YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtitles

← Por que eu vivo em pavor mortal de falar em público

Get Embed Code
32 Languages

Showing Revision 6 created 09/17/2014 by janet dragojevic.

  1. Não sei se, quando concordei
    em fazer isto,
  2. esperavam que eu falasse ou cantasse.
  3. Mas quando me disseram
    que o assunto é linguagem,
  4. senti que devia falar
    um pouco sobre alguma coisa.
  5. Eu tenho um problema.

  6. Não é a pior coisa do mundo.
  7. Estou bem.
  8. Não estou pegando fogo.
  9. Sei que outras pessoas no mundo
  10. têm coisas muitos piores com que lidar,
  11. mas, para mim, linguagem e música são
  12. intrinsecamente conectadas
    por um ponto.
  13. E esse ponto é que eu gaguejo.

  14. Pode ser curioso, dado que eu passo
  15. muito da minha vida no palco.
  16. Talvez achem que me sinto confortável
  17. na esfera pública e confortável aqui,
  18. falando para vocês.
  19. Mas a verdade é que
    passei a minha vida até agora,
  20. incluindo este momento,
    vivendo em pavor mortal
  21. de discursar em público.
  22. Cantar em público,
    totalmente diferente. (Risos)
  23. Mas já vamos chegar lá.
  24. Nunca falei disso antes
    tão explicitamente.
  25. Acho que é porque sempre tive esperança
  26. de que, quando fosse adulta,
  27. não gaguejaria.
  28. Eu meio que vivi com essa ideia
    de que, quando crescesse,
  29. teria aprendido a falar francês
  30. e, quando crescesse, aprenderia
    a cuidar do meu dinheiro
  31. e, quando crescesse, não gaguejaria,
  32. e conseguiria falar em público
    e talvez ser primeira-ministra
  33. e tudo seria possível e, vocês sabem.
  34. (Risos)
  35. E agora posso falar disso
  36. porque cheguei a um ponto em que...
  37. Quero dizer, tenho 28 anos.
  38. Tenho certeza de que estou crescida agora.
  39. (Risos)
  40. E sou uma mulher adulta
  41. que vive sua vida como artista,
  42. com um problema de fala.
  43. Bom, eu poderia muito bem abrir o jogo.
  44. Há alguns pontos de vista
    interessantes em ser gago.

  45. Para mim, a pior coisa que pode acontecer
  46. é encontrar outro gago.
  47. (Risos)
  48. Isso me aconteceu em Hamburg,
  49. quando um cara,
    nós nos conhecemos, e ele disse:
  50. "Olá, m-m-m-meu nome é Joe",
  51. e eu disse:
    "Oh, olá, m-m-m-meu nome é Meg".
  52. Imaginem meu terror quando percebi
  53. que ele achou que eu estava
    tirando sarro dele.
  54. (Risos)
  55. Sempre pensam que estou bêbada.

  56. (Risos)
  57. Pensam que esqueci os nomes das pessoas

  58. quando hesito antes de dizê-los.
  59. E é uma coisa muito estranha,
  60. porque nomes próprios são os piores.
  61. Se for usar a palavra
    "quarta-feira" numa sentença,
  62. e estou chegando na palavra,
  63. e sinto que vou gaguejar ou algo assim,
  64. eu posso trocar a palavra para "amanhã",
  65. ou "o dia depois de terça-feira",
  66. ou alguma outra coisa.
  67. É estranho, mas dá para me virar,
  68. porque, com o tempo, desenvolvi
  69. esse método de fuga ao usar a fala,
  70. em que, bem no último minuto,
  71. você muda a coisa e engana seu cérebro.
  72. Mas com os nomes das pessoas,
    não dá para mudá-los.
  73. (Risos)
  74. Quando eu cantava bastante jazz,
  75. trabalhava bastante com um pianista
    que se chamava Steve.
  76. Como vocês provavelmente perceberam,
  77. S's e T's, juntos ou separados,
  78. são minha criptonita.
  79. Mas eu tinha que apresentar a banda
  80. durante os improvisos,
  81. e quando eu chegava no Steve,
  82. eu normalmente ficava presa no "St".
  83. Era um pouco estranho e desconfortável
    e quebra totalmente o clima.
  84. Então, depois de alguns
    incidentes como esse,
  85. Steve alegremente se tornou "Seve",
  86. e foi assim que conseguimos. (Risos)
  87. Já fiz muita terapia,

  88. e uma forma comum de tratamento
  89. é usar uma técnica chamada fala suave,
  90. que é quando você quase canta
    tudo o que você fala.
  91. Você meio que junta tudo
  92. desta maneira cantante
    de professora de pré-escola,
  93. e faz você soar muito sereno,
    como se tivesse tomado muito Valium,
  94. e tudo estivesse calmo. (Risos)
  95. Não sou bem assim.
  96. E eu uso isso bastante. Eu uso.
  97. Uso quando tenho que estar em painéis,
  98. ou quando tenho que dar
    entrevistas na rádio,
  99. quando a economia
    de tempo no ar é primordial.
  100. (Risos)
  101. Passo por isso deste jeito
    no meu trabalho.
  102. Mas como uma artista
    que sente que seu trabalho
  103. é somente baseado
    numa plataforma de honestidade
  104. e de ser real,
  105. parece que isso é trapacear.
  106. E é por isso que, antes de cantar,
    eu gostaria de lhes dizer

  107. o que cantar significa para mim.
  108. É mais do que emitir sons bonitos,
  109. e é mais do que criar músicas bonitas.
  110. É mais do que se sentir
    conhecido ou entendido.
  111. É mais do que fazê-los sentir
    o que estou sentindo.
  112. Não se trata de mitologia,
  113. ou de me mitificar para vocês.
  114. De alguma maneira, através de uma função
  115. sináptica miraculosa do cérebro humano,
  116. é impossível gaguejar cantando.
  117. E quando eu era mais jovem,
    esse era um método de tratamento
  118. que funcionava muito bem para mim,
  119. cantar, e eu fazia muito isso.
  120. E é por isso que estou aqui hoje.
  121. (Aplausos)

  122. Obrigada.

  123. Cantar, para mim, é um alívio doce.

  124. É o único momento em que me sinto fluente.
  125. É o único momento em que
    o que sai da minha boca
  126. é exatamente o que eu
    queria dizer como um todo.
  127. (Risos)
  128. Sei que esta é uma palestra TED,
  129. mas agora vou fazer uma música TED.
  130. É uma música que compus no ano passado.
  131. Muito obrigada. Obrigada.

  132. (Aplausos)

  133. (Piano)

  134. ♪ Eu seria uma beleza ♪

  135. ♪ mas meu nariz ♪

  136. ♪ é ligeiramente grande demais ♪

  137. ♪ para meu rosto ♪

  138. ♪ E eu seria uma sonhadora ♪

  139. ♪ mas meu sonho ♪

  140. ♪ é ligeiramente grande demais ♪

  141. ♪ para este espaço ♪

  142. ♪ E eu seria um anjo ♪

  143. ♪ mas minha auréola ♪

  144. ♪ ela fica pálida com o brilho ♪

  145. ♪ de sua graça ♪

  146. ♪ E eu seria um coringa ♪

  147. ♪ mas essa carta parece boba
    quando você joga ♪

  148. ♪ seu ás ♪

  149. ♪ Eu gostaria de saber ♪

  150. ♪ Será que há estrelas no inferno? ♪

  151. ♪ E gostaria de saber ♪

  152. ♪ saber se você percebe ♪

  153. ♪ que você me faz perder
    tudo que conheço ♪

  154. ♪ Que eu não posso escolher
    deixar ou não ♪

  155. ♪ E eu ficaria para sempre ♪

  156. ♪ mas meu lar ♪

  157. ♪ está ligeiramente longe demais ♪

  158. ♪ deste lugar ♪

  159. ♪ E eu juro que tentei ♪

  160. ♪ desacelerar ♪

  161. ♪ quando estou seguindo seu ritmo ♪

  162. ♪ Mas tudo que eu podia pensar ♪

  163. ♪ vagando pelas cidades ♪

  164. ♪ será que eu fico bonita na chuva? ♪

  165. ♪ E eu não sei como alguém ♪

  166. ♪ assim tão encantador ♪

  167. ♪ me faz sentir-me feia ♪

  168. ♪ Tanta vergonha ♪

  169. ♪ E eu gostaria de saber ♪

  170. ♪ Será que há estrelas no inferno? ♪

  171. ♪ E gostaria de saber ♪

  172. ♪ saber se você percebe ♪

  173. ♪ que você me faz perder
    tudo que conheço ♪

  174. ♪ que eu não posso escolher
    deixar ou não ♪

  175. Muito obrigada. (Aplausos)