Return to Video

Como ter conversas políticas melhores

  • 0:01 - 0:04
    Vocês provavelmente têm
    a opinião, que muitas pessoas têm,
  • 0:04 - 0:07
    de que a polarização está
    ficando pior em nosso país,
  • 0:08 - 0:11
    de que a divisão entre esquerda e direita
  • 0:11 - 0:15
    está pior do que nunca foi
    em qualquer tempo.
  • 0:15 - 0:20
    Mas você se pergunta se as pesquisas
    batem com a sua intuição.
  • 0:21 - 0:25
    Resumindo, a resposta infelizmente é sim.
  • 0:27 - 0:29
    Em seguidos estudos, descobrimos
  • 0:29 - 0:33
    que liberais e conservadores
    têm se distanciado.
  • 0:33 - 0:38
    Cada vez mais estão
    se isolando ideologicamente,
  • 0:38 - 0:42
    consumindo diferentes notícias, falando
    apenas com pessoas de posições semelhantes
  • 0:42 - 0:46
    e, cada vez mais, escolhendo viver
    em diferentes partes do país.
  • 0:47 - 0:50
    Acho que o mais alarmante de tudo isso
  • 0:50 - 0:54
    é ver o aumento
    da animosidade dos dois lados.
  • 0:54 - 0:56
    Liberais e conservadores,
  • 0:56 - 0:58
    democratas e republicanos,
  • 0:58 - 1:01
    cada vez mais não se gostam.
  • 1:02 - 1:04
    É possível ver isso de várias maneiras.
  • 1:04 - 1:08
    Eles não querem ser amigos.
    Eles não querem namorar uns com os outros.
  • 1:08 - 1:11
    Se isso acontecer, e descobrirem,
    acharão o outro menos atraente
  • 1:11 - 1:14
    e, cada vez mais, não querem
    que seus filhos se casem com alguém
  • 1:14 - 1:16
    que apoie o outro partido,
  • 1:16 - 1:18
    uma estatística chocante.
  • 1:20 - 1:22
    No meu laboratório,
    os estudantes com quem trabalho,
  • 1:22 - 1:26
    falávamos sobre
    esse tipo de padrão social.
  • 1:26 - 1:29
    Sou um fanático por filmes,
    então sempre me pergunto:
  • 1:30 - 1:32
    em que tipo de filme estamos
    que tenha esse padrão?
  • 1:33 - 1:36
    Em que tipo de filme estamos
    inseridos na polarização política?
  • 1:37 - 1:40
    Bem, pode ser um filme
    do estilo catástrofe.
  • 1:41 - 1:43
    De fato, parece uma catástrofe.
  • 1:43 - 1:45
    Pode ser um filme de guerra.
  • 1:46 - 1:47
    Também se encaixa.
  • 1:47 - 1:51
    Mas fico pensando que estamos
    num filme apocalíptico de zumbis.
  • 1:51 - 1:53
    (Risos)
  • 1:53 - 1:55
    Certo? Vocês conhecem esses filmes.
  • 1:55 - 1:58
    Há pessoas vagando em bandos,
  • 1:58 - 1:59
    que não pensam por si próprias,
  • 1:59 - 2:01
    capturadas por essa visão de massa
  • 2:01 - 2:04
    tentando espalhar suas doenças
    e destruir a sociedade.
  • 2:05 - 2:08
    E vocês provavelmente pensam, como eu,
  • 2:08 - 2:11
    que vocês são os mocinhos
    num filme apocalíptico de zumbis
  • 2:11 - 2:15
    e que todo esse ódio e polarização
    estão sendo espalhados pelos outros,
  • 2:15 - 2:17
    porque nós somos o Brad Pitt, certo?
  • 2:18 - 2:21
    Somos pessoas de pensamento livre, justas,
  • 2:21 - 2:23
    apenas tentando ser
    fiéis ao que nos é caro,
  • 2:23 - 2:27
    não como soldados de infantaria
    no exército dos mortos-vivos.
  • 2:27 - 2:28
    Isso não.
  • 2:28 - 2:29
    Isso nunca.
  • 2:30 - 2:32
    Mas é o seguinte:
  • 2:32 - 2:34
    em que filme vocês acham
    que eles pensam que estão?
  • 2:35 - 2:37
    Certo?
  • 2:37 - 2:39
    Bem, com certeza eles pensam
    que são os mocinhos
  • 2:39 - 2:41
    de um filme apocalíptico de zumbis.
  • 2:41 - 2:44
    E seria melhor você acreditar
    que eles pensam ser o Brad Pitt
  • 2:44 - 2:46
    e nós somos os zumbis.
  • 2:49 - 2:51
    E quem irá dizer que eles estão errados?
  • 2:52 - 2:56
    Penso que a verdade é
    que todos fazemos parte disso.
  • 2:56 - 2:59
    O lado bom disso é que podemos
    ser parte da solução.
  • 3:00 - 3:02
    Então, o que vamos fazer?
  • 3:03 - 3:08
    O que podemos fazer para sair
    da polarização na nossa vida cotidiana?
  • 3:08 - 3:11
    O que podemos fazer
    para nos conectar e nos comunicar
  • 3:11 - 3:13
    com os nossos adversários políticos?
  • 3:14 - 3:18
    Bem, essas foram as questões pelas quais
    meu amigo, Matt Feinberg, e eu
  • 3:18 - 3:20
    ficamos fascinados há alguns anos
  • 3:20 - 3:22
    e começamos a pesquisar sobre o assunto.
  • 3:23 - 3:26
    E uma das primeiras descobertas,
  • 3:26 - 3:29
    que acho realmente útil
    para o entendimento da polarização
  • 3:29 - 3:31
    é entender
  • 3:31 - 3:35
    que a divisão política no nosso país
    tem como base uma profunda divisão moral.
  • 3:35 - 3:40
    Uma das mais fortes descobertas
    na história da psicologia política
  • 3:40 - 3:44
    é este padrão identificado
    por Jon Haidt e Jesse Graham,
  • 3:44 - 3:45
    psicólogos,
  • 3:45 - 3:49
    que liberais e conservadores
    tendem a apoiar valores diferentes,
  • 3:49 - 3:50
    em diferentes níveis.
  • 3:51 - 3:56
    Por exemplo, vemos que os liberais
    tendem a apoiar valores como a igualdade,
  • 3:56 - 4:00
    justiça, cuidado e proteção contra danos
  • 4:00 - 4:02
    mais do que os conservadores.
  • 4:02 - 4:07
    E os conservadores tendem a apoiar
    valores como fidelidade, patriotismo,
  • 4:07 - 4:11
    respeito pelas autoridades e pureza moral
  • 4:11 - 4:13
    mais do que os liberais.
  • 4:14 - 4:18
    Matt e eu estávamos pensando
    que talvez essa divisão moral
  • 4:18 - 4:21
    seja útil para o entendimento
  • 4:21 - 4:24
    de como liberais e conservadores
    falam uns com os outros
  • 4:24 - 4:26
    e por que sempre parece
    um diálogo de surdos
  • 4:26 - 4:27
    quando conversam.
  • 4:27 - 4:29
    Então conduzimos um estudo
  • 4:29 - 4:32
    em que recrutamos
    liberais para um pesquisa
  • 4:32 - 4:35
    em que deveriam escrever
    um ensaio persuasivo
  • 4:35 - 4:39
    para um conservador em apoio ao casamento
    entre pessoas do mesmo sexo.
  • 4:40 - 4:43
    E o que descobrimos foi
    que os liberais tenderam a argumentar
  • 4:43 - 4:47
    em termos de valores morais liberais
    de igualdade e justiça.
  • 4:47 - 4:49
    Então disseram coisas como:
  • 4:49 - 4:52
    "Todos deveriam ter o direito
    de amar quem quer que escolham",
  • 4:52 - 4:55
    e: "Eles" - gays americanos -
  • 4:55 - 4:58
    "merecem os mesmos direitos
    como qualquer outro americano".
  • 4:58 - 5:02
    Em geral, descobrimos que 69% dos liberais
  • 5:02 - 5:07
    invocaram um dos valores morais
    mais liberais para concluir seus ensaios,
  • 5:07 - 5:11
    e apenas 9% invocaram um dos valores
    morais mais conservadores,
  • 5:11 - 5:14
    mesmo que supostamente estivessem
    tentando persuadir os conservadores.
  • 5:14 - 5:18
    Ao estudarmos os conservadores e pedirmos
    para construírem argumentos persuasivos
  • 5:19 - 5:21
    em favor de tornar o inglês
    a língua oficial dos EUA,
  • 5:21 - 5:24
    a clássica posição política conservadora,
  • 5:24 - 5:26
    descobrimos que eles não eram
    muito melhores nisso:
  • 5:26 - 5:28
    59% deles construíram argumentos
  • 5:28 - 5:31
    em termos de valores
    morais mais conservadores,
  • 5:31 - 5:33
    e apenas 8% invocaram
    valores morais liberais,
  • 5:33 - 5:36
    embora o objetivo deles fosse
    convencer os liberais.
  • 5:37 - 5:42
    Vocês podem ver claramente
    que temos problemas, certo?
  • 5:42 - 5:46
    Os valores morais das pessoas
    são as suas crenças mais profundas.
  • 5:46 - 5:49
    Elas estão dispostas a lutar
    e morrer por esses valores.
  • 5:50 - 5:52
    Por que iriam renunciá-los
    apenas para concordar com você
  • 5:52 - 5:56
    sobre algo com que particularmente
    não querem concordar de forma alguma?
  • 5:56 - 5:59
    Se o argumento convincente
    que você faz para o seu tio republicano
  • 5:59 - 6:02
    exige que não apenas
    ele tem de mudar sua posição,
  • 6:02 - 6:04
    mas também seus valores essenciais,
  • 6:04 - 6:05
    não vai funcionar.
  • 6:06 - 6:07
    Então o que seria melhor?
  • 6:08 - 6:12
    Bem, acreditamos que é uma técnica
    que chamamos de reforma moral,
  • 6:13 - 6:15
    e estudamos isso em vários experimentos.
  • 6:15 - 6:17
    Em um desses experimentos,
  • 6:17 - 6:20
    recrutamos liberais
    e conservadores para um estudo
  • 6:20 - 6:22
    em que eles liam um de três ensaios
  • 6:22 - 6:25
    antes de terem suas atitudes
    ambientalistas pesquisadas.
  • 6:26 - 6:27
    E o primeiro desses ensaios,
  • 6:27 - 6:31
    era relativamente convencional
    a favor do ambientalismo,
  • 6:31 - 6:35
    invocava valores liberais de cuidado
    e proteção contra danos.
  • 6:35 - 6:37
    Eram ditas coisas como:
    "Nós estamos, de muitas formas,
  • 6:37 - 6:40
    causando danos reais
    aos lugares em que vivemos",
  • 6:40 - 6:43
    e: "É essencial que caminhemos
  • 6:43 - 6:46
    para prevenir que mais destruição
    seja feita na Terra".
  • 6:47 - 6:49
    Outro grupo de participantes
  • 6:49 - 6:51
    foi designado para ler
    um ensaio bem diferente
  • 6:51 - 6:55
    que foi concebido para explorar
    o valor conservador da pureza moral.
  • 6:56 - 6:58
    Era também a favor do ambientalismo
  • 6:58 - 7:00
    e dizia coisas como:
  • 7:00 - 7:04
    "Manter nossas florestas, água potável
    e céus limpos é de vital importância".
  • 7:05 - 7:06
    "Devemos considerar a poluição
  • 7:07 - 7:09
    dos lugares em que vivemos
    como repulsiva".
  • 7:09 - 7:12
    E: "Reduzir a poluição pode
    nos ajudar a preservar
  • 7:12 - 7:14
    o que é puro e belo
    nos lugares onde vivemos".
  • 7:16 - 7:17
    Tínhamos um terceiro grupo
  • 7:17 - 7:20
    designado para ler
    apenas um ensaio não político.
  • 7:20 - 7:23
    Era apenas um grupo de comparação
    para nos basearmos.
  • 7:23 - 7:25
    E o que vimos ao entrevistar as pessoas,
  • 7:25 - 7:26
    sobre suas atitudes ambientalistas,
  • 7:27 - 7:30
    foi que, para os liberais,
    não importava qual ensaio eles leram.
  • 7:30 - 7:33
    Eles tendiam a ter atitudes altamente
    a favor do ambientalismo.
  • 7:33 - 7:35
    Os liberais apoiam proteção ambiental.
  • 7:35 - 7:37
    Os conservadores, porém,
  • 7:37 - 7:41
    apoiavam de forma mais significativa
    as políticas ambientais progressivas
  • 7:41 - 7:43
    e de proteção ambiental
  • 7:43 - 7:45
    se tivessem lido o ensaio da pureza moral
  • 7:45 - 7:47
    do que se lessem
    um dos outros dois ensaios.
  • 7:48 - 7:51
    Ainda vimos que os conservadores
    que leram o ensaio da pureza moral
  • 7:51 - 7:55
    foram muito mais propensos a dizer
    que acreditavam no aquecimento global
  • 7:55 - 7:57
    e estavam preocupados com isso,
  • 7:57 - 7:59
    mesmo que esse ensaio
    nem mencionasse aquecimento global.
  • 7:59 - 8:02
    É só uma questão ambiental correlacionada.
  • 8:02 - 8:05
    Mas isso mostra quão forte
    é o efeito de redefinição moral.
  • 8:06 - 8:10
    E estudamos isso em toda extensão
    de diferentes questões políticas.
  • 8:10 - 8:13
    Então se você quer
    sensibilizar conservadores
  • 8:13 - 8:17
    sobre o casamento entre pessoas do mesmo
    sexo ou seguro nacional de saúde,
  • 8:17 - 8:20
    ajuda ligar as questões políticas liberais
    aos valores conservadores,
  • 8:20 - 8:23
    como patriotismo e pureza moral.
  • 8:24 - 8:26
    E estudamos isso também do outro lado.
  • 8:26 - 8:30
    Se você quer sensibilizar liberais
    para a direita nas políticas conservadoras
  • 8:30 - 8:34
    como gastos militares ou fazer do inglês
    a língua oficial dos EUA,
  • 8:34 - 8:36
    terá mais poder de persuasão
  • 8:36 - 8:39
    se ligar as políticas conservadoras
    aos valores morais liberais,
  • 8:39 - 8:41
    como igualdade e justiça.
  • 8:43 - 8:45
    Todos esses estudos têm
    a mesma mensagem clara:
  • 8:46 - 8:48
    se você quer convencer alguém
    sobre alguma política,
  • 8:48 - 8:52
    vale conectar tal política
    à base de valores morais deles.
  • 8:54 - 8:56
    E quando você diz isso dessa forma
  • 8:56 - 8:57
    parece realmente óbvio. Certo?
  • 8:57 - 8:59
    Como: por que viemos aqui esta noite?
  • 8:59 - 9:00
    Por que...
  • 9:00 - 9:02
    (Risos)
  • 9:02 - 9:04
    É incrivelmente intuitivo.
  • 9:05 - 9:09
    E mesmo assim, é algo que temos
    dificuldade em fazer.
  • 9:09 - 9:13
    Sabem, acontece que quando tentamos
    convencer alguém de uma questão política,
  • 9:13 - 9:15
    falamos como se estivéssemos
    falando dentro de um espelho.
  • 9:15 - 9:20
    Não convencemos muito enquanto
    ensaiamos nossas próprias razões,
  • 9:20 - 9:23
    por que acreditamos
    em certas posições políticas.
  • 9:23 - 9:28
    Continuamos a dizer quando estamos
    predispostos a reformar argumentos morais:
  • 9:28 - 9:30
    "Empatia e respeito, empatia e respeito".
  • 9:31 - 9:33
    Se você consegue alcançar isso,
  • 9:33 - 9:34
    você consegue se conectar
  • 9:34 - 9:37
    e poderá ter capacidade
    de convencer alguém nesse país.
  • 9:38 - 9:40
    Então, repensando
  • 9:40 - 9:42
    em que tipo de filme estamos,
  • 9:43 - 9:45
    talvez eu tenha exagerado antes.
  • 9:45 - 9:47
    Talvez não seja um filme de zumbis.
  • 9:48 - 9:49
    Talvez um filme de amigos policiais.
  • 9:50 - 9:52
    (Risos)
  • 9:52 - 9:54
    Apenas pensem nisso, por favor.
  • 9:54 - 9:56
    (Risos)
  • 9:56 - 9:59
    Vocês conhecem: um policial
    branco e um policial negro,
  • 9:59 - 10:01
    talvez um atrapalhado e um organizado.
  • 10:01 - 10:03
    O que quer que seja, eles não se dão bem
  • 10:03 - 10:05
    porque eles são diferentes.
  • 10:06 - 10:09
    Mas no final, quando eles têm
    de se unir e cooperar mutuamente,
  • 10:09 - 10:11
    a solidariedade que sentem
  • 10:11 - 10:14
    é maior por causa daquele abismo
    que eles tiveram de transpor, certo?
  • 10:15 - 10:17
    E lembrem que, nesses filmes,
  • 10:17 - 10:20
    a segunda parte é geralmente pior
  • 10:20 - 10:23
    quando nossas posições
    estão mais separadas que antes.
  • 10:23 - 10:26
    E talvez seja assim
    que estamos nesse país,
  • 10:26 - 10:28
    no final da segunda
    parte de um filme policial...
  • 10:28 - 10:31
    (Risos)
  • 10:31 - 10:34
    despedaçados, porém prestes a se juntar.
  • 10:35 - 10:37
    Isso parece legal,
  • 10:37 - 10:39
    mas se quisermos que isso aconteça,
  • 10:39 - 10:42
    acho que a responsabilidade
    começará por nós.
  • 10:43 - 10:45
    Então, esta é a minha mensagem para vocês:
  • 10:45 - 10:47
    vamos reconstruir este país juntos.
  • 10:49 - 10:52
    Vamos fazê-lo, apesar dos políticos
  • 10:52 - 10:55
    e da mídia e Facebook e Twitter
  • 10:55 - 10:57
    e da divisão do Congresso
  • 10:57 - 10:59
    e tudo o mais, tudo que nos divide.
  • 11:00 - 11:03
    Vamos fazer isso porque é o certo.
  • 11:04 - 11:08
    E façamos isso porque esse ódio e desprezo
  • 11:08 - 11:11
    que flui por nós todos os dias,
  • 11:11 - 11:15
    nos torna feios e nos corrompe
  • 11:15 - 11:18
    e ameaça a estrutura da nossa sociedade.
  • 11:20 - 11:23
    Devemos isso uns aos outros
    e ao nosso país,
  • 11:23 - 11:25
    estender a mão e tentar nos conectar.
  • 11:26 - 11:29
    Não podemos mais nos permitir odiá-los,
  • 11:30 - 11:33
    e também não podemos
    permitir que eles nos odeiem.
  • 11:34 - 11:35
    Empatia e respeito.
  • 11:36 - 11:37
    Empatia e respeito.
  • 11:38 - 11:42
    Se pararmos pra pensar, é o mínimo
    que devemos aos nossos amigos cidadãos.
  • 11:42 - 11:44
    Obrigado.
  • 11:44 - 11:46
    (Aplausos)
Title:
Como ter conversas políticas melhores
Speaker:
Robb Willer
Description:

Robb Willer estuda as forças que nos unem e nos dividem. Como psicólogo social, ele pesquisa como os valores morais, tipicamente uma fonte de divisão, podem também ser usados para juntar as pessoas. Willer compartilha atraentes pensamentos de como podemos diminuir a divisão ideológica e oferecer dicas intuitivos nas formas de sermos mais persuasivos enquanto falamos sobre política.

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Project:
TEDTalks
Duration:
12:01

Portuguese, Brazilian subtitles

Revisions