Portuguese subtitles

← O grande negócio está vindo do Bronx novamente

Get Embed Code
28 Languages

Showing Revision 8 created 08/10/2020 by Margarida Ferreira.

  1. Chamo-me Jon Gray.
  2. Chamam-me "O Lava-Louças."
  3. Eu ajudei a fundar a Ghetto Gastro,
  4. uma cooperativa localizada no Bronx
  5. que trabalha na intersecção
    da comida, do "design" e da arte.
  6. Nós criámos experiências que questionam
    a perceção das pessoas do Bronx,
  7. o lugar a que chamo a minha casa.
  8. É uma coisa engraçada.

  9. Aterrei em Vancouver, há dias,
    quando vim de Paris.
  10. Conquistámos a Place Vendôme
    com a Cervejaria do Bronx.
  11. "Oui, oui, chérie".
  12. (Risos)

  13. É uma loucura porque, em Paris,
    têm uma expressão,

  14. "le Bronx,"
  15. que significa qualquer coisa que está
    em desordem ou é um problema.
  16. Aqui é a Place Vendôme.
  17. Nós fechámo-la uma vez.
  18. (Risos)

  19. Esta linguagem começou a ser usada
    quando o Bronx estava a arder,

  20. e filmes como "Os Selvagens da Noite"
    e "Fort Apache"
  21. ainda faziam impressão.
  22. Alguns podem discordar,
  23. mas eu acredito que o Bronx
    foi concebido para fracassar.
  24. O cacique era um figurão.
  25. Robert Moses, em vez de apartar
    o Mar Vermelho,
  26. dividiu o Bronx com uma autoestrada
    com seis faixas
  27. e isolou a minha comunidade.
  28. Os meus bisavós tinham
    uma casa em Featherbed Lane,
  29. e ao contrário do nome,
  30. não conseguiam ter
    uma boa noite de sono
  31. devido às constantes explosões
    e perfurações que eram necessárias
  32. para construir a autoestrada
    através do Bronx
  33. a um quarteirão de distância.
  34. Considero estas decisões políticas
  35. crimes de "design".
  36. (Aplausos)

  37. Sendo as pessoas resilientes que somos

  38. fora da opressão sistemática
  39. a cultura "hip-hop" surgiu dos escombros
    e das cinzas como uma fénix.

  40. O "hip-hop" agora é uma indústria
    de biliões de dólares,
  41. mas esta atividade económica
    não regressa ao Bronx
  42. nem a comunidades como ele.
  43. Voltemos a 1986.

  44. Nasci no auge da crise da SIDA,
  45. da epidemia do "crack"
  46. e da guerra às drogas.
  47. A única coisa que saiu da Reaganomics
    foi o ghettonomics:
  48. a dor, a prisão e a pobreza.
  49. Fui criado por mulheres negras
    brilhantes, lindas e fortes.

  50. Mesmo assim, o meu pai
    não ficou na foto,
  51. e não pude resistir ao fascínio da rua.
  52. Como Biggie disse:
  53. "Ou estás a vender "crack"
    ou és um ás do basquete."
  54. Não percebam mal,
    eu era bom jogador.
  55. (Risos)

  56. Jogava mesmo bem.

  57. (Aplausos)

  58. Mas quando fiz 15 anos
    comecei a vender erva,

  59. não acabei o secundário,
  60. o Conselho de Educação de Nova Iorque
    excluiu-me de tudo isso,
  61. mas formei-me em vender cocaína
    quando fiz 18 anos.
  62. Eu vivia bem.
  63. Isso até ser preso, ter um processo
    quando tinha 20 anos.
  64. Arriscava 10 anos.
  65. Paguei a fiança, inscrevi-me
    no Instituto da Moda,
  66. apliquei as aptidões
    que aprendera nas ruas
  67. para lançar a minha marca de moda.
  68. O meu advogado percebeu
    a minha ambição
  69. e sugeriu ao juiz que me desse
    uma pena suspensa.

  70. Pela primeira vez na vida,
    a suspensão era uma coisa boa.
  71. (Risos)

  72. Ao longo de dois anos
    e muitas idas ao tribunal,

  73. o meu caso foi arquivado.
  74. Os meus dois irmãos já tinham
    estado presos,
  75. por isso, escapar às garras
    do sistema penitenciário industrial
  76. não me parecia realista.
  77. Neste momento, um dos meus irmãos
    arrisca 20 anos de prisão.
  78. A minha mãe fazia todos os esforços
    para me levar a comer fora,
  79. para garantir que visitávamos museus
  80. e viajávamos para o estrangeiro,
  81. pondo-me em contacto
    com o máximo de cultura possível.
  82. Recordo que, quando era criança,

  83. sentava-me em cima da mesa de jantar
    e pedia comida para toda a gente.
  84. Partir o pão sempre me permitiu
    quebrar os padrões
  85. e relacionar-me com as pessoas.
  86. Eu e o meu amigo Les

  87. crescemos no mesmo quarteirão no Bronx,
  88. dois irmãos da rua.
  89. Ele veio a ser um "chef".
  90. Sempre discutimos a possibilidade
    de fazer algum negócio com comida
  91. para beneficio do nosso bairro.
  92. Les tinha acabado de ganhar
    o prémio no programa "Chopped"
  93. O nosso amigo Malcolm estava a preparar-se
    para dirigir uma cozinha em Noma,
  94. o melhor Noma do mundo, em Copenhaga.
  95. Vocês conhecem as vibrações.
  96. O meu parceiro P tinha acabado
    a formação na Itália,
  97. em Milão, para ser exato.
  98. Decidimos que o mundo precisava
    de um pouco de tempero Bronx,
  99. e então formámos a Ghetto Gastro.
  100. (Aplausos)

  101. Embora reconheça que o nosso nome
    deixa muitas pessoas desconfortáveis,

  102. para nós "gueto" significa casa .
  103. Semelhante à maneira que alguém
    em Mumbai ou Nairobi,
  104. talvez use a palavra "favela",
  105. para localizar o nosso povo
  106. e acusar os sistemas de negligência
    que criaram essas condições.
  107. (Aplausos)

  108. Então o que é a Ghetto Gastro?

  109. É um movimento e uma filosofia.
  110. Vemos o trabalho que fazemos
    como uma gastrodiplomacia,
  111. usando comida e elegância
  112. para abrir fronteiras e conectar culturas.
  113. O ano passado, em Tóquio,
  114. fizemos empadas das Caraíbas,
  115. fizemos carne de vaca à jamaicana,
  116. algas Shiokombu.
  117. Misturámos o clássico do Bronx
    com elementos japoneses.
  118. E para Kwanzaa,
  119. tivemos de prestar homenagem
    aos nossos porto-riquenhos,
  120. e fizemos um churrasco de coquitos
    com conhaque. Nem vos conto!
  121. (Risos)

  122. Este é o nosso o "waffle" Black Power,

  123. com um pouco de licor de ouro.
  124. Tenham cuidado não escorreguem
    nos respingos.
  125. (Risos)

  126. Aqui temos o velato 36 Brix
    à base de plantas.

  127. "Strawberry fields",
    vocês sabem como é.
  128. Melancia comprimida,
  129. sementes de manjericão,
  130. um pouco de morangos no topo.
  131. De volta à Bronx Brasserie,
  132. acertámos em cheio com este caviar
    em pão de milho.
  133. (Risos)

  134. ( Aplausos)

  135. Também praticamos diplomacia "durag".

  136. (Risos)

  137. Porque, não dizemos quem somos
    quando fazemos as nossas coisas.

  138. Graças ao nosso aspeto,
  139. frequentemente somos confundidos
    com "rappers" ou atletas.
  140. Aconteceu aqui, no ano passado no TED.
  141. Um tipo abordou-me
  142. e perguntou-me quando eu ia atuar.
  143. E agora?
  144. ( Aplausos)

  145. Vejam bem,

  146. estamos a trazer o Bronx para o mundo
  147. mas agora focamo-nos em trazer
    o mundo para o Bronx.
  148. Acabámos de abrir o nosso espaço,
  149. uma cozinha de ideias
  150. onde fazemos e concebemos
    os nossos produtos,
  151. criando conteúdos
  152. (Música)

  153. e promovemos eventos da comunidade.

  154. A intenção é construir
    um capital financeiro
  155. e um capital criativo no nosso bairro.
  156. Também estamos a colaborar
    com o conhecido "chef" Massimo Bottura

  157. num "refettorio" no Bronx.
  158. Um "refettorio" é uma cozinha de sopa
    e um centro comunitário bem projetado.
  159. Sintam as vibrações.
  160. (Aplausos)

  161. A recente manifestação de pesar
    pelo assassínio

  162. do "rapper" e empresário Nipsey Hussle
  163. deve-se ao facto de ele ter decidido
    permanecer e envolver-se num lugar
  164. em vez de deixar o seu bairro.
  165. Após a sua morte, muitos podem
    considerar tola essa decisão,
  166. mas eu tomo a mesma decisão
    todos os dias:
  167. viver no Bronx,
  168. criar no Bronx,
  169. e investir no Bronx.
  170. (Aplausos)

  171. Na Ghetto Gastro, não fugimos
    da palavra "gueto,"

  172. e não fugimos do "gueto".
  173. Porque, no fim do dia,
  174. a Ghetto Gastro vai mostrar-nos
    o que já sabemos:
  175. a vizinhança é boa.
  176. (Aplausos)

  177. Obrigado.

  178. (Aplausos)