YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtitles

← Fatores de risco para a esquizofrenia - Introdução à Psicologia

Get Embed Code
13 Languages

Showing Revision 1 created 08/10/2019 by dayanahashim.

  1. Então nós vemos que quanto mais
    uma pessoa é relacionada a outra
  2. que sofre de esquizofrenia,
  3. maior a probabilidade de aquela pessoa
    também vir a sofrer do transtorno.
  4. Portanto sabemos que há um
    componente genético na esquizofrenia
  5. mas isso por si só não é suficiente.
  6. Deve haver algum tipo de experiência
    externa estressante
  7. que faz a pessoa sofrer.
  8. Estes dois elementos juntos é que são
    necessários e nos referimos a isso
  9. como o modelo estresse-diátese.
  10. Então, diátese significa a predisposição
    biológica
  11. e estresse significa
    algum tipo de evento externo.
  12. Estes dois elementos combinados
    são necessários.
  13. E isso, a propósito, se aplica a
    todo tipo de transtorno psicológico.
  14. Ansiedade, transtornos de personalidade,
    transtorno obsessivo-compulsivo.
  15. Então, vamos entender mais sobre
    alguns dos fatores de risco externos
  16. para a esquizofrenia.
  17. Um dos fatores de risco envolvidos
    no desenvolvimento da esquizofrenia
  18. é a infecção materna.
  19. Isso quer dizer que se uma
    mulher grávida é exposta a doenças
  20. ou infecções, o bebê, mais tarde,
    terá um risco maior
  21. de desenvolver esquizofrenia.
  22. Algumas destas doenças e infecções
    incluem coisas como herpes,
  23. gripe, rubéola e toxoplasmose.
  24. E a propósito, a toxoplasmose é encontrada
    em fezes de gatos, razão pela qual
  25. médicos sempre recomendam
  26. que mulheres grávidas fiquem longe
    de caixas de areia de gatos.
  27. Outros fatores de risco externos
    incluem estresse crônico
  28. e o consumo de certas drogas.
    De novo,
  29. por si só, estas coisas não causam
    ou mesmo aumentam a esquizofrenia.
  30. São estas coisas combinadas
    com uma predisposição genética
  31. que são necessárias.
  32. E novamente, é isso que se entende
    por modelo estresse-diátese.