Portuguese subtitles

← O que é tráfego fantasma e porque é que ele dá cabo da nossa vida?

Get Embed Code
23 Languages

Showing Revision 4 created 07/27/2020 by Margarida Ferreira.

  1. Vocês estão a percorrer a rodovia
    quando, de repente,
  2. filas infinitas de luzes de travagem
    aparecem à vossa frente.
  3. Não há nenhum acidente, nenhum semáforo,
  4. nem mudança no limite de velocidade
    ou estreitamento da faixa de rodagem.
  5. Então porque é que há tanto trânsito?
  6. Quando o trânsito fica quase parado
    sem razão aparente,

  7. chama-se engarrafamento fantasma.
  8. Um engarrafamento fantasma
    é um fenómeno emergente
  9. cujo comportamento assume vida própria,
  10. maior que a soma das partes.
  11. Mas, apesar disso, conseguimos
    definir esses engarrafamentos
  12. e até entender os princípios
    que os provocam
  13. e estamos mais próximos do que pensam
  14. de evitar esse engarrafamento no futuro.
  15. Para ocorrer um engarrafamento fantasma,
    é preciso haver muitos carros na estrada.

  16. Isso não significa
    que há demasiados carros
  17. para passar sem dificuldade
    por um trecho da rodovia,
  18. pelo menos se todos os condutores
    mantiverem a mesma velocidade e distância
  19. dos outros condutores.
  20. Neste trânsito denso mas fluido
  21. basta uma pequena interferência
  22. para desencadear a série de eventos
    que levam ao engarrafamento.
  23. Digamos que um condutor trava levemente.
  24. Cada condutor seguinte
    trava um pouco mais forte,
  25. criando uma onda de luzes de travagem
    que se propaga para trás
  26. por todos os carros na estrada.
  27. Essas ondas de "trava e acelera"
    podem encher a rodovia por quilómetros.
  28. Com uma baixa densidade
    de carros na estrada,

  29. o tráfego flui tranquilamente,
    porque as pequenas interferências,
  30. como carros a mudar de faixa
    ou diminuindo de velocidade numa curva
  31. são absorvidas pelos ajustes
    de outros condutores.
  32. Mas quando o número de carros na estrada
    atinge uma quantidade crítica,
  33. geralmente quando o espaço
    entre os carros é menos de 35 metros,
  34. o comportamento do sistema
    muda drasticamente.
  35. Começa uma instabilidade dinâmica, em que
    as pequenas interferências são ampliadas.

  36. A instabilidade dinâmica não é exclusiva
    do engarrafamento fantasma.
  37. Também é responsável pelas gotas de chuva,
  38. pelas dunas, pelos desenhos
    nas nuvens e não só.
  39. A instabilidade é um circuito
    de retorno positivo.

  40. Acima da quantidade crítica,
  41. qualquer veículo a mais reduz
    o número de carros por segundo
  42. que passam por um determinado
    ponto da estrada.
  43. Isso significa que uma aglomeração local
  44. demora mais tempo
    a sair de uma secção da estrada,
  45. aumentando ainda mais
    a densidade do trânsito
  46. o que acaba por agravar
    o trânsito "trava e acelera".
  47. Os condutores habitualmente não percebem

  48. que precisam de travar
    antes do engarrafamento,
  49. e acabam por ter que travar bruscamente
    para evitar uma colisão.
  50. Isso reforça a onda de travagens
    entre os veículos.
  51. E mais, os condutores costumam acelerar
    rapidamente após a redução da velocidade,
  52. ou seja, tentam conduzir mais depressa
    que o fluxo médio do trânsito em frente.
  53. Então, têm de travar novamente,
    gerando outro circuito de retorno
  54. que causa mais tráfego "trava e acelera"
  55. Em ambos os casos,
    os condutores pioram o trânsito
  56. porque não têm noção
    da situação à frente deles.

  57. Os veículos autónomos equipados com dados
    sobre as condições do trânsito em frente
  58. de veículos interligados
    ou através de sensores na estrada
  59. podem neutralizar o engarrafamento
    fantasma em tempo real.
  60. Esses veículos manterão uma velocidade
    uniforme, mantendo a segurança,
  61. compatível com a velocidade
    média do fluxo geral,
  62. evitando que se formem
    as ondas de engarrafamento.
  63. Em situações em que já há
    ondas de engarrafamento,
  64. o veículo autónomo conseguirá prevê-las,
  65. travando antes e mais gradualmente
    do que um condutor humano
  66. e reduzindo a intensidade da onda.
  67. E não serão necessários
    muitos veículos autónomos.
  68. Num teste recente, um veículo autónomo
    por cada 20 condutores humanos
  69. foi suficiente para atenuar e evitar
    ondas de engarrafamento.
  70. Os engarrafamentos não são
    apenas um incómodo diário:
  71. são uma importante causa de acidentes,

  72. um desperdício de recursos
    e uma poluição ameaçadora para o planeta.
  73. Mas as novas tecnologias podem ajudar
    a reduzir esses padrões,
  74. tornando as estradas mais seguras,
  75. os nossos trajetos diários mais eficientes
    e o nosso ar mais limpo.
  76. E, quando estiverem presos no trânsito,
  77. lembrem-se de que nem sempre
    os outros estão a dirigir com má vontade,
  78. só que não estão a par
    das condições da estrada à sua frente,
  79. e conduzam adequadamente.