YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtitles

← A coisa mais importante que você pode fazer para combater as mudanças climáticas: falar sobre elas

Get Embed Code
28 Languages

Showing Revision 53 created 01/17/2019 by Raissa Mendes.

  1. Era o meu primeiro ano
    como professora de ciência atmosférica

  2. na Universidade de Tecnologia do Texas.
  3. Tínhamos acabado de nos mudar
    para Lubbock, Texas,
  4. que tinha sido recentemente nomeada
    a segunda cidade mais conservadora
  5. dos Estados Unidos.
  6. Um colega me pediu para dar
    sua aula sobre geologia.
  7. Eu disse: "Claro".
  8. Mas, quando cheguei, o auditório
    parecia uma caverna e estava escuro.
  9. Enquanto eu falava sobre o histórico
    do ciclo do carbono
  10. ao longo do tempo geológico
    até os dias atuais,
  11. a maioria dos estudantes
    estavam caídos, dormindo
  12. ou mexendo em seus celulares.
  13. Eu terminei minha palestra
  14. com um pedido esperançoso por perguntas.
  15. E uma mão foi levantada imediatamente.
  16. Eu olhei animada, ele se levantou
    e, com uma voz forte, disse:
  17. "Você é democrata, não é?"
  18. (Risos)

  19. "Não", respondi, "sou canadense".

  20. (Risos)

  21. (Aplausos)

  22. Aquele foi meu batismo de fogo

  23. no que agora se tornou
    uma triste realidade nos EUA
  24. e que também cresce no Canadá.
  25. O que vai determinar
  26. se aceitamos que o clima está mudando,
  27. que os humanos são os responsáveis
  28. e que os impactos são cada vez
    mais sérios e perigosos,
  29. não tem nada a ver
    com o quanto sabemos sobre ciência
  30. ou quão inteligentes somos,
  31. mas sim onde nos encaixamos
    no espectro político.
  32. Será que o termômetro
    nos dá uma resposta diferente

  33. dependendo se somos
    liberais ou conservadores?
  34. Com certeza não.
  35. Mas se o termômetro nos diz
    que o planeta está aquecendo,
  36. que os humanos são responsáveis
  37. e que para consertar essa situação
  38. temos que nos livrar de combustíveis
    fósseis o mais rápido possível,
  39. bem, algumas pessoas
    preferem cortar seu braço fora
  40. a dar ao governo alguma justificativa
  41. que vá atrapalhar suas vidas confortáveis
    e dizer a elas o que fazer.
  42. Mas dizer: "Sim, é um problema real,
    mas não quero resolvê-lo"
  43. faz com que sejamos os vilões,
    e ninguém quer ser o vilão.
  44. Então usamos argumentos
    como: "É apenas um ciclo natural".
  45. "É o sol."
  46. Ou o meu favorito:
  47. "Esses cientistas climáticos
    só querem saber de dinheiro".
  48. (Risos)

  49. Ouço esse pelo menos uma vez por semana.

  50. Mas essas são apenas
    cortinas de fumaça pseudocientíficas,
  51. desenvolvidas para esconder
    o motivo real de nossas discordâncias,
  52. que não tem nada a ver com ciência,
  53. mas tudo a ver com nossa ideologia
    e nossa identidade.
  54. Quando ligamos a TV nos dias atuais,

  55. parece que o comentarista X diz:
  56. "Está frio, cadê o aquecimento global?"
  57. E o político Y diz: "Para cada cientista
    que diz que o problema é real,
  58. posso achar um que diz o contrário".
  59. É evidente que às vezes sentimos
    como se todos repetissem esses mitos.
  60. Mas, quando observamos os dados,
  61. e o Yale Program
    on Climate Change Communication
  62. tem feito pesquisas de opinião pública
    no país há alguns anos,
  63. os dados mostram que, na verdade,
    70% das pessoas nos EUA concordam
  64. que o clima está mudando.
  65. E 70% também acreditam
    que animais e plantas serão prejudicados,
  66. além das gerações futuras.
  67. Mas, quando vamos mais a fundo,
    a teoria na prática é outra.
  68. Apenas 60% acreditam que isso
    irá afetar as pessoas nos EUA.
  69. Apenas 40% acreditam
    que seremos afetados pessoalmente.
  70. E quando perguntadas:
    "Você conversa sobre isso?",

  71. dois terços das pessoas nos EUA
    respondem: "Nunca".
  72. E, pior, quando são perguntadas:
    "Você vê esse assunto na mídia?",
  73. mais de três quartos
    das pessoas dizem que não.
  74. Vemos que é um ciclo vicioso.
  75. O planeta aquece.
  76. Ondas de calor ficam mais fortes.
  77. Precipitações pesadas
    se tornam mais frequentes.
  78. Furacões se intensificam.
  79. Cientistas publicam
    outro relatório conclusivo.
  80. Políticos contra-atacam
    cada vez mais forte,
  81. com os mesmos mitos pseudocientíficos.
  82. O que podemos fazer
    para quebrar esse ciclo vicioso?

  83. O essencial que podemos fazer
    é o que não estamos fazendo:
  84. conversar sobre isso.
  85. Você talvez diga: "Não sou cientista.
  86. Como vou falar sobre forçamento radioativo
  87. ou parametrização de nuvens
    em modelos climáticos?"
  88. Não precisamos falar sobre ciência;
  89. já falamos sobre ciência
    há mais de 150 anos.
  90. Sabiam que já faz mais
    de 150 anos, desde a década de 1850,
  91. que cientistas climáticos descobriram
  92. que desenterrar e queimar carvão e óleo
  93. produz gases que aprisionam o calor
  94. e que estão envolvendo
    o planeta em um cobertor extra?
  95. Sabemos desde aquele tempo.
  96. Já faz 50 anos
  97. desde a primeira vez que cientistas
    alertaram um presidente americano
  98. dos perigos de uma mudança climática,
  99. e o presidente era Lyndon B. Johnson.
  100. E tem mais: a ciência social nos ensinou
  101. que, se as pessoas constroem a identidade
    sobre a rejeição de certos fatos,
  102. argumentar sobre tais fatos
    se torna um ataque pessoal.
  103. Isso faz com que cavem mais a fundo,
  104. construindo uma trincheira
    em vez de uma ponte.
  105. Então, se não vamos falar sobre ciência

  106. ou se não precisamos falar sobre ciência,
  107. do que precisamos falar?
  108. A coisa mais importante a fazer é:
  109. em vez de começar com a cabeça,
    com todas as informações e fatos,
  110. comece com o coração.
  111. Comece falando do motivo
    de nos importarmos,
  112. Comece com valores
    genuinamente compartilhados.
  113. Somos pais?
  114. Vivemos na mesma comunidade?
  115. Gostamos das mesmas atividades,
  116. como caminhada, ciclismo,
    pescaria ou mesmo caça?
  117. Ligamos para a economia
    ou a segurança nacional?
  118. Pra mim, uma das melhores formas
    de me conectar com as pessoas
  119. é através da minha fé.
  120. Como cristã, acredito que Deus
    criou este planeta incrível em que vivemos
  121. e que também nos atribuiu o cuidado
    de qualquer forma de vida aqui presente.
  122. E, além disso, acredito
    que devemos nos importar e amar
  123. os menos favorecidos entre nós,
  124. os quais já estão sofrendo os impactos
    da pobreza, da fome, das doenças, etc.
  125. Se você não conhece os valores de alguém,

  126. converse com a pessoa, conheça-a,
    descubra o que a motiva.
  127. E, depois disso,
  128. tudo que precisamos fazer é a ligação
    entre os valores que elas possuem
  129. e por que deveriam se importar
    com uma mudança climática.
  130. Eu acredito firmemente,
    depois de milhares de conversas que tive
  131. nas últimas décadas,
  132. que cada pessoa no mundo
  133. possui os valores necessários
    para se importar com a mudança climática,
  134. apenas não conectou os pontos.
  135. E é isso que podemos fazer
    através de um diálogo.
  136. A única razão pela qual eu ligo
    para uma mudança climática

  137. é por causa de quem eu já sou.
  138. Eu sou mãe, eu me importo
    com o futuro de minha criança.
  139. Eu moro no oeste do Texas,
    onde a água já é escassa
  140. e a mudança climática está afetando
    a disponibilidade dessa água.
  141. Eu sou cristã, me importo
    com a mudança climática
  142. porque, como os militares dizem,
    é um "multiplicador de ameaças".
  143. Ela agrava problemas como
  144. pobreza, fome, doenças,
    falta de acesso à água limpa
  145. e até mesmo crises políticas,
    que levam a crises de refugiados;
  146. agrava todos esses problemas,
  147. tornando-os piores.
  148. Eu não sou rotariana,

  149. mas quando dei minha
    primeira palestra no Rotary Club,
  150. entrei, e tinham um cartaz enorme
    com a Prova Quádrupla exposta.
  151. "É a verdade?"
  152. Pode apostar.
  153. "É justo?"
  154. Nem pensar, é isso que me preocupa
    a respeito da mudança climática,
  155. sua extrema injustiça.
  156. Aqueles que menos contribuem
    para o problema
  157. são os que sofrem os maiores impactos.
  158. As perguntas continuaram:
  159. "Será benéfico a todos,
    criará boa vontade?"
  160. Bem, se resolvêssemos, seria.
  161. Eu reorganizei minha palestra
    de acordo com a Prova Quádrupla
  162. e então a ministrei àquele grupo
    de executivos conservadores
  163. no oeste do Texas.
  164. Nunca me esquecerei do final,

  165. quando um dono de um banco local
    veio até mim com uma cara confusa.
  166. Ele disse: "Sabe, eu não tinha certeza
    desse tal aquecimento global,
  167. mas ele passou na Prova Quádrupla".
  168. (Risos)

  169. (Aplausos)

  170. Contudo, os valores precisam ser genuínos.

  171. Dei uma palestra numa universidade
    cristã há uns anos
  172. e, após minha palestra, um colega
    cientista veio até mim e disse:
  173. "Preciso de ajuda,
  174. tenho tentado dar o primeiro passo
  175. em relação às nossas igrejas locais,
  176. mas não recebo atenção.
  177. Quero explicar-lhes o motivo
    da mudança climática nos importar".
  178. Respondi: "Bem, o melhor a fazer é começar
    com a sua denominação religiosa,
  179. porque você compartilha
    valores com essas pessoas.
  180. Que igreja você frequenta?"
  181. "Ah, não frequento igrejas,
    sou ateísta", disse ele.
  182. (Risos)

  183. Respondi: "Bem, nesse caso,
    começar com uma comunidade crente

  184. provavelmente não seja a melhor ideia.
  185. Vamos conversar sobre o que
    você gosta, no que está envolvido".
  186. E conseguimos identificar um grupo
  187. do qual ele fazia parte
    e pelo qual poderia começar.
  188. A verdade é que não precisamos
    ser liberais ecologistas

  189. para nos importarmos
    com a mudança climática.
  190. Tudo o que precisamos ser
    é um humano, vivendo neste planeta.
  191. Porque, não importa onde vivemos,
  192. a mudança climática já nos afeta hoje.
  193. Se vivemos no litoral,
  194. em muitos lugares já estamos
    vendo inundações em dias de sol.
  195. Se vivemos no oeste norte-americano,
  196. já estamos vendo áreas enormes
    sendo queimadas por incêndios florestais.
  197. Se vivemos em regiões costeiras,
  198. desde o Golfo do México
    até o sul do Oceano Pacífico,
  199. já estamos vendo furacões,
    tufões e ciclones mais fortes,
  200. devido ao aquecimento do oceano.
  201. Se vivemos no Texas ou na Síria,
  202. estamos vendo a mudança climática
    intensificar a seca,
  203. tornando-a mais frequente e severa.
  204. Seja lá onde vivemos, já estamos sendo
    afetados pela mudança climática.
  205. Você pode dizer: "Certo,
    podemos falar dos impactos,

  206. vamos aterrorizar as pessoas,
    porque isso é sério".
  207. E é mesmo, acredite.
    Sou cientista, sei disso.
  208. (Risos)

  209. Mas medo não vai nos motivar

  210. para a mudança sustentada a longo prazo
  211. que precisamos para
    consertar essa situação.
  212. O medo foi feito para nos ajudar
    a escapar de um urso.
  213. Ou apenas correr mais rápido
    que a pessoa ao nosso lado.
  214. (Risos)

  215. O que precisamos
    para resolver essa situação

  216. é esperança racional.
  217. Sim, precisamos saber o que está em jogo.
  218. Com certeza precisamos.
  219. Mas precisamos da visão
    de um futuro melhor,
  220. um futuro com energia abundante,
  221. com economia estável,
  222. com recursos disponíveis para todos,
  223. em que nossas vidas não sejam piores,
    mas sim melhores do que são hoje.
  224. Há soluções.
  225. E é por isso que a segunda coisa
    mais importante sobre a qual devemos falar
  226. são as soluções: práticas,
    viáveis, acessíveis e atrativas.
  227. Como o quê?
  228. Não há solução instantânea,
  229. mas há muitas soluções extraordinárias.
  230. (Risos)

  231. Há soluções simples que poupam dinheiro

  232. e ao mesmo tempo
    reduzem a pegada do carbono.
  233. Sim, lâmpadas elétricas.
  234. Eu amo meu carro elétrico.
  235. Eu gostaria de algumas telhas solares.
  236. Mas imagine se todas as casas
    viessem com um interruptor na porta,
  237. para que, quando saísse, você pudesse
    desligar tudo, exceto sua geladeira.
  238. E talvez o gravador de vídeo.
  239. (Risos)

  240. Escolhas de estilo de vida:
    comer produtos locais,

  241. comer mais da base da cadeia alimentar
  242. e reduzir o desperdício de comida,
    o que, numa escala global,
  243. é uma das coisas mais importantes que
    podemos fazer para resolver esse problema.
  244. Sou uma cientista climática,
  245. e a ironia de viajar por aí para conversar
    sobre a mudança climática
  246. é algo sensível para mim.
  247. (Risos)

  248. A maior parte da minha pegada de carbono

  249. vem através das minhas viagens.
  250. E é por isso que seleciono
    convites cuidadosamente.
  251. Não vou a lugar algum até que haja
    uma grande quantidade
  252. de convites para um único lugar,
  253. que vão de 3 a 4,
  254. às vezes resultando em 10 ou 15
    palestras em determinado lugar,
  255. dessa forma posso minimizar
    minha pegada de carbono
  256. ao máximo.
  257. E três quartos das palestras
    que ministro são através de vídeos.
  258. Com frequência as pessoas dizem:
    "Nunca fizemos isso antes".
  259. Mas eu digo: "Vamos tentar,
    talvez funcione".
  260. Porém, acima de tudo,
  261. precisamos falar sobre o que já está
    acontecendo ao redor do mundo hoje
  262. e o que pode acontecer no futuro.
  263. Eu moro no Texas,

  264. o Texas emite mais carbono
    do que qualquer outro estado dos EUA.
  265. Você talvez diga: "Do que você
    pode falar no Texas?"
  266. A resposta: um monte de coisas.
  267. Vocês sabiam que no Texas
    há mais de 25 mil empregos
  268. na indústria de energia eólica?
  269. Quase 20% de nossa eletricidade
    já provém de fontes limpas, renováveis,
  270. a maior parte sendo eólica, apesar
    da solar vir crescendo rapidamente.
  271. A maior base militar nos EUA, Fort Hood,
  272. está, com certeza, no Texas.
  273. E está funcionando à base
    de energia solar e eólica,
  274. para economizar US$ 150 milhões
    de impostos dos contribuintes.
  275. Sim.
  276. (Aplausos)

  277. Mas e as pessoas que não possuem
    os recursos que possuímos?

  278. Na África subsariana,
    há centenas de milhões de pessoas
  279. que não possuem acesso
  280. a qualquer tipo de energia,
    exceto querosene,
  281. que é muito caro.
  282. Ao redor do mundo,
  283. a fonte de energia
    que mais cresce é a solar.
  284. Eles possuem bastante energia solar.
  285. Investidores de impacto social,
    organizações sem fins lucrativos
  286. e até mesmo corporações
  287. estão usando novas técnicas inovadoras
    de microfinanciamento,
  288. como: "Pague conforme vai usando",
    para a energia solar,
  289. fazendo com que comprem
    a quantidade de energia que precisam,
  290. certas vezes até mesmo pelo celular.
  291. Uma empresa, a Azuri, distribuiu
    dezenas de milhares de unidades
  292. ao redor de 11 países,
    desde Ruanda até Uganda.
  293. Eles estimam que já produziram
    mais de 30 milhões de horas de energia
  294. e mais de 10 milhões de horas
    de carregamento de celulares.
  295. Mas e as gigantes economias
    em ascensão da China e Índia?

  296. Bem, impactos climáticos
    parecem mais distantes,
  297. mas impactos na qualidade do ar
    já estão presentes, hoje.
  298. Eles sabem que energia limpa
    é essencial para potencializar seu futuro.
  299. A China está investindo centenas
    de bilhões de dólares em energia limpa.
  300. Estão fechando minas de carvão
  301. e estão colocando
    painéis solares na superfície.
  302. Eles também têm um campo
    de painéis solares em formato de panda.
  303. (Aplausos)

  304. (Risos)

  305. Sim, eles ainda queimam carvão.

  306. Mas desligaram todas as usinas
    à carvão ao redor de Beijing.
  307. Na Índia, estão tentando substituir
  308. uns 250 milhões de lâmpadas LED,
  309. o que economizará US$ 7 bilhões
    em custo de energia.
  310. Eles estão investindo em trabalhos verdes
  311. e estão tentando descarbonizar
    toda sua frota de veículos.
  312. A Índia talvez seja o primeiro
    país a se industrializar
  313. sem depender exclusivamente
    de combustíveis fósseis.
  314. O mundo está mudando.

  315. Mas não rápido o suficiente.
  316. Com frequência, vemos esse problema
  317. como uma pedra gigante
    na parte debaixo da ladeira,
  318. com apenas algumas mãos
    tentando fazê-la subir a ladeira.
  319. Mas na realidade, a pedra
    já está no topo da ladeira
  320. e possui centenas de milhões,
    talvez até bilhões,
  321. empurrando-a para baixo.
  322. Apenas não está sendo rápido o suficiente.
  323. Então, como aceleramos essa pedra gigante
  324. para resolvermos
    a mudança climática a tempo?
  325. Você adivinhou.
  326. A maneira número um
    é conversando sobre ela.
  327. O ponto principal é este:

  328. a mudança climática está afetando você
    e eu, aqui, neste exato momento
  329. e nos lugares onde vivemos.
  330. Mas, trabalhando juntos,
    podemos resolver o problema.
  331. Certo, é um problema assustador.
  332. Ninguém sabe mais disso do que nós,
    cientistas climáticos.
  333. Mas não podemos nos desesperar.
  334. Temos que procurar
    pela esperança que precisamos,
  335. a que nos inspirará a agir.
  336. Tal esperança começa hoje,
    com uma conversa.
  337. Obrigada.

  338. (Aplausos)