Return to Video

Se vocês, adultos, não salvarem o mundo, nós salvaremos!

  • 0:01 - 0:03
    Xiye Bastida: "Querida vovó,
  • 0:03 - 0:05
    sei que não vou para casa há algum tempo.
  • 0:05 - 0:08
    Você está em nossa linda casa no México,
  • 0:08 - 0:10
    e eu estou aqui, nos EUA,
  • 0:10 - 0:12
    lutando pelo nosso futuro.
  • 0:12 - 0:14
    Você provavelmente está regando as rosas,
  • 0:14 - 0:16
    cuidando dos pêssegos
  • 0:16 - 0:19
    e assegurando-se de que suas tartarugas
    estejam bem alimentadas.
  • 0:19 - 0:22
    Essa é uma das coisas
    de casa que eu mais sinto falta,
  • 0:22 - 0:24
    passar o tempo com as flores
  • 0:24 - 0:27
    enquanto você me conta histórias
    sobre a sua infância.
  • 0:28 - 0:32
    Como você sabe, moramos
    em Nova York desde 2015.
  • 0:32 - 0:36
    Mas a vida mudou completamente
    durante o ano passado.
  • 0:36 - 0:40
    No início, Nova York
    era a cidade dos museus,
  • 0:40 - 0:41
    parques,
  • 0:41 - 0:42
    da escola e dos amigos.
  • 0:43 - 0:45
    Agora, serve como uma rede
  • 0:45 - 0:48
    que me conecta com todas as pessoas
  • 0:48 - 0:50
    que estão se organizando
    para salvar o planeta.
  • 0:51 - 0:53
    Sabe como tudo começou para mim?
  • 0:53 - 0:55
    Foi com o papai e a sabedoria dele.
  • 0:56 - 1:00
    Tudo o que você o ensinou,
    ele ensinou ao mundo.
  • 1:00 - 1:04
    Todas as suas palavras sobre
    a responsabilidade que temos como humanos,
  • 1:04 - 1:07
    de viver em equilíbrio com a natureza
  • 1:07 - 1:08
    foram passadas para mim.
  • 1:09 - 1:12
    Percebi a desconexão universal
    com o nosso planeta,
  • 1:12 - 1:15
    e lembrei o que você me disse uma vez:
  • 1:15 - 1:18
    "Deixe tudo melhor do que você encontrou".
  • 1:19 - 1:22
    Sei que você estava falando sobre a louça,
  • 1:22 - 1:24
    mas é claro, isso também
    se aplica ao planeta.
  • 1:25 - 1:27
    Eu não sabia o que fazer primeiro.
  • 1:27 - 1:29
    O mundo é tão grande,
  • 1:29 - 1:31
    e tem tantos hábitos ruins.
  • 1:31 - 1:35
    Eu não sabia como alguém com 15 anos
    poderia mudar alguma coisa,
  • 1:35 - 1:36
    mas eu precisava tentar.
  • 1:37 - 1:39
    Para colocar essa filosofia em prática,
  • 1:39 - 1:42
    entrei para o clube ambiental
    na minha escola de ensino médio.
  • 1:42 - 1:47
    No entanto, percebi que meus colegas
    falavam sobre reciclagem
  • 1:47 - 1:49
    e assistiam a filmes sobre o oceano.
  • 1:49 - 1:51
    Era uma visão do ambientalismo
  • 1:51 - 1:56
    focado numa forma ineficaz
    de fazer ativismo climático,
  • 1:56 - 1:59
    uma que culpa o consumidor
    pela crise climática,
  • 1:59 - 2:02
    e que prega que o aumento da temperatura
  • 2:02 - 2:05
    é porque nos esquecemos de trazer
    uma sacola reutilizável para a loja.
  • 2:06 - 2:09
    Você me ensinou que cuidar da Mãe Terra
  • 2:09 - 2:12
    tem a ver com cada decisão
    que fazemos como um coletivo.
  • 2:13 - 2:15
    Fico feliz em dizer a você, vovó,
  • 2:15 - 2:18
    que mudei o modo de pensar
    de todos naquele clube.
  • 2:18 - 2:21
    Em vez de falar de reciclagem,
  • 2:21 - 2:24
    começamos a escrever cartas
    para nossos políticos
  • 2:24 - 2:26
    para proibir totalmente o plástico macio.
  • 2:26 - 2:29
    E então, o inesperado aconteceu:
  • 2:30 - 2:32
    começamos a fazer greve na escola.
  • 2:34 - 2:36
    Sei que você provavelmente
    tem visto nas notícias,
  • 2:36 - 2:38
    e talvez, não seja mais tão especial.
  • 2:38 - 2:42
    Mas na época, foi uma grande coisa, vovó.
  • 2:42 - 2:44
    Imagine as crianças não indo à escola,
  • 2:44 - 2:46
    porque querem que as pessoas
    salvem o mundo.
  • 2:46 - 2:49
    (Vídeo) Multidão: Outro mundo é possível!
    Ninguém pode nos deter!
  • 2:49 - 2:52
    XB: Para a primeira
    greve climática global,
  • 2:52 - 2:54
    que foi convocada por Greta Thunberg,
  • 2:54 - 2:58
    convenci 600 dos meus colegas
    a marchar comigo.
  • 2:58 - 3:02
    Greta Thunberg é uma adolescente
    que iniciou as greves pelo clima.
  • 3:02 - 3:05
    A ousadia dela me inspirou,
  • 3:05 - 3:08
    e fiquei surpresa com a constatação
  • 3:08 - 3:12
    de que a juventude poderia mudar
    a opinião pública sobre questões sociais.
  • 3:12 - 3:13
    O movimento explodiu.
  • 3:13 - 3:15
    (Vídeo) Multidão: Fechem!
  • 3:15 - 3:18
    XB: Eu me tornei uma das principais
    organizadoras para Nova York, os EUA
  • 3:18 - 3:20
    e o mundo.
  • 3:20 - 3:22
    (Vídeo) XB: O que queremos?
    Multidão: Justiça climática!
  • 3:22 - 3:26
    XB: Comecei a falar sobre
    justiça climática, direitos indígenas
  • 3:26 - 3:28
    e cooperação intergeracional.
  • 3:29 - 3:31
    Isso foi apenas o começo.
  • 3:31 - 3:33
    A semana mais ocupada da minha vida
  • 3:33 - 3:37
    será, para sempre, a semana
    de 20 de setembro de 2019.
  • 3:37 - 3:41
    Eu e meus amigos conseguimos
    que 300 mil pessoas
  • 3:41 - 3:44
    fizessem greve pelo clima em Nova York.
  • 3:44 - 3:45
    Gostaria que você pudesse ter estado lá.
  • 3:45 - 3:48
    Caminhamos por Wall Street
    exigindo justiça climática.
  • 3:48 - 3:51
    (Vídeo) Multidão: Chega
    de carvão, de petróleo!
  • 3:51 - 3:55
    XB: Nesse mesmo mês,
    fui à Cúpula do Clima da ONU.
  • 3:55 - 3:58
    Falei em um painel com Al Gore.
  • 3:58 - 4:04
    Conheci Jay Inslee, Naomi Klein,
    Bill McKibben e o presidente da ONU.
  • 4:05 - 4:07
    Foi a semana mais incrível da minha vida,
  • 4:07 - 4:10
    porque todos que eu conhecia, se uniram:
  • 4:10 - 4:13
    meus professores e os meus colegas.
  • 4:13 - 4:17
    Até mesmo algumas
    das minhas lojas favoritas
  • 4:17 - 4:19
    fecharam para greve pelo clima.
  • 4:19 - 4:21
    [Se tivesse me perguntado,
    porque fiz tudo isso,]
  • 4:21 - 4:23
    [minha única resposta seria:]
  • 4:23 - 4:26
    [Como poderia não fazer?]
  • 4:26 - 4:29
    Faz um ano desde que tudo começou pra mim,
  • 4:29 - 4:32
    e às vezes fica um pouco cansativo.
  • 4:32 - 4:36
    Se há algo que você
    me ensinou, foi resiliência.
  • 4:36 - 4:38
    Lembro que você foi à cidade do México
  • 4:38 - 4:40
    todos os dias, por 30 anos,
  • 4:40 - 4:42
    para conseguir dinheiro para a família.
  • 4:42 - 4:46
    E sei que o vovô tem saído há 20 anos
  • 4:46 - 4:50
    para proteger a terra sagrada
    que grandes empresas querem tomar.
  • 4:50 - 4:52
    Um ano não é nada,
  • 4:52 - 4:55
    em comparação com as lutas
    que nossa família tem enfrentado.
  • 4:55 - 4:58
    E se nossas lutas fazem
    do mundo um lugar melhor,
  • 4:58 - 5:01
    elas farão de nós pessoas melhores.
  • 5:01 - 5:03
    Temos tido algumas dificuldades, vovó.
  • 5:03 - 5:05
    Lá fora, no mundo,
  • 5:05 - 5:08
    as pessoas esperam que nós,
    jovens, saibamos tudo,
  • 5:08 - 5:10
    ou pelo menos assim querem.
  • 5:10 - 5:12
    Eles fazem perguntas e eu respondo,
  • 5:12 - 5:15
    como se eu realmente soubesse
    como o mundo funciona.
  • 5:15 - 5:18
    Eles querem esperança, e nós a damos.
  • 5:19 - 5:24
    Tenho organizado, escrito, falado,
    e lido sobre clima e política
  • 5:24 - 5:27
    quase todos os dias há um ano.
  • 5:27 - 5:29
    Mas estou um pouco preocupada
  • 5:29 - 5:32
    de que não conseguirei
    fazer o suficiente, vovó.
  • 5:32 - 5:36
    Para mim, ter 18 anos,
    e tentar salvar o mundo,
  • 5:36 - 5:39
    significa ser uma ativista do clima.
  • 5:39 - 5:41
    Antes, talvez significasse
    estudar para ser médica,
  • 5:41 - 5:44
    política ou pesquisadora.
  • 5:44 - 5:47
    Mas não posso esperar para crescer
    e me tornar uma dessas coisas.
  • 5:48 - 5:49
    O planeta está sofrendo,
  • 5:49 - 5:52
    e não temos mais o luxo do tempo.
  • 5:53 - 5:57
    Salvar o mundo como adolescente
    significa ser boa com as palavras,
  • 5:57 - 6:00
    entender a ciência
    por trás da crise climática,
  • 6:00 - 6:04
    trazer uma perspectiva única
    ao problema para se destacar
  • 6:04 - 6:07
    e esquecer quase todo o resto.
  • 6:07 - 6:10
    Mas, às vezes, quero voltar
    a me dedicar a outras coisas.
  • 6:10 - 6:14
    Quero poder cantar,
    dançar e fazer ginástica.
  • 6:14 - 6:18
    Eu realmente sinto que se todos
    nós cuidássemos da Terra
  • 6:18 - 6:19
    como prática,
  • 6:19 - 6:21
    como uma cultura,
  • 6:21 - 6:25
    nenhum de nós teria que ser
    ativista do clima em tempo integral.
  • 6:25 - 6:27
    Quando as empresas
    se tornarem sustentáveis,
  • 6:27 - 6:31
    quando a rede elétrica funcionar
    com energia renovável,
  • 6:31 - 6:34
    quando o currículo escolar nos ensinar
  • 6:34 - 6:37
    que cuidar da Terra faz parte
    da nossa humanidade,
  • 6:38 - 6:41
    talvez eu possa voltar a fazer ginástica.
  • 6:41 - 6:42
    Você não acha, vovó?
  • 6:43 - 6:44
    Nós podemos fazer isso.
  • 6:44 - 6:47
    Tudo o que estou tentando fazer
    com meu trabalho
  • 6:47 - 6:50
    é oferecer uma mentalidade
    otimista para outras pessoas.
  • 6:50 - 6:51
    Mas tem sido um pouco difícil.
  • 6:52 - 6:53
    Existe ganância,
  • 6:53 - 6:54
    existe orgulho,
  • 6:55 - 6:56
    há dinheiro,
  • 6:56 - 6:57
    e há materialismo.
  • 6:57 - 7:00
    As pessoas facilitam
    minha conversa com elas,
  • 7:01 - 7:04
    mas dificultam muito que eu as ensine.
  • 7:05 - 7:08
    Quero que elas tenham confiança
    para sempre fazer o melhor.
  • 7:08 - 7:11
    Quero que tenham o coração e a coragem
  • 7:11 - 7:12
    de amar o mundo,
  • 7:13 - 7:15
    assim como você me ensinou.
  • 7:15 - 7:17
    Escrevi esta carta para agradecer a você.
  • 7:17 - 7:20
    Obrigada por me convidar a amar o mundo
  • 7:20 - 7:21
    desde o momento em que nasci.
  • 7:22 - 7:24
    Obrigada por rir de tudo.
  • 7:24 - 7:25
    Obrigada por me ensinar
  • 7:25 - 7:27
    que esperança e otimismo
  • 7:27 - 7:30
    são as armas mais poderosas que temos
  • 7:30 - 7:31
    para enfrentar qualquer problema.
  • 7:32 - 7:35
    Faço este trabalho porque você me mostrou
  • 7:35 - 7:39
    que resiliência, amor e conhecimento
    são suficientes para fazer a diferença.
  • 7:39 - 7:42
    Quero voltar ao México e visitar você.
  • 7:42 - 7:45
    Quero mostrar a você
    as fotos das coisas que fiz.
  • 7:45 - 7:49
    Quero mostrar a legislação climática
    que conseguimos aprovar.
  • 7:49 - 7:51
    Quero sentir o cheiro das flores
  • 7:51 - 7:53
    e lutar por justiça climática ao seu lado.
  • 7:54 - 7:55
    Gosto muito de você.
  • 7:55 - 7:57
    Amo você.
  • 7:57 - 7:58
    Xiye."
  • 7:58 - 8:02
    [Amo muito você. Xiye]
Title:
Se vocês, adultos, não salvarem o mundo, nós salvaremos!
Speaker:
Xiye Bastida
Description:

Em uma carta comovente para sua avó, Xiye Bastida, reflete sobre o que a levou a se tornar uma das principais vozes do ativismo climático global, desde a mobilização de greves escolares até discursos na Cúpula do Clima das Nações Unidas, ao lado de Greta Thunberg. Ela esboça a sua determinação, resiliência e profundo amor pela Terra, aos valores que lhe foram transmitidos. “Obrigada por me convidar a amar o mundo desde o momento em que nasci”, diz ela.

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Project:
TEDTalks
Duration:
08:37

Portuguese, Brazilian subtitles

Revisions