YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese subtitles

← Sue Austin: Mergulho em alto mar… numa cadeira de rodas

Get Embed Code
34 Languages

Subtitles translated from English Showing Revision 7 created 02/28/2013 by Rita Maia.

  1. É maravilhoso estar aqui
  2. para falar sobre a minha jornada,
  3. falar sobre a cadeira de rodas
  4. e a liberdade que ela me trouxe.
  5. Eu comecei a usar a cadeira de rodas há 16 anos

  6. quando uma doença prolongada
  7. mudou o meu acesso ao mundo.
  8. Quando comecei a usar a cadeira de rodas,
  9. foi uma liberdade tremenda.
  10. Tinha visto a minha vida escapar-me
    e tornar-se restrita.
  11. Era como ter um enorme brinquedo novo.
  12. Podia girar por aí e sentir o vento no rosto de novo.
  13. Só o sair à rua já era arrebatador.
  14. Mas, apesar de ter encontrado
    esta nova alegria e liberdade,

  15. a reação das pessoas para comigo mudou totalmente.
  16. Foi como se não me conseguissem ver,
  17. como se um manto de invisibilidade me estivesse a cobrir.
  18. Eles pareciam ver-me de acordo com suas conceções
  19. do que deve ser estar numa cadeira de rodas.
  20. Quando eu perguntava às pessoas o que associavam à cadeira de rodas,
  21. eles usavam palavras como "limitação", "medo",
  22. "pena" e "restrição".
  23. Então entendi que tinha internalizado estas respostas
  24. e que isso mudou quem eu era a um nível mais essencial.
  25. Uma parte de mim havia se alienado de mim mesma.
  26. Eu não me estava a ver da minha perspetiva,
  27. mas vívida e continuamente da perspetiva
  28. das respostas de outras pessoas para mim.
  29. Assim, eu soube que precisava criar as minhas próprias histórias

  30. sobre esta experiência,
  31. novas narrativas para retomar a minha identidade.
  32. ["Encontrar a Liberdade: "Ao criarmos as nossas próprias histórias, aprendemos a levar os textos das nossas vidas tão a sério quanto levamos as narrativas 'oficiais' - Davis 2009, TEDx Women"]

  33. Eu comecei a fazer trabalhos

  34. com o objetivo de transmitir algo sobre
  35. a alegria e liberdade que sentia ao usar uma cadeira de rodas –
  36. uma cadeira poderosa – para superar o mundo.
  37. Eu estava a trabalhar para transformar estas respostas interiorizadas,
  38. para transformar os preconceitos que haviam moldado
  39. a minha identidade quando comecei a usar a cadeira de rodas,
  40. através da criação de imagens inesperadas.
  41. A cadeira de rodas tornou-se um objeto para pintar e brincar.
  42. Quando eu comecei literalmente a deixar
  43. traços da minha alegria e liberdade,
  44. era estimulante ver
  45. as respostas interessadas e surpresas das pessoas.
  46. Isso pareceu abrir novas perspetivas,
  47. e aí estava a mudança de paradigma.
  48. Isso mostrou que uma prática artística
  49. é capaz de refazer a identidade de uma pessoa
  50. e transformar preconceitos ao rever o que é familiar.
  51. Então, quando comecei a mergulhar, em 2005,

  52. compreendi que equipamentos de mergulho
    ampliam o nosso alcance de atividade
  53. da mesma forma que uma cadeira de rodas,
  54. mas as associações ligadas ao equipamento de mergulho
  55. são de entusiasmo e aventura,
  56. completamente diferentes das respostas das pessoas à cadeira de rodas.
  57. Então pensei: "O que será que aconteceria

  58. se colocasse as duas juntas?" (Risos) (Aplausos)
  59. E a cadeira de rodas submarina que resultou
  60. levou-me na viagem mais incrível
  61. dos últimos sete anos.
  62. Então, para vos dar uma ideia de como é,

  63. gostaria de partilhar convosco um dos resultados
  64. da criação desta exibição
  65. e mostrar-vos a viagem incrível em que embarquei.
  66. (Música)

  67. (Aplausos)

  68. É a experiência mais incrível,

  69. maior que a maioria das coisas
    que já experimentei na vida.
  70. Tenho literalmente a liberdade de me mover
  71. num espaço de 360 graus
  72. e uma experiência arrebatadora de alegria e liberdade.
  73. E o aspeto incrível e inesperado

  74. é que outras pessoas parecem ver e sentir isso também.
  75. Os seus olhos iluminam-se literalmente,
  76. e dizem coisas como: "Eu quero uma dessas"
  77. ou: "Se você pode fazer isso,
    eu posso fazer qualquer coisa".
  78. E eu fico a pensar, é porque naquele momento

  79. deles olharem para um objeto
  80. para o qual não têm referência,
  81. ou que transcende os parâmetros de referência
  82. que eles têm com a cadeira de rodas,
  83. têm que pensar de uma forma totalmente nova.
  84. E acho que esse momento de pensamento completamente novo
  85. talvez crie uma liberdade
  86. que se espalhe para o resto
    das vidas de outras pessoas.
  87. Para mim, isso significa que eles estão a ver
  88. o valor da diferença,
  89. a alegria que proporciona
  90. quando, ao invés de nos focarmos na perda ou na limitação,
  91. vemos e descobrimos o poder e a alegria
  92. de vermos o mundo de novas
    e empolgantes perspetivas.
  93. Para mim, a cadeira de rodas torna-se
  94. um veículo para transformação.
  95. Na verdade, eu chamo a cadeira
    de rodas submarina de "Portal",
  96. porque ela levou-me literalmente a
  97. uma nova forma de ser,
  98. a novas dimensões e a um novo nível de consciência.
  99. E outro aspeto é que,

  100. como ninguém viu ou ouviu falar
  101. de um cadeira de rodas submarina antes,
  102. e criar este espetáculo tem a ver com a criação
  103. de novas formas de ver, ser e saber,
  104. agora vocês têm este conceito nas vossas cabeças.
  105. Vocês também são parte da obra de arte.
  106. (Aplausos)