Return to Video

Não devíamos ter de escolher entre comprar medicamentos e pagar contas

  • 0:01 - 0:03
    Todos os dias neste país,
  • 0:03 - 0:06
    as famílias são forçadas
    a fazerem escolhas impossíveis
  • 0:06 - 0:08
    relacionadas com os cuidados de saúde.
  • 0:08 - 0:11
    Por exemplo Kimberly, que disse:
  • 0:11 - 0:16
    "Houve ocasiões em que tive de escolher
    entre comprar comida ou os comprimidos.
  • 0:16 - 0:19
    "Não era uma questão de luxo,
    porque eu não ganho tanto assim.
  • 0:19 - 0:22
    "Era como: 'Será que posso ter um
    champô ou um amaciador?
  • 0:23 - 0:25
    "Coisas que consideramos normais."
  • 0:25 - 0:27
    E Debbie, que disse:
  • 0:27 - 0:30
    "Colocamos os medicamentos numa mão,
  • 0:30 - 0:33
    "e o custo de vida na outra.
  • 0:33 - 0:35
    "OK. O que é que vou fazer?
  • 0:35 - 0:37
    "Vou comprar os medicamentos
  • 0:37 - 0:39
    "ou vou pagar as contas?
  • 0:39 - 0:42
    "Eu não posso viver
    sem a minha medicação,
  • 0:42 - 0:45
    "mas não posso viver
    se não pagar as contas."
  • 0:45 - 0:49
    Morrem 10 mil pessoas
    todos os meses neste país,
  • 0:49 - 0:53
    por não tomarem os medicamentos
    de que necessitam.
  • 0:53 - 0:56
    Morrem mais pessoas
    por falta de medicamentos,
  • 0:56 - 1:01
    do que por "overdose" de alucinógenos
    e acidentes de carro, tudo junto.
  • 1:01 - 1:05
    Mas não podemos adquirir medicamentos
    se não os pudermos pagar.
  • 1:05 - 1:10
    Hoje, o gasto médio por agregado familiar
    é de 3 mil dólares por ano,
  • 1:10 - 1:12
    em medicamentos.
  • 1:12 - 1:15
    Quase um terço das pessoas sem seguro
  • 1:15 - 1:19
    disseram que deixaram de tomar
    os medicamentos prescritos
  • 1:19 - 1:20
    por causa do preço.
  • 1:20 - 1:23
    Até mesmo pessoas com seguro,
  • 1:23 - 1:26
    se ganham menos
    de 35 mil dólares por ano,
  • 1:26 - 1:29
    metade deles relatam
    não tomar medicamentos,
  • 1:30 - 1:32
    se o seguro não cobrir.
  • 1:32 - 1:37
    Então, há 10 milhões de adultos
    como Kimberly e como Debbie
  • 1:37 - 1:41
    que são forçados a fazerem
    escolhas impossíveis todos os dias.
  • 1:42 - 1:46
    Todos nós sabemos que os preços
    das receitas médicas são muito altos.
  • 1:46 - 1:48
    E o nosso sistema de saúde,
  • 1:48 - 1:52
    que deixa algumas pessoas sem seguro,
    e outras com um seguro insuficiente,
  • 1:52 - 1:57
    não dá prioridade a pessoas
    que precisam de cuidados imediatos
  • 1:57 - 1:59
    e que precisam de medicamentos
    neste momento.
  • 2:00 - 2:02
    Dez milhões é um número enorme.
  • 2:02 - 2:04
    mas também é um número solucionável,
  • 2:04 - 2:08
    porque também há 10 mil milhões de dólares
  • 2:08 - 2:11
    de medicamentos novos e em perfeito estado
  • 2:11 - 2:13
    que são desperdiçados.
  • 2:13 - 2:15
    Essa é uma injustiça em duas vias:
  • 2:15 - 2:20
    pessoas que não obtêm os medicamentos
    de que necessitam para sobreviverem,
  • 2:20 - 2:23
    e esses mesmos medicamentos
  • 2:23 - 2:26
    que são enviados para um incinerador
    de resíduos médicos
  • 2:26 - 2:28
    para serem destruídos.
  • 2:28 - 2:32
    Esse desperdício é injusto,
    mas também oferece uma oportunidade.
  • 2:32 - 2:34
    Eu fundei o SIRUM,
  • 2:34 - 2:37
    uma empresa de tecnologia
    sem fins lucrativos,
  • 2:37 - 2:40
    com os meus sócios Adam e George,
  • 2:40 - 2:44
    para transformar medicamentos
    postos de lado, numa boia de salvação.
  • 2:44 - 2:46
    tal como os medicamentos
    neste armazém.
  • 2:47 - 2:49
    Podemos não conseguir corrigir
  • 2:49 - 2:52
    todos os aspetos em que
    o nosso sistema de saúde falha,
  • 2:52 - 2:55
    mas podemos corrigir este.
  • 2:55 - 2:58
    Os medicamentos provêm
    de fabricantes e revendedores
  • 2:58 - 3:00
    que têm um "stock" de segurança.
  • 3:00 - 3:03
    Quando se aproximam
    do prazo de validade são destruídos.
  • 3:03 - 3:05
    Também provêm de instituições de saúde
  • 3:05 - 3:08
    como hospitais, farmácias e asilos,
  • 3:08 - 3:09
    que acabam com excedentes
  • 3:09 - 3:12
    quando algum paciente
    deixa de tomar o medicamento
  • 3:12 - 3:13
    ou acaba por morrer.
  • 3:13 - 3:17
    Podemos utilizar esta fonte
    inexplorada de medicamentos,
  • 3:17 - 3:22
    para abastecer todos os 10 milhões
    de pessoas que precisam de medicamentos.
  • 3:22 - 3:24
    E podemos fazer isso já.
  • 3:25 - 3:28
    O SIRUM consegue
    medicamentos excedentes
  • 3:28 - 3:31
    colocando recipientes de reciclagem
    dentro de centenas dessas instituições,
  • 3:31 - 3:33
    que têm excedentes.
  • 3:33 - 3:36
    Eles enchem os recipientes,
    e quando as caixas estão completas,
  • 3:36 - 3:40
    O SIRUM providencia um sistema
    para recolha desses medicamentos
  • 3:40 - 3:46
    e nós cuidamos do envio, do rastreio,
    dos manifestos e dos impostos.
  • 3:46 - 3:49
    Os doadores dos medicamentos
    fazem as doações
  • 3:49 - 3:51
    pois é mais barato e mais prático
  • 3:51 - 3:55
    do que o processo altamente regulamentado
    de destruição de medicamentos.
  • 3:55 - 3:59
    E há fortes incentivos fiscais
    para estas doações.
  • 3:59 - 4:04
    Nós entregamos esses medicamentos
    doados às pessoas que precisam deles.
  • 4:04 - 4:06
    Uma nova receita chega,
  • 4:06 - 4:09
    e a nossa plataforma combina
    a necessidade do paciente
  • 4:09 - 4:11
    com o nosso "stock" disponível.
  • 4:11 - 4:14
    Então, a plataforma gera uma lista
    dos artigos em armazém,
  • 4:14 - 4:17
    os medicamentos são selecionados
    e as receitas são aviadas.
  • 4:17 - 4:22
    Nós estamos a criar a experiência
    farmacêutica do século XXI
  • 4:22 - 4:25
    que as famílias mais pobres merecem.
  • 4:25 - 4:28
    Os pacientes podem registar-se
    em menos de cinco minutos
  • 4:28 - 4:32
    e têm acesso a mais de 500
    diferentes tipos de medicamentos,
  • 4:33 - 4:37
    uma lista de medicamentos para tudo,
    desde doenças cardíacas
  • 4:37 - 4:39
    a situações de saúde mental,
  • 4:39 - 4:45
    representando mais de 75%
    de todas as receitas médicas prescritas
  • 4:45 - 4:47
    hoje nos EUA.
  • 4:47 - 4:49
    Também fizemos parceria
  • 4:49 - 4:52
    com uma rede de médicos,
    enfermeiras e gestores
  • 4:53 - 4:55
    em centros de saúde comunitários
    e clínicas gratuitas
  • 4:55 - 4:57
    que encaminham pacientes
    para o nosso serviço.
  • 4:58 - 5:01
    Tornamos tão simples
    para os prestadores de cuidados de saúde
  • 5:01 - 5:04
    o preenchimento das receitas
    com os medicamentos doados,
  • 5:04 - 5:08
    como enviar uma receita
    a uma farmácia local.
  • 5:08 - 5:13
    Os pacientes podem ir buscar
    os medicamentos a um dos nossos parceiros
  • 5:13 - 5:16
    ou receberem os medicamentos
    diretamente em suas casas.
  • 5:16 - 5:20
    Contornando a cadeia
    de suprimentos tradicional,
  • 5:20 - 5:24
    nós conseguimos oferecer preços
    justos e transparentes
  • 5:24 - 5:28
    — cerca de dois dólares por mês para
    um serviço para a maioria das medicações.
  • 5:29 - 5:33
    Isso permite um preço
    acessível e previsível
  • 5:33 - 5:36
    que as pessoas podem pagar.
  • 5:36 - 5:41
    Nós já fornecemos medicamentos
    suficientes para 150 mil pessoas.
  • 5:42 - 5:44
    Mas podemos fazer mais.
  • 5:44 - 5:47
    O nosso objetivo é alcançar
    um milhão de pessoas,
  • 5:47 - 5:51
    com cerca de mil milhões de dólares
    de medicamentos não utilizados,
  • 5:51 - 5:53
    nos próximos cinco anos,
  • 5:53 - 5:55
    alargando o nosso programa
    a 12 estados.
  • 5:55 - 5:59
    Nesta dimensão,
    podemos cobrir comunidades
  • 5:59 - 6:04
    que abrangem cerca de 40%
    dos 10 milhões de pessoas
  • 6:04 - 6:08
    que carecem de um serviço
    consistente e acessível.
  • 6:08 - 6:11
    O nosso serviço direcionado
    para um milhão de pessoas
  • 6:11 - 6:15
    motivará a competitividade de preços
    para muitas mais pessoas.
  • 6:15 - 6:20
    O Walmart lançou uma das únicas inovações
    de preços na área farmacêutica em 2006.
  • 6:21 - 6:23
    oferecendo uma lista
    limitada de medicamentos
  • 6:23 - 6:25
    por um baixo preço de quatro dólares.
  • 6:25 - 6:27
    Isso provocou uma mudança incrível.
  • 6:28 - 6:31
    Incentivou a concorrência
    a oferecer outras listas de remédios
  • 6:31 - 6:34
    com garantias de equivalência de preços.
  • 6:34 - 6:38
    Ao oferecermos medicamentos
    com preços acessíveis e transparentes
  • 6:38 - 6:40
    nesses novos estados,
  • 6:40 - 6:43
    podemos provocar uma competição
    de preços regional
  • 6:43 - 6:49
    que diminua os preços
    para comunidades mais pobres.
  • 6:49 - 6:52
    O nosso sistema de saúde é complexo.
  • 6:52 - 6:54
    É assustador.
  • 6:54 - 6:57
    Parece impossível de progredir.
  • 6:58 - 7:03
    Mas podemos reimaginar completamente
    o acesso a cuidados médicos.
  • 7:03 - 7:08
    Ao usar medicamentos excedentes
    como uma ponte para forçar uma mudança
  • 7:08 - 7:12
    nessa indústria multimilionária,
  • 7:12 - 7:16
    podemos criar o acesso em massa
    a medicamentos,
  • 7:16 - 7:18
    com base num sonho fundamental
  • 7:18 - 7:23
    de que as pessoas que vivem
    numa das nações mais ricas do mundo
  • 7:23 - 7:27
    podem e devem ter acesso
    aos medicamentos de que necessitam
  • 7:27 - 7:30
    para sobreviverem
    e terem qualidade de vida.
  • 7:31 - 7:34
    Eu não tenho todas as respostas
  • 7:34 - 7:38
    para corrigir todos os problemas
    no nosso sistema de saúde.
  • 7:38 - 7:42
    Mas conseguir medicamentos
    para milhões de pessoas
  • 7:42 - 7:44
    que precisam deles
    para viver uma vida saudável,
  • 7:44 - 7:48
    economizar medicamentos para salvar vidas
  • 7:48 - 7:52
    isso é algo que nós podemos fazer hoje.
  • 7:53 - 7:54
    Obrigada.
Title:
Não devíamos ter de escolher entre comprar medicamentos e pagar contas
Speaker:
Kiah Willians
Description:

Enquanto os custos com as receitas médicas disparam nos EUA, milhares de pessoas são obrigadas a prescindirem de medicamentos essenciais — enquanto isso os fabricantes e as instituições de saúde sistematicamente destroem medicamentos excedentes em bom estado. Kiah Williams conta como o SIRUM, uma empresa sem fins lucrativos que distribuí medicamentos a famílias que precisam deles, planeia reduzir os preços das receitas médicas, reciclando quase mil milhões de dólares em medicamentos nos próximos cinco anos.
(Este plano ambicioso faz parte do Audacious Project, iniciativa do TED para inspirar e financiar mudanças globais.)

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Project:
TEDTalks
Duration:
08:07

Portuguese subtitles

Revisions