YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese subtitles

← Os nossos genes não são o nosso destino

Dean Ornish revela novos estudos que mostram como a adoção de hábitos de vida mais saudáveis pode afetar uma pessoa a nível genético. Por exemplo, ele diz que, quando vivemos saudavelmente, comemos melhor, fazemos exercício e amamos mais, as nossas células cerebrais aumentam.

Get Embed Code
54 Languages

Showing Revision 3 created 10/17/2016 by Margarida Ferreira.

  1. Uma forma de mudar
    os genes é criando novos,

  2. como Craig Venter demonstrou
    tão elegantemente.
  3. Outra maneira é mudando
    o nosso estilo de vida.
  4. Estamos a aprender quão poderosas
    e dinâmicas podem ser essas mudanças,
  5. para não termos de esperar muito
    para ver os benefícios.
  6. Quando comemos saudavelmente,
    gerimos o "stress",
  7. fazemos exercício e amamos mais,
  8. o cérebro recebe mais corrente
    sanguínea e mais oxigénio.
  9. Mais do que isso,
    o cérebro aumenta substancialmente.
  10. Coisas que pensávamos impossíveis
    apenas há uns anos
  11. podem ser medidas agora.
  12. Isto foi descoberto por Robin Williams
  13. alguns anos antes de nós.
  14. Há coisas que podemos fazer

  15. para que o cérebro produza novas células.
  16. Algumas das minhas coisas favoritas
    como chocolate e chá, mirtilos,
  17. álcool com moderação, gestão do "stress"
  18. e canabinoides presentes na marijuana.
  19. Eu sou apenas o mensageiro.
  20. (Risos)
  21. Do que é que estávamos a falar?
  22. (Risos)
  23. Outras coisas podem fazer-nos mal,
  24. podem provocar a perda
    de células cerebrais.
  25. Os suspeitos do costume,
    como as gorduras saturadas e o açúcar,
  26. a nicotina, opiáceos, a cocaína,
    o álcool em demasia e o "stress" crónico.
  27. A pele recebe mais corrente sanguínea
    quando mudamos os hábitos de vida,

  28. envelhecemos mais lentamente,
    a pele não se enruga tanto.
  29. O coração recebe mais corrente sanguínea.
  30. Provámos ser possível
    inverter doenças cardíacas.
  31. As artérias obstruídas
    — em cima, à esquerda —
  32. passado apenas um ano
    estão menos obstruídas.
  33. O exame cardíaco — a azul,
    em baixo à esquerda,
  34. o azul significa sem corrente sanguínea.
  35. Um ano depois — laranja e branco
    é a corrente sanguínea no máximo.
  36. Mostrámos ser possível
    parar e inverter a progressão
  37. do cancro da próstata em fase inicial
    e, por extensão, do cancro da mama,
  38. fazendo essas mudanças.
  39. O crescimento de um tumor in vitro
  40. é inibido em 70% no grupo
    que adotou essas mudanças,
  41. em contraste com os 9%
    no grupo de controlo.
  42. Estas diferenças
    são bastante significativas.

  43. O órgão sexual recebe
    mais corrente sanguínea,
  44. logo melhora a potência sexual.
  45. Uma das campanhas antitabaco mais eficaz
  46. feita pelo Departamento
    dos Serviços da Saúde,
  47. mostra que a nicotina,
    que contrai as vossas artérias,
  48. pode causar um ataque cardíaco ou um AVC,
  49. mas também causa impotência.
  50. Metade dos homens que fumam
    são impotentes.
  51. Quão sexy é isso?
  52. Estamos perto de publicar um estudo
    que mostra ser possível

  53. mudar a expressão genética
    em homens com cancro da próstata.
  54. Isto é um mapa térmico,
    com diferentes cores.
  55. Ao longo do lado direito
    estão os diferentes genes.
  56. Descobrimos que mais de 500 genes
    foram favoravelmente modificados
  57. ativando os genes bons,
    os genes que evitam doenças
  58. e desligando os genes
    que promovem as doenças.
  59. Essas descobertas são muito poderosas

  60. oferecendo a muita gente
    novas esperanças e novas escolhas.
  61. Empresas como a Navigenix,
    a DNA Direct e a 23andMe,
  62. que estão a fornecer perfis genéticos,
  63. estão a dar a ideia de
    "Meu Deus, o que é que posso fazer?"
  64. Os nossos genes não são o nosso destino,
    — há uma predisposição —
  65. mas, se fizermos mudanças maiores
    do que as que fizemos noutras ocasiões
  66. podemos mudar a maneira
    como os nossos genes se exprimem.
  67. Obrigado
  68. (Aplausos)