YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese subtitles

← A minha vida como obra de arte

Get Embed Code
34 Languages

Showing Revision 9 created 08/05/2019 by Isabel Vaz Belchior.

  1. O meu dia começa
    exatamente como o vosso.
  2. (Risos)

  3. Quando acordo de manhã,

  4. verifico o meu telemóvel,
  5. e depois, tomo um café.
  6. Mas depois, começa realmente o meu dia.
  7. Pode não ser como o vosso,
    porque vivo a vida como uma obra de arte.
  8. Imaginem-se numa caixa de joias gigante
  9. com todas as coisas belas
    que alguma vez viram na vida.
  10. Depois, imaginem
    que o vosso corpo é uma tela.
  11. E nessa tela,
  12. vocês têm a missão de criar
    uma obra-prima
  13. usando o conteúdo
    da vossa caixa de joias gigante.
  14. Uma vez criada a vossa obra-prima,
  15. poderão pensar: "Uau. Eu criei isto.
  16. "Isto é o que eu sou hoje."
  17. Depois, apanham as chaves de casa,
  18. saem porta fora para o mundo real,
  19. talvez apanhem um transporte público
    para a baixa da cidade...
  20. Possivelmente, passeiam pelas ruas
    ou até vão às compras.
  21. Essa é a minha vida, todos os dias.

  22. Quando saio de casa,
  23. estas obras de arte sou eu.
  24. Eu sou arte.
  25. Tenho vivido como arte
    toda a minha vida adulta.
  26. Viver como arte
    é como me tornei eu próprio.
  27. Fui criado numa pequena aldeia
    chamada Fillongley, em Inglaterra,

  28. que foi mencionada em último lugar
    no "Domesday Book",
  29. por isso, já veem a mentalidade.
  30. (Risos)

  31. Eu fui criado pelos meus avós

  32. que eram antiquários,
  33. por isso, cresci rodeado
    pela História e por coisas belas.
  34. Eu tinha a mais espantosa
    caixa de roupas.
  35. Como podem imaginar, começou aí.
  36. Mudei-me para Londres aos 17 anos
    para me tornar modelo.
  37. E depois fui estudar fotografia.
  38. Eu não me sentia feliz comigo mesmo
    naquela altura,
  39. por isso, andava sempre em busca
    de um escapismo.
  40. Estudei as obras de David LaChapelle
  41. e de Steven Arnold,
  42. fotógrafos que fizeram a curadoria
    e criaram mundos
  43. que eram espantosos, para mim.
  44. Então, decidi um dia saltar
    do mundo superficial da moda
  45. para o mundo superficial da arte.
  46. (Risos)

  47. Eu decidi viver a minha vida
    como uma obra de arte.

  48. Passei horas, por vezes meses,
    a fazer coisas.
  49. A minha ferramenta de eleição
    é um alfinete de dama, como este...
  50. (Risos)

  51. Nunca são suficientemente grandes.

  52. (Risos)

  53. E eu uso os meus tecidos
    muitas vezes,

  54. por isso, eu reciclo tudo o que uso.
  55. Quando me visto, sou guiado
    pela cor, textura e forma.
  56. Raramente tenho um tema.
  57. Encontro objetos lindos
    de todo o mundo,
  58. e faço uma curadoria com eles
    em tapeçarias 3D
  59. sobre uma camada base
    que cobre toda a forma do meu corpo...
  60. porque não me sinto
    muito contente com o meu corpo.
  61. Pergunto-me: "Devo tirar alguma coisa

  62. "ou devo pôr alguma coisa?"
  63. "100 peças, talvez?"
  64. E, às vezes, faço isso.
  65. Juro-vos que não é
    demasiado desconfortável...
  66. bem, só um pouco.
  67. (Risos)

  68. Posso ter um alfinete de dama
    a espetar-me, às vezes,

  69. quando estou a conversar com vocês,
  70. por isso, distraio-me...
  71. (Risos)

  72. Normalmente, levo cerca
    de 20 minutos a ficar pronto,

  73. o que nunca ninguém acredita.
  74. É verdade...
  75. às vezes.
  76. É a minha versão de "t-shirt"
    e calças de ganga.
  77. (Risos)

  78. Quando me visto,
    construo como um arquiteto.

  79. Coloco as coisas cuidadosamente
    até sentir que elas pertencem ali.
  80. Depois, tenho muitas ideias
    a partir de sonhos lúcidos.
  81. Eu vou mesmo dormir para ter ideias,
  82. e treinei-me a acordar
    para as escrever.
  83. Eu uso as coisas até se desfazerem,
  84. e então, dou-lhes uma nova vida.
  85. O fato dourado, por exemplo
  86. — foi o fato que usei
    nas Casas do Parlamento em Londres.
  87. É feito de armadura,
    lantejoulas e joias partidas,
  88. e fui a primeira pessoa
    a usar armadura no Parlamento
  89. desde que Oliver Cromwell
    a baniu no século XVII.
  90. As coisas não têm de ser caras
    para serem belas.
  91. Tentem fazer fatos de sacos do lixo
    ou de lixo que encontrem nas ruas.
  92. Nunca se sabe,
  93. elas podem acabar nas páginas da "Vogue".
  94. Há mais de 6000 peças
    na minha coleção,

  95. que vão desde anéis romanos
    com 2000 anos
  96. a antigos artefactos budistas.
  97. Acredito em partilhar o que faço
    e o que tenho com outros,
  98. por isso, decidi criar
    uma exposição de arte,
  99. que atualmente viaja
    por museus à volta do mundo.
  100. Ela contém um exército de mim mesmo,
  101. esculturas do meu tamanho
    como veem atrás de mim,
  102. elas estão aqui...
  103. Elas são a minha vida.
  104. São como tapeçarias 3D
    da minha existência como obra de arte.
  105. Contêm cristais de plástico
    misturados com diamantes,
  106. latas de cerveja e sedas reais,
    tudo no mesmo fato.
  107. Gosto do facto de que o visitante
    nunca possa pressupor
  108. sobre o que é verdadeiro
    e o que é falso.
  109. Acho importante explorar e partilhar
    culturas através das minhas obras.
  110. Eu uso a roupa como meio de investigar
  111. e apreciar as pessoas de todo o mundo.
  112. Às vezes, as pessoas pensam
    que sou um artista "performer"

  113. ou uma "Drag Queen".
  114. Não sou.
  115. Embora a minha vida pareça ser
    uma "performance",
  116. não é.
  117. É muito real.
  118. A reação das pessoas comigo é a que teriam
    com qualquer tipo de obra de arte.
  119. Muitas pessoas
    ficam fascinadas e envolvidas.
  120. Algumas pessoas andam à minha volta,
    a olhar, tímidas, inicialmente,
  121. Depois, chegam-se e dizem que adoram
    ou absolutamente detestam o que faço.
  122. Às vezes respondo, e outras vezes,
    deixo a arte falar por si mesma.
  123. A coisa mais incómoda do mundo
    é quando as pessoas querem tocar na obra.
  124. Mas eu compreendo.
  125. Mas, como muita da arte contemporânea,
  126. muitas pessoas são depreciativas.
  127. Algumas pessoas são críticas,
  128. outras são abusivas.
  129. Penso que vem do medo do diferente
  130. — do desconhecido.
  131. Há muitas reações ao que eu faço,
  132. e tenho aprendido a não me ofender.
  133. Nunca vivi como Daniel Lismore, a pessoa.

  134. Tenho vivido como Daniel Lismore,
    a obra de arte.
  135. E tenho enfrentado todos os obstáculos
    como uma obra de arte.
  136. Pode ser difícil...
  137. especialmente se o vosso guarda-roupa
    ocupa um contentor de 12 m,
  138. três armários e 30 caixas da IKEA...
  139. (Risos)

  140. e, às vezes, pode ser muito difícil
    entrar em carros,

  141. e, por vezes
  142. — hoje de manhã não coube
    na porta da casa de banho,
  143. o que foi um problema.
  144. (Risos)

  145. "O que significa sermos nós mesmos?"

  146. As pessoas estão sempre a dizer isto,
  147. mas o que é que isso realmente significa,
  148. e porque é que isso é importante?
  149. Como é que a vida muda
    quando escolhemos ser nós mesmos,
  150. sem pedirmos desculpa por isso?
  151. Tenho tido lutas e triunfos
    ao viver a minha vida como obra de arte.

  152. Fui colocado em jatos privados
  153. e voei à volta do mundo.
  154. As minhas obras têm sido expostas
    em museus de prestígio,
  155. e tenho tido a oportunidade
  156. — a propósito, aqueles são os meus avós,
  157. são as pessoas que me criaram,
  158. e ali estou eu...
  159. (Risos)

  160. (Aplausos)

  161. Tenho sido colocado em jatos privados,
    voado à volta do mundo,

  162. e, no entanto,
    não tem sido assim tão fácil,
  163. porque, por vezes,
    tenho sido um sem abrigo,
  164. têm-me cuspido em cima,
  165. tenho sido injuriado,
    por vezes, diariamente,
  166. intimidado toda a minha vida,
  167. rejeitado por inúmeros indivíduos,
  168. e tenho sido apunhalado.
  169. Mas, o que me dói mais,
  170. foi ter sido colocado na lista
    dos "Mais Mal Vestidos".
  171. (Risos)

  172. Pode ser difícil sermos nós mesmos,

  173. mas descobri que é a melhor maneira.
  174. Ali está o "Mais Mal Vestido".

  175. (Risos)

  176. Citando [Oscar Wilde]: "Todas as outras
    personalidades já têm dono."

  177. Apercebi-me de que a confiança
    é um conceito que podemos escolher.
  178. Apercebi-me de que a autenticidade
    é necessária e é poderosa.
  179. Tentei passar tempo
    a ser como as outras pessoas.
  180. Não funcionou.
  181. Dá muito trabalho
    não sermos nós mesmos.
  182. Tenho algumas perguntas para vocês.

  183. Quem são vocês?
  184. Quantas versões há de vocês?
  185. E tenho uma última pergunta:
  186. Vocês estão a usar todas elas
    em vosso benefício?
  187. Na realidade, toda a gente é capaz
    de criar a sua própria obra de arte.

  188. Vocês deviam experimentar
    fazer isso, um dia.
  189. É bastante divertido.
  190. Obrigado.

  191. (Aplausos e vivas)