Portuguese subtitles

← Os efeitos surpreendentes da gravidez

Get Embed Code
29 Languages

Showing Revision 4 created 10/04/2020 by Margarida Ferreira.

  1. Os músculos e as articulações
    movem-se e entrechocam-se.
  2. O ritmo da batida do coração acelera.
  3. O sangue corre acelerado
    pelas artérias e pelas veias.
  4. Durante uma gravidez,
    todos os órgãos do corpo se modificam.
  5. Desencadeadas por uma série de hormonas,
  6. estas alterações começam
    logo que começa a gravidez.
  7. Dias depois da fertilização,

  8. o embrião implanta-se
    no revestimento do útero.
  9. Como o seu ADN não corresponde
    exatamente ao ADN da mãe,
  10. o sistema imunitário, teoricamente,
    devia identificá-lo como um invasor,
  11. atacá-lo e destruí-lo,
  12. como faria com uma bactéria
    ou qualquer outro micróbio prejudicial.
  13. O problema é este:
    o sistema imunitário da mãe
  14. precisa de proteger a mãe e o feto,
  15. mas não pode atuar como normalmente faz.
  16. O que acontece não é tão simples
    como diminuir a reação imunitária.
  17. Pelo contrário, é uma interação complexa
    que só agora começamos a compreender,
  18. e que envolve muitos tipos diferentes
    de células imunitárias,
  19. algumas das quais parecem proteger o feto
    do ataque de outras células imunitárias.
  20. O corpo também cria um tampão
    antibacteriano feito de muco,
  21. no colo do útero,
  22. que mantém os germes afastados
    e se mantém selado até ao parto.
  23. À medida que uma gravidez avança,

  24. o útero expande-se para cima e para fora,
    com o feto em crescimento.
  25. Para arranjar espaço, as hormonas
    chamadas progesterona e relaxina
  26. enviam sinais para os músculos
    se distenderem.
  27. Os músculos que impelem a comida
    e os dejetos pelo trato intestinal
  28. também se distendem
  29. o que os torna preguiçosos,
  30. provocando obstipação
    quando a passagem pelo trato abranda.
  31. Os músculos distendidos
    na parte superior do estômago
  32. podem deixar escapar ácido
    para o esófago e para a garganta
  33. provocando azia e refluxo.
  34. Estas alterações podem agravar
    os enjoos matinais,
  35. que são causados, em parte,
    pela hormona HCG
  36. e que também podem ocorrer
    noutras alturas do dia.
  37. À medida que o útero aumenta,
    empurra o diafragma,

  38. o músculo que expande e contrai
    o peito durante a respiração.
  39. Isso limita a amplitude do diafragma.
  40. Para compensar, a hormona progesterona
    atua como um estimulante respiratório,
  41. fazendo com que a grávida
    respire mais depressa,
  42. de modo a que ela e o bebé
    recebam oxigénio suficiente
  43. com menor capacidade dos pulmões.
  44. Tudo isto pode fazer com que a grávida
    tenha dificuldade em respirar.
  45. Entretanto, os rins fabricam
    mais eritropoietina,

  46. uma hormona que aumenta
    a produção dos glóbulos vermelhos.
  47. Os rins também retêm
    mais água e mais sal
  48. em vez de os filtrar
    e eliminar na urina,
  49. para aumentar o volume do sangue.
  50. O volume de sangue duma grávida
    aumenta em 50% ou mais.
  51. Mas também está um pouco mais diluído,
  52. porque só tem mais 25%
    de glóbulos vermelhos.
  53. Habitualmente, o corpo fabrica
    glóbulos vermelhos
  54. a partir do ferro dos alimentos,
  55. mas, durante a gravidez, o feto também
    vai criando o seu fornecimento de sangue
  56. a partir dos nutrientes
    da alimentação da mãe.
  57. roubando à mãe o ferro
    e outros nutrientes.
  58. O coração tem de trabalhar mais

  59. para bombar todo este sangue
    pelo corpo e pela placenta.
  60. O ritmo cardíaco duma grávida aumenta
  61. mas ainda não percebemos bem
  62. como é que a pressão sanguínea
    se altera numa gravidez saudável
  63. — uma importante área de investigação,
  64. porque algumas
    das complicações mais graves
  65. estão relacionadas com o coração
    e a pressão sanguínea.
  66. O útero em expansão pode
    exercer pressão sobre as veias
  67. provocando acumulação de fluidos
    nas pernas e nos pés.
  68. Se pressionar uma veia importante,
    chamada veia cava inferior,
  69. pode interferir com o retorno
    do sangue ao coração,
  70. provocando uma baixa vertiginosa
    da pressão sanguínea
  71. após estar de pé durante muito tempo.
  72. Algumas destas alterações começam
    a inverter-se ainda antes do nascimento.

  73. Pouco antes do parto,
    o feto baixa de posição,
  74. reduzindo a pressão no diafragma
  75. e permitindo que a grávida
    respire mais à vontade.
  76. Durante o trabalho de parto,
  77. grande parte do fluido extra no corpo
    perde-se quando se rompem as águas.
  78. O útero volta a encolher
    nas semanas depois do nascimento.
  79. Tal como o resto do corpo,
    a gravidez afeta o cérebro,

  80. mas os seus efeitos são
    das coisas menos conhecidas.
  81. Estudos recentes mostram diferenças
    em exames ao cérebro,
  82. depois da gravidez
    e do início da criação do bebé
  83. e sugerem que estas alterações
    são adaptativas.
  84. Isto significa que podem ajudar
    nas competências dos pais,
  85. tais como uma aptidão crescente
    para ler pistas faciais
  86. visto que os bebés não falam.
  87. A falta de informações sobre
    os efeitos da gravidez no cérebro

  88. realça uma verdade geral:
  89. historicamente quase toda
    a investigação sobre a gravidez
  90. tem-se concentrado no feto,
    mais do que na grávida.
  91. As experiências de gravidez
    variam muito,
  92. tanto na faixa de gestações saudáveis
  93. como nas situações
    de complicação de saúde.
  94. A nova investigação ajudar-nos-á
    a perceber porquê
  95. e a desenvolver tratamentos eficazes
    sempre que necessário.
  96. Entretanto, todas as gestações
    são diferentes
  97. e é importante consultar um médico
    com perguntas específicas.
  98. Hoje, estamos a virar
    uma página excitante
  99. à medida que mais investigação
  100. se dedica à espantosa
    biologia da gravidez.