Return to Video

Não deveríamos ter que escolher entre comprar medicamentos ou pagar as contas.

  • 0:01 - 0:03
    Todos os dias nesse país,
  • 0:03 - 0:06
    famílias são obrigadas
    a fazer escolhas impossíveis
  • 0:06 - 0:08
    quando se trata
    da assistência médica delas.
  • 0:08 - 0:11
    Como Kimberly, que disse:
  • 0:11 - 0:16
    "Já tive que optar entre comer
    ou comprar meus comprimidos.
  • 0:16 - 0:19
    Não era coisa cara,
    pois eu não ganhava muito.
  • 0:19 - 0:23
    Era algo como comprar
    xampu ou condicionador.
  • 0:23 - 0:24
    Algo que nunca tive que fazer".
  • 0:24 - 0:27
    E Debbie, que disse:
  • 0:27 - 0:33
    "Coloco os medicamentos de um lado
    e o custo de vida do outro.
  • 0:33 - 0:35
    O que faço agora?
  • 0:35 - 0:39
    Compro os medicamentos ou pago as contas?
  • 0:39 - 0:42
    Não posso viver sem eles,
  • 0:42 - 0:45
    mas sem pagar as contas também não".
  • 0:45 - 0:49
    Dez mil pessoas morrem
    todos os meses nesse país
  • 0:49 - 0:53
    porque não tomam
    os medicamentos que necessitam.
  • 0:53 - 0:56
    Mais pessoas morrem
    por não usarem medicamentos
  • 0:56 - 1:01
    do que por overdoses por opioides
    e acidentes de carro, juntos.
  • 1:01 - 1:05
    Mas não dá para tomar medicamentos
    sem ter dinheiro para pagar por eles.
  • 1:05 - 1:11
    Hoje, a família média gasta US$ 3 mil
    por ano em medicamentos.
  • 1:12 - 1:15
    Cerca de um terço das pessoas
    sem plano de saúde
  • 1:15 - 1:18
    disseram que pararam de tomar
    os medicamentos prescritos
  • 1:18 - 1:20
    por causa do alto custo.
  • 1:20 - 1:23
    Até aqueles com plano de saúde
    são afetados com isso,
  • 1:23 - 1:26
    pois se recebem menos
    de US$ 35 mil por ano,
  • 1:26 - 1:30
    metade deles relata
    que deixa de usar medicamentos
  • 1:30 - 1:32
    que não são cobertos pelo plano.
  • 1:32 - 1:37
    Existem 10 milhões de adultos
    como Kimberly e Debbie
  • 1:37 - 1:42
    que são obrigados a fazer
    escolhas impossíveis todos os dias.
  • 1:42 - 1:46
    Todos nós sabemos
    que medicamentos prescritos são caros.
  • 1:46 - 1:48
    E nosso sistema de saúde,
  • 1:48 - 1:50
    que impossibilita alguns
    de terem plano de saúde
  • 1:50 - 1:52
    e força outros a terem
    plano de saúde inadequado,
  • 1:52 - 1:59
    não prioriza as pessoas que precisam
    de acesso e medicamentos agora.
  • 2:00 - 2:02
    Dez milhões é um número enorme,
  • 2:02 - 2:04
    mas também é um número solucionável,
  • 2:04 - 2:08
    porque há US$ 10 bilhões
  • 2:08 - 2:13
    de medicamentos inutilizados,
    em perfeito estado, que vão para o lixo.
  • 2:13 - 2:15
    Isso é injusto por dois motivos:
  • 2:15 - 2:20
    as pessoas ficam sem remédios necessários
    para sobreviverem com qualidade de vida,
  • 2:20 - 2:26
    enquanto esses mesmos medicamentos
    são descartados em incineradores
  • 2:26 - 2:27
    para serem destruídos.
  • 2:27 - 2:32
    Esse desperdício é inadmissível,
    mas também oferece uma oportunidade.
  • 2:32 - 2:34
    Criei a SIRUM,
  • 2:34 - 2:37
    uma empresa de tecnologia
    sem fins lucrativos,
  • 2:37 - 2:39
    com meus cofundadores Adam e George,
  • 2:39 - 2:43
    para transformar medicamentos descartados
    em solução para problemas,
  • 2:43 - 2:47
    como estes que pode ver nesse armazém.
  • 2:47 - 2:52
    Talvez não consigamos consertar todos
    os problemas do nosso sistema de saúde,
  • 2:52 - 2:55
    mas podemos consertar este aqui.
  • 2:55 - 3:00
    Os medicamentos vêm do estoque
    de segurança de fabricantes e atacadistas
  • 3:00 - 3:02
    e, quando estão para vencer,
    eles são destruídos.
  • 3:02 - 3:04
    Também vêm de centros de saúde
  • 3:04 - 3:08
    como hospitais, farmácias e asilos,
  • 3:08 - 3:11
    que acabam tendo excedentes quando
    pacientes param de usar um medicamento
  • 3:11 - 3:13
    ou morrem.
  • 3:13 - 3:17
    Essa fonte inexplorada de medicamentos
    pode ser utilizada por nós
  • 3:17 - 3:22
    para abastecer as 10 milhões de pessoas
    que necessitam deles.
  • 3:22 - 3:25
    E conseguimos fazer isso hoje.
  • 3:25 - 3:27
    A SIRUM obtém medicamentos excedentes
  • 3:27 - 3:31
    colocando recipientes de reciclagem
    nas centenas de instalações
  • 3:31 - 3:33
    que têm sobras.
  • 3:33 - 3:36
    Eles enchem o recipiente,
    e quando ele está cheio,
  • 3:36 - 3:40
    a SIRIUM inicia uma coleta
    para pegar os medicamentos,
  • 3:40 - 3:46
    e cuidamos do envio, do rastreamento,
    dos manifestos e da nota fiscal.
  • 3:46 - 3:51
    Os doadores de medicamentos preferem doar
    porque é mais barato e mais fácil
  • 3:51 - 3:55
    do que o processo de destruição
    altamente regulamentado.
  • 3:55 - 3:59
    E há fortes incentivos fiscais
    para estimular a doação.
  • 3:59 - 4:04
    Em seguida, entregamos os medicamentos
    doados às pessoas que precisam deles.
  • 4:04 - 4:06
    Recebemos uma nova receita,
  • 4:06 - 4:09
    e nossa plataforma atende
    a necessidade do paciente
  • 4:09 - 4:11
    com o estoque disponível.
  • 4:11 - 4:14
    Nossa plataforma então gera
    uma lista de separação do armazém,
  • 4:14 - 4:17
    os medicamentos são separados
    e as prescrições são atendidas.
  • 4:17 - 4:22
    Estamos criando a farmácia do século 21
  • 4:22 - 4:25
    que as famílias de baixa renda merecem.
  • 4:25 - 4:28
    Os pacientes podem se cadastrar
    em menos de 5 minutos
  • 4:28 - 4:32
    e ter acesso a mais de 500
    medicamentos diferentes,
  • 4:32 - 4:36
    uma lista permanente deles
    que atende a todo tipo de necessidade,
  • 4:36 - 4:39
    desde doenças cardíacas
    até condições de saúde mental,
  • 4:39 - 4:43
    representando mais de 75%
  • 4:43 - 4:47
    de todas as receitas prescritas
    hoje nos Estados Unidos.
  • 4:47 - 4:53
    Também temos parceria com médicos,
    enfermeiras e gerentes de caso
  • 4:53 - 4:55
    em postos de saúde comunitários
    e clínicas gratuitas
  • 4:55 - 4:57
    que encaminham pacientes para o serviço.
  • 4:57 - 5:01
    Agilizamos tudo para que as receitas
    desses profissionais de saúde
  • 5:01 - 5:04
    não apenas sejam preenchidas
    com medicamentos doados,
  • 5:04 - 5:08
    como também sejam enviadas
    a farmácias locais.
  • 5:08 - 5:13
    E os pacientes podem buscar medicamentos
    no local de um de nossos parceiros
  • 5:13 - 5:16
    ou recebê-los diretamente em casa.
  • 5:16 - 5:20
    Trabalhar por fora da cadeia
    de suprimentos tradicional
  • 5:20 - 5:24
    nos permite oferecer
    preços fixos e transparentes:
  • 5:24 - 5:29
    por volta de US$ 2 pelo suprimento mensal
    da maioria dos medicamentos.
  • 5:29 - 5:33
    E isso possibilita a prática
    de preços previsíveis, acessíveis,
  • 5:33 - 5:36
    que cabem no orçamento das pessoas.
  • 5:36 - 5:42
    Já fornecemos medicamento suficiente
    para 150 mil pessoas.
  • 5:42 - 5:44
    Mas podemos melhorar.
  • 5:44 - 5:47
    Nossa meta é alcançar 1 milhão de pessoas
  • 5:47 - 5:51
    com esses quase um US$ 1 bilhão
    em medicamentos não usados
  • 5:51 - 5:52
    nos próximos 5 anos,
  • 5:52 - 5:55
    levando nosso programa para 12 estados.
  • 5:55 - 5:59
    Nesta escala, atendemos a comunidades
  • 5:59 - 6:04
    que abrigam 40% das 10 milhões de pessoas
  • 6:04 - 6:08
    que carecem de acesso
    consistente e acessível.
  • 6:08 - 6:11
    Nosso serviço direto
    para 1 milhão de pessoas
  • 6:11 - 6:15
    conduzirá a competição de preços
    para muitos outros.
  • 6:15 - 6:21
    O Walmart lançou uma das únicas
    inovações farmacêuticas em 2006,
  • 6:21 - 6:23
    oferecendo uma lista limitada de remédios
  • 6:23 - 6:25
    por um valor fixo de US$ 4.
  • 6:25 - 6:27
    Isso provocou uma mudança incrível.
  • 6:28 - 6:31
    Fez os concorrentes
    oferecerem outras listas
  • 6:31 - 6:34
    e garantirem correspondência de preços.
  • 6:34 - 6:38
    Com o encaminhamento
    de remédios acessíveis e transparentes
  • 6:38 - 6:40
    para esses novos estados,
  • 6:40 - 6:43
    podemos direcionar
    a concorrência regional de preços,
  • 6:43 - 6:49
    fazendo com que os valores caiam
    para comunidades inteiras de baixa renda.
  • 6:49 - 6:52
    Nosso sistema de saúde é complexo.
  • 6:52 - 6:54
    É assustador.
  • 6:54 - 6:57
    Parece impossível evoluir.
  • 6:57 - 7:03
    Mas podemos reimaginar completamente
    o acesso a medicamentos.
  • 7:03 - 7:08
    Com o uso de medicamentos excedentes
    como desbravadores para criar mudanças
  • 7:08 - 7:12
    nesta indústria multibilionária,
  • 7:12 - 7:16
    podemos criar acesso radical
    aos medicamentos
  • 7:16 - 7:18
    nos baseando na crença fundamental
  • 7:18 - 7:23
    de que as pessoas que vivem
    em uma das nações mais ricas do mundo
  • 7:23 - 7:27
    podem e devem ter acesso
    aos medicamentos que necessitam
  • 7:27 - 7:30
    para sobreviver com qualidade de vida.
  • 7:31 - 7:34
    Não estou dizendo
    que tenho todas as respostas
  • 7:34 - 7:38
    para resolver todos os problemas
    do nosso sistema de saúde.
  • 7:38 - 7:42
    Mas levar medicamentos
    para as milhares de pessoas
  • 7:42 - 7:44
    que necessitam deles
    para terem uma vida saudável,
  • 7:44 - 7:48
    aproveitar medicamentos para salvar vidas:
  • 7:48 - 7:52
    isso podemos fazer agora.
  • 7:53 - 7:54
    Obrigada.
Title:
Não deveríamos ter que escolher entre comprar medicamentos ou pagar as contas.
Speaker:
Kiah Williams
Description:

À medida que os custos dos medicamentos prescritos disparam nos EUA, milhares de pessoas são forçadas a deixar de usar medicamentos que salvam sua vida enquanto os fabricantes e postos de saúde sistematicamente destroem medicamentos excedentes em perfeito estado.
Kiah Williams conta como a SIRUM, uma organização sem fins lucrativos que distribui medicamentos não usados para as famílias que mais precisam deles, planeja reduzir o preço dos medicamentos reciclando quase US$ 1 bilhão em medicamentos nos próximos 5 anos. (Este plano ambicioso é parte do Audacious Project, uma iniciativa do TED para inspirar e financiar mudanças globais.)

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Project:
TEDTalks
Duration:
08:07

Portuguese, Brazilian subtitles

Revisions