YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese subtitles

← Como as mulheres polícias tornam as comunidades mais seguras

Get Embed Code
36 Languages

Showing Revision 8 created 11/03/2019 by Margarida Ferreira.

  1. Sou polícia numa cidade urbana
  2. há quase 25 anos.
  3. É uma loucura, não é?
  4. Durante este tempo,
    trabalhei em todas as patentes,
  5. de agente a chefe da polícia.
  6. Há uns anos, reparei em algo alarmante.
  7. A partir de 2014,

  8. comecei a monitorizar recrutas
  9. enquanto percorriam academias de polícia
    no estado de Nova Jersey,
  10. e descobri que o índice de reprovação
    das mulheres estava entre 65% e 80%,
  11. devido a vários aspetos
    do teste de aptidão física.
  12. Descobri uma mudança nas regras
  13. que passaram a exigir aos recrutas
    aprovação no exame físico
  14. em 10 curtas sessões de treino.
  15. Isso teve um grande impacto nas mulheres.
  16. A mudança significava que os recrutas
    tinham cerca de três semanas
  17. num total de cinco meses na academia
  18. para passarem no exame físico.
  19. Mas isto não fazia sentido.
  20. As esquadras da polícia e os recrutas

  21. tinham feito grandes investimentos
    para meterem esses recrutas na academia.
  22. Os recrutas tinham sido aprovados
    em extensas verificações de antecedentes,
  23. em exames médicos e psicológicos,
  24. tinham abandonado os empregos
  25. e muitos tinham gastado
    mais de 2000 dólares
  26. em taxas e equipamento
  27. para depois serem expulsos
    nas primeiras três semanas?
  28. A situação terrível em Nova Jersey

  29. levou-me a analisar a situação
    feminina na polícia nos EUA.
  30. Descobri que as mulheres representam
    menos de 13% dos agentes da polícia,

  31. um número que não mudou muito
    nos últimos 20 anos.
  32. E representam apenas 3%
    dos chefes polícias em 2013,
  33. a última vez que se recolheram dados.
  34. Sabemos que conseguimos
    melhorar estes índices.
  35. Outros países como o Canadá,
    a Austrália e o Reino Unido
  36. têm quase o dobro de mulheres polícias.
  37. A Nova Zelândia caminha com segurança
    rumo ao seu objetivo
  38. de atingir a igualdade de género
    no recrutamento em 2021.
  39. Outros países estão a trabalhar ativamente
  40. para aumentar o número
    de mulheres polícias,
  41. pois estão cientes das vastas provas
    provenientes da investigação,
  42. que se estende por mais de 50 anos,
  43. detalhando as vantagens
    das mulheres no policiamento.
  44. A partir dessa investigação,

  45. sabemos que é menos provável
    que as mulheres polícias utilizem a força
  46. ou que sejam acusadas de força excessiva.
  47. Sabemos que é menos provável
    as mulheres polícias serem referidas
  48. em processos ou queixas.
  49. Sabemos que a mera presença
    de mulheres polícias
  50. reduz o uso da força
    entre outros polícias.
  51. E sabemos que as mulheres polícias
    enfrentam o mesmo nível de força
  52. que os seus colegas homens,
    e às vezes ainda mais,
  53. mas, mesmo assim têm mais sucesso
  54. em neutralizar comportamentos violentos
    ou agressivos em geral.
  55. Logo, há várias vantagens
    no policiamento feminino,
  56. e não as aproveitamos devido
    a padrões arbitrários de aptidão física.
  57. O problema é que os EUA têm
    quase 18 000 esquadras da polícia,

  58. com padrões de aptidão física
    extremamente variados.
  59. Sabemos que a maioria das academias
    tem um ideal de policiamento masculino
  60. que serve para diminuir
    o número de mulheres polícias.
  61. Esses tipos de academia
    privilegiam a força física,
  62. com muito menor foco em temas
    como o policiamento comunitário,
  63. resolução de problemas
  64. e capacidades de comunicação interpessoal.
  65. Isto resulta em treino que não reflete
    a realidade do policiamento.
  66. A agilidade física é só uma pequena parte
    do trabalho policial.
  67. Um polícia passa muito tempo
    a mediar conflitos interpessoais.
  68. Essa é a realidade do policiamento.
  69. Estas são as minhas filhas.

  70. Nós podemos reduzir
    a disparidade no policiamento
  71. se mudarmos os exames
    que produzem resultados desiguais.
  72. Os tribunais federais dizem
    que homens e mulheres
  73. não são fisiologicamente iguais
  74. para os propósitos dos programas
    de aptidão física.
  75. E isso baseia-se na ciência.
  76. Instituições muito respeitadas
    pela polícia,

  77. como o FBI, o US Marshals Service,
  78. a DEA e até as Forças Armadas,
  79. testam rigorosamente
    os programas de aptidão física
  80. para garantir que não haja
    resultados desiguais de género.
  81. Porquê?
  82. Porque o recrutamento é caro.
  83. Preferem recrutar e reter
    os candidatos qualificados.
  84. Sabem o que é que a investigação
    também descobriu?
  85. As mulheres bem treinadas
    são tão capazes quanto os homens
  86. na aptidão física geral,
  87. mas, mais importante ainda,
    na forma de policiamento.
  88. É sabido que a comunidade policial

  89. está a atravessar
    uma crise de recrutamento.
  90. Contudo, se quiserem aumentar
    o número de candidatos, conseguem-no.
  91. Podemos facilmente recrutar mais mulheres
  92. e colher todos os benefícios
    da investigação
  93. treinando candidatas bem qualificadas
    para passar exames de aptidão validados,
  94. relacionados com o trabalho
    e com os processos fisiológicos,
  95. tal como exigido pelo Título VII
    da Lei dos Direitos Civis.
  96. Podemos aumentar o número de mulheres,

  97. reduzir a desigualdade de género,
  98. se mudarmos os exames
    que produzem resultados desiguais.
  99. Nós temos as ferramentas.
  100. Nós temos a investigação,
    a ciência e a lei.
  101. Isto, meus amigos, devia ser
    uma solução muito fácil.
  102. Obrigada.

  103. (Aplausos)