Return to Video

A diferença entre amor saudável e nocivo

  • 0:01 - 0:05
    Quando pensamos em uma criança,
    um amigo próximo ou um parceiro romântico,
  • 0:05 - 0:08
    a palavra "amor" provavelmente vem à mente
  • 0:08 - 0:11
    e, instantaneamente, outros sentimentos:
  • 0:11 - 0:13
    alegria e esperança,
  • 0:13 - 0:16
    excitação, confiança e segurança,
  • 0:17 - 0:19
    e sim, às vezes tristeza e decepção.
  • 0:20 - 0:22
    Não há uma palavra no dicionário
  • 0:22 - 0:25
    com a qual estamos
    mais conectados do que amor.
  • 0:25 - 0:28
    Mas, dada a importância central
    dele em nossa vida,
  • 0:28 - 0:31
    não é interessante que nunca somos
    ensinados explicitamente como amar?
  • 0:32 - 0:34
    Fazemos amizades,
  • 0:34 - 0:37
    conduzimos relações românticas desde cedo,
  • 0:37 - 0:39
    nos casamos e trazemos bebês
    do hospital para casa
  • 0:39 - 0:42
    com a expectativa
    de que vamos entender tudo.
  • 0:43 - 0:46
    Mas a verdade é que muitas vezes ferimos
    e desrespeitamos quem amamos.
  • 0:46 - 0:48
    Podem ser coisas sutis,
  • 0:48 - 0:51
    como fazer um amigo se sentir culpado
    pra que passe tempo conosco,
  • 0:51 - 0:54
    espiar as mensagens do parceiro
  • 0:54 - 0:57
    ou envergonhar uma criança
    por não se esforçar na escola.
  • 0:58 - 1:00
    Todos nós sofreremos
  • 1:00 - 1:03
    comportamentos nocivos num relacionamento
  • 1:03 - 1:06
    e todos teremos atitudes nocivas.
  • 1:06 - 1:07
    Faz parte de ser humano.
  • 1:09 - 1:11
    Na pior forma, o dano
    que infligimos aos entes queridos
  • 1:11 - 1:13
    aparece como abuso e violência,
  • 1:13 - 1:15
    e uma relação abusiva
  • 1:15 - 1:18
    é algo que uma em cada três mulheres
    e um em cada quatro homens
  • 1:18 - 1:20
    vão experimentar durante a vida.
  • 1:20 - 1:23
    Se são como a maioria das pessoas
    quando veem essas estatísticas,
  • 1:23 - 1:26
    vocês pensam: "Ah, não,
    isso nunca aconteceria comigo".
  • 1:26 - 1:30
    É instintivo afastar-se
    das palavras "abuso" e "violência",
  • 1:30 - 1:33
    pensar que eles acontecem
    com outra pessoa em outro lugar.
  • 1:34 - 1:38
    Mas a verdade é que relações nocivas
    e abusos estão ao nosso redor.
  • 1:38 - 1:41
    Apenas damos nomes diferentes
    e ignoramos a conexão.
  • 1:42 - 1:45
    O abuso nos invade
    disfarçado de amor nocivo.
  • 1:48 - 1:50
    Trabalho para a organização One Love,
  • 1:50 - 1:54
    iniciada por uma família cuja filha,
    Yeardley, foi morta pelo ex-namorado.
  • 1:55 - 1:58
    Esta foi uma tragédia que ninguém previu,
  • 1:58 - 2:01
    mas, em retrospecto, viram
    que os sinais de alerta estavam lá,
  • 2:01 - 2:03
    mas ninguém entendia o que estava vendo.
  • 2:04 - 2:08
    Falavam de loucura, drama ou muita bebida,
  • 2:08 - 2:11
    as ações dele não eram entendidas
    como o que realmente eram,
  • 2:11 - 2:13
    sinais claros de perigo.
  • 2:14 - 2:18
    A família percebeu que, se alguém tivesse
    aprendido a reconhecer esses sinais,
  • 2:18 - 2:20
    a morte dela poderia ter sido evitada.
  • 2:21 - 2:23
    Hoje, estamos em uma missão para garantir
  • 2:23 - 2:26
    que outros tenham a informação
    que Yeardley e seus amigos não tiveram.
  • 2:26 - 2:28
    Nós temos três objetivos principais:
  • 2:28 - 2:31
    dar a todos uma linguagem
    para falar sobre um assunto
  • 2:31 - 2:34
    que é bastante embaraçoso
    e desconfortável de discutir;
  • 2:34 - 2:39
    capacitar toda uma linha de frente,
    ou seja, os amigos, para ajudar
  • 2:39 - 2:42
    e, no processo, aprimorar
    a nossa capacidade de amar melhor.
  • 2:44 - 2:47
    Para isso, é sempre importante
    começar esclarecendo
  • 2:47 - 2:50
    os sinais nocivos
    que frequentemente não percebemos,
  • 2:50 - 2:52
    e nosso trabalho se concentra
    na criação de conteúdo
  • 2:52 - 2:55
    para iniciar conversas com jovens.
  • 2:55 - 2:58
    Como é de se esperar, muito
    do nosso conteúdo é bem sério,
  • 2:58 - 3:00
    dado o assunto em questão,
  • 3:00 - 3:03
    mas hoje vou usar um dos nossos mais leves
  • 3:03 - 3:04
    e, ainda assim, instigante,
  • 3:04 - 3:06
    "The Couplets",
  • 3:06 - 3:08
    para esclarecer cinco
    indicadores de amor nocivo.
  • 3:09 - 3:12
    O primeiro é a intensidade.
  • 3:12 - 3:15
    (Vídeo) Azul: Não te vejo
    há dias. Sinto sua falta.
  • 3:15 - 3:16
    Laranja: Eu também!
  • 3:16 - 3:17
    [#ISSOÉAMOR]
  • 3:18 - 3:21
    Azul: Não nos vemos há cinco minutos.
    Parece uma vida inteira.
  • 3:21 - 3:23
    O que tem feito sem mim
    por cinco minutos inteiros?
  • 3:23 - 3:25
    Laranja: Foram três minutos.
  • 3:25 - 3:26
    [#ISSONÃOÉAMOR]
  • 3:26 - 3:29
    Katie Hood: Alguém reconhece isso?
    Não sei. Eu reconheço.
  • 3:30 - 3:32
    Relacionamentos abusivos
    não começam assim.
  • 3:32 - 3:34
    Eles começam excitantes e emocionantes.
  • 3:34 - 3:38
    Há uma intensidade de afeto e sentimento,
    uma sensação de urgência.
  • 3:38 - 3:39
    É muito bom.
  • 3:39 - 3:42
    Você se sente muito sortudo,
    é como ganhar na loteria.
  • 3:43 - 3:46
    Mas no amor nocivo,
    esses sentimentos mudam com o tempo,
  • 3:46 - 3:50
    de emocionante a esmagador
    e talvez um pouco sufocante.
  • 3:51 - 3:53
    Você sente no seu âmago.
  • 3:53 - 3:55
    Talvez quando o namorado ou namorada nova
  • 3:55 - 3:57
    diz "eu te amo" mais rápido
    do que você estava preparado
  • 3:57 - 4:01
    ou começa a aparecer em todos os lugares,
    enviar mensagens e telefonar muito.
  • 4:02 - 4:05
    Ou quando ele ou ela fica impaciente
    se você demora para responder,
  • 4:05 - 4:08
    mesmo sabendo que você tinha
    outras coisas pra fazer naquele dia.
  • 4:09 - 4:12
    É importante lembrar que não é como
    um relacionamento começa que importa,
  • 4:12 - 4:14
    mas como ele evolui.
  • 4:14 - 4:19
    No começo do relacionamento, é importante
    prestar atenção em como você se sente.
  • 4:19 - 4:21
    Acha confortável o ritmo da intimidade?
  • 4:21 - 4:24
    Sente que tem espaço e pode respirar?
  • 4:25 - 4:29
    Também é muito importante começar
    a praticar usando a própria voz
  • 4:29 - 4:30
    pra falar das suas necessidades.
  • 4:30 - 4:33
    Seus pedidos são respeitados?
  • 4:34 - 4:37
    Um segundo indicador é o isolamento.
  • 4:37 - 4:39
    (Vídeo) Laranja 2: Quer sair?
  • 4:39 - 4:41
    Laranja 1: Hoje é nossa
    "segunda-feira divertida".
  • 4:41 - 4:42
    [#ISSOÉAMOR]
  • 4:42 - 4:43
    Laranja 2: Quer sair?
  • 4:43 - 4:45
    Laranja 1: É nossa
    "segunda-feira divertida".
  • 4:45 - 4:48
    Laranja 2: Amanhã?
    Laranja 1: "Terça da soneca".
  • 4:48 - 4:50
    Laranja 2: Quarta?
    Laranja 1: "Dia sem amigos".
  • 4:50 - 4:52
    [#ISSONÃOÉAMOR]
  • 4:53 - 4:56
    KH: Pra mim, o isolamento
    é um dos sinais mais frequentemente
  • 4:56 - 4:58
    ignorados e incompreendidos
    do amor nocivo.
  • 4:58 - 4:59
    Por quê?
  • 4:59 - 5:03
    Porque todo novo relacionamento
    começa com esse desejo intenso
  • 5:03 - 5:04
    de passar tempo juntos,
  • 5:04 - 5:07
    é fácil não perceber quando algo muda.
  • 5:07 - 5:10
    O isolamento se instala
    quando o namorado ou namorada
  • 5:10 - 5:13
    começa a te afastar
    de amigos e familiares,
  • 5:13 - 5:14
    de seu sistema de apoio,
  • 5:14 - 5:17
    e a se prender muito a ele ou ela.
  • 5:17 - 5:19
    Eles podem dizer coisas como:
  • 5:19 - 5:21
    "Por que sai com eles?
    Eles são uns perdedores",
  • 5:21 - 5:22
    sobre os amigos do outro,
  • 5:22 - 5:26
    ou: "Eles querem nos separar.
    Estão totalmente contra nós",
  • 5:26 - 5:27
    sobre a família do outro.
  • 5:27 - 5:30
    O isolamento tem a ver
    com plantar sementes de dúvida
  • 5:30 - 5:33
    sobre todos que estavam na sua vida
    antes desse relacionamento.
  • 5:34 - 5:39
    O amor saudável inclui independência,
    duas pessoas que amam ficar juntas,
  • 5:39 - 5:42
    mas continuam ligadas às pessoas
    e atividades das quais gostavam antes.
  • 5:43 - 5:46
    Embora no início vocês possam
    passar todo o tempo juntos,
  • 5:46 - 5:49
    com o tempo, manter
    a independência é fundamental.
  • 5:49 - 5:52
    Fazendo planos e ficando com os amigos,
  • 5:52 - 5:55
    e incentivando o parceiro a fazer o mesmo.
  • 5:56 - 5:59
    Um terceiro indicador
    de amor nocivo é o ciúme extremo.
  • 6:00 - 6:03
    (Vídeo) Azul 2: Por que está feliz?
    Azul 1: Ela está me seguindo no Instagram!
  • 6:03 - 6:05
    [#ISSOÉAMOR]
  • 6:05 - 6:07
    Azul 2: Por que está nervoso?
  • 6:07 - 6:11
    Azul 1: Ela começou
    a me seguir em todo lugar.
  • 6:11 - 6:14
    [#ISSONÃOÉAMOR]
  • 6:14 - 6:19
    KH: Conforme a lua de mel começa a passar,
    o ciúme extremo pode se instalar.
  • 6:19 - 6:21
    O parceiro se torna mais exigente,
  • 6:21 - 6:24
    querendo saber onde e com quem
    você está o tempo todo,
  • 6:24 - 6:27
    ou pode começar a te seguir
    em todos os lugares, on-line e off-line.
  • 6:28 - 6:32
    O ciúme extremo também traz
    possessividade e desconfiança,
  • 6:32 - 6:35
    acusações frequentes de flerte
    com outras pessoas ou traição,
  • 6:35 - 6:37
    e a recusa de escutar
    quando você diz a ele ou ela
  • 6:37 - 6:41
    que não há nada com que se preocupar
    e que você ama apenas a eles.
  • 6:41 - 6:44
    O ciúme faz parte de qualquer
    relacionamento humano,
  • 6:44 - 6:46
    mas o ciúme extremo é diferente.
  • 6:46 - 6:49
    Há um extremismo ameaçador,
    desesperado e inflamado nele.
  • 6:49 - 6:51
    O amor não deveria ser assim.
  • 6:52 - 6:55
    Um quarto indicador é a depreciação.
  • 6:55 - 6:57
    (Vídeo) Azul: Quer sair?
    Laranja: Tenho que estudar.
  • 6:57 - 6:59
    Azul: Vai tirar um A, de admirável.
  • 6:59 - 7:00
    [#ISSOÉAMOR]
  • 7:01 - 7:03
    Azul: Quer sair?
    Laranja: Tenho que estudar.
  • 7:03 - 7:07
    Azul: Você vai tirar um E,
    de... estúpido!
  • 7:07 - 7:08
    [#ISSONÃOÉAMOR]
  • 7:09 - 7:10
    KH: Sim.
  • 7:10 - 7:13
    No amor nocivo, as palavras
    são usadas como armas.
  • 7:13 - 7:15
    Conversas que costumavam
    ser divertidas e alegres
  • 7:15 - 7:17
    ficam maldosas e embaraçosas.
  • 7:17 - 7:20
    Talvez o parceiro tire sarro
    de uma maneira que magoa
  • 7:20 - 7:24
    ou talvez conte histórias e piadas
    para rir às suas custas.
  • 7:24 - 7:26
    Quando você explica
    que seus sentimentos foram feridos,
  • 7:26 - 7:30
    eles te calam e te acusam de exagerar:
  • 7:30 - 7:34
    "Por que você está tão sensível?
    Qual é o problema? Dá um tempo".
  • 7:34 - 7:37
    Você é silenciado por essas palavras.
  • 7:37 - 7:41
    Parece bastante óbvio,
    mas o parceiro deve te apoiar.
  • 7:41 - 7:44
    As palavras devem te por
    pra cima, não te derrubar.
  • 7:44 - 7:46
    O parceiro deve guardar
    seus segredos e ser leal.
  • 7:46 - 7:48
    Deve te fazer sentir mais confiante,
  • 7:48 - 7:49
    e não menos.
  • 7:50 - 7:53
    Finalmente, um quinto
    indicador: volatilidade.
  • 7:54 - 7:57
    (Vídeo) Laranja 1: Seria triste terminar.
    Laranja 2: Também acho.
  • 7:57 - 7:58
    [#ISSOÉAMOR]
  • 7:59 - 8:01
    Laranja 1: Ficaria deprimido
    se terminássemos.
  • 8:01 - 8:03
    Eu me jogaria desse degrau.
  • 8:03 - 8:05
    Me jogaria! Não tente me impedir!
  • 8:05 - 8:06
    [#ISSONÃOÉAMOR]
  • 8:09 - 8:13
    KH: Separação e reconciliação frequentes,
    altos e baixos intensos:
  • 8:13 - 8:16
    à medida que a tensão aumenta,
    também aumenta a volatilidade.
  • 8:16 - 8:20
    Brigas chorosas e frustrantes
    seguidas de reconciliações dramáticas,
  • 8:20 - 8:22
    comentários odiosos e ofensivos como:
  • 8:22 - 8:24
    "Você é inútil, nem sei
    por que estou com você!",
  • 8:24 - 8:28
    seguidos rapidamente de desculpas e
    promessas de que não acontecerá de novo.
  • 8:29 - 8:33
    Nesse ponto, você já está tão condicionado
    a esta relação de altos e baixos
  • 8:33 - 8:36
    que pode não perceber
    o quão nocivo e talvez até perigoso
  • 8:36 - 8:38
    o relacionamento se tornou.
  • 8:39 - 8:41
    Pode ser muito difícil de ver
  • 8:41 - 8:44
    quando o amor nocivo se torna abuso,
  • 8:44 - 8:48
    mas quanto mais indicadores
    o relacionamento tem,
  • 8:48 - 8:51
    mais nocivo e talvez perigoso possa ser.
  • 8:51 - 8:53
    E se o instinto é romper e partir,
  • 8:53 - 8:57
    que é o conselho que damos aos amigos
    quando estão em relacionamentos nocivos,
  • 8:57 - 9:00
    ele nem sempre é o melhor conselho.
  • 9:00 - 9:03
    O momento da separação pode ser
    um gatilho para a violência.
  • 9:03 - 9:06
    Se alguém tem medo de estar indo
    nessa direção ou de já sofrer abuso,
  • 9:06 - 9:10
    deve consultar especialistas para obter
    conselhos sobre como romper com segurança.
  • 9:11 - 9:13
    Mas não é apenas nas relações românticas
  • 9:13 - 9:16
    e não é só a violência.
  • 9:16 - 9:18
    Compreender os sinais do amor nocivo
  • 9:18 - 9:22
    pode nos ajudar a examinar e entender
    quase toda relação em nossa vida.
  • 9:23 - 9:26
    Pela primeira vez, podemos entender porque
    estamos decepcionados com uma amizade
  • 9:26 - 9:29
    ou porque toda interação
    com um certo membro da família
  • 9:29 - 9:32
    nos deixa desanimados e ansiosos.
  • 9:33 - 9:35
    Podemos até começar a ver
    como nossa intensidade e ciúme
  • 9:35 - 9:38
    causam problemas
    com os colegas no trabalho.
  • 9:39 - 9:42
    A compreensão é o primeiro
    passo para melhorar
  • 9:42 - 9:45
    e, apesar de não podermos tornar
    todo relacionamento saudável;
  • 9:45 - 9:48
    alguns teremos que deixar para trás;
  • 9:48 - 9:52
    podemos fazer nossa parte todos os dias
    para termos relacionamentos melhores.
  • 9:52 - 9:54
    E aqui está a notícia empolgante:
  • 9:54 - 9:56
    não é nenhuma coisa de outro mundo.
  • 9:56 - 9:59
    Comunicação aberta, respeito mútuo,
  • 9:59 - 10:01
    bondade, paciência;
  • 10:01 - 10:03
    podemos praticá-los todos os dias.
  • 10:05 - 10:08
    E enquanto a prática
    definitivamente nos tonará melhores,
  • 10:08 - 10:11
    tenho que prometer que também
    não nos tornará perfeitos.
  • 10:11 - 10:13
    Faço isso para viver,
  • 10:13 - 10:15
    todo dia penso e falo
    sobre relacionamentos saudáveis
  • 10:15 - 10:18
    e ainda faço coisas nocivas.
  • 10:18 - 10:21
    Outro dia, enquanto tentava
    tirar meus quatro filhos de casa
  • 10:21 - 10:25
    em meio a brigas, discussões
    e reclamações sobre o café da manhã,
  • 10:25 - 10:27
    perdi completamente a paciência.
  • 10:27 - 10:29
    Com um tom intencionalmente irritado,
  • 10:29 - 10:30
    eu gritei:
  • 10:30 - 10:33
    "Todos calem a boca e façam o que eu digo!
  • 10:33 - 10:34
    Vocês são os piores!
  • 10:34 - 10:36
    Vou tirar videogames e sobremesa
  • 10:36 - 10:39
    e qualquer outra coisa
    que possam gostar na vida!"
  • 10:39 - 10:41
    (Risos)
  • 10:41 - 10:43
    Alguém já passou por isso?
  • 10:43 - 10:45
    (Aplausos)
  • 10:46 - 10:49
    Volatilidade, depreciação.
  • 10:49 - 10:52
    Meu filho mais velho se virou e disse:
  • 10:52 - 10:54
    "Mamãe, isso não é amor".
  • 10:54 - 10:57
    (Risos)
  • 10:57 - 11:00
    Por um minuto, quis matá-lo
    por me repreender.
  • 11:00 - 11:02
    Acreditem.
  • 11:02 - 11:03
    Mas então eu me recompus
  • 11:03 - 11:06
    e fiquei realmente orgulhosa.
  • 11:06 - 11:10
    Tenho orgulho de que ele tenha
    uma linguagem que me faça pausar.
  • 11:11 - 11:13
    Quero que todos os meus filhos
    entendam o parâmetro
  • 11:13 - 11:15
    de como eles devem ser tratados
  • 11:15 - 11:18
    e tenham linguagem e voz para usar
    quando esse parâmetro não for observado,
  • 11:18 - 11:20
    ao invés de apenas aceitar.
  • 11:22 - 11:26
    Por muito tempo, tratamos as relações
    como um assunto simples,
  • 11:26 - 11:29
    mas habilidades de relacionamento
    são coisas muito importantes
  • 11:29 - 11:32
    e difíceis de desenvolver na vida.
  • 11:32 - 11:34
    Entender sinais nocivos
  • 11:34 - 11:38
    não só nos ajuda a evitar a armadilha
    que nos leva ao amor nocivo,
  • 11:38 - 11:41
    mas, entender e praticar
    a arte de ser saudável
  • 11:41 - 11:43
    pode melhorar quase todos
    os aspectos da nossa vida.
  • 11:45 - 11:47
    Estou totalmente convencida
  • 11:47 - 11:49
    de que enquanto o amor
    é um instinto e uma emoção,
  • 11:49 - 11:53
    a capacidade de amar melhor é uma
    habilidade que todos podemos construir
  • 11:53 - 11:55
    e melhorar ao longo do tempo.
  • 11:55 - 11:56
    Obrigada.
  • 11:56 - 11:58
    (Aplausos)
タイトル:
A diferença entre amor saudável e nocivo
話者:
Katie Hood
概説:

Em uma palestra sobre compreensão e prática da arte de relacionamentos saudáveis, Katie Hood revela os cinco sinais de que você pode estar em um relacionamento nocivo - com um parceiro romântico, um amigo, um membro da família, e compartilha as coisas que você pode fazer todos os dias para amar com respeito, gentileza e alegria. "Enquanto o amor é um instinto e uma emoção, a capacidade de amar melhor é uma habilidade que todos podemos construir e melhorar ao longo do tempo", diz ela.

more » « less
Video Language:
English
Team:
closed TED
プロジェクト:
TEDTalks
Duration:
12:13

Portuguese, Brazilian subtitles

改訂