Portuguese, Brazilian subtitles

← Sete hábitos que podem silenciar as mulheres, e como podemos desaprendê-los

Get Embed Code
33 Languages

Showing Revision 24 created 12/10/2019 by Maricene Crus.

  1. Shah Rukh Khan: "Uma garota
    deveria ser vista, não ouvida."
  2. "Cale-se" ou "Chup", em hindu.
  3. Essas palavras servem para silenciar
    as garotas desde a infância,
  4. durante a vida adulta
    e sobretudo na velhice.
  5. Tenho orgulho de apresentar a próxima
    palestrante, defensora das mulheres,

  6. consultora sobre pobreza, gênero
    e desenvolvimento do Banco Mundial,
  7. da Organização das Nações Unidas
    e de muitas ONGs na Índia e no mundo.
  8. Ela se denomina uma "detetive cultural".
  9. Vamos aplaudir e receber
    a renomada cientista social e escritora,
  10. Deepa Narayan.
  11. (Aplausos)

  12. Deepa Narayan: O objetivo de pais
    zelosos é educar boas garotas.

  13. Mas o que eles fazem, na verdade,
    é reprimir, confinar e oprimir as filhas.
  14. Assim, enquanto oprimem as garotas,
    eles as preparam para o abuso,
  15. que seria tão devastador que nenhum pai
    ou nenhuma mãe poderia suportá-lo;
  16. então, o abuso é mascarado.
  17. Na Índia, chamamos isso de "adaptação".

  18. Estou certa de que já ouviram a palavra.
  19. "Querida, apenas se adapte um pouco.
  20. Não importa o que acontecer,
    apenas se adapte."
  21. A adaptação ensina às garotas
    a serem impotentes,
  22. a não existirem, a não serem vistas,
    a não serem elas mesmas.
  23. E ensina aos garotos a reivindicarem
    o poder e a autoridade sobre o mundo.
  24. E, enquanto isso, continuamos falando
  25. sobre a igualdade de gênero
    e o fortalecimento da mulher.
  26. Depois de 2012,

  27. quando houve um estupro coletivo
    em um ônibus em movimento, em Nova Deli,
  28. eu realmente quis entender
    as raízes do abuso.
  29. Então, comecei fazendo
    uma pergunta bem simples:
  30. "Para vocês, o que significa ser uma boa
    mulher ou um bom homem nos dias de hoje?"
  31. E me surpreendi tanto com o que ouvi,
    sobretudo com as respostas dos jovens,
  32. que o projeto se transformou
    em pesquisa e tomou conta da minha vida.
  33. Por três anos, ouvi mais de 600
    mulheres, homens e jovens,

  34. instruídos, da classe média,
  35. totalizando 1,8 mil horas de gravações
    e 8 mil páginas de anotações,
  36. e foi necessário outro ano
    para organizar tudo.
  37. Atualmente, vemos mulheres bem-vestidas
    e instruídas, como todas vocês

  38. aqui nesta sala e eu também,
    e pensamos que o mundo mudou.
  39. Mas essas mudanças externas
    são extremamente enganadoras,
  40. porque, por dentro, não mudamos.
  41. Portanto, hoje não vou falar
    sobre pessoas pobres;

  42. vou falar somente
    das classes média e alta,
  43. porque somos os que mais estão em negação.
  44. Somos os que têm dito repetidamente
    que, quando as mulheres forem instruídas,
  45. quando estiverem empregadas,
    e ganharem o próprio sustento,
  46. elas serão iguais, fortalecidas e livres.
  47. Elas não são.
  48. Por quê?
  49. Em minha pesquisa,
    identifiquei sete hábitos

  50. que anulam as mulheres,
    que fazem com que elas desapareçam.
  51. Mas esses hábitos sobrevivem,
    pois são muito familiares para nós
  52. e os tornamos bons e morais.
  53. Por que vocês mudariam ou abandonariam
    algo que é bom ou moral?
  54. Então, por um lado,
    amamos nossos filhos e filhas
  55. e, por outro lado, nós as oprimimos.
  56. Primeiro hábito: você não tem um corpo.

  57. O primeiro passo para transformar
    uma garota em um fantasma
  58. é fazer com que o corpo dela desapareça,
  59. fingir que ela não tem um corpo.
  60. Akangsha, de 23 anos, disse:
  61. "Na minha família, nunca falamos
    sobre o corpo, nunca".
  62. E é nesse silêncio
  63. que milhões de garotas
    são molestadas sexualmente
  64. e nem contam às mães.
  65. E são os comentários negativos dos outros
    que fazem com que 90% das mulheres
  66. digam que não gostam do próprio corpo.
  67. Quando uma garota rejeita o corpo,
    rejeita sua única casa,
  68. e a invisibilidade e a insegurança
    passam a ser sua base frágil.
  69. Segundo hábito: cale-se ou chup, em hindu.

  70. Já que você não deve existir
    e não tem um corpo, como pode ter uma voz?
  71. Quase todas as mulheres disseram:
  72. "Quando eu era pequena,
    minha mãe me repreendia e dizia:
  73. 'Não fale, fique calada, fale devagar,
    não discuta e nunca argumente".
  74. Ou seja: "Jawab nahi Dena", em hindu.
  75. Todas vocês certamente já ouviram isso.
  76. Assim, as garotas têm medo, se retraem,
    se tornam caladas e dizem:
  77. "Deixa pra lá!" "Jaane do!"
  78. Para que fazer isso? Ninguém ouve".
  79. Mulheres instruídas disseram
    que o principal problema delas
  80. era a impossibilidade de se expressar,
  81. como se existisse um nó na garganta,
    pronto para sufocá-las.
  82. O silêncio mutila as mulheres.
  83. Terceiro hábito: agrade a todos,
    agrade aos outros.

  84. Todos gostam de uma mulher
    simpática que sempre sorri,
  85. que nunca diz não, que nunca se irrita,
    mesmo quando estiver sendo explorada.
  86. Amisha, de 18 anos, disse:
  87. "Meu pai me disse:
  88. 'Se eu não a vir sorrindo,
    não me sinto bem'".
  89. Então, ela sorri.
  90. O pai está ensinando a ela
  91. que a felicidade dele
    é mais importante do que a dela.
  92. E, nesse negócio de tentar fazer
    com que todos sejam felizes o tempo todo,
  93. as garotas passam a ter medo
    de tomar decisões.
  94. Quando lhes perguntamos, elas respondem:
  95. "Não importa, tanto faz! Kuch bhi!
  96. As coisas são assim! Chalta hai!"
  97. Darsha, de 25 anos,
    disse com muito orgulho:
  98. "Sou extremamente flexível; eu me torno
    o que os outros querem que eu seja".
  99. Garotas como ela desistem
    dos sonhos, dos desejos,
  100. e ninguém nem se dá conta,
  101. a não ser a depressão, que se instala.
  102. Outra parte de uma garota é extirpada.
  103. Quarto hábito: você não tem sexualidade.

  104. Acho que vocês concordariam
  105. que, com uma população
    de mais de 1,3 bilhão,
  106. sexo não é novidade para a Índia.
  107. A novidade é que mais pessoas
    agora reconhecem
  108. que as mulheres também têm o direito
    de sentirem desejo sexual.
  109. Mas como uma mulher que não tem
    domínio sobre o próprio corpo,
  110. que não recebeu educação sexual,
    que talvez tenha sido molestada,
  111. que não pode dizer não
    e que foi preenchida com vergonha,
  112. pode reivindicar o desejo sexual?
  113. A sexualidade da mulher é reprimida.
  114. Quinto hábito: não confie nas mulheres.

  115. Imaginem como o mundo mudaria
  116. se as mulheres se unissem
    em solidariedade.
  117. Mas, para se assegurarem
    de que isso não aconteça,
  118. nossa cultura exalta o grande valor moral
  119. da lealdade aos homens
    e aos segredos de família.
  120. Muitas mulheres disseram:
  121. "Conheço somente uma mulher confiável,
  122. e sou eu".
  123. Even Ruchi, de 30 anos,
  124. que trabalha com o fortalecimento feminino
    na Universidade de Deli, disse:
  125. "Eu não confio nas mulheres;
    elas são ciumentas e maledicentes".
  126. É claro que nas cidades as mulheres
    não se unem a grupos femininos,
  127. e quando você pergunta o porquê,
    elas dizem: "Não temos tempo para fofoca".
  128. É muito mais fácil derrubar
    uma mulher que está sozinha.
  129. Sexto hábito: o dever
    está acima do desejo.

  130. Muskan deu uma definição longa
    de uma boa garota,
  131. e ela tem apenas 15 anos.
  132. "Ela é doce, gentil, educada, adorável,
    atenciosa, sincera, obediente,
  133. respeita os mais velhos,
    ajuda todos sem distinção,
  134. é boa para os outros
    e cumpre com seus deveres."
  135. É cansativo, não acham?
  136. Quando vocês cumprirem com seus deveres,
  137. qualquer pequeno desejo
    que restar também se perderá.
  138. E quando as mães sofridas
    não têm mais o que dizer,
  139. a não ser falar sobre comida:
  140. "Você já comeu? Khana kha liya?
  141. O que vai comer?"
  142. Homens como Saurabh, de 24 anos,
    as chamam de "entediantes".
  143. Uma mulher se torna um resíduo.
  144. Sétimo hábito: seja totalmente dependente.

  145. Todos esses hábitos opressores
    esmagam as mulheres coletivamente,
  146. preenchem-nas com o medo
  147. e as tornam totalmente dependentes
    dos homens para sobreviverem,
  148. permitindo que o sistema
    de poder masculino continue.
  149. Todos esses sete hábitos
    que supúnhamos bons e morais,

  150. extirpam a vida das garotas e colocam
    os homens na posição de abusadores.
  151. Devemos mudar.

  152. Como mudamos?
  153. Um hábito é apenas um hábito.
  154. Todo hábito é aprendido;
    portanto, podemos desaprendê-lo.
  155. E essa mudança pessoal
    é extremamente importante.
  156. Eu também tive que mudar.
  157. Mas isso não muda o sistema
    que oprime milhões de outras mulheres.
  158. Portanto, temos que ir até as raízes.
  159. Devemos mudar o que significa ser
    uma boa mulher ou um bom homem,
  160. porque essa é a base de toda sociedade.
  161. Não precisamos de mulheres flexíveis,
    mas de definições flexíveis,
  162. para os homens também.
  163. E essa grande mudança não pode ocorrer
    sem o envolvimento dos homens.
  164. Precisamos de vocês, de homens
    que se tornem os defensores da mudança,
  165. que sejam a força da mudança.
  166. Senão, serão necessários mais dois séculos
    até que nossas garotas e nossos garotos
  167. estejam seguros e livres.
  168. Imaginem 500 milhões de mulheres
    se unindo, com o apoio dos homens,

  169. para dialogarem em prol
    da mudança pessoal e política.
  170. E imaginem os homens em seus círculos,
  171. e mulheres e homens se unindo,
    somente para se escutarem
  172. sem julgamento, sem culpa,
    sem acusações e sem vergonha.
  173. Imaginem o quanto mudaríamos.
  174. Podemos fazer isso juntos.
  175. Mulheres, não se adaptem!
  176. Homens, adaptem-se!
  177. Chegou a hora.
  178. Obrigada.

  179. (Aplausos)

  180. SRK: Muito bem, que maravilhoso.

  181. Aplaudam Deepa, por favor.
  182. Depois de escutá-la, percebi
  183. que, mesmo nas conversas mais simples
    com as mulheres, estamos sendo agressivos.
  184. Por exemplo, às vezes digo à minha filha:
  185. (Hindu) Garota, gosto quando você ri;
    do contrário, me sinto mal.
  186. Desculpe, nunca faria isso.
  187. (Hindu) A partir de hoje,
    direi à minha filha:
  188. "Seja como for,
  189. (Hindu) eu gosto e também não gosto disso.
    Então e eu? Você só faz o que quer, não?
  190. (Aplausos)

  191. Como se sentiu ouvindo sobre tantas
    histórias e desejos não concretizados,

  192. e a falta de independência de garotas
  193. que normalmente
    imaginaríamos que estão bem?
  194. DN: Muito deprimida.

  195. Foi chocante para mim
    e foi por isso que eu não podia parar,
  196. porque não planejava fazer
    um estudo, nem escrever um livro.
  197. Eu já tinha escrito 17 livros
    e pensei: "Já chega!"
  198. Mas, quando fui à St. Stephen's College
  199. e ouvi, na maioria
    das escolas de elite de Deli,
  200. de jovens mulheres e homens,
  201. o que disseram sobre o significado
    de ser mulher ou homem,
  202. percebi que não tinha a ver comigo,
    mas com a geração da minha mãe.
  203. Então, fui a outra faculdade
    e depois a outra.
  204. O que me impressionou foi que cada mulher
    sentia que estava sozinha,
  205. que escondia o medo e o comportamento,
  206. porque ela achava
    que era uma culpa pessoal.
  207. Não é uma culpa pessoal,
    é um condicionamento,
  208. e acho que a maior revelação
    é que, se pararmos de fingir,
  209. o mundo mudará, então.
  210. SRK: Garotas, concordam
    com o que Deepa está dizendo?

  211. (Aplausos)

  212. Já ouço aquela jovem dizendo:

  213. "Ouviu o que ela disse?
    Você me disse isso".
  214. É assim que deveria ser.
  215. "Garoto, adapte-se;
    não nos adaptamos mais, certo?"
  216. (Aplausos)

  217. Muito obrigado.
    Tenham uma boa noite.

  218. (Aplausos)