquecidos.
  15. Vamos ser sinceros.

  16. Somos viciados em nossos carros.
  17. Você sabia que, nos Estados Unidos,
  18. para cada carro, existem
    quatro vagas de estacionamento?
  19. Em algumas cidades,
  20. mais da metade dos imóveis
    é destinada a carros.
  21. Projetamos nossas cidades
    em torno de nossos carros,
  22. porque dirigimos,
  23. sejam 3 km ou 300 km,
  24. sozinhos, ou com toda a família.
  25. Entramos no mesmo veículo
    para comprar café ou uma mesa de café.
  26. Se pudéssemos liberar
    algumas ruas e estacionamentos,
  27. poderíamos construir mais moradias,
    mais espaços sociais, mais parques.
  28. Mas, para fazer isso,
  29. primeiro, precisamos repensar
    como usamos os carros atualmente.
  30. Na cidade do futuro,

  31. se quiser andar cinco quarteirões,
    você pega uma bicicleta ou um patinete.
  32. Se você estiver com pressa,
    um drone de passageiros o buscará.
  33. E, se você precisar de comida,
    não será necessário que alguém dirija.
  34. A comida chegará até você.
  35. Vamos voltar aos 20 milhões
    de entregas de restaurantes por dia.

  36. Se pudéssemos acabar com essas entregas,
  37. poderíamos reduzir a necessidade
    de até 1,5 milhão de carros, só nos EUA.
  38. É o dobro do tamanho de São Francisco.
  39. Pense no impacto que isso poderia ter
    em cidades como Delhi,
  40. ou minha cidade natal de Teerã,
  41. onde a poluição de veículos
    mata milhares de pessoas todos os anos.
  42. Como podemos acabar
    com algumas dessas entregas?

  43. Bem, essa é a pergunta
  44. na qual minha equipe e eu
    nos concentramos nos últimos três anos.
  45. E a solução é, na verdade,
    um dos componentes da cidade do futuro.
  46. Criamos pequenos robôs autônomos
  47. que percorrem ruas e calçadas silenciosas
  48. em um ritmo a pé
  49. e têm uma carga segura
    para entregar comida e suprimentos.
  50. Antes de falar mais sobre os robôs,

  51. vamos fazer um experimento rápido.
  52. Imagine uma cidade com milhares de robôs.
  53. Eles seriam assim?
  54. Muitas pessoas esperam
    esta distopia de Hollywood.
  55. Mas nosso trabalho
    é criar um futuro amigável,
  56. projetado para pessoas.
  57. Então, em vez de criar alienígenas,
  58. decidimos criar robôs que são familiares,
  59. robôs que fazem parte
    de nossas comunidades.
  60. Mas também queríamos uma pequena surpresa,
  61. algo inesperadamente agradável.
  62. Pense a respeito.

  63. Você está andando na rua
  64. e avista seu primeiro robô.
  65. É nesse momento que você decide
  66. se este é um futuro que você ama ou teme.
  67. E, com muitas pessoas
    tendo ideias distópicas,
  68. precisamos abrir a mente delas.
  69. Queremos surpreendê-las e encantá-las,
  70. para que possamos conquistá-las
    na primeira impressão.
  71. Esta é nossa proposta.
  72. É familiar, mas também é surpreendente.
  73. É apenas um carrinho de compras,
  74. mas também parece uma mistura
    de WALL-E e minions.
  75. Se você mora em São Francisco
    ou em Los Angeles,
  76. é provável que um deles
    já tenha entregado sua comida.
  77. Assim que colocamos robôs na rua,

  78. aprendemos problemas muito interessantes.
  79. Por exemplo, como os robôs
    devem atravessar a rua?
  80. Ou como eles devem interagir com pessoas
    com deficiência de visão ou mobilidade?
  81. Logo percebemos
  82. que precisamos ensinar nossos robôs
    a se comunicar com as pessoas.
  83. As pessoas na calçada
    pertencem a todas as classes sociais.
  84. Por isso, precisávamos
    criar um novo idioma,
  85. um tipo de idioma universal,
  86. para que pessoas e robôs
    pudessem se entender
  87. de imediato.
  88. Porque ninguém vai ler manuais de usuário.
  89. Começamos com os olhos,
    porque os olhos são universais.

  90. Podem mostrar para onde o robô está indo
  91. ou se ele está confuso.
  92. Além disso, os olhos tornam
    os robôs mais humanos.
  93. Também usamos sons.
  94. Por exemplo, criamos um som de corrida
  95. com intervalos frequentes
  96. para que pessoas com deficiência visual
    possam localizar seus robôs
  97. usando o efeito Doppler.
  98. Mas acontece que não eram suficientes.

  99. Nos cruzamentos, os carros
    paravam diante de nossos robôs.
  100. Os motoristas ficavam confusos às vezes,
  101. porque os robôs demoravam muito
    antes de começarem a atravessar.
  102. Até os pedestres comuns
    ficavam confusos.
  103. Às vezes, eles não conseguiam descobrir
    de que lado ultrapassar os robôs,
  104. porque os robôs fazem muitos
    pequenos ajustes na direção deles
  105. enquanto se movimentam.
  106. Isso, na verdade, inspirou uma nova ideia.
  107. E se usássemos o movimento
    para criar uma linguagem universal?
  108. Por exemplo, nos cruzamentos,
  109. os robôs avançariam suavemente
    antes de começarem a atravessar,
  110. para sinalizar aos motoristas
    que é a vez deles.
  111. Ao avistarem um cadeirante,
  112. eles darão passagem,
    afastando-se da calçada,
  113. para indicar que não irão se movimentar.
  114. Alguns de vocês devem se lembrar.

  115. Em 2015, pesquisadores canadenses
    enviaram um robô pedindo carona pelos EUA.
  116. Não foi muito longe.
  117. Acontece que os robôs também
    podem usar habilidades sociais.
  118. Por exemplo, se alguém tentar
    mexer com eles,
  119. pesquisadores da Carnegie Mellon mostraram
  120. que pequenos robôs de brinquedo
    devem se fingir de morto,
  121. porque as pessoas se sentem mal
    quando acham que o quebraram.
  122. Mas robôs de entrega não são brinquedos,
  123. não são pequenos, estão em público.
  124. Descobrimos que, com os robôs de entrega,
  125. para que as pessoas parem
    de mexer com eles,
  126. os robôs precisam mostrar consciência.
  127. É o oposto de se fingir de morto.
  128. Nesse caso,
  129. os robôs precisam reconhecer a situação
  130. para que as pessoas se afastem.
  131. Além disso, um conselho.
  132. Se você for um robô
    e avistar crianças pequenas,
  133. corra em direção ao adulto mais próximo.
  134. Acontece que algumas crianças
    adoram importunar robôs.
  135. Então, além da distopia,

  136. Hollywood também nos prometeu
    alguns robôs muito legais
  137. que executariam nossas tarefas
    ou nos fariam companhia.
  138. Até agora, nós nos concentramos
    em entrega de comida,
  139. mas, no futuro,
  140. esses robôs podem fazer mais.
  141. Eles poderiam coletar alimentos que sobram
    e levá-los para abrigos todas as noites.
  142. Porque, nos EUA, desperdiçamos
    30% de nossos alimentos,
  143. enquanto 10% de nosso povo
    passa por insegurança alimentar.
  144. Esses robôs podem fazer parte da solução.
  145. Ou, quando temos centenas de robôs
    rodando pelas cidades,

  146. poderíamos ter robôs
    carregando medicamentos de emergência
  147. o tempo todo,
  148. caso alguém próximo
    tenha uma reação alérgica
  149. ou um ataque de asma.
  150. Esses robôs podem estar no local
    em um ou dois minutos,
  151. mais rápido do que qualquer um.
  152. E, durante pandemias,
  153. robôs podem ser uma parte essencial
    de nossa infraestrutura.
  154. Eles podem garantir
  155. que possamos fornecer a nossas comunidades
    as necessidades essenciais,
  156. mesmo durante emergências.
  157. Eu me despeço com um último pensamento.

  158. Hoje, os objetos não podem ir de A a B
    sem ajuda humana,
  159. porque nosso mundo tridimensional
    é bastante complexo.
  160. Mas novos sensores e a IA
    podem mudar isso.
  161. De certo modo, a tecnologia é como um bebê
  162. que acabou de aprender
    a reconhecer objetos e entender palavras,
  163. e talvez até mantenha uma conversa básica,
  164. mas ainda não aprendeu a andar.
  165. Agora, estamos ensinando a tecnologia
  166. a navegar no mundo tridimensional
  167. sem nossa ajuda.
  168. Estamos entrando nesta nova era
  169. em que objetos inanimados
    irão se levantar e se mover livremente.
  170. E, quando fizerem isso,
  171. temos que garantir
    que não se pareçam com alienígenas.
  172. Minha visão para o futuro
    é que, quando as coisas ganham vida,

  173. elas fazem isso com alegria,
  174. menos parecido com o filme
    "O Exterminador do Futuro"
  175. e mais com "Toy Story".
  176. Obrigado.