Return to Video

Se os adultos não salvarem o mundo, nós salvamos

  • 0:01 - 0:03
    Querida avó,
  • 0:03 - 0:05
    Eu sei que já não vou a casa
    há algum tempo.
  • 0:05 - 0:08
    Tu estás na tua linda casa no México
  • 0:08 - 0:10
    e eu estou aqui nos EUA,
  • 0:10 - 0:12
    a lutar pelo nosso futuro.
  • 0:12 - 0:14
    Estás provavelmente a regar as rosas,
  • 0:14 - 0:16
    a cuidar dos pêssegos
  • 0:16 - 0:19
    e a assegurar-te que as tartarugas
    são alimentadas.
  • 0:19 - 0:22
    Essa é uma das coisas de que
    tenho mais saudades de casa:
  • 0:22 - 0:24
    estar com as flores
  • 0:24 - 0:27
    enquanto me contas histórias
    da tua infância.
  • 0:28 - 0:32
    Como sabes, nós estamos a viver
    em Nova Iorque desde 2015.
  • 0:32 - 0:36
    Mas a vida mudou totalmente
    no último ano.
  • 0:36 - 0:39
    No início, Nova Iorque era os museus,
  • 0:39 - 0:41
    os parques,
  • 0:41 - 0:43
    a escola e os amigos.
  • 0:43 - 0:45
    Agora serve como uma teia
  • 0:45 - 0:48
    que me une com todas as outras pessoas
  • 0:48 - 0:50
    que se estão a organizar
    para salvar o planeta.
  • 0:51 - 0:53
    Sabes como é que isso começou para mim?
  • 0:53 - 0:55
    Foi o pai e a sua sabedoria.
  • 0:56 - 0:59
    Tudo o que lhe ensinaste,
    ele foi ensinar ao mundo.
  • 1:00 - 1:01
    Todas as palavras dele
  • 1:01 - 1:04
    sobre a responsabilidade
    que temos como humanos
  • 1:04 - 1:07
    para viver em harmonia com a Natureza
  • 1:07 - 1:08
    passaram para mim.
  • 1:09 - 1:12
    Eu apercebi-me da desconexão
    universal com o nosso planeta
  • 1:12 - 1:15
    e lembrei-me do que tu
    uma vez me disseste:
  • 1:15 - 1:18
    "Deixa tudo melhor do que encontraste".
  • 1:19 - 1:22
    Eu sei que estavas a falar da loiça,
  • 1:22 - 1:25
    mas é claro que isso
    também se aplica ao planeta.
  • 1:25 - 1:27
    Inicialmente, eu não sabia o que fazer.
  • 1:27 - 1:29
    O mundo é tão grande
  • 1:29 - 1:31
    e tem hábitos tão maus.
  • 1:31 - 1:35
    Eu não sabia como é que uma rapariga
    de 15 anos pode mudar alguma coisa,
  • 1:35 - 1:37
    mas tinha de tentar.
  • 1:37 - 1:39
    Para pôr em prática esta filosofia,
  • 1:39 - 1:42
    juntei-me ao clube ambiental
    da minha escola secundária.
  • 1:42 - 1:47
    No entanto, notei que os meus colegas
    estavam a falar sobre a reciclagem
  • 1:47 - 1:49
    e a ver filmes sobre o oceano.
  • 1:49 - 1:51
    Era uma visão de ambientalismo
  • 1:51 - 1:56
    criada para uma forma
    de ativismo climático ineficaz,
  • 1:56 - 1:59
    um ativismo que culpa o consumidor
    pela crise climática
  • 1:59 - 2:02
    e proclama que as temperaturas
    estão a subir
  • 2:02 - 2:05
    porque nos esquecemos de levar
    um saco reutilizável para a loja.
  • 2:06 - 2:09
    Tu ensinaste-me que cuidar
    da Mãe Terra
  • 2:09 - 2:12
    tem a ver com cada decisão
    que fazemos como um coletivo.
  • 2:13 - 2:16
    Avó, fico feliz em te poder dizer
  • 2:16 - 2:18
    que eu mudei a mente
    de toda a gente naquele clube.
  • 2:18 - 2:21
    Em vez de falarmos sobre a reciclagem,
  • 2:21 - 2:24
    começámos a escrever cartas
    aos nossos políticos
  • 2:24 - 2:26
    para proibir todo o plástico flexível.
  • 2:26 - 2:30
    E depois, o inesperado aconteceu:
  • 2:30 - 2:33
    começámos a fazer greves da escola.
  • 2:34 - 2:36
    Eu sei que, provavelmente,
    viste isso nas notícias
  • 2:36 - 2:38
    e talvez já não seja assim tão especial.
  • 2:38 - 2:42
    Mas, na altura,
    foi muito importante, avó.
  • 2:42 - 2:46
    Imagina as crianças a faltarem à escola
    porque queremos salvar o mundo.
  • 2:46 - 2:49
    (Vídeo) É possível outro mundo!
    Somos imparáveis!
  • 2:49 - 2:51
    Xiye Bastida: Para a primeira
    greve climática global,
  • 2:51 - 2:53
    que foi convocada pela Greta Thunberg,
  • 2:53 - 2:57
    eu tive 600 dos meus colegas
    a caminhar ao meu lado.
  • 2:58 - 3:02
    A Greta Thunberg é uma adolescente
    responsável pela primeira greve climática.
  • 3:02 - 3:05
    A coragem dela inspirou-me
  • 3:05 - 3:08
    e fiquei espantada com a descoberta
  • 3:08 - 3:10
    de que os jovens podiam mudar
    a opinião pública
  • 3:10 - 3:12
    quanto a questões sociais.
  • 3:12 - 3:13
    O movimento explodiu.
  • 3:13 - 3:15
    (Vídeo) Fechem-no!
  • 3:15 - 3:17
    XB: E tornei-me uma
    das principais organizadoras
  • 3:17 - 3:19
    para Nova Iorque, os EUA e o mundo.
  • 3:19 - 3:22
    (Vídeo) -Quando é que o queremos?
    - Já!
  • 3:22 - 3:26
    XB: Eu comecei a falar sobre
    justiça climática e os direitos indígenas
  • 3:26 - 3:29
    e sobre cooperação intergeracional.
  • 3:29 - 3:31
    Mas isso foi apenas o início.
  • 3:31 - 3:33
    A semana mais frenética
    da minha vida
  • 3:33 - 3:37
    vai ser sempre a semana
    de 20 de setembro de 2019.
  • 3:37 - 3:43
    Eu e os meus amigos conseguimos
    300 000 pessoas na greve climática
  • 3:43 - 3:44
    em Nova Iorque.
  • 3:44 - 3:46
    Adorava que lá tivesses estado.
  • 3:46 - 3:49
    Passámos por Wall Street
    e exigimos justiça climática.
  • 3:49 - 3:50
    (Vídeo)
  • 3:50 - 3:51
    Deixem no chão
    o petróleo e o carvão!
  • 3:52 - 3:55
    Nesse mesmo mês, participei
    na Cimeira Climática das Nações Unidas
  • 3:55 - 3:58
    e falei num painel com o Al Gore.
  • 3:58 - 4:02
    Conheci o Jay Inslee e a Naomi Klein
    e o Bill McKibben
  • 4:02 - 4:04
    e a presidente das Nações Unidas.
  • 4:05 - 4:07
    Foi a semana mais fantástica
    da minha vida,
  • 4:07 - 4:10
    porque todos os que eu conhecia
    se juntaram:
  • 4:10 - 4:13
    todos os meus professores,
    todos os meus colegas.
  • 4:13 - 4:18
    Algumas das minhas lojas preferidas
    até fecharam para participar na greve.
  • 4:19 - 4:21
    Se me perguntasses
    porque é que tinha feito isso tudo,
  • 4:21 - 4:23
    a minha única resposta seria:
  • 4:23 - 4:25
    "Como poderia não o fazer?"
  • 4:26 - 4:29
    Passou-se um ano
    desde que tudo começou para mim
  • 4:29 - 4:32
    e, por vezes, torna-se cansativo.
  • 4:32 - 4:35
    Mas se há algo que me ensinaste,
    foi resiliência.
  • 4:36 - 4:39
    Eu lembro-me que foste para
    a Cidade do México todos os dias
  • 4:39 - 4:40
    durante 30 anos,
  • 4:40 - 4:42
    para ganhar dinheiro para a família.
  • 4:42 - 4:47
    E eu sei que o avô há 20 anos que sai
    para proteger os territórios sagrados
  • 4:47 - 4:50
    contra as empresas
    que se querem apoderar deles.
  • 4:50 - 4:52
    Um ano não é nada
  • 4:52 - 4:55
    comparado com os esforços
    que a nossa família tem feito.
  • 4:55 - 4:58
    E se os nossos esforços
    tornarem o mundo um lugar melhor,
  • 4:58 - 5:01
    também nos farão melhores pessoas.
  • 5:01 - 5:03
    Tem havido dificuldades, avó.
  • 5:03 - 5:05
    Pelo mundo fora,
  • 5:05 - 5:08
    as pessoas esperam que nós,
    as crianças, saibamos tudo
  • 5:08 - 5:10
    ou, pelo menos, querem isso.
  • 5:10 - 5:13
    Eles fazem perguntas e eu respondo,
  • 5:13 - 5:15
    como se eu realmente soubesse
    como o mundo funciona.
  • 5:15 - 5:18
    Eles querem esperança e nós damo-la.
  • 5:19 - 5:24
    Eu organizei, escrevi, discursei e li
    sobre o clima e política
  • 5:24 - 5:27
    quase todos os dias no último ano.
  • 5:27 - 5:29
    E estou um pouco preocupada
  • 5:29 - 5:32
    que não vou ser capaz
    de fazer o suficiente, avó.
  • 5:32 - 5:36
    Para mim, ter 18 anos
    e tentar salvar o mundo
  • 5:36 - 5:39
    significa ser uma ativista climática.
  • 5:39 - 5:41
    Antes, talvez tenha significado
    estudar para ser médica,
  • 5:41 - 5:44
    política ou investigadora.
  • 5:44 - 5:47
    Mas eu mal posso esperar para crescer
    e ser uma dessas coisas.
  • 5:48 - 5:49
    O planeta está em sofrimento
  • 5:49 - 5:52
    e já não temos o luxo do tempo.
  • 5:53 - 5:57
    Salvar o planeta, enquanto adolescente,
    significa ser boa com palavras,
  • 5:57 - 6:00
    compreender a ciência por detrás
    da crise climática,
  • 6:00 - 6:04
    trazer uma perspetiva singular
    para o assunto, para nos destacarmos,
  • 6:04 - 6:07
    e esquecer quase tudo o resto.
  • 6:07 - 6:10
    Mas, por vezes, eu quero preocupar-me
    com outras coisas de novo.
  • 6:10 - 6:14
    Eu quero poder cantar e dançar
    e fazer ginástica.
  • 6:14 - 6:18
    Eu estou convicta que, se todos
    cuidássemos da Terra
  • 6:18 - 6:19
    como um exercício,
  • 6:19 - 6:21
    como uma cultura,
  • 6:21 - 6:25
    nenhum de nós teria de ser
    um ativista climático a tempo inteiro.
  • 6:25 - 6:28
    Quando as empresas
    se tornarem sustentáveis,
  • 6:28 - 6:31
    quando a rede de energia for alimentada
    com energia renovável,
  • 6:31 - 6:34
    quando o currículo escolar nos ensinar
  • 6:34 - 6:37
    que cuidar da Terra
    é parte da nossa humanidade,
  • 6:38 - 6:41
    talvez eu possa fazer ginástica novamente.
  • 6:41 - 6:43
    Não achas, avó?
  • 6:43 - 6:45
    Nós podemos fazer isto.
  • 6:45 - 6:47
    Tudo o que eu estou a tentar fazer
  • 6:47 - 6:49
    é oferecer essa mentalidade otimista
    a outras pessoas.
  • 6:50 - 6:52
    Mas tem sido um bocado difícil.
  • 6:52 - 6:53
    Existe ganância,
  • 6:53 - 6:54
    existe orgulho,
  • 6:55 - 6:56
    existe dinheiro
  • 6:56 - 6:58
    e existe materialismo.
  • 6:58 - 7:01
    É muito fácil falar com as pessoas,
  • 7:01 - 7:04
    mas é muito difícil ensiná-las.
  • 7:05 - 7:08
    Eu quero que tenham confiança
    para fazerem sempre o seu melhor.
  • 7:08 - 7:11
    Eu quero que tenham
    o desejo e a coragem
  • 7:11 - 7:13
    para amar o mundo,
  • 7:13 - 7:15
    tal como tu me ensinaste.
  • 7:15 - 7:17
    Eu escrevi-te esta carta
    para te agradecer.
  • 7:17 - 7:20
    Obrigado por me convidares
    a amar o mundo
  • 7:20 - 7:22
    desde o momento que nasci.
  • 7:22 - 7:24
    Obrigado por te rires de tudo.
  • 7:24 - 7:26
    Obrigado por me ensinares
  • 7:26 - 7:30
    que a esperança e o otimismo são
    as ferramentas mais poderosas que temos
  • 7:30 - 7:32
    para enfrentar qualquer problema.
  • 7:32 - 7:35
    Eu faço isto porque tu me mostraste
  • 7:35 - 7:37
    que resiliência, amor e conhecimento
  • 7:37 - 7:39
    são suficientes para fazer a diferença.
  • 7:39 - 7:42
    Eu quero voltar ao México para te visitar.
  • 7:42 - 7:45
    Eu quero-te mostrar as fotografias
    das coisas que fiz.
  • 7:45 - 7:47
    Eu quero-te mostrar a legislação climática
  • 7:48 - 7:49
    que conseguimos fazer aprovar.
  • 7:49 - 7:51
    Eu quero cheirar as flores
  • 7:51 - 7:54
    e lutar pela justiça climática
    ao teu lado.
  • 7:54 - 7:55
    Te quiero mucho.
  • 7:55 - 7:57
    Amo-te.
  • 7:57 - 7:58
    Xiye.
  • 7:58 - 8:01
    [Amo-te. Xiye]
Title:
Se os adultos não salvarem o mundo, nós salvamos
Speaker:
Xiye Bastida
Description:

Numa carta muito comovente para a sua avó, Xiye Bastida reflete no que a levou a tornar-se uma voz proeminente no ativismo climático global — da mobilização de greves na escola em prol do clima até discursar na Cimeira das Nações Unidas sobre Alteração Climática ao lado de Greta Thunberg — e identifica a sua determinação, resiliência e amor profundo pela Terra nos valores que lhe foram passados. "Obrigada por me convidares a amar o mundo desde o momento que nasci", diz ela.

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Project:
TEDTalks
Duration:
08:37

Portuguese subtitles

Revisions