YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtitles

← Setting Up Your Workspace on Mac - How to Use Git and GitHub

Get Embed Code
5 Languages

Showing Revision 9 created 06/20/2016 by Udacity Robot.

  1. Agora, vou mostrar
    o processo de configuração de
  2. seu espaço de trabalho no Mac.
  3. E o processo no Linux é semelhante.
  4. Também há instruções por escrito
    nas Notas do instrutor.
  5. Se você está usando o Windows,
    as instruções estão no vídeo anterior.
  6. Primeiro, vou baixar
    dois arquivos que são necessários para
  7. a configuração que acabei de mostrar;
    um para habilitar a conclusão de guia
  8. e outro para habilitar os recursos especiais
    do Git no prompt.
  9. Então, vou para a página da Web
    com o primeiro arquivo;
  10. você encontra o link para esse
    arquivo nas Notas do instrutor.
  11. Depois, clico com o botão direito em qualquer lugar
    da página e seleciono Save As.
  12. Vou salvar o arquivo no
    meu diretório Downloads.
  13. Agora quero assegurar que
    a opção Hide extension esteja desmarcada,
  14. de forma que possa ver o nome exato
    que o arquivo terá.
  15. Por padrão,
    ele sugere Redirecting.txt.
  16. Mas quero alterar esse nome
    para git-completion.bash;
  17. depois, eu salvo o arquivo.
  18. Agora, quero mover o arquivo
    para meu diretório raiz,
  19. o que vou fazer usando o Terminal.
  20. Quando abro o Terminal pela primeira vez,
    inicio em meu diretório raiz,
  21. ou posso digitar cd ~
    para chegar a ele, se necessário.
  22. Vou usar o comando mv,
    que quer dizer mover,
  23. para mover o arquivo que acabei de
    salvar para meu diretório raiz.
  24. O primeiro argumento é
    o arquivo que quero mover,
  25. que está no meu diretório Downloads,
    e se chama git-completion.bash.txt.
  26. Quero movê-lo para o diretório atual,
    mantendo o mesmo nome.
  27. Em seguida, seguirei o mesmo processo
    para salvar o segundo arquivo, vinculado às
  28. Notas do instrutor como git-prompt.sh.
  29. Depois vou criar
    um arquivo chamado .bash_profile,
  30. que contém a configuração
    para o Terminal.
  31. Eu recomendo o uso do arquivo de configuração
    que usei ao filmar o curso.
  32. Para fazer isso, você pode baixar o arquivo
    bash_profile_course na
  33. seção de downloads.
  34. Em seguida, use o Terminal para mover
    este arquivo para seu diretório raiz.
  35. Chame-o de .bash_profile e
    não se esqueça do ponto no início.
  36. Se você já tem um .bash_profile,
    não execute este comando;
  37. em vez disso você pode copiar e
  38. colar o conteúdo deste arquivo
    no .bash_profile existente.
  39. Se você está executando o Linux,
  40. talvez seja necessário nomear esse arquivo como
    .bashrc, em vez de .bash_profile.
  41. Ainda não vejo as alterações feitas em meu prompt,
    isso ocorre porque preciso
  42. fechar e reabrir o Terminal
    para que as alterações tenham efeito.
  43. Vou fazer isso
    no final do vídeo.
  44. Caso você esteja curioso sobre
    o que há neste .bash_profile
  45. ou queira escolher apenas
  46. as linhas de seu interesse,
    vou dizer o que cada linha faz.
  47. Mas não se preocupe se você não
    entende como cada linha funciona.
  48. Até mesmo programadores experientes em Unix
    copiam e colam esse tipo de
  49. coisa de seus amigos com frequência,
    em vez de escrevê-lo do zero.
  50. A primeira linha carrega um dos
    arquivos que você baixou antes e
  51. habilita a conclusão de guia.
  52. Estas linhas definem algumas cores
    que serão usadas no seu prompt.
  53. Esta linha carrega o outro
    arquivo que você baixou antes.
  54. E é necessária para que
  55. as coisas relacionadas ao git,
    como IDs de commit, apareçam em seu prompt.
  56. Esta linha é o que garante que
    o asterisco apareça no prompt
  57. se você fizer alterações
    em um repositório git.
  58. E esta linha realmente
    define como será o prompt.
  59. O prompt mostrará
    seu nome de usuário em roxo,
  60. o commit do qual você fez check-out
    ou outros itens relacionados ao git em verde.
  61. E o diretório no qual você está
    seguido de um cifrão em azul.
  62. Todo o texto que vem depois disso
    será exibido na cor padrão.
  63. Se você estiver curioso para saber mais
    sobre como os prompts funcionam no bash,
  64. confira o link nas Notas do instrutor,
    mas não é necessário fazer isso
  65. para o restante do curso.
  66. Em seguida, é importante garantir
    que você possa iniciar seu
  67. editor de texto favorito a partir do
  68. Terminal, de forma que possa defini-lo
    como editor padrão no git.
  69. Vou mostrar como fazer isso para o Sublime.
  70. Se você está usando outro editor de texto,
  71. recomendo procurar no Google para descobrir
    como usá-lo a partir do Terminal.
  72. Eu posso iniciar o Sublime de dentro do
    Terminal executando este longo comando.
  73. Este é o local onde o Sublime
    está armazenado em meu computador,
  74. mas eu gostaria de ter um atalho.
  75. Para criar um, vou usar o Sublime para
    adicionar uma linha ao meu .bash_profile.
  76. Normalmente, os arquivos com um ponto
    no início do nome não aparecem nos
  77. exploradores do sistema de arquivos.
  78. Por isso, vou ter problemas para abrir
    meu .bash_profile com o Sublime.
  79. Para corrigir isso, vou usar o truque
    de mover meu .bash_profile
  80. para um arquivo sem um ponto
    no início do nome.
  81. Depois, para abrir o arquivo no Sublime,
    primeiro navego até meu diretório raiz,
  82. o que posso fazer pressionando Cmd+Shift+H.
  83. Então, seleciono
    o arquivo bash_profile.
  84. Vou adicionar esta linha a ele para
    fazer o comando subl corresponder
  85. ao mesmo comando que você
    me viu inserir antes.
  86. Você poderá copiar e colar
  87. esta linha das Notas do instrutor,
    se estiver usando o Sublime.
  88. Agora vou salvar o arquivo e
  89. mudar seu nome novamente usando o Terminal
    para que haja um ponto no início do nome.
  90. Se eu não fizer isso,
  91. o .bash_profile não terá
    efeito quando eu abrir o Terminal.
  92. Novamente, este comando não funcionará
    até que eu reinicie o Terminal.
  93. Agora, vou configurar o git para
    usar o Sublime como meu editor de
  94. coisas como mensagens de commit.
  95. Para fazer isso, vou executar git config
    --global core.editor e,
  96. aqui, preciso inserir, entre aspas duplas,
    o comando para abrir meu editor de texto.
  97. Para o Sublime, é subl -n -w.
  98. Onde -n abrirá o
    Sublime em uma nova janela,
  99. e -w aguardará até você fechar
    seu arquivo para continuar.
  100. Se você usar outro editor,
  101. precisará modificar esta parte do
    comando para usar o editor desejado.
  102. Veja as Notas do instrutor
    para obter mais detalhes.
  103. Em seguida, vou executar
    estes dois comandos git config,
  104. que serão úteis
    mais adiante neste curso.
  105. Copie e cole
  106. esses comandos das
    Notas do instrutor e execute-os.
  107. Por fim, vou fechar e reabrir
    o Terminal.
  108. Agora, posso ver que meu prompt mudou,
    tornando-se mais colorido.
  109. Se quiser ver meu perfil
    bash usando o Sublime,
  110. posso executar subl .bash_profile.
  111. Lembre-se de fechar e
    reabrir o Terminal quando terminar, ou
  112. suas alterações não terão efeito.