YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese subtitles

← O Facto Mais Espantoso — Neil DeGrasse Tyson

Get Embed Code
41 Languages

Showing Revision 7 created 02/09/2015 by Margarida Ferreira.

  1. Qual é o facto mais espantoso
    que nos pode contar sobre o Universo?

  2. O facto mais espantoso,
  3. o facto mais espantoso é o conhecimento
  4. de que os átomos
    que constituem a vida na Terra,
  5. os átomos que formam o corpo humano,
  6. encontram-se nos cadinhos
    que transformaram os elementos leves
  7. nos elementos pesados no seu núcleo
  8. sob temperaturas e pressões extremas.
  9. Estas estrelas, as de maior massa,
  10. acabaram por ficar instáveis
    nos seus últimos anos,
  11. entraram em colapso e depois explodiram,
  12. espalhando pela galáxia
    as suas entranhas enriquecidas,
  13. entranhas feitas de carbono,
    nitrogénio, oxigénio
  14. e todos os ingredientes
    fundamentais da vida.
  15. Esses ingredientes passam a fazer parte
    das nuvens de gás
  16. condensam-se, colapsam e formam
    a geração seguinte dos sistemas solares,
  17. estrelas com planetas na sua órbita,
  18. e esse planetas passaram a ter
    os ingredientes para a vida.
  19. Quando olho para o céu, à noite,
  20. sei que fazemos parte deste universo
  21. que estamos neste universo.
  22. Mas talvez mais importante ainda
    do que esses dois factos,
  23. é que o universo está em nós.
  24. Quando reflito nesse facto,
  25. fico admirado por muita gente
    se sentir pequena,
  26. porque somos pequenos
    e o universo é grande.
  27. Eu sinto-me grande,
  28. porque os meus átomos vêm dessas estrelas.
  29. Há um nível de ligação.
  30. É o que queremos na vida,
  31. queremos sentir-nos ligados,
    sentir-nos relevantes.
  32. Queremos sentir que participamos
    nas coisas que acontecem,
  33. nas atividades e acontecimentos
    à nossa volta.
  34. É isso precisamente o que somos,
    apenas por estarmos vivos...
  35. Tradução de Margarida Ferreira (dez/14)