YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtitles

← Como os micróbios intestinais com os quais nascemos afetam nossa saúde ao longo da vida

Get Embed Code
29 Languages

Showing Revision 20 created 01/11/2020 by Leonardo Silva.

  1. Sei que pode ser fácil pensar
    que os micróbios são ruins,
  2. especialmente para bebês,
  3. mas pesquisas, de fato,
    provaram o contrário.
  4. A verdade pode ser um pouco mais complexa,
  5. mas, na verdade,
    é muito mais interessante.
  6. Parece que precisamos que os micróbios
    sejam programados para uma boa saúde,
  7. mas não apenas quaisquer micróbios.
  8. Precisamos da combinação certa.
  9. Temos melhor êxito
  10. com os pequenos corpos microbianos
    com os quais nos adaptamos
  11. para coexistir durante a evolução.
  12. Acho que não ficarão surpresos em saber
    que começamos a obter a combinação certa
  13. logo no nascimento.
  14. Pelo menos, alguns de nós.
  15. Bebês nascidos por cesariana
    e bebês nascidos por parto natural

  16. são diferentes quando se trata
    do início da vida microbiana.
  17. Após o nascimento, há inúmeros eventos
    e circunstâncias da infância diferentes
  18. que modulam ainda mais o desenvolvimento
    da microbiota intestinal,
  19. como a medicação que pode ser prescrita
    para o bebê ou para a mãe,
  20. a quantidade de animais de estimação
    e de irmãos na família,
  21. bem como o nível de higiene em casa
  22. e, nesse caso, é, na verdade, melhor
  23. se ela não estiver perfeitamente
    limpa o tempo todo.
  24. E também a nutrição,
    tanto para mães quanto para bebês.
  25. Todos esses eventos e circunstâncias
    desempenham um papel importantíssimo
  26. no desenvolvimento microbiano intestinal,
  27. que tem um impacto enorme na saúde
    ao longo da vida desse bebê.
  28. Não estou discutindo aqui
    pequenas implicações para a saúde,

  29. mas sim o que realmente importa.
  30. Os micróbios que adquirimos ou não
  31. afetam nossa probabilidade de desenvolver
    doenças como obesidade, diabetes
  32. e até alguns tipos de câncer.
  33. Como não podemos ter influência
    sobre muitos eventos que acabei de listar,

  34. eles são inevitáveis.
  35. Por exemplo, a cesariana,
    inventada para salvar vidas -
  36. e ela faz isso diariamente -
  37. e a maioria das medicações,
    prescritas por um motivo válido,
  38. principalmente para bebês,
    e assim por diante.
  39. É por isso que precisamos aprender
    a proteger a saúde desses bebês
  40. após a ocorrência
    desses eventos da infância
  41. que podem atrapalhar o desenvolvimento
    da microbiota intestinal.
  42. Eu trabalho como pesquisadora

  43. e líder técnica de uma plataforma
    de saúde infantil,
  44. e a pergunta para a qual tento achar
    uma resposta todo dia no trabalho,
  45. a mesma que pretendo
    responder nesta palestra,
  46. é como podemos garantir
  47. que todos os bebês tenham a mesma chance
    de saúde ao longo da vida,
  48. independentemente de como nasçam
    ou de quais eventos da infância enfrentem.
  49. Parece uma causa nobre, não é mesmo?
  50. Ótimo, vamos descobrir isso.
  51. Para começar,

  52. lembram-se de como eu disse que precisamos
    da combinação certa de micróbios?
  53. Para acertar essa combinação,
  54. precisamos receber os micróbios
    que habitam nosso corpo
  55. em uma determinada ordem.
  56. Vocês podem pensar nisso
    como uma marcha de colonização.
  57. Os primeiros micróbios
    que habitam o corpo primeiro
  58. mudam o ambiente no intestino da criança
  59. para que os micróbios seguintes
    consigam entrar,
  60. como os primeiros invasores
  61. que entram primeiro
    e formam a infraestrutura
  62. para os outros colonizadores
    se estabelecerem.
  63. Se bebês nascem por cesariana,

  64. essa fase inicial da colonização
    é bastante alterada,
  65. porque, em vez de bactérias
    vaginais, fecais e cutâneas da mãe,
  66. apenas as cutâneas, principalmente,
    entram no intestino do bebê.
  67. Isso ajusta essa marcha de colonização
    para um tom completamente distinto,
  68. só porque é diferente daquilo
    a que nos adaptamos durante a evolução,
  69. o que pode causar mais tarde
  70. algumas desvantagens para a saúde
    dos bebês nascidos por cesariana.
  71. Podemos considerar como exemplo
    o desenvolvimento de peso.
  72. Já foi demonstrado, em vários estudos,
  73. que a composição da microbiota intestinal
    está associada ao peso,
  74. bem como à probabilidade
    de desenvolver doenças
  75. como diabetes ou doenças cardiovasculares.
  76. Mas agora existem algumas indicações
  77. de que, já na infância, podemos ver,
  78. a partir de uma amostra fecal de um bebê,
  79. alguns micróbios ausentes
  80. de indivíduos que, mais tarde,
    ficarão obesos ou acima do peso.
  81. Também foi demonstrado
    que esses mesmos micróbios
  82. podem estar ausentes
    em bebês nascidos por cesariana
  83. ou predispostos a cargas pesadas
    de antibióticos na infância.
  84. Para encerrar esse ciclo,
  85. algumas pesquisas também mostraram
  86. que bebês nascidos por cesariana
  87. ou que tomaram muitos
    antibióticos na infância
  88. têm maior probabilidade de ficarem obesos
    ou acima do peso, mesmo em 50%,
  89. o que é muito.
  90. Sei que vocês devem estar pensando agora:

  91. "Ah, não! Acabei de fazer uma cesariana",
    "Nasci por cesariana"
  92. ou "Meu filho recebeu os antibióticos".
  93. Mas quero que não se preocupem.
  94. Se esses micróbios estiverem ausentes
  95. ou perdidos por qualquer motivo,
  96. eles podem ser adquiridos mais tarde,
  97. mas o bebê só precisa
    de uma pequena ajuda com isso.
  98. Algo já conhecido há algum tempo
    como ajuda é a amamentação.

  99. O leite materno é como um milagre:
  100. além de conter nutrientes para o bebê,
  101. parece conter também alimentos
    para os bons micróbios.
  102. Isso é ótimo para um bebê amamentado,

  103. mas sabemos que nem todos
    os bebês são amamentados.
  104. O que podemos fazer para garantir
    que também os bebês não amamentados
  105. consigam restaurar
    o desenvolvimento da microbiota
  106. após enfrentar os eventos
    perturbadores da infância
  107. que podem atrapalhar o desenvolvimento
    da microbiota intestinal?
  108. Neste ponto da palestra,
    chegamos à parte da solução real.

  109. A pesquisa nessa área teve
    um avanço gigantesco ultimamente.
  110. Primeiro, houve o entendimento
    de que, se faltam alguns micróbios,
  111. eles podem ser ingeridos.
  112. Chamamos de bons micróbios,
    quando são ingeridos, probióticos,
  113. e os probióticos foram testados em vários
    ensaios clínicos ao longo dos anos,
  114. também em bebês, com ótimos efeitos,
  115. tais como reduzir, mais tarde,
    o risco de um eczema.
  116. Houve uma segunda revolução

  117. quando a atenção dos pesquisadores
    voltou-se para o leite materno.
  118. Isso era lógico, porque, como mencionei,
  119. já se sabia que a amamentação é capaz
    de apoiar o desenvolvimento saudável
  120. da microbiota intestinal.
  121. Havia essas partículas no leite materno
  122. que já foram encontradas
    na década de 1930,
  123. chamadas oligossacarídeos do leite humano,
  124. mas sua função permaneceu um mistério
  125. por décadas e décadas
    após sua descoberta inicial.
  126. Eram realmente intrigantes
    para os pesquisadores,
  127. pois são muito abundantes no leite humano.
  128. Na verdade, são o terceiro
    maior grupo de sólidos,
  129. mas não são digeríveis
    por seres humanos, nem mesmo por bebês.
  130. Então, por que as mães
    sintetizariam algo no leite materno,
  131. usariam seus recursos para colocar algo lá
  132. que não é utilizável pelo bebê?
  133. Geralmente não é assim
    que a natureza funciona, não é?
  134. Foi uma revelação bastante clara
  135. quando finalmente se entendeu
    o papel dessas partículas:
  136. alimentar seletivamente os micróbios
    que são melhores para os bebês
  137. e assim afetar a saúde deles.
  138. Há mais de 100 estruturas diferentes
    de oligossacarídeos do leite humano

  139. e, hoje em dia, conseguimos sintetizar
    algumas delas também em laboratório,
  140. o que nos permite agrupá-las
    com probióticos para crianças e bebês
  141. que não conseguem
    recebê-las do leite materno.
  142. para restaurar sua microbiota
  143. após enfrentar eventos
    perturbadores da infância.
  144. Essa é a solução.

  145. Como pesquisadora,
    devo dizer, neste momento,
  146. que a pesquisa nessa área
    ainda está em andamento
  147. e ainda há muito trabalho a ser feito.
  148. Essa é uma frase favorita
    de nós, cientistas.
  149. Mas estamos adotando medidas
    para entender cada vez melhor
  150. quais são os principais micróbios
    ausentes em várias situações
  151. e quais olissacarídeos devemos
    agrupar com quais probióticos
  152. para ajudar a restaurar
    a microbiota desse bebê em particular,
  153. nesse caso específico.
  154. Desejo que vocês levem desta palestra

  155. que o bebê amamentado
    nascido por parto natural
  156. tem a microbiota à qual evoluímos
    para nos adaptar,
  157. mas, em casos em que isso não é possível,
  158. existem meios para reduzir
    as consequências negativas à saúde.
  159. Por fim, desejo que imaginem,
    por um instante,

  160. um mundo onde houvesse um sistema de saúde
  161. em que, quando vocês levassem
    seu bebê a uma consulta,
  162. o desenvolvimento da microbiota
    intestinal dele fosse monitorado
  163. e, se fosse observado qualquer distúrbio,
  164. fosse prescrito um produto sob medida
    para restaurar a microbiota.
  165. Não seria maravilhoso
  166. se o início de qualquer doença crônica
    fosse extremamente raro
  167. devido a esse sistema de saúde preventivo?
  168. Conseguem imaginar um mundo assim?
  169. Vocês acreditam que esse tipo
    de futuro seria possível?
  170. Eu acredito.

  171. Acredito nesse futuro
  172. e quero contribuir
    para o desenvolvimento dele,
  173. um futuro em que cada bebê
    tenha um ponto de partida igual
  174. para a vida ser programada
    para a saúde vitalícia.
  175. Obrigada.

  176. (Aplausos)