YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtitles

← Por que os governos devem priorizar o bem-estar

Get Embed Code
30 Languages

Showing Revision 20 created 09/27/2019 by Elena Crescia.

  1. A pouco mais de 1,5 km daqui,
    na Cidade Velha de Edimburgo,

  2. fica a Panmure House.
  3. A Panmure House
  4. era a residência do economista escocês
    mundialmente famoso
  5. Adam Smith.
  6. Em sua importante obra
    "A Riqueza das Nações",
  7. Adam Smith argumentou,
    entre muitas outras coisas,
  8. que o indicador da riqueza de um país
  9. não eram apenas suas reservas
    de ouro e prata.
  10. Era a totalidade da produção
    e do comércio do país.
  11. Suponho que tenha sido uma das primeiras
    descrições do que hoje conhecemos
  12. como produto interno bruto, PIB.
  13. Nos anos seguintes, é claro,

  14. esse indicador de produção
    e comércio, o PIB,
  15. tornou-se cada vez mais importante,
  16. a tal ponto que hoje,
  17. e não acredito que essa tenha sido
    a intenção de Adam Smith,
  18. é visto frequentemente
    como o indicador mais importante
  19. do sucesso total de um país.
  20. Minha argumentação hoje
    é que é hora de mudar isso.
  21. O que escolhemos para determinar
    a grandeza de um país é importante.

  22. É realmente importante,
    porque direciona o enfoque político
  23. e impulsiona a atividade pública.
  24. Nesse contexto,
  25. creio que as limitações do PIB
    como indicador de sucesso de um país
  26. sejam óbvias demais.
  27. O PIB avalia o resultado
    de todo o nosso trabalho,
  28. mas não fala nada a respeito
    da natureza desse trabalho,
  29. se é válido ou gratificante.
  30. Atribui um valor, por exemplo,
    ao consumo de drogas ilegais,
  31. mas não à assistência médica gratuita.
  32. Valoriza a atividade a curto prazo
  33. que impulsiona a economia,
  34. mesmo que essa atividade
    seja extremamente prejudicial
  35. à sustentabilidade
    de nosso planeta a longo prazo.
  36. Refletimos sobre a década passada

  37. de crises políticas e econômicas,
  38. de desigualdades crescentes,
  39. e, quando olhamos adiante
    para os desafios da emergência climática,
  40. a automação crescente,
  41. o envelhecimento da população,
  42. creio que o argumento a favor
    de uma definição muito mais ampla
  43. do que significa ser bem-sucedido
    como país, como sociedade,
  44. seja cada vez mais convincente.
  45. Foi por isso que a Escócia, em 2018,

  46. assumiu a liderança, tomou a iniciativa
    de fundar uma nova rede
  47. chamada Wellbeing Economy Governments,
  48. que reúne, como membros fundadores,
  49. Escócia, Islândia e Nova Zelândia.
  50. Por razões óbvias, às vezes,
    somos chamados de países do SIN,
  51. embora muito de nosso enfoque
    seja o bem comum.
  52. O objetivo desse grupo
    é desafiar o enfoque
  53. a respeito da avaliação limitada do PIB,
  54. para dizer que, sim,
    o crescimento econômico importa,
  55. é importante,
  56. mas não é tudo o que importa.
  57. Não devemos buscar o crescimento do PIB
    a todo ou a qualquer custo.
  58. De fato, o argumento desse grupo
  59. é que o objetivo da política econômica
  60. deve ser o bem-estar coletivo:
  61. o quanto uma população é feliz e saudável
  62. e não apenas o quanto é rica.
  63. Vou abordar as implicações
    políticas disso em um momento,

  64. mas acho que, particularmente,
    no mundo em que vivemos hoje,
  65. isso tem um significado mais profundo.
  66. Quando nos concentramos no bem-estar,
  67. iniciamos uma conversa
  68. que estimula perguntas
    profundas e fundamentais.
  69. "O que realmente importa
    para nós em nossa vida?"
  70. "O que valorizamos
    nas comunidades em que vivemos?"
  71. "Que tipo de país e de sociedade
  72. queremos ser realmente?"
  73. Quando envolvemos pessoas
    nessas perguntas,
  74. para encontrar as respostas,
  75. acredito que temos uma chance muito maior
  76. de enfocar a alienação
    e o descontentamento com a política,
  77. tão predominantes em muitos países
  78. em todo o mundo desenvolvido de hoje.
  79. Em termos de políticas, essa jornada
    para a Escócia começou em 2007,

  80. quando publicamos o que chamamos
    de National Performance Framework,
  81. que analisa a série de indicadores
    pelos quais nos avaliamos.
  82. Esses indicadores são tão variados
    quanto a desigualdade de renda,
  83. a felicidade das crianças,
  84. o acesso a áreas verdes e à moradia.
  85. Nenhum deles é representado
    nas estatísticas do PIB,
  86. mas todos são fundamentais
    para uma sociedade saudável e feliz.
  87. (Aplausos)

  88. Essa abordagem mais ampla está no centro
    de nossa estratégia econômica,

  89. na qual atribuímos a mesma importância
    ao combate à desigualdade
  90. do que à competitividade econômica.
  91. Isso conduz nosso compromisso
    com o trabalho justo,
  92. garantindo que seja gratificante
    e bem-remunerado.
  93. Está por trás de nossa decisão
    de fundar a Just Transition Commission
  94. para guiar nosso caminho
    para uma economia de zero carbono.
  95. Sabemos das transformações
    econômicas do passado
  96. que, se não formos cuidadosos,
    haverá mais perdedores do que ganhadores.
  97. Quando enfrentamos os desafios
    da mudança climática e da automação,
  98. não devemos cometer esses erros novamente.
  99. Creio que nosso trabalho
    na Escócia seja significativo,

  100. mas temos muito a aprender
    com outros países.
  101. Mencionei, há pouco,
    nossas nações parceiras
  102. da rede Wellbeing:
  103. Islândia e Nova Zelândia.
  104. Vale a pena notar, e vou deixar
    que vocês decidam se é relevante ou não,
  105. o fato de que todos esses três países
    são governados atualmente por mulheres.
  106. (Aplausos) (Vivas)

  107. Elas também estão fazendo
    um ótimo trabalho.

  108. A Nova Zelândia, em 2019,
    publicou seu primeiro Wellbeing Budget,
  109. com a saúde mental em sua essência;
  110. A Islândia dá o exemplo
    para igualdade de remuneração,
  111. direitos de guarda e paternidade,
  112. não em políticas
    que pensamos imediatamente
  113. quando falamos em criar uma economia rica,
  114. mas as políticas fundamentais
    para uma economia saudável
  115. e uma sociedade feliz.
  116. Comecei com Adam Smith
    e "A Riqueza das Nações".

  117. Em sua obra anterior,
    "A Teoria dos Sentimentos Morais",
  118. que considero igualmente importante,
  119. Adam Smith fez a observação
    de que o valor de qualquer governo
  120. é julgado proporcionalmente
    ao grau que torna o povo feliz.
  121. Considero que seja um bom princípio básico
  122. para qualquer grupo de países
    concentrados na promoção do bem-estar.
  123. Nenhum de nós tem todas as respostas,
  124. nem mesmo a Escócia,
    onde Adam Smith nasceu.
  125. Mas, no mundo em que vivemos hoje,
    com crescentes divisões e desigualdades,
  126. com descontentamento e alienação,
  127. é mais importante do que nunca
  128. que perguntemos e encontremos
    as respostas para essas questões
  129. e promovamos uma visão de sociedade
  130. que tenha bem-estar, não apenas riqueza,
    em sua própria essência.
  131. (Aplausos)

  132. Estamos agora mesmo
    na linda e ensolarada capital...

  133. (Risos)

  134. do país que conduziu o mundo
    ao Iluminismo,

  135. do país que ajudou a levar o mundo
    à era industrial,
  136. do país que agora está ajudando
    a levar o mundo à era do baixo carbono.
  137. Quero, e estou determinada,
    que a Escócia também seja o país
  138. que ajude a mudar o enfoque
    de países e governos em todo o mundo
  139. para colocar o bem-estar na essência
    de tudo o que fazemos.
  140. Acho que devemos isso a esta geração.
  141. Certamente acredito que devemos isso
  142. à próxima geração e a todas aquelas
    que virão depois de nós.
  143. Se fizermos isso, liderados aqui,
    no país do Iluminismo,
  144. acho que criaremos uma sociedade melhor,
    mais saudável, mais justa
  145. e mais feliz aqui em casa.
  146. Fazemos nossa parte na Escócia
  147. na construção de um mundo
    mais justo e também mais feliz.
  148. Muito obrigada.

  149. (Aplausos) (Vivas)