Portuguese subtitles

← O belo equilíbrio entre a coragem e o medo

Get Embed Code
43 Languages

Showing Revision 37 created 03/20/2020 by Margarida Ferreira.

  1. Quando somos jovens,
    somos inocentemente corajosos,
  2. e sonhamos sem medos
    de como as nossas vidas poderão ser.
  3. Talvez vocês sonhassem
    ser astronautas ou cientistas espaciais.
  4. Talvez sonhassem
    em visitar todos os continentes.
  5. Desde muito nova,
  6. que sonhava em trabalhar nas Nações Unidas
  7. nalguns dos países
    mais complicados do mundo.
  8. E graças a muita coragem
  9. o meu sonho tornou-se realidade.
  10. Mas há algo sobre a coragem:

  11. não aparece só porque precisamos dela.
  12. É o resultado de muita reflexão
    e trabalho duro,
  13. envolvendo o equilíbrio
    entre medo e coragem.
  14. Sem o medo, fazemos coisas idiotas.
  15. E sem a coragem, nunca
    avançamos para o desconhecido.
  16. O equilíbrio entre estes dois
    é onde a magia acontece,
  17. e é um equilíbrio com que todos
    lidamos diariamente.
  18. Primeiro, uma palavra
    sobre as minhas belas rodas.

  19. Nem sempre usei cadeira de rodas.
  20. Cresci como muitos de vocês,
  21. a correr, a saltar e a dançar.
  22. Adoro dançar.
  23. No entanto, aos vinte e poucos anos,
  24. comecei a ter uma
    série de quedas inexplicáveis.
  25. Uns anos mais tarde,
  26. fui diagnosticada com
    uma condição genética recessiva
  27. chamada "miopatia hereditária muscular",
  28. ou HIBM.
  29. É uma doença degenerativa
    muscular progressiva
  30. que afeta todos
    os músculos da cabeça aos pés.
  31. É uma doença muito rara.
  32. Nos EUA existem menos
    de 200 pessoas diagnosticadas.
  33. Até à data, não existe
    nenhum tratamento eficaz ou cura,
  34. e, ao fim de 10 a 15 anos,
    desde o seu início,
  35. normalmente leva à tetraplegia.
  36. É por isso que agora uso cadeira de rodas.
  37. Quando recebi o diagnóstico,
    tudo mudou.

  38. Foram notícias assustadoras
  39. porque não tinha experiência
    de doenças crónicas ou deficiências.
  40. Não fazia ideia de como
    a doença iria progredir.
  41. Mas o mais desencorajador
  42. era ouvir as outras pessoas dizerem-me
  43. para limitar os meus sonhos e ambições,
  44. e ajustar as minhas expetativas
    do que esperar da vida.
  45. "Devias desistir
    da tua carreira internacional."
  46. "Ninguém se vai
    casar contigo nesse estado."
  47. "Serias egoísta se tiveres filhos."
  48. O facto de alguém que não eu
  49. estar a colocar limites
    aos meus sonhos e ambições
  50. era absurdo.
  51. E inaceitável.
  52. Por isso ignorei-as.
  53. (Aplausos)

  54. A verdade é que me casei.

  55. E decidi por mim mesma não ter filhos.
  56. Continuei a minha carreira
    nas Nações Unidas.
  57. Após o meu diagnóstico,
  58. trabalhei durante dois anos em Angola,
  59. um país a recuperar de 27 anos
    de uma guerra civil brutal.
  60. No entanto, passar-se-iam
    mais cinco anos
  61. até declarar oficialmente
    o meu diagnóstico ao meu empregador.
  62. Porque tinha medo
  63. que pusessem em causa a minha capacidade
    de gerir e perdesse o meu emprego.
  64. Estava a trabalhar em países
    onde a poliomielite tinha sido comum,
  65. por isso, quando ouvi alguém dizer
  66. que pensavam que eu
    tinha sobrevivido à polio,
  67. pensei que o meu segredo estava seguro.
  68. Ninguém se questionava
    porque é que eu coxeava.
  69. Por isso, também não disse nada.
  70. Levei mais de uma década

  71. para interiorizar a gravidade da HIBM,
  72. mesmo quando as tarefas básicas
    se foram tornando cada vez mais difíceis.
  73. Mesmo assim, continuei a perseguir
    o meu sonho de trabalhar pelo mundo
  74. e até fui nomeada como
    um ponto central pela deficiência
  75. para a UNICEF no Haiti,
  76. onde trabalhei durante dois anos
    após o devastador terramoto de 2010.
  77. A seguir, o meu trabalho
    trouxe-me aos EUA.
  78. Mesmo com a doença
    a progredir de forma significativa
  79. e de eu precisar de aparelhos
    nas pernas, para me deslocar,
  80. continuava a ansiar pela aventura.
  81. E nessa altura,
  82. comecei a sonhar
    com uma grande aventura ao ar livre.
  83. E o que pode ser maior que o Grand Canyon?
  84. Sabiam que dos cinco milhões
    de pessoas que visitam o Canyon

  85. apenas 1% descem até à base do Canyon?
  86. Eu queria fazer parte desses 1%.
  87. A questão é...
  88. (Aplausos)

  89. A questão é que o Grand Canyon
    não é propriamente acessível.

  90. Iria precisar de assistência
  91. para percorrer os 1500 metros
    em descida vertical de terreno acidentado.
  92. Quando me deparo com obstáculos,
  93. o medo não surge de imediato
  94. porque assumo que,
    de uma forma ou de outra,
  95. vou arranjar uma solução.
  96. Neste caso, o que pensei foi:
  97. "Bem, se não consigo descer a pé.
  98. "podia aprender a andar a cavalo".
  99. E foi isso que fiz.
  100. Com essa decisão fatídica

  101. começou um compromisso de quatro anos,
  102. alternando entre o medo e a coragem
  103. para realizar uma expedição de 12 dias.
  104. Quatro dias a cavalo para percorrer
    o Grand Canyon de um lado ao outro,
  105. e "rafting" durante oito dias
    para atravessar os 240 km do rio Colorado,
  106. tudo com uma equipa de filmagem atrás.
  107. Alerta de "spoiler". Conseguimos.
  108. Mas não sem mostrar
    como o meu medo mais profundo
  109. pode gerar em igual medida
    uma resposta menor da minha coragem.
  110. No dia 13 de abril de 2018,
  111. sentada a dois metros do chão,
  112. a cavalo num mustangue chamado "Sheriff",
  113. a minha primeira impressão do Grand Canyon
  114. foi de choque e terror.
  115. Quem iria imaginar que eu tinha vertigens?
  116. (Risos)

  117. Mas não ia desistir agora.

  118. Reuni toda a minha coragem
  119. para não deixar o medo levar a melhor.
  120. Ao embarcar no lado sul,
  121. tudo o que podia fazer
    para manter a compostura
  122. era respirar fundo e olhar para as nuvens
  123. e focar-me nas vozes da minha equipa.
  124. Mas, ao fim de uma hora,
    aconteceu um acidente.
  125. Incapaz de conseguir
    sentar-me direita na sela,
  126. ao descer um degrau enorme,
  127. projeto-me para a frente e bato
    com a cara na cabeça do cavalo.
  128. Houve pânico,
  129. a minha cabeça doía-me imenso,
  130. mas o caminho era demasiado
    estreito para conseguir desmontar.
  131. Apenas a meio caminho
    a 700 metros de altitude,
  132. pelo menos mais duas horas de descida,
  133. seria possível parar
    e tirar o meu capacete
  134. e ver o galo enorme
    e saliente na minha testa.
  135. Com tanto planeamento e equipamento,
  136. como é que nem sequer tínhamos
    um saco de gelo?
  137. (Risos)

  138. Felizmente para todos,
    o inchaço era exterior,

  139. e iria drenar para a minha face
    como dois fantásticos olhos negros
  140. que é um "look" fantástico
    para um documentário.
  141. (Risos)

  142. (Aplausos)

  143. Não foi uma viagem fácil e pacífica,

  144. e, no entanto, era mesmo essa a intenção.
  145. Apesar de ter receio de voltar a montar,
  146. foi o que fiz.
  147. Só a descida até à base do desfiladeiro
  148. levou um total de 10 horas
  149. e foi apenas o primeiro
    de quatro dias a cavalo.
  150. A seguir, vinham os poderosos rápidos.

  151. O rio Colorado no Grand Canyon
  152. tem alguns dos maiores rápidos do país.
  153. E para estarmos preparados,
    no caso de virarmos,
  154. praticámos comigo a nadar
    num rápido mais pequeno.
  155. É seguro dizer que não foi nada glamoroso.
  156. (Risos)

  157. Respirei na altura errada da onda,

  158. engasguei-me com a água do rio
  159. e não conseguia direcionar o meu corpo.
  160. Sim, foi assustador,
    mas também foi fantástico.
  161. Quedas de água,
    desfiladeiros escorregadios
  162. e rochas com milhares
    de milhões de anos
  163. que pareciam mudar de cor ao longo do dia.
  164. O Grand Canyon é verdadeiramente selvagem
  165. e merece a admiração de todos.
  166. (Aplausos)

  167. A expedição,

  168. todo o planeamento, a viagem em si,
  169. causaram-me um medo
    como nunca tinha sentido antes.
  170. Mas mais importante ainda,
  171. mostrou-me o quão ousada
    e corajosa posso ser.
  172. A viagem pelo Grand Canyon não foi fácil.
  173. Não foi a visão de uma mulher amazona
  174. a fazer facilmente
    o seu percurso num cenário épico.
  175. Esta sou eu a chorar,
  176. exausta e com dois olhos negros.
  177. Foi assustador,
  178. foi angustiante,
  179. foi entusiasmante.
  180. Agora que a viagem terminou,

  181. é fácil ser indiferente
    acerca do que alcançámos
  182. Sei que quero fazer "rafting"
    naquele rio novamente.
  183. Desta vez, todos os 446 km.
  184. (Aplausos)

  185. Mas também sei que não voltaria
    a repetir a parte de andar a cavalo.

  186. (Risos)

  187. É demasiado perigoso.

  188. E é essa a minha questão.
  189. Não estou aqui apenas
    para mostrar as filmagens
  190. Estou aqui para lembrar a todos
  191. de que a vida é uma lição
  192. sobre encontrar o equilíbrio
    entre o medo e a coragem.
  193. E perceber o que é
    e o que não é uma boa ideia.
  194. (Risos)

  195. A vida já é assustadora,

  196. por isso, para os nossos sonhos
    se tornarem realidade
  197. temos de ter coragem.
  198. Ao enfrentar os meus medos
  199. e ao encontrar coragem
    para os ultrapassar,
  200. juro que tem tornado
    a minha vida extraordinária.
  201. Por isso vivam em grande
  202. e tentem que a vossa coragem
    vença o vosso medo.
  203. Nunca sabemos
    até onde isso nos pode levar.
  204. Obrigada.

  205. (Aplausos)