Portuguese, Brazilian subtitles

← Por que vencer nem sempre equivale a ter sucesso

Get Embed Code
28 Languages

Showing Revision 28 created 05/19/2020 by Claudia Sander.

  1. Tenho uma pergunta para todos nós.
  2. Estão prontos?
  3. Toda vitória é um sucesso?
  4. (Murmúrio)

  5. Ah.

  6. (Risos)

  7. Uau. Tudo bem.

  8. Sou treinadora recém-aposentada
    da equipe de ginástica feminina da UCLA,

  9. cargo que ocupei por 29 anos.
  10. (Aplausos)

  11. Obrigada.

  12. Durante minha passagem,

  13. tive muitas vitórias.
  14. Levei nossa equipe
    a sete campeonatos nacionais,
  15. fui incluída no UCLA Athletic Hall of Fame
  16. e eleita a treinadora do século
    pela Conferência do Pacífico-12.
  17. (Aplausos)

  18. Vencer é muito, muito,

  19. tipo, muito, muito divertido.
  20. (Risos)

  21. Mas estou aqui para compartilhar
    minha percepção:

  22. vencer nem sempre equivale a ter sucesso.
  23. Em todos os Estados Unidos
    e em todo o mundo,
  24. temos uma crise
  25. nas culturas de vencer a todo custo
  26. que criamos.
  27. Em nossas escolas,
  28. em nossos negócios, na política,
  29. vencer a todo custo tornou-se aceitável.
  30. Como sociedade,
  31. honramos as pessoas do topo da pirâmide.
  32. Aplaudimos calorosamente
  33. as pessoas que vencem
    campeonatos, eleições e prêmios.
  34. Mas, infelizmente, muitas vezes,
  35. essas mesmas pessoas
    estão saindo de suas instituições
  36. como seres humanos arrasados.
  37. Infelizmente, com sequências de notas dez,
  38. crianças estão saindo da escola arrasadas.
  39. Com prêmios e medalhas,
  40. atletas geralmente saem
    arrasados de suas equipes,
  41. de modo emocional e mental,
    e não apenas físico.
  42. Com lucros enormes,
  43. funcionários geralmente saem
    arrasados de suas empresas.
  44. Ficamos tão hiperconcentrados
    no resultado final
  45. e, quando o resultado final é uma vitória,
  46. o componente humano de como chegamos lá
  47. geralmente é varrido
    para debaixo do tapete proverbial,
  48. assim como o dano causado.
  49. Estou pedindo um tempo.

  50. Tempo!
  51. Precisamos redefinir sucesso.
  52. O verdadeiro sucesso é formar
    campeões na vida para o nosso mundo,
  53. vencendo ou perdendo.
  54. (Aplausos)

  55. O verdadeiro sucesso
    é formar campeões na vida,

  56. não para sua equipe,
  57. nem para seus negócios
  58. e, lamento dizer, nem mesmo
    pelo privilégio de se gabar no Natal.
  59. Desculpem.
  60. Então, como fazemos isso?

  61. Antes de mais nada, você pode conseguir
    impor seu caminho para uma vitória,
  62. mas não pode impor
    seu caminho para o sucesso.
  63. Vou levá-los de volta a 1990,

  64. quando fui indicada para treinadora
    da equipe de ginástica feminina da UCLA.
  65. Gostaria de compartilhar com vocês
    que nunca pratiquei ginástica.
  66. Cresci no mundo do balé.
  67. Nunca fiz uma pirueta
  68. e não sei ensinar a fazer
    uma pirueta adequada.
  69. (Risos)

  70. Infelizmente é verdade.

  71. Eu não sabia nada de desenvolvimento
    de cultura de equipe.
  72. O melhor que pude fazer foi imitar
    outros treinadores vitoriosos.
  73. Assim, eu me tornei durona,
  74. obstinada, implacável,
  75. insensível,
  76. teimosa, sem empatia
  77. e muitas vezes completamente má.
  78. Eu agia como uma treinadora
  79. cujo único pensamento
    era descobrir como vencer.
  80. Minhas primeiras temporadas
    como treinadora foram terríveis.

  81. Depois de aguentar meu estilo impetuoso
    de treinamento por alguns anos,
  82. nossa equipe me solicitou uma reunião.
  83. Adoro reuniões de equipe.
  84. Respondi: "Oba!
    Vamos ter reunião de equipe".
  85. Por duas horas seguidas,
  86. elas me deram exemplos
  87. de como minha arrogância
    era prejudicial e humilhante.
  88. Sim, nada de "oba".
  89. Elas me explicaram
  90. que queriam ser apoiadas,
  91. não menosprezadas.
  92. Queriam ser elevadas, não rebaixadas.
  93. Queriam ser motivadas,
  94. não pressionadas nem intimidadas.
  95. Esse foi meu pedido de tempo,
  96. e escolhi mudar.
  97. Ser uma ditadora arrogante

  98. pode produzir bons soldadinhos submissos,
  99. mas não forma campeões na vida.
  100. É muito mais fácil,
    em qualquer estilo de vida,
  101. impor e dar ordens
  102. do que realmente descobrir
    como motivar alguém
  103. a querer ser melhor.
  104. E a razão disso, todos sabemos,
  105. é que a motivação leva
    muito tempo para se firmar.
  106. Mas, quando isso acontece,
  107. é construção de caráter
    e mudança de vida.
  108. Percebi que eu precisava
    fortalecer nossos alunos-atletas

  109. como seres humanos completos,
  110. não apenas atletas vitoriosos.
  111. O sucesso para mim passou
  112. do simples foco em vencer
  113. para o desenvolvimento
    de minha filosofia de treinamento,
  114. que é formar campeões na vida
    por meio do esporte.
  115. Eu sabia que se eu fosse boa o bastante
  116. essa mentalidade de campeão
    passaria para o solo da competição.
  117. Foi o que aconteceu.
  118. O ingrediente principal
    foi desenvolver a confiança
  119. por meio da paciência,
  120. honestidade respeitosa
  121. e responsabilidade,
  122. todos os ingredientes
    que levam a um amor consistente.
  123. Falando em amor consistente,

  124. Katelyn Ohashi é
    um exemplo perfeito disso.
  125. Todos vocês devem ter visto
    sua coreografia no solo,
  126. que já teve mais de 150 milhões
    de visualizações.
  127. É consenso que seu desempenho
    é pura alegria.
  128. No entanto, quando Katelyn chegou à UCLA,
  129. estava destruída,
    de corpo, mente e espírito.
  130. Ela cresceu em um mundo esportivo
    convencional e de alto nível
  131. e estava arrasada.
  132. Quando Katelyn chegou à UCLA
    em seu primeiro ano,
  133. ela descobriu muito bem
    sua rebeldia interna,
  134. a ponto de não conseguir mais
    praticar ginástica
  135. no nível para o qual foi inscrita.
  136. Nunca me esquecerei
  137. de uma reunião de equipe que tivemos
    no meio da temporada de calouros.
  138. Estávamos lá com a equipe,
    o pessoal técnico e de apoio,
  139. o psicólogo do esporte
  140. e Katelyn, com muita clareza
    e sem se desculpar, disse:
  141. "Não quero ser extraordinária de novo".
  142. Senti como se tivesse levado
    um golpe inesperado.

  143. Meu primeiro pensamento foi:
  144. "Então, por que devo aceitar
    a bolsa de estudos dela?"
  145. Foi um pensamento muito sarcástico
    e, felizmente, eu não o disse em voz alta,
  146. porque depois ficou claro.
  147. Katelyn não odiava ginástica.
  148. Ela odiava tudo
    associado a ser extraordinário.
  149. Katelyn não queria ser vencedora,
  150. porque vencer a todo custo
    havia lhe custado sua alegria.
  151. Minha tarefa
  152. era descobrir como motivá-la
    a querer ser extraordinária novamente,
  153. ajudando-a a redefinir sucesso.
  154. Meu entusiasmo por esse desafio
    transformou-se em determinação

  155. quando, certo dia, Katelyn
    me olhou nos olhos e disse:
  156. "Senhora Val, só quero que saiba
  157. que faço exatamente o contrário
    de tudo o que me pede para fazer".
  158. (Risos)

  159. Sim, foi como: "Sim, Katelyn,
    desafio aceito. Tudo bem".

  160. (Risos)

  161. E mais uma prova de que dar ordens
    não levaria à vitória.

  162. Iniciei o processo dolorosamente lento
    de construir confiança
  163. e de provar a Katelyn
    que, antes de mais nada,
  164. eu me importava com ela
    como um ser humano completo.
  165. Parte de minha estratégia era falar
    de ginástica com Katelyn só na academia.
  166. Fora da academia,
    falávamos de outras coisas:
  167. escola, rapazes, famílias,
    amigos, passatempos.
  168. Eu a incentivei a encontrar
    coisas fora de seu esporte
  169. que a alegrassem.
  170. E foi muito legal
  171. ver Katelyn Ohashi, literalmente,
    florescer diante de nossos olhos.
  172. Desse modo,
  173. ela redescobriu seu amor-próprio
  174. e sua autoestima.
  175. Aos poucos, ela conseguiu
    trazer essa alegria
  176. de volta à sua ginástica.
  177. Ela ganhou o título da NCAA no solo
  178. e ajudou nossa equipe a vencer
    nosso sétimo campeonato da NCAA em 2018.
  179. Portanto...

  180. Obrigada.

  181. (Aplausos)

  182. Vamos pensar nas Katelyn Ohashis
    que nós conhecemos.

  183. Vamos pensar nas pessoas
    sob nossos cuidados e orientação.
  184. O que você diz a seus filhos
    no trajeto de volta para casa?
  185. Essa conversa tem muito mais impacto
    do que você imagina.
  186. Você se concentra no resultado final
  187. ou se anima em usar esse tempo
  188. para ajudar seu filho
    a se tornar um campeão?
  189. É muito simples:
  190. você saberá que se concentra
    no resultado final
  191. se faz perguntas sobre o resultado final.
  192. "Você venceu?"
  193. "Quantos pontos você marcou?"
  194. "Você tirou dez?"
  195. Se você realmente está motivado a ajudar
    seu filho a se tornar um campeão,
  196. fará perguntas sobre a experiência
  197. e o processo,
  198. como: "O que você aprendeu hoje?",
  199. "Você ajudou um companheiro de equipe?"
  200. E minha pergunta favorita:
  201. "Você descobriu como se divertir
    trabalhando bastante?"
  202. O segredo, então, é ficar bem quieto

  203. e ouvir a resposta deles.
  204. Acredito que um dos maiores presentes
    que podemos dar a outro ser humano
  205. é silenciar nossa mente
  206. da necessidade de estar certo
  207. ou de formular a resposta apropriada
  208. e ouvir de verdade
    quando outra pessoa está falando.
  209. Ao silenciar nossa mente,
  210. ouvimos nossos próprios
    medos e insuficiências,
  211. o que pode nos ajudar
    a formular nossa resposta
  212. com mais clareza e empatia.
  213. Kyla Ross, outra de nossas ginastas,

  214. é uma das maiores ginastas
    da história do esporte.
  215. Ela é a única atleta a obter
    as três maiores conquistas:
  216. é campeã nacional,
  217. campeã mundial
  218. e campeã olímpica.
  219. Ela também não gosta de bate-papo.
  220. Fiquei um pouco surpresa
    quando ela veio ao meu escritório,
  221. sentou-se no sofá
  222. e começou a falar,
  223. primeiro sobre seu curso,
  224. depois sobre a faculdade
  225. e depois sobre tudo
    o que parecia surgir na mente.
  226. Minha voz interior sussurrou para mim
  227. que ela queria me dizer algo
  228. e, se eu ficasse quieta
  229. e lhe desse tempo suficiente,
  230. isso viria à tona.
  231. E veio.
  232. Foi a primeira vez que Kyla
    compartilhou com alguém
  233. que havia sido abusada sexualmente
    por Larry Nassar,
  234. ex-médico da equipe de ginástica dos EUA,
  235. que mais tarde foi condenado
    por molestar crianças em série.
  236. Kyla se apresentou
  237. e juntou-se ao exército
    de sobreviventes de Nassar
  238. que compartilharam suas histórias
  239. e usaram suas vozes
  240. para invocar mudanças positivas
    para o nosso mundo.
  241. Senti que era extremamente
    importante, naquele momento,

  242. oferecer um espaço seguro
    para Kyla e nossa equipe.
  243. Assim, escolhi falar sobre isso
    em algumas reuniões de equipe.
  244. Mais tarde naquele ano,
    vencemos o campeonato nacional
  245. e, depois disso, Kyla veio até mim
    e compartilhou comigo o fato
  246. de sentir que uma das razões
    pelas quais vencemos
  247. foi porque havíamos enfrentado
    o elefante na sala,
  248. a tragédia que não apenas
    havia abalado o mundo,
  249. mas que havia libertado as verdades
    e as memórias em si mesma
  250. e em muitas de suas amigas e colegas.
  251. Como disse Kyla:
  252. "Senhora Val, eu me senti mais confiante
  253. à medida que a temporada continuava.
  254. Quando pisei no solo do campeonato,
    eu me senti invencível".
  255. Simplesmente...
  256. (Aplausos)

  257. Simplesmente porque ela havia sido ouvida.

  258. Como pais, como treinadores,

  259. como líderes,
  260. não podemos mais liderar de um lugar
  261. onde vencer é nossa única
    métrica de sucesso,
  262. onde nosso ego está no centro do palco,
  263. porque ficou provado
  264. que esse processo produz
    seres humanos destruídos.
  265. E sei que, sem dúvida alguma,
  266. é totalmente possível
  267. produzir e treinar campeões na vida,
  268. em toda caminhada da vida,
  269. sem comprometer o espírito humano.
  270. (Vivas) (Aplausos)

  271. Começa com a definição de sucesso

  272. para você e para os que estão
    sob seus cuidados
  273. e depois, de modo consistente,
  274. com a verificação do alinhamento
    de suas ações com seus objetivos.
  275. Somos todos treinadores em alguma função.

  276. Todos temos uma responsabilidade coletiva
  277. de formar campeões na vida
    para o nosso mundo.
  278. Esse é o verdadeiro sucesso
  279. e, no mundo dos esportes,
  280. é o que chamamos de ganha-ganha.
  281. Obrigada.

  282. (Aplausos)