YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtitles

← Como os vistos para trabalhadores convidados poderiam transformar o sistema de imigração dos EUA

Get Embed Code
19 Languages

Showing Revision 27 created 02/05/2020 by Maricene Crus.

  1. Por volta de outubro de 2018,
  2. Juan Carlos Rivera não podia mais
    se dar ao luxo de viver em sua casa
  3. em Copan, Honduras.
  4. Como o "Dallas Morning News" informou,
  5. uma gangue estava pegando
    10% dos ganhos da barbearia dele.
  6. A esposa dele foi assaltada a caminho
    do pré-jardim de infância, onde trabalha.
  7. E estavam preocupados com a segurança
    da filha pequena deles.
  8. O que eles podiam fazer?
  9. Fugir?
  10. Procurar refúgio em outro país?
  11. Eles não queriam fazer isso.
  12. Só queriam viver no país
    deles com segurança.
  13. Mas suas opções eram limitadas.

  14. Então, naquele mês,
  15. Juan Carlos levou sua família
    para um lugar mais seguro
  16. enquanto entrava para um grupo
    de imigrantes na jornada longa e arriscada
  17. da América Central para um emprego,
  18. que um membro da família disse
    estar aberto para ele nos EUA.
  19. Mas agora estamos todos familiarizados
    com o que os esperava

  20. na fronteira EUA-México.
  21. As penalidades cada vez mais severas
    dada àqueles que cruzam as fronteiras.
  22. As acusações criminais
    por entrar ilegalmente.
  23. A detenção desumana.
  24. E, pior ainda, a separação das famílias.
  25. Estou aqui para dizer
    que isso não só é errado,

  26. como é desnecessário.
  27. Essa crença de que a única maneira
    de manter a ordem
  28. é com a crueldade
  29. está incorreta.
  30. E, na verdade, é o contrário.
  31. Apenas um sistema humanitário
    criará organização na fronteira.
  32. Quando viagens seguras, tranquilas
    e lícitas para os EUA forem possíveis,
  33. poucas pessoas escolherão
    viajar correndo risco,
  34. de forma irregular ou ilegal.
  35. Agora, entendo que a ideia
  36. de que a imigração legal
    resolveria a crise na fronteira
  37. possa soar um pouco fantasiosa.
  38. Mas aqui está a boa notícia:
  39. fizemos isso antes.
  40. Trabalhei na imigração por anos,

  41. no Cato Institute,
  42. e em outros gabinetes estratégicos
    em Washington, DC,
  43. e como assessor sênior de política
    para um membro republicano do Congresso,
  44. negociando a reforma
    bipartidária da imigração.
  45. E vi em primeira mão
  46. como os EUA implementaram um sistema
    humanamente organizado na fronteira
  47. do México.
  48. É chamado de programa
    de trabalhadores convidados.
  49. E aqui está uma notícia ainda melhor:
  50. podemos replicar esse sucesso
    na América Central.
  51. É claro que algumas pessoas

  52. ainda precisarão procurar
    refúgio na fronteira.
  53. Mas para entender como isso seria bom
  54. para imigrantes como Juan Carlos,
  55. entender que até recentemente,
  56. quase todos os imigrantes presos
    pela patrulha da fronteira eram mexicanos.
  57. Em 1986,

  58. cada patrulheiro da fronteira
    prendeu 510 mexicanos.
  59. Bem mais do que um por dia.
  60. Por volta de 2019, foram apenas 8.
  61. Isso é um a cada 43 dias.
  62. É uma redução de 98%.
  63. Então, para onde foram todos os mexicanos?
  64. A mudança mais significativa

  65. foi quando os EUA passaram a emitir
  66. centenas de milhares de vistos
    de trabalho para mexicanos,
  67. para que eles possam entrar legalmente.
  68. José Vásquez Cabrera estava
    entre os primeiros mexicanos
  69. para aproveitar a expansão do visto.
  70. Ele disse ao "The New York Times"
    que antes de receber seu visto,
  71. ele tinha atravessado a fronteira
    ilegalmente algumas vezes,
  72. enfrentando o calor quase mortal
    e a paisagem traiçoeira.
  73. Uma vez, uma cobra matou
    um membro do seu grupo.
  74. Milhares de outros mexicanos
    não conseguiram cruzar a fronteira;
  75. morreram de desidratação nos desertos
    ou se afogaram no Rio Grande.
  76. Outros milhares foram
    perseguidos e presos.
  77. Os vistos de trabalhador convidado estão
    quase acabando com o caos desumano.
  78. Como Vásquez Cabrera disse:
  79. "Não preciso mais arriscar minha vida
  80. para ajudar minha família.
  81. E quando estou aqui,
    não preciso viver me escondendo".
  82. Os vistos de trabalhador convidado
    reduziram o número de travessias ilegais

  83. mais do que o número de vistos emitidos.
  84. Jose Bacilio, outro trabalhador
    mexicano explicou o porquê
  85. para o "Washington Post" em abril.
  86. Disse que, embora não tenha
    recebido o visto neste ano,
  87. ele não arriscaria todas
    as suas chances futuras
  88. atravessando a fronteira ilegalmente.
  89. Isso provavelmente ajuda a explicar
    por que de 1996 a 2019
  90. para cada trabalhador mexicano
    admitido legalmente,
  91. houve uma queda de duas detenções
    por entrada ilegal.
  92. É verdade que esses trabalhadores
    fazem trabalhos realmente difíceis:

  93. colhem frutas, limpam caranguejos,
  94. cuidam da paisagem em um calor de 37° C.
  95. E alguns críticos ainda dizem
    que vistos de trabalhador convidado
  96. não são humanitários
  97. e que os trabalhadores
    são apenas escravos abusados.
  98. Mas Vásquez Cabrera achou que o visto
    de trabalhador convidado era libertador,
  99. e não escravizador.
  100. E ele, assim como quase todos
    os outros trabalhadores convidados,
  101. preferiu o caminho legal
    ao ilegal, repetidas vezes.
  102. A expansão do visto de trabalhador
    convidado aos mexicanos
  103. tem estado entre as mudanças
    humanitárias mais significativas
  104. da política de imigração dos EUA.
  105. E essa mudança humanitária
  106. impôs a ordem sobre o caos.
  107. Então, como ficam centro-americanos,

  108. como o Juan Carlos?
  109. Bem, os centro-americanos receberam
  110. apenas 3% dos vistos de trabalhador
    convidado emitidos em 2019,
  111. mesmo com sua parcela de prisões
    na fronteira tendo crescido para 74%.
  112. Os EUA emitiram apenas um visto
    para centro-americanos
  113. a cada 78 pessoas que cruzaram
    a fronteira ilegalmente em 2019.
  114. Então, se eles não conseguem
    seus documentos no país deles,
  115. muitos tentam a chance
  116. vindo pelo México para buscar refúgio
    na fronteira ou cruzando ilegalmente,
  117. apesar de, como Juan Carlos,
    eles preferirem vir para trabalhar.
  118. Os EUA podem fazer melhor.

  119. Eles precisam criar novos vistos
    de trabalhador convidado
  120. especificamente para centro-americanos.
  121. Isso criaria um incentivo
    para os negócios nos EUA
  122. para procurar e contratar
    centro-americanos,
  123. pagar o voo deles para os EUA
  124. e tirá-los da imigração ilegal
    e perigosa para o norte.
  125. Centro-americanos poderiam ter
    vidas prósperas no país deles,
  126. sem precisar procurar
    refúgio na fronteira
  127. ou cruzá-la ilegalmente,
  128. liberando um sistema sobrecarregado.
  129. Algumas pessoas podem dizer

  130. que deixar os trabalhadores
    irem e voltarem
  131. nunca funcionará na América Central,
  132. onde a violência é muito alta.
  133. Mas, novamente, isso funcionou no México,
  134. apesar de a taxa de homicídio por lá
    ter mais que triplicado na última década,
  135. para um nível muito maior
    do que em boa parte da América Central.
  136. E isso funcionaria para Juan Carlos,
  137. que disse que, apesar das ameaças,
  138. ele só quer viver nos EUA temporariamente,
  139. para conseguir dinheiro suficiente
  140. para sustentar sua família
    em sua nova casa.
  141. Ele até sugeriu que um programa
    para trabalhador convidado
  142. seria uma das melhores coisas
    para ajudar hondurenhos como ele.
  143. Cintia, uma hondurenha de 29 anos,
    que cria os três filhos sozinha,

  144. parece concordar.
  145. Ela disse ao "Wall Street Journal"
    que veio para ter um emprego
  146. para cuidar dos filhos e da mãe dela.
  147. Pesquisas sobre os centro-americanos,
    que viajam pelo território mexicano,
  148. feitas pelo College of the Northern
    Border no México,
  149. confirmam que Juan e Cintia são a norma.
  150. Nem todos, mas a maioria,
    vem em busca de empregos,
  151. apesar de, como o Riveras,
  152. eles poderem passar por algumas
    ameaças reais em casa.
  153. Será que um emprego
    com salário baixo ajudaria muito

  154. um hondurenho, como Juan ou Cintia?
  155. Hondurenhos como eles conseguem
    ganhar em um mês nos Estados Unidos
  156. o mesmo que ganhariam em um ano
    inteiro trabalhando em Honduras.
  157. Alguns anos de trabalho nos Estados Unidos
  158. podem mover um centro-americano
    para a classe média alta,
  159. que pode oferecer maior segurança.
  160. Não falta aos centro-americanos
    o desejo de trabalhar,

  161. nem o desejo de contribuir
    para a economia dos EUA
  162. ou de contribuir para a vida
    dos norte-americanos.
  163. O que falta a eles é
    uma alternativa legal ao refúgio.
  164. Para poder fazer isso legalmente.
  165. É claro que um novo programa
    de trabalhador convidado

  166. não resolverá 100%
    desse fenômeno complexo.
  167. Muitos que buscam refúgio
    ainda precisarão procurar proteção
  168. na fronteira dos EUA.
  169. Mas com os fluxos reduzidos,
  170. fica mais fácil encontrar meios de lidar
    com eles de modo mais humano.
  171. Mas ultimamente,
  172. nenhuma política provou fazer mais
  173. para criar um sistema de imigração humano
  174. e organizado
  175. do que deixar os trabalhadores
    entrarem legalmente.
  176. Obrigado.

  177. (Aplausos)