YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtitles

← Três passos para transformar encontros do dia a dia em reuniões transformadoras

Por que algumas reuniões são um sucesso e outras não? A escritora Priya Parker compartilha três passos simples para transformar festas, jantares, encontros e feriados em reuniões significativas e transformadoras.

Get Embed Code
20 Languages

Showing Revision 35 created 07/01/2019 by Raissa Mendes.

  1. Quando eu era criança,
  2. sexta-feira sim, sexta-feira não,
  3. eu saía da casa de minha mãe
    e de meu padrasto,
  4. uma família indo-britânica,
    ateia, budista,
  5. agnóstica, vegetariana,
    às vezes meio Nova Era.
  6. e democrata.
  7. Eu andava uns 2 km até a casa
    de meu pai e de minha madrasta
  8. e entrava em uma família branca,
    cristã evangélica,
  9. conservadora, republicana,
  10. que ia à igreja duas vezes por semana
  11. e que comia carne.
  12. Não é preciso um psiquiatra
  13. para explicar como acabei
    trabalhando com resolução de conflitos.
  14. (Risos)

  15. Quer facilitando diálogos
    em Charlottesville, Istambul ou Ahmedabad,

  16. o desafio era sempre o mesmo:
  17. apesar de todas as diferenças,
  18. e com integridade,
  19. como fazer as pessoas
    se conectarem de modo significativo,
  20. assumirem riscos,
  21. serem mudadas pela experiência delas?
  22. Eu testemunhava uma energia
    extraordinariamente bela nesses lugares.
  23. Depois eu saía desses lugares
  24. e participava de reuniões
    do dia a dia, como vocês:
  25. um casamento, uma conferência
    ou um piquenique de volta às aulas,
  26. e muitas fracassavam.
  27. Havia uma lacuna de sentido
  28. entre esses grupos de conflito
    de alta intensidade
  29. e minhas reuniões do dia a dia.
  30. Vocês podem dizer
    que uma festa de aniversário
  31. é bem diferente de um debate racial,
  32. mas não era a isso que eu estava reagindo.
  33. Como facilitador,
  34. ensinam a você a deixar tudo de lado
  35. e se concentrar na interação
    entre as pessoas,
  36. enquanto os anfitriões comuns
    se concentram em fazer as coisas direito:
  37. a comida, as flores, os talheres de peixe,
  38. e deixam a interação entre as pessoas,
    em grande parte, ao acaso.
  39. Comecei a me perguntar como poderíamos
    mudar nossas reuniões do dia a dia,

  40. de modo a nos concentrarmos
    em criar sentido pela conexão humana,
  41. sem obsessão por canapés.
  42. Saí e entrevistei dezenas
    de anfitriões corajosos e inusitados:
  43. um técnico de hóquei olímpico,
    um coreógrafo do Cirque du Soleil,
  44. um rabino, um monitor de acampamento,
  45. para entender melhor
  46. o que cria reuniões com sentido
    e até mesmo transformadoras.
  47. Quero compartilhar com vocês hoje
    um pouco do que aprendi
  48. sobre as novas regras de uma reunião.
  49. Quando a maioria das pessoas
    planeja uma reunião,

  50. começa com um formato pronto.
  51. Festa de aniversário?
  52. Bolo e velas.
  53. Reunião da diretoria?
  54. Uma mesa marrom, 12 homens brancos.
  55. (Risos)

  56. Presumindo que o objetivo seja óbvio,
    passamos muito rapidamente para a forma.

  57. Isso não apenas leva
    a reuniões tediosas e repetitivas,
  58. como também perde
    uma oportunidade mais profunda
  59. de atender nossas necessidades.
  60. O primeiro passo para criar
    reuniões do dia a dia mais significativas
  61. é adotar um objetivo
    específico e instigante.
  62. Uma grávida que conheço
    estava receosa com o chá de bebê dela.

  63. A ideia de brincar
    de "colocar a fralda no bebê"
  64. e abrir presentes parecia
    estranha e irrelevante.
  65. Ela parou para pensar:
  66. "Qual é o objetivo de um chá de bebê?
  67. Qual é a minha necessidade neste momento?"
  68. Ela percebeu que era lidar
    com os medos dela e do marido -
  69. lembram-se desse cara? -
  70. na transição para se tornar pais.
  71. Ela pediu a duas amigas para inventarem
    uma reunião baseada nisso.
  72. Assim, em uma tarde ensolarada,
    seis mulheres se reuniram.
  73. E, primeiro, para abordar
    o medo do parto, que a apavorava,
  74. elas lhe contaram histórias da vida dela
  75. para relembrá-la das qualidades
    que ela já tinha:
  76. coragem, encanto, fé, entrega,
  77. que acreditavam que a apoiariam
    e ajudariam no trabalho de parto.
  78. Enquanto falavam, fizeram um colar
    com uma conta para cada qualidade,
  79. que ela poderia usar
    no pescoço na sala de parto.
  80. Em seguida, o marido entrou,

  81. e o casal escreveu novos votos,
    como família, que foram lidos em voz alta,

  82. primeiro comprometendo-se
    a priorizar seu casamento
  83. durante a transição para serem pais,
  84. mas também futuros votos
    ao filho que estava por vir
  85. sobre o que queriam transmitir
    a ele, de ambas as linhagens,
  86. e o que terminaria com essa geração.
  87. Depois, vieram mais amigos,
    inclusive homens, para um jantar.
  88. Em vez de presentes, cada um deles
    levou uma lembrança preferida da infância
  89. para compartilhar com todos.
  90. Agora, vocês devem estar pensando
    que isso é muito para um chá de bebê,

  91. ou é um pouco estranho ou um pouco íntimo.
  92. Bom.
  93. É específico.
  94. É instigante.
  95. É específico para eles,
  96. assim como sua reunião
    deve ser específica para vocês.
  97. O próximo passo para criar
    reuniões do dia a dia mais significativas

  98. é causar uma boa controvérsia.
  99. Vocês devem ter aprendido, como eu,
  100. a nunca falar sobre sexo, política
    ou religião à mesa de jantar.
  101. É uma boa regra, pois preserva a harmonia.
  102. Pelo menos, essa é a intenção.
  103. Mas isso retira um ingrediente
    central do significado, que é o calor,
  104. a relevância apaixonada.
  105. As melhores reuniões aprendem
    a cultivar boas controvérsias,
  106. criando as condições para isso,
  107. porque as relações humanas
    são tão ameaçadas por uma paz doentia
  108. quanto por um conflito doentio.
  109. Já trabalhei numa empresa de arquitetura,
  110. que estava num momento crítico.
  111. Tinham que descobrir se queriam continuar
    a ser uma empresa de arquitetura
  112. e se concentrar na construção de edifícios
  113. ou mudar e se tornar
    algo novo, uma empresa de design,
  114. com o foco além da construção de espaços.
  115. Havia uma forte discordância na sala,
  116. mas não se percebia,
    pois ninguém falava abertamente.
  117. Então, decidimos por uma boa controvérsia.
  118. Depois de uma pausa para o almoço,
    todos os arquitetos voltaram,
  119. e promovemos uma espécie de luta livre.
  120. Eles entraram.
  121. Colocamos um arquiteto num canto,
    para representar a arquitetura,
  122. e outro para representar o design.
  123. Enrolamos toalhas brancas
    no pescoço deles,
  124. roubadas do banheiro, desculpem,
  125. tocamos o tema do filme "Rocky" num iPad
  126. e arrumamos um técnico
    de boxe para cada um,
  127. para assessorá-los e prepará-los
    com contra-argumentos.
  128. Basicamente, fizemos cada um apresentar
  129. o melhor argumento possível
    de cada visão futura.
  130. A norma da cortesia estava
    bloqueando o progresso deles.
  131. Então, fizemos com que todos os outros
  132. escolhessem fisicamente um lado
    na frente dos seus colegas.
  133. Como eles conseguiram mostrar
    onde se posicionaram,
  134. saíram do impasse.
  135. A arquitetura venceu.
  136. Deu certo.

  137. E o que dizer de um hipotético e tenso
    jantar de Dia de Ação de Graças?
  138. Alguém se habilita?
  139. (Risos)

  140. Primeiro, perguntem qual é o objetivo.

  141. Do que essa família precisa este ano?
  142. Se quiserem promover uma reunião calorosa,
  143. tentem por uma noite
    banir opiniões e pedir histórias.
  144. Escolham um tema relacionado
    ao conflito subjacente.
  145. Mas, em vez de opiniões,
  146. peçam a todos que compartilhem
    uma história de vida e experiência
  147. que ninguém na mesa já tenha ouvido,
  148. sobre diferença ou pertencimento
  149. ou uma ocasião em que
    tenham mudado de ideia,
  150. dando às pessoas acesso umas às outras
  151. sem incendiar a casa.
  152. Finalmente, para criar
    reuniões do dia a dia mais significativas,

  153. criem um mundo alternativo temporário
  154. por meio do uso de regras inesperadas.
  155. Há alguns anos, comecei a reparar

  156. que os convites vinham
    com um conjunto de regras.
  157. Meio chato ou controlador, não é mesmo?
  158. Errado.
  159. Nesta sociedade multicultural
    e interseccional,
  160. em que a maioria de nós
    é reunida e criada por pessoas
  161. com etiqueta diferente da nossa,
  162. quando não compartilhamos
    a mesma etiqueta,
  163. as normas implícitas são um problema,
  164. enquanto as regras incidentais
    nos permitem uma relação significativa.
  165. São constituições únicas
    para um objetivo específico.
  166. Um jantar em equipe,
  167. no qual gerações diferentes se reúnem
  168. e não compartilham as mesmas
    premissas sobre a etiqueta do celular:
  169. quem olhar para o celular primeiro
  170. paga a conta.
  171. (Risos)

  172. Experimentem isso.

  173. (Aplausos)

  174. Num círculo de conselhos
    de empresários que não se conhecem,

  175. em que os anfitriões não querem
  176. que todos só escutem
    o único capitalista de risco na sala,
  177. (Risos)

  178. sabendo rir,

  179. (Risos)

  180. não se pode revelar como ganha a vida.

  181. Num jantar de mães,

  182. em que quiserem derrubar as normas
  183. sobre o que as mulheres também mães
    falam quando se reúnem,
  184. se vocês falarem sobre seus filhos,
    terão que beber umas.
  185. (Risos)

  186. Isso é um jantar de verdade.

  187. As regras são poderosas,

  188. porque nos permitem temporariamente
    mudar e harmonizar nosso comportamento.
  189. Em sociedades diversificadas,
  190. as regras incidentais
    têm uma força especial.
  191. Elas permitem nos juntar,
    ultrapassando as diferenças,
  192. nos conectar,
  193. criar um sentido juntos
  194. sem precisarmos ser todos iguais.
  195. Quando eu era criança,

  196. naveguei pelos meus dois mundos
    tornando-me uma camaleoa.
  197. Se alguém espirrasse na casa de minha mãe,
  198. eu dizia: "Saúde",
  199. na casa do meu pai: "Deus te crie".
  200. Para me proteger,
    eu disfarçava o que pensava.
  201. como muitos de nós fazemos.
  202. Somente depois de crescer
    e trabalhar com conflitos
  203. é que comecei a parar de disfarçar.
  204. Percebi que as melhores reuniões para mim
  205. nos permitem estar entre os outros,
  206. sermos vistos pelo que somos
  207. e ver.
  208. A maneira como nos reunimos é importante,

  209. porque a maneira como nos reunimos
  210. é a maneira como vivemos.
  211. Obrigada.

  212. (Aplausos)