Portuguese subtítulos

← Os esteroides podem salvar a vossa vida? — Anees Bahji

Obtener código incrustado.
22 idiomas

Mostrar Revisión8 creada 06/20/2020 por Margarida Ferreira.

  1. Os esteroides são mal afamados
    pelo seu uso no desporto.
  2. Mas também se encontram em inaladores,
    cremes para tratar hera venenosa e eczema,
  3. e em injeções para alívio de inflamações.
  4. Os esteroides nestes medicamentos
  5. não são os mesmos que os usados
    para ganhar massa muscular.
  6. Na verdade, todos eles se baseiam
    num outro esteroide
  7. que o nosso corpo produz naturalmente,
  8. e sem o qual não podemos viver.
  9. Se analisarmos a razão
    por que há tantos tipos de esteroides

  10. é porque o termo se refere a substâncias
  11. que partilham uma estrutura molecular,
  12. e não por causarem
    os mesmos efeitos no corpo.
  13. Os esteroides podem ser
    naturais ou sintéticos,
  14. mas o que todos têm em comum
    é uma estrutura molecular
  15. formada por uma base com quatro anéis
    feitos com 17 átomos de carbono
  16. dispostos em três hexágonos
    e um pentágono.
  17. Uma molécula deve ter exatamente
    essa composição para ser um esteroide,
  18. embora a maioria
    também tenha cadeias laterais
  19. — átomos adicionais que podem ter
    grande impacto na função da molécula.
  20. O nome "esteroide" vem do colesterol
    da molécula de gordura.
  21. Na verdade, o nosso corpo produz
    esteroides a partir do colesterol.
  22. Essa base gorda do colesterol
    significa que os esteroides

  23. conseguem penetrar nas membranas
    das células adiposas e entrar nas células.
  24. Dentro da célula, eles podem influenciar
    diretamente a expressão genética
  25. e a síntese proteica.
  26. Isto é diferente de muitos outros tipos
    de moléculas de sinalização,
  27. que não podem atravessar
    a membrana celular
  28. e precisam de produzir os seus efeitos
    do lado exterior da célula,
  29. através de caminhos mais complicados.
  30. Assim, os esteroides produzem efeitos
    mais depressa que essas outras moléculas.
  31. Voltando aos esteroides,
    nos medicamentos anti-inflamatórios

  32. são todos baseados num esteroide
    natural chamado cortisol.
  33. O cortisol é o principal sinal
    de "stress" do corpo,
  34. e tem uma imensa variedade de funções.
  35. Quando passamos
    por um momento de "stress",
  36. qualquer coisa, como uma briga
    com um amigo, ou avistar um urso,
  37. ou ter uma infeção ou
    um baixo nível de açúcar no sangue,
  38. a reação do cérebro é emitir um sinal
    do hipotálamo para a glândula pituitária.
  39. Depois, a glândula pituitária
    envia um sinal às glândulas suprarrenais.
  40. As glândulas suprarrenais estão sempre
    a produzir e a libertar cortisol.
  41. Mas quando recebem o sinal
    da glândula pituitária,
  42. elas libertam uma explosão de cortisol,
  43. o que estimula o corpo a gerar
    mais glicose para energia,
  44. a reduzir funções não vitais
    imediatamente, como a digestão,
  45. e pode ativar reações violentas,
    fuga-luta ou paralisantes.
  46. Isso é útil a curto prazo, mas pode
    causar efeitos colaterais indesejáveis
  47. como insónias e desânimo,
    se durarem muito tempo.
  48. O cortisol também interage com o sistema
    imunológico de maneiras complexas,
  49. consoante a situação,
  50. pode aumentar ou diminuir
    algumas funções imunológicas.
  51. No processo de combate às infeções,
  52. o sistema imunológico
    frequentemente cria inflamações.
  53. O cortisol suprime a capacidade
    do sistema imunológico de produzi-las,
  54. o que, de novo,
    pode ser útil a curto prazo.
  55. Mas cortisol demais
    pode ter impactos negativos,
  56. como reduzir a capacidade
    do sistema imunológico
  57. de regenerar a medula óssea
    e os gânglios linfáticos.
  58. Para evitar que os níveis
    fiquem altos durante muito tempo,
  59. o cortisol suprime o sinal que faz
    com que as glândulas suprarrenais
  60. libertem mais cortisol.
  61. Os medicamentos com corticoides
    direcionam os efeitos do cortisol

  62. no sistema imunológico
  63. para combater reações alérgicas,
    erupções cutâneas e asma.
  64. Tudo isso são formas de inflamação.
  65. Há muitos esteroides sintéticos que
    partilham os mesmos mecanismos básicos:
  66. aumentam o abastecimento
    de cortisol no corpo,
  67. o que, por sua vez, desativa
    as respostas imunes hiperativas
  68. que causam inflamações.
  69. Estes corticoides infiltram-se nas células
    e podem desligar o "alarme de incêndio"
  70. ao suprimir expressões genéticas
    ou sinais inflamatórios.
  71. Os esteroides em inaladores e cremes
    causam impacto apenas no órgão afetado

  72. — a pele ou os pulmões.
  73. As versões orais ou intravenosas,
  74. usadas para tratar
    doenças autoimunes crónicas
  75. como o lúpus ou a doença Inflamatória
    Intestinal, têm impacto em todo o corpo.
  76. Com estas doenças, o sistema imunológico
    do corpo ataca as suas próprias células,
  77. um processo semelhante
    a um constante ataque de asma
  78. ou erupções cutâneas.
  79. Uma dose baixa constante de esteroides
  80. pode ajudar a manter sob controlo
    essa renegada resposta imunitária
  81. mas, por causa dos efeitos
    psicológicos e fisiológicos negativos,
  82. pela exposição a longo prazo,
  83. as doses maiores ficam reservadas
    para emergências e crises.
  84. Um ataque de asma,
    lesões de hera venenosa

  85. e síndrome do intestino irritável
  86. podem parecer estranhos entre si,
    mas todos têm algo em comum:
  87. uma resposta imunitária
    que faz mais mal do que bem.
  88. E embora os corticoides
    não produzam músculos gigantes,
  89. eles podem ser a melhor defesa
    do corpo contra si mesmo.