Return to Video

Os efeitos surpreendentes da gravidez

  • 0:08 - 0:11
    Músculos e articulações
    se movem e se empurram.
  • 0:11 - 0:14
    O ritmo das batidas do coração acelera.
  • 0:14 - 0:17
    O sangue dispara pelas artérias e veias.
  • 0:17 - 0:21
    Durante a gravidez,
    todos os órgãos do corpo mudam.
  • 0:21 - 0:24
    Desencadeadas por uma série de hormônios,
  • 0:24 - 0:27
    essas mudanças começam
    assim que a gravidez inicia.
  • 0:30 - 0:33
    Poucos dias após a fertilização,
  • 0:33 - 0:36
    o embrião se implanta
    no revestimento do útero.
  • 0:36 - 0:40
    Como seu DNA não corresponde
    exatamente ao da mãe,
  • 0:40 - 0:44
    o sistema imunológico deveria teoricamente
    reconhecê-lo como um invasor,
  • 0:44 - 0:45
    atacá-lo e destruí-lo,
  • 0:45 - 0:48
    como faria com bactérias
    ou outros micróbios prejudiciais.
  • 0:48 - 0:50
    Eis o desafio:
  • 0:50 - 0:55
    o sistema imunológico da mãe
    precisa proteger a mãe e o feto,
  • 0:55 - 0:57
    mas não pode agir como faz normalmente.
  • 0:57 - 1:01
    O que acontece não é tão simples
    quanto diminuir a resposta imunológica.
  • 1:01 - 1:06
    Em vez disso, é uma interação complexa
    que estamos apenas começando a entender,
  • 1:06 - 1:09
    que envolve muitos tipos diferentes
    de células imunológicas,
  • 1:09 - 1:14
    algumas das quais parecem proteger o feto
    do ataque de outras células imunológicas.
  • 1:16 - 1:20
    O corpo também cria um tampão
    antibacteriano feito de muco
  • 1:20 - 1:21
    no colo do útero,
  • 1:21 - 1:25
    que impede a entrada de germes
    e permanece selado até o parto.
  • 1:25 - 1:26
    Conforme a gravidez avança,
  • 1:26 - 1:30
    o útero se expande para cima e para fora
    com o feto em crescimento.
  • 1:30 - 1:34
    Para abrir espaço, hormônios
    chamados progesterona e relaxina
  • 1:34 - 1:36
    sinalizam para os músculos relaxarem.
  • 1:37 - 1:40
    Os músculos que impulsionam alimentos
    e resíduos pelo trato digestivo
  • 1:40 - 1:41
    também relaxam,
  • 1:41 - 1:43
    o que os torna lentos,
  • 1:43 - 1:44
    causando prisão de ventre
  • 1:44 - 1:47
    conforme a velocidade
    da passagem pelo trato diminui.
  • 1:47 - 1:49
    Músculos relaxados do alto do estômago
  • 1:49 - 1:52
    podem permitir que o ácido
    vá para o esôfago e a garganta,
  • 1:52 - 1:54
    causando azia e refluxo.
  • 1:54 - 1:57
    Essas mudanças podem piorar
    o enjoo matinal,
  • 1:57 - 2:00
    causado em parte pelo hormônio HCG,
  • 2:00 - 2:03
    e também pode acontecer
    em outros horários do dia.
  • 2:03 - 2:06
    À medida que o útero cresce,
    ele empurra o diafragma,
  • 2:06 - 2:10
    músculo que se expande
    e contrai o tórax a cada respiração,
  • 2:10 - 2:13
    o que limita o alcance do diafragma.
  • 2:13 - 2:18
    Para compensar, o hormônio progesterona
    atua como um estimulante respiratório,
  • 2:18 - 2:20
    fazendo com que a gestante
    respire mais rápido
  • 2:20 - 2:23
    para que ela e o bebê
    possam obter oxigênio suficiente
  • 2:23 - 2:25
    com menos capacidade pulmonar.
  • 2:25 - 2:28
    Tudo isso pode deixar
    a gestante com falta de ar.
  • 2:29 - 2:33
    Enquanto isso, os rins
    produzem mais eritropoietina,
  • 2:33 - 2:36
    hormônio que aumenta a produção
    de glóbulos vermelhos.
  • 2:39 - 2:42
    Os rins também retêm água e sal extras,
  • 2:42 - 2:44
    em vez de filtrá-los
    e eliminá-los pela urina
  • 2:44 - 2:46
    para aumentar o volume do sangue.
  • 2:46 - 2:51
    O volume de sangue de uma gestante
    aumenta em 50% ou mais,
  • 2:51 - 2:52
    mas também é um pouco diluído,
  • 2:52 - 2:56
    porque tem apenas 25%
    mais glóbulos vermelhos.
  • 2:56 - 2:58
    Geralmente, o corpo
    produz células sanguíneas
  • 2:58 - 3:00
    usando o ferro dos alimentos,
  • 3:00 - 3:04
    mas, durante a gravidez, o feto também
    forma seu próprio suprimento de sangue
  • 3:04 - 3:06
    a partir dos nutrientes
    do alimento da mãe,
  • 3:06 - 3:09
    deixando menos ferro
    e outros nutrientes para a mãe.
  • 3:09 - 3:11
    O coração precisa trabalhar muito
  • 3:11 - 3:14
    para bombear todo esse sangue
    pelo corpo e pela placenta.
  • 3:14 - 3:17
    A frequência cardíaca
    de uma gestante aumenta,
  • 3:17 - 3:18
    mas não entendemos totalmente
  • 3:18 - 3:21
    como a pressão arterial muda
    em uma gravidez saudável.
  • 3:21 - 3:23
    É uma área importante de pesquisa
  • 3:23 - 3:26
    porque algumas complicações mais sérias
  • 3:26 - 3:28
    estão relacionadas ao coração
    e à pressão arterial.
  • 3:29 - 3:32
    O útero em expansão
    pode pressionar as veias,
  • 3:32 - 3:35
    causando acúmulo de líquido
    nas pernas e nos pés.
  • 3:35 - 3:39
    Se o útero pressionar uma grande veia
    chamada veia cava inferior,
  • 3:39 - 3:42
    ela pode interferir com o retorno
    do sangue ao coração
  • 3:42 - 3:44
    e causar uma queda vertiginosa
    da pressão arterial
  • 3:44 - 3:46
    depois de ficar em pé por muito tempo.
  • 3:47 - 3:49
    Algumas dessas mudanças
    começam a se reverter
  • 3:49 - 3:51
    antes mesmo do nascimento.
  • 3:51 - 3:55
    Pouco antes do parto, o feto desce,
  • 3:55 - 3:57
    diminuindo a pressão sobre o diafragma
  • 3:57 - 4:01
    e permitindo que a gestante
    respire mais profundamente.
  • 4:01 - 4:03
    Durante o parto e o nascimento,
  • 4:03 - 4:06
    muito do fluido extra do corpo é perdido
    com o rompimento da bolsa.
  • 4:09 - 4:13
    O útero encolhe novamente
    semanas após o nascimento.
  • 4:13 - 4:17
    Como o restante do corpo,
    a gravidez afeta o cérebro,
  • 4:17 - 4:20
    mas os efeitos são alguns
    dos menos compreendidos.
  • 4:20 - 4:23
    Estudos recentes mostram diferenças
    em exames do cérebro
  • 4:23 - 4:26
    após a gravidez
    e a criação precoce dos filhos
  • 4:26 - 4:29
    e sugerem que essas mudanças
    são adaptativas.
  • 4:29 - 4:32
    Isso significa que podem ajudar
    nas habilidades dos pais,
  • 4:32 - 4:35
    como uma capacidade maior
    de interpretar expressões faciais,
  • 4:35 - 4:37
    já que os bebês não sabem falar.
  • 4:38 - 4:41
    A falta de informações
    sobre os efeitos da gravidez no cérebro
  • 4:41 - 4:43
    destaca uma verdade geral:
  • 4:43 - 4:47
    de maneira histórica, quase todas
    as pesquisas sobre a gravidez
  • 4:47 - 4:51
    se concentram no feto,
    e não nas gestantes.
  • 4:51 - 4:54
    As experiências de gravidez
    variam amplamente,
  • 4:54 - 4:56
    tanto dentro da faixa
    de gestações saudáveis
  • 4:56 - 4:59
    quanto devido a condições
    complicadas de saúde.
  • 4:59 - 5:02
    Novas pesquisas nos ajudarão
    a entender o motivo
  • 5:02 - 5:05
    e a desenvolver tratamentos
    eficazes quando necessário.
  • 5:05 - 5:09
    Enquanto isso, cada gravidez é diferente,
  • 5:09 - 5:12
    e é importante consultar um médico
    para sanar qualquer dúvida específica.
  • 5:13 - 5:17
    Atualmente, estamos começando a ter
    um sucesso extraordinário,
  • 5:17 - 5:22
    à medida que mais pesquisas são dedicadas
    à biologia surpreendente da gravidez.
Title:
Os efeitos surpreendentes da gravidez
Speaker:
TED-Ed
Description:

Veja a lição completa: https://ed.ted.com/lessons/the-surprising-effects-of-pregnancy

Músculos e articulações se movem e se empurram. O ritmo das batidas do coração acelera. O sangue dispara pelas artérias e veias. Durante a gravidez, todos os órgãos do corpo mudam. Desencadeadas por uma série de hormônios, essas mudanças começam assim que a gravidez inicia. Explore o que sabemos e o que não sabemos sobre os efeitos da gravidez no corpo e no cérebro.

Lição de TED-Ed, direção de Roxane Campoy e Charlotte Cambon.

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Project:
TED-Ed
Duration:
05:25

Portuguese, Brazilian subtitles

Revisions