Return to Video

Homeopatia, charlatanice e fraude

  • 0:02 - 0:04
    Bom dia.
  • 0:04 - 0:06
    Estou feliz por ver
    tanta boa gente por aqui
  • 0:06 - 0:08
    e tantas caras sorridentes.
  • 0:09 - 0:11
    Eu tenho uma experiência, uma atitude
  • 0:11 - 0:14
    e uma abordagem bastante peculiar
  • 0:14 - 0:15
    para com o mundo real,
  • 0:15 - 0:17
    porque sou um prestidigitador.
  • 0:17 - 0:20
    Eu prefiro esse termo em vez de mágico
  • 0:20 - 0:22
    porque, se eu fosse um mágico,
  • 0:22 - 0:25
    isso significaria
    que eu uso magia e encantamentos
  • 0:25 - 0:28
    e gestos estranhos
  • 0:28 - 0:30
    por forma a realizar magia verdadeira.
  • 0:30 - 0:33
    Não, eu não faço isso,
    sou um prestidigitador,
  • 0:33 - 0:35
    que é alguém que finge ser
  • 0:35 - 0:37
    um verdadeiro mágico.
  • 0:38 - 0:41
    Agora, como é que nós
    nos safamos com esse tipo de coisa?
  • 0:41 - 0:45
    Nós dependemos do facto
    de que audiências como esta
  • 0:45 - 0:47
    vão fazer deduções.
  • 0:47 - 0:49
    Por exemplo, quando subi para aqui,
  • 0:49 - 0:53
    e retirei o microfone
    do suporte e o liguei,
  • 0:53 - 0:55
    vocês deduziram que isto
    é um microfone, mas não é.
  • 0:55 - 0:57
    (Risos)
  • 0:57 - 0:59
    Na verdade, isto é uma coisa
  • 0:59 - 1:02
    com que metade de vós, mais de metade,
    não estarão familiarizados.
  • 1:02 - 1:05
    É uma máquina de barbear, estão a ver?
  • 1:05 - 1:07
    E funciona muito mal como microfone.
  • 1:07 - 1:09
    Já o tentei várias vezes.
  • 1:09 - 1:11
    A outra dedução que fizeram
  • 1:11 - 1:15
    — e esta pequena lição é para vos mostrar
    que vão fazer deduções.
  • 1:15 - 1:17
    não apenas que podem, mas que irão
  • 1:17 - 1:19
    quando vos forem devidamente sugeridas.
  • 1:19 - 1:22
    Vocês acreditam que eu estou
    a olhar para vocês.
  • 1:22 - 1:24
    Errado. Não estou.
    Eu não vos consigo ver.
  • 1:24 - 1:27
    Sei que vocês estão aí, disseram-me
    nos bastidores, está a casa cheia.
  • 1:27 - 1:30
    Sei que estão aí porque estou a ouvir-vos,
  • 1:30 - 1:32
    mas eu não vos vejo,
    porque normalmente uso óculos.
  • 1:32 - 1:34
    Isto não são óculos,
    é uma armação vazia.
  • 1:34 - 1:36
    (Risos)
  • 1:37 - 1:39
    Porque é que um homem adulto
    iria aparecer aqui
  • 1:39 - 1:41
    com uma armação vazia na cara?
  • 1:41 - 1:43
    Para vos enganar, senhoras e senhores,
  • 1:43 - 1:48
    para iludir-vos, para mostrar
    que vocês também fazem deduções.
  • 1:48 - 1:50
    Nunca se esqueçam disso.
  • 1:50 - 1:53
    Antes de mais, tenho que mudar
    para óculos verdadeiros,
  • 1:53 - 1:54
    para poder ver-vos,
  • 1:54 - 1:57
    o que provavelmente
    será conveniente, não sei.
  • 1:57 - 2:00
    Ainda não dei uma boa vista de olhos.
    Não é lá muito conveniente.
  • 2:00 - 2:01
    (Risos)
  • 2:01 - 2:05
    Agora vou fazer uma coisa que parece
    um pouco estranha para um mágico.
  • 2:05 - 2:07
    Vou tomar um medicamento.
  • 2:07 - 2:11
    Isto é um recipiente cheio de Calm's Forte.
  • 2:12 - 2:14
    Vou explicar isto dentro de momentos.
  • 2:14 - 2:15
    Ignorem as instruções.
  • 2:15 - 2:18
    É o que o governo
    tem que colocar na embalagem
  • 2:18 - 2:20
    para vos confundir, tenho a certeza.
  • 2:20 - 2:23
    Vou tomar uma boa dose.
  • 2:26 - 2:28
    Todo o conteúdo.
  • 2:32 - 2:35
    Trinta e dois comprimidos de Calm's Forte.
  • 2:36 - 2:38
    Agora que já fiz isso
    — vou explicar dentro de momentos —
  • 2:38 - 2:41
    Tenho que dizer-vos que sou um actor.
  • 2:43 - 2:45
    Sou um actor que faz um papel específico.
  • 2:45 - 2:48
    Eu faço o papel de um mágico,
  • 2:48 - 2:50
    um feiticeiro, se quiserem,
    um verdadeiro feiticeiro.
  • 2:50 - 2:53
    Se alguém aparecesse
    neste palco diante de mim
  • 2:53 - 2:59
    e afirmasse ser um antigo príncipe
    da Dinamarca chamado Hamlet,
  • 2:59 - 3:01
    vocês sentir-se-iam insultados
  • 3:01 - 3:02
    e com todo o direito.
  • 3:02 - 3:05
    Porque é que um homem havia de assumir
    que vocês acreditariam
  • 3:05 - 3:06
    numa coisa tão bizarra como isto?
  • 3:06 - 3:11
    Mas há por aí uma grande quantidade
  • 3:11 - 3:13
    de pessoas que vos dirão
  • 3:13 - 3:16
    que têm poderes psíquicos,
    poderes mágicos,
  • 3:16 - 3:17
    que conseguem prever o futuro,
  • 3:17 - 3:20
    que conseguem contactar os mortos.
  • 3:20 - 3:23
    Oh, eles também dizem
    que vos vão vender astrologia
  • 3:23 - 3:26
    ou outros métodos de adivinhação.
  • 3:26 - 3:28
    Vendem-se isso de boa vontade, sim.
  • 3:28 - 3:31
    E também dirão que podem dar-vos
    máquinas de movimento perpétuo
  • 3:31 - 3:34
    e sistemas de energia livre.
  • 3:34 - 3:37
    Afirmam ser psíquicos,
    ou sensíveis, o que eles quiserem.
  • 3:38 - 3:42
    Mas o que tem reaparecido
    em grande, recentemente
  • 3:42 - 3:46
    é este negócio de falar com os mortos.
  • 3:48 - 3:52
    Na minha mente inocente, "morto" implica
  • 3:52 - 3:55
    "incapaz de comunicar".
  • 3:55 - 3:58
    Talvez concordem comigo.
  • 3:58 - 4:00
    Mas essas pessoas têm a tendência
    para vos dizer
  • 4:00 - 4:02
    que não só conseguem
    comunicar com os mortos
  • 4:02 - 4:04
    — Olá —
  • 4:04 - 4:06
    mas que também conseguem ouvi-los,
  • 4:06 - 4:09
    e podem transmitir
    esta informação para os vivos.
  • 4:10 - 4:12
    Pergunto-me se isso é verdade.
  • 4:12 - 4:15
    Eu não creio em tal coisa
    porque esta subcultura de pessoas
  • 4:15 - 4:18
    usa exactamente os mesmos truques
    que nós mágicos usamos,
  • 4:18 - 4:20
    exactamente os mesmos,
  • 4:20 - 4:24
    os mesmos métodos físicos,
    os mesmos métodos psicológicos.
  • 4:24 - 4:27
    E conseguem com êxito e profundamente
  • 4:27 - 4:30
    iludir milhões de pessoas
    em todo o mundo, em seu prejuízo.
  • 4:30 - 4:33
    Enganam essas pessoas.
  • 4:33 - 4:36
    Custa-lhes muito dinheiro.
    Custa-lhes muita angústia emocional.
  • 4:37 - 4:41
    Gastam-se milhares de milhões de dólares
    todos os anos, por todo o globo,
  • 4:41 - 4:43
    com estes charlatães.
  • 4:44 - 4:47
    Eu tenho duas perguntas
    que gostaria de fazer a estas pessoas
  • 4:47 - 4:49
    se tivesse a oportunidade para o fazer.
  • 4:49 - 4:52
    Primeira pergunta:
    Se eu quiser que eles ouçam
  • 4:52 - 4:54
    — porque eles ouvem-nos através do ouvido.
  • 4:54 - 4:57
    Eles ouvem os espíritos desta forma.
  • 4:57 - 4:59
    Vou pedir para chamarem
    o fantasma da minha avó
  • 4:59 - 5:02
    porque, quando ela morreu,
    tinha o testamento da família
  • 5:02 - 5:04
    e escondeu-o nalgum lugar,
    não sabemos onde está.
  • 5:04 - 5:07
    Portanto perguntamos à avó:
    "Onde está o testamento, avó?"
  • 5:07 - 5:10
    O que é que a avó diz?
    "Eu estou no paraíso e é fantástico.
  • 5:10 - 5:12
    Estou aqui com os meus amigos,
    os meus amigos falecidos,
  • 5:12 - 5:15
    a minha família, os cãezinhos e gatinhos
  • 5:15 - 5:17
    que eu tinha quando era pequena.
  • 5:17 - 5:19
    Adoro-vos e estarei sempre convosco.
  • 5:19 - 5:21
    Adeus."
  • 5:21 - 5:23
    E não respondeu ao raio da pergunta.
  • 5:23 - 5:25
    Onde está o testamento?
  • 5:25 - 5:27
    Ela podia ter simplesmente dito:
  • 5:27 - 5:30
    "Está na biblioteca, na segunda estante,
    atrás da enciclopédia."
  • 5:30 - 5:32
    Mas não diz isso, não.
  • 5:32 - 5:35
    Não nos traz nenhuma informação útil.
  • 5:35 - 5:39
    Pagámos muito dinheiro por essa informação
    mas não a obtivemos.
  • 5:39 - 5:43
    A segunda pergunta que eu gostaria
    de fazer é bastante simples.
  • 5:43 - 5:45
    Suponham que eu lhes peço
    para contactarem
  • 5:45 - 5:47
    o espírito do meu falecido sogro,
    como um exemplo.
  • 5:47 - 5:49
    Porque é que eles insistem em dizer
  • 5:49 - 5:52
    — lembrem-se, eles falam-lhe ao ouvido —
  • 5:52 - 5:55
    porque é que eles dizem sempre:
    "O meu nome começa com J ou M?"
  • 5:56 - 5:58
    Isto é algum jogo de caça?
  • 5:58 - 6:00
    Caça e Pesca? O que é?
  • 6:00 - 6:04
    É o 20 Perguntas?
    Não, é mais como o 120 Perguntas.
  • 6:04 - 6:06
    Mas é um jogo cruel, perverso,
  • 6:07 - 6:11
    absolutamente sem escrúpulos
  • 6:11 - 6:13
    — eu estou bem, mantenham-se
    nos vossos lugares —
  • 6:13 - 6:15
    que essas pessoas jogam.
  • 6:15 - 6:18
    E eles aproveitam-se
    dos inocentes, dos ingénuos,
  • 6:18 - 6:21
    dos enlutados, das pessoas necessitadas.
  • 6:22 - 6:24
    Isto é um processo
  • 6:24 - 6:26
    que se chama "leitura a frio".
  • 6:28 - 6:32
    Há um tipo, chama-se Van Praagh,
    James Van Praagh.
  • 6:32 - 6:35
    É um dos grandes praticantes
    deste tipo de coisa.
  • 6:35 - 6:39
    John Edward, Sylvia Browne
    e Rosemary Altea,
  • 6:39 - 6:40
    são outros operadores.
  • 6:40 - 6:42
    Há centenas como eles em todo o mundo,
  • 6:42 - 6:45
    mas neste país,
    James Van Praagh é muito grande.
  • 6:45 - 6:49
    O que é que ele faz? Ele gosta de dizer-vos
    como é que os mortos morreram,
  • 6:49 - 6:52
    as pessoas com quem ele fala ao ouvido.
  • 6:52 - 6:55
    Portanto o que ele diz, com frequência,
    é mais ou menos isto:
  • 6:55 - 6:59
    "Ele diz-me, ele diz-me que,
    antes de morrer,
  • 6:59 - 7:01
    tinha dificuldade em respirar."
  • 7:01 - 7:04
    Malta, isso é o que significa morrer.
  • 7:04 - 7:05
    (Risos)
  • 7:05 - 7:07
    Param de respirar e estão mortos.
  • 7:07 - 7:09
    É assim tão simples.
  • 7:09 - 7:12
    E é esse o tipo de informação
    que eles nos trazem?
  • 7:12 - 7:14
    Não creio.
  • 7:14 - 7:16
    Essas pessoas tentam adivinhar,
    dizem coisas como:
  • 7:16 - 7:19
    "Porque é estou a receber electricidade?
  • 7:19 - 7:21
    Está a dizer-me: 'Electricidade'.
  • 7:21 - 7:23
    Ele era electricista?" Não.
  • 7:23 - 7:25
    "Tinha uma lâmina eléctrica?" Não.
  • 7:25 - 7:27
    É um jogo de caça
    com perguntas como estas.
  • 7:27 - 7:30
    É isto que eles fazem.
  • 7:30 - 7:34
    As pessoas frequentemente perguntam-nos
    na James Randi Educational Foundation,
  • 7:34 - 7:36
    "Porque é que está tão preocupado
    com isto, Sr. Randi?
  • 7:36 - 7:39
    Não é apenas divertido?"
  • 7:39 - 7:42
    Não, não é divertido. É uma farsa cruel.
  • 7:42 - 7:45
    Pode trazer um certo conforto
  • 7:45 - 7:48
    mas esse conforto
    dura apenas cerca de 20 minutos.
  • 7:48 - 7:51
    E quando as pessoas
    se olham ao espelho e dizem:
  • 7:51 - 7:53
    "Eu paguei uma data de dinheiro
    por aquela leitura
  • 7:53 - 7:56
    e o que é que ela me disse?
    'Eu adoro-te!'"
  • 7:56 - 7:58
    Eles dizem sempre isso.
  • 7:58 - 7:59
    Não recebem nenhuma informação,
  • 7:59 - 8:02
    eles não recebem nada valioso
    pelo que gastam.
  • 8:02 - 8:04
    Sylvia Browne é uma grande operadora.
  • 8:04 - 8:05
    Nós chamamos-lhe "A Garras."
  • 8:05 - 8:08
    Sylvia Browne —- obrigado.
  • 8:08 - 8:12
    Sylvia Browne é a grande operadora
    neste campo, neste preciso momento.
  • 8:12 - 8:15
    Sylvia Browne — só para vos mostrar —
  • 8:15 - 8:21
    recebe 700 dólares por uma leitura
    de 20 minutos pelo telefone.
  • 8:21 - 8:23
    Ela nem precisa de ir pessoalmente.
  • 8:23 - 8:27
    E têm de esperar dois anos porque
    ela tem marcações até essa data.
  • 8:27 - 8:29
    Paga por cartão de crédito, ou o que for,
  • 8:29 - 8:33
    e ela depois ligará um dia,
    nos próximos dois anos.
  • 8:33 - 8:36
    Conseguem reconhecê-la logo.
    "Olá, fala a Sylvia Browne."
  • 8:36 - 8:38
    É ela. Conseguem perceber logo.
  • 8:39 - 8:43
    O Montel Williams é um homem inteligente.
  • 8:43 - 8:45
    Todos sabemos quem ele é na televisão.
  • 8:45 - 8:47
    É bem educado. É esperto.
  • 8:47 - 8:49
    Sabe o que a Sylvia Browne
    anda a fazer,
  • 8:49 - 8:51
    mas não se importa minimamente.
  • 8:51 - 8:54
    Está-se nas tintas.
  • 8:55 - 8:58
    Porque a questão é que
    os patrocinadores adoram,
  • 8:58 - 9:02
    e ele va dar-lhe publicidade
    televisiva a toda a hora.
  • 9:02 - 9:05
    O que é que a Sylvia Browne dá
    por aqueles 700 dólares?
  • 9:05 - 9:08
    Dá-vos os nomes dos vossos
    anjos da guarda, essa é a primeira.
  • 9:08 - 9:11
    Sem isso, como é que podemos funcionar?
  • 9:11 - 9:14
    Dá-vos os nomes de vidas anteriores,
  • 9:14 - 9:17
    quem vocês foram em vidas anteriores.
  • 9:17 - 9:18
    Da-a-a!
  • 9:18 - 9:22
    Acontece que as mulheres
    para quem ela faz estas leituras
  • 9:22 - 9:25
    foram todas princesas babilónicas,
    ou qualquer coisa assim..
  • 9:25 - 9:28
    E os homens foram todos guerreiros gregos
  • 9:28 - 9:30
    a combater com Agamémnon.
  • 9:30 - 9:34
    Nada se diz sobre o engraxador
    de 14 anos das ruas de Londres,
  • 9:34 - 9:37
    que morreu de tuberculose.
  • 9:37 - 9:40
    Ele não é digno de invocar, obviamente.
  • 9:40 - 9:43
    E o mais estranho
    — já devem ter reparado nisso,
  • 9:43 - 9:45
    vocês vêem esta gente na televisão —
  • 9:45 - 9:48
    nunca chamam ninguém do inferno.
  • 9:49 - 9:52
    Toda a gente volta do paraíso,
    mas nunca do inferno.
  • 9:53 - 9:55
    Se chamarem algum dos meus amigos,
  • 9:55 - 9:57
    eles não vão... Bem vocês percebem.
  • 9:57 - 9:59
    (Risos)
  • 9:59 - 10:04
    Sylvia Browne é uma excepção,
    uma excepção num sentido,
  • 10:04 - 10:07
    porque a minha fundação,
    a James Randi Educational Foundation,
  • 10:07 - 10:10
    oferece um prémio de um milhão
    de dólares em títulos negociáveis.
  • 10:10 - 10:12
    Muito fáceis de ganhar.
  • 10:12 - 10:14
    Basta provar qualquer
    acontecimento paranormal,
  • 10:14 - 10:16
    oculto ou supernatural de qualquer espécie
  • 10:16 - 10:18
    sob condições de observação
    devidamente controladas.
  • 10:18 - 10:21
    É muito fácil, ganhem o milhão de dólares.
  • 10:21 - 10:22
    Sylvia Browne é uma excepção
  • 10:22 - 10:27
    porque é a única psíquica profissional
    em todo o mundo
  • 10:27 - 10:30
    que aceitou o nosso desafio.
  • 10:30 - 10:33
    Ela revelou isso no show
    Larry King Live na CNN
  • 10:33 - 10:36
    há seis anos e meio.
  • 10:36 - 10:39
    E não ouvimos mais nada dela
    desde esse dia. Estranho.
  • 10:40 - 10:43
    Primeiro, disse que não sabia
    como contactar-me.
  • 10:43 - 10:44
    Da-a-a!
  • 10:44 - 10:47
    Uma psíquica profissional
    que fala com pessoas mortas,
  • 10:47 - 10:49
    não consegue contactar-me?
  • 10:49 - 10:51
    (Risos)
  • 10:51 - 10:53
    Eu estou vivo, devem ter notado.
  • 10:53 - 10:56
    Bem, bastante bem pelo menos.
  • 10:56 - 10:58
    Ela não conseguiu contactar-me.
  • 10:58 - 11:02
    Agora diz que não me quer contactar,
    porque sou uma pessoa sem Deus.
  • 11:02 - 11:05
    Mais uma razão para arrecadar
    o milhão de dólares,
  • 11:05 - 11:06
    não acha, Sylvia?
  • 11:06 - 11:09
    Estas pessoas têm que ser paradas,
    falando a sério agora.
  • 11:09 - 11:12
    Precisam de ser paradas
    porque isto é uma farsa cruel.
  • 11:12 - 11:14
    Temos pessoas a vir à fundação
    a toda a hora.
  • 11:14 - 11:18
    Estão arruinadas
    financeira e emocionalmente
  • 11:18 - 11:21
    porque deram todo o seu dinheiro
    e a sua fé a essas pessoas.
  • 11:21 - 11:23
    Eu há bocado engoli uns comprimidos,
  • 11:23 - 11:25
    tenho que vos explicar isso.
  • 11:25 - 11:28
    Homeopatia, vamos descobrir o que é isso.
  • 11:28 - 11:31
    Já ouviram falar disso?
  • 11:31 - 11:33
    É uma forma alternativa de tratamento.
  • 11:33 - 11:36
    A homeopatia na realidade consiste
    — e é isso que isto é.
  • 11:36 - 11:39
    Isto é Calm's Forte,
  • 11:39 - 11:42
    trinta e dois comprimidos para dormir
    — esqueci-me de dizer isso.
  • 11:42 - 11:47
    Eu ingeri o conteúdo de seis dias e meio
    de comprimidos para dormir.
  • 11:47 - 11:49
    (Risos)
  • 11:49 - 11:52
    Seis dias e meio, isso é certamente
    uma dose fatal.
  • 11:52 - 11:54
    Diz mesmo aqui atrás,
  • 11:54 - 11:55
    "Em caso de overdose,
  • 11:55 - 11:58
    contacte o seu centro de controlo
    de envenenamento imediatamente,"
  • 11:58 - 12:00
    e dá-nos um número.
  • 12:00 - 12:02
    Não saiam dos vossos lugares.
    Vai correr tudo bem.
  • 12:02 - 12:04
    Não preciso de ajuda
  • 12:04 - 12:08
    porque eu tenho feito esta proeza
    para audiências por todo o mundo
  • 12:08 - 12:10
    nos últimos oito ou dez anos,
  • 12:10 - 12:13
    tomar doses fatais de comprimidos
    para dormir homeopáticos.
  • 12:13 - 12:16
    Porque é que não têm
    qualquer efeito em mim?
  • 12:16 - 12:17
    (Risos)
  • 12:17 - 12:20
    (Aplausos)
  • 12:20 - 12:23
    A resposta pode surpreender-vos.
  • 12:23 - 12:24
    O que é a homeopatia?
  • 12:24 - 12:26
    É pegar num medicamento
    que realmente funciona
  • 12:26 - 12:30
    e diluí-lo bem para lá
    do limite de Avogadro.
  • 12:30 - 12:32
    Diluindo-o até ao ponto
  • 12:32 - 12:35
    em que não sobre nada do mesmo.
  • 12:35 - 12:38
    Malta, isto não é apenas uma metáfora
  • 12:38 - 12:40
    que eu estou a dar-vos agora, é verdade.
  • 12:40 - 12:46
    É exactamente o equivalente a pegar
    numa aspirina de 325 miligramas,
  • 12:46 - 12:49
    atirá-la para o lago Tahoe,
  • 12:49 - 12:52
    e depois mexer, obviamente
    com um pau muito grande,
  • 12:52 - 12:57
    e esperar cerca de dois anos
    até a solução ser homogénea.
  • 12:57 - 12:59
    Depois, quando tiverem uma dor de cabeça,
  • 12:59 - 13:02
    tomam um pequeno gole desta água,
    e voilá! desapareceu.
  • 13:02 - 13:04
    (Risos)
  • 13:05 - 13:07
    Isto é verdade. É o que a homeopatia é.
  • 13:07 - 13:10
    Outra afirmação que eles fazem
    — vão adorar esta —
  • 13:10 - 13:13
    "Quanto mais diluído estiver o remédio",
    dizem eles,
  • 13:13 - 13:15
    "mais forte será o mesmo".
  • 13:15 - 13:18
    Esperem aí, ouvimos falar
    de alguém na Flórida.
  • 13:18 - 13:21
    O pobre homem, estava a tratar-se
    com remédios homeopáticos.
  • 13:21 - 13:23
    Morreu de uma overdose.
  • 13:23 - 13:24
    Esqueceu-se de tomar o seu comprimido.
  • 13:24 - 13:26
    (Risos)
  • 13:26 - 13:28
    Pensem nisso. Pensem nisso.
  • 13:30 - 13:33
    É uma coisa ridícula.
    É absolutamente ridículo.
  • 13:33 - 13:35
    Não sei o que é que andamos a fazer,
  • 13:35 - 13:38
    acreditando neste disparate todo
    durante tantos anos.
  • 13:38 - 13:40
    Agora, deixem-me dizer-vos,
  • 13:40 - 13:42
    a James Randi Educational Foundation
  • 13:42 - 13:44
    está a acenar com esta enorme cenoura,
  • 13:44 - 13:49
    mas devo dizer, o facto de ninguém
    conseguir agarrar esta oferta
  • 13:49 - 13:51
    não significa que os poderes não existem.
  • 13:51 - 13:54
    Poderão existir, nalgum lugar por aí.
  • 13:54 - 13:57
    Se calhar estas pessoas
    são bastante abastadas.
  • 13:57 - 13:59
    Bem, com a Sylvia Browne, calculo que sim.
  • 13:59 - 14:03
    Sabem, 700 dólares por uma leitura
    de 20 minutos pelo telefone,
  • 14:03 - 14:05
    é mais do que os advogados ganham.
  • 14:06 - 14:08
    É uma quantia fabulosa de dinheiro.
  • 14:08 - 14:11
    Estas pessoas talvez não precisem
    do milhão de dólares.
  • 14:11 - 14:14
    Mas não acham que os mesmos
    gostariam de o receber
  • 14:14 - 14:15
    só para me fazer parecer tolo?
  • 14:15 - 14:19
    Só para se verem livres desta pessoa ímpia
  • 14:19 - 14:21
    de que a Sylvia Browne fala o tempo todo?
  • 14:21 - 14:24
    Acho que tem que se fazer
    qualquer coisa quanto a isto.
  • 14:24 - 14:26
    Gostaríamos mesmo
    de receber sugestões vossas
  • 14:26 - 14:31
    sobre como contactar autoridades,
    federais, estatais e locais
  • 14:31 - 14:33
    para elas fazerem qualquer coisa.
  • 14:33 - 14:36
    Se descobrirem — eu compreendo —
  • 14:36 - 14:38
    nós vemos pessoas, inclusivamente hoje,
  • 14:38 - 14:40
    a falar-nos da epidemia de Sida
  • 14:40 - 14:42
    e crianças famintas por todo o mundo
  • 14:42 - 14:45
    e fontes de água imprópria para consumo
    que as pessoas têm que usar.
  • 14:45 - 14:48
    São coisas muito importantes,
  • 14:48 - 14:49
    criticamente importantes para nós.
  • 14:49 - 14:52
    E temos de fazer alguma coisa
    quanto a esses problemas.
  • 14:52 - 14:54
    Mas ao mesmo tempo...
  • 14:54 - 14:56
    Como Arthur C. Clarke disse:
  • 14:56 - 14:58
    "O apodrecimento da mente humana."
  • 14:58 - 15:02
    O negócio de acreditar no paranormal
    e no oculto e no supernatural,
  • 15:02 - 15:04
    todo este disparate,
  • 15:04 - 15:06
    esta linha de pensamento medieval,
  • 15:06 - 15:08
    eu acho que se devia fazer
    alguma coisa quanto a isso,
  • 15:08 - 15:10
    e tudo se resume à educação
  • 15:10 - 15:14
    Em grande medida, os media
    são os culpados por este tipo de coisa.
  • 15:14 - 15:18
    Eles promovem sem escrúpulos
    todo o tipo de disparate deste género
  • 15:18 - 15:22
    porque agrada aos patrocinadores.
  • 15:22 - 15:24
    É a razão primária, a razão do dólar.
  • 15:24 - 15:26
    Só olham para isso.
  • 15:26 - 15:29
    Temos mesmo que fazer
    alguma coisa quanto a isto.
  • 15:29 - 15:31
    Estou disposto
    a receber as vossas sugestões,
  • 15:31 - 15:33
    e estou disposto a recebê-los
  • 15:33 - 15:35
    liguem-se à nossa webpage.
  • 15:35 - 15:38
    Fica em www.randi.org.
  • 15:38 - 15:40
    Vão lá e pesquisem nos arquivos,
  • 15:40 - 15:42
    e vão começar a perceber muito mais
  • 15:42 - 15:44
    sobre o que estive hoje aqui a falar.
  • 15:44 - 15:46
    Verão o registos que temos.
  • 15:46 - 15:49
    Não existe nada como
    sentarmo-nos na biblioteca
  • 15:49 - 15:51
    e ver aparecer uma família
  • 15:51 - 15:53
    e dizer que a mamã
    gastou toda a fortuna da família.
  • 15:53 - 15:56
    Gastou o dinheiro das contas-poupança,
  • 15:56 - 15:58
    deu as acções e os certificados.
  • 15:58 - 16:00
    Isso é realmente triste de se ouvir,
  • 16:00 - 16:03
    e não os ajudou nem um bocado,
  • 16:03 - 16:05
    não resolveu nenhum dos seus problemas.
  • 16:05 - 16:08
    Sim, vir a haver um apodrecimento
    da mente americana
  • 16:08 - 16:10
    e das mentes por todo o mundo
  • 16:10 - 16:13
    se não começarmos a pensar
    com sensatez nestas coisas.
  • 16:14 - 16:16
    Nós oferecemos esta cenoura,
  • 16:16 - 16:18
    como eu disse, acenámos a cenoura.
  • 16:18 - 16:21
    Esperamos que os psíquicos
    se cheguem à frente e a apanhem.
  • 16:21 - 16:24
    Oh, temos muitos deles,
    passam por lá centenas deles todos os anos.
  • 16:24 - 16:26
    Estes são os videntes e as pessoas
  • 16:26 - 16:28
    que pensam que também conseguem
    falar com os mortos,
  • 16:28 - 16:30
    mas são amadores, eles não sabem avaliar
  • 16:30 - 16:33
    os seus alegados poderes.
  • 16:33 - 16:35
    Os profissionais nunca se aproximam de nós,
  • 16:35 - 16:37
    excepto naquele caso da Sylvia Browne
  • 16:37 - 16:40
    que eu vos contei há bocado.
  • 16:40 - 16:43
    Ela aceitou e depois recuou.
  • 16:43 - 16:46
    Senhoras e senhores,
  • 16:46 - 16:49
    Eu sou o James Randi,
  • 16:49 - 16:52
    e estou à espera.
  • 16:52 - 16:54
    Obrigado.
  • 16:54 - 16:57
    (Aplauso)
Title:
Homeopatia, charlatanice e fraude
Speaker:
James Randi
Description:

O céptico lendário James Randi ingere uma dose fatal de comprimidos homeopáticos para dormir em palco, dando início a uns intensos 18 minutos de ataque a crenças irracionais. Lança um desafio aos psíquicos do mundo: provem que o que fazem é real, e eu dar-vos-ei um milhão de dólares. (Ainda não existem vencedores)

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Project:
TEDTalks
Duration:
16:59
Margarida Ferreira edited Portuguese subtitles for Homeopathy, quackery and fraud
Margarida Ferreira edited Portuguese subtitles for Homeopathy, quackery and fraud
Alexandre Loureiro added a translation

Portuguese subtitles

Revisions Compare revisions