Portuguese subtitles

← A outra verdade inconveniente

Get Embed Code
28 Languages

Showing Revision 25 created 08/20/2014 by Isabel Vaz Belchior.

  1. Hoje, quero falar
    sobre um tema muito global,
  2. relacionado com a utilização da terra,
    de comida e o ambiente,
  3. algo que todos conhecemos,
  4. e o que tenho chamado a
    "outra verdade inconveniente".
  5. Mas primeiro, quero-vos levar
    numa pequena viagem.

  6. Primeiro, vamos visitar o nosso planeta,
  7. mas à noite, e do espaço.
  8. Este é o nosso planeta visto do espaço,
    à noite,
  9. se pegassem num satélite
  10. e viajassem à volta da terra.
  11. O que veriam primeiro
  12. é a dimensão da presença humana
    no nosso planeta.
  13. Vemos cidades, vemos campos petrolíferos,
  14. até conseguimos ver frotas de pesca no mar
  15. — estamos a dominar
    muito do nosso planeta,
  16. sobretudo através do uso de energia
  17. que vemos aqui à noite.
  18. Mas voltemos, e aprofundemos,
  19. e olhemos durante o dia.
  20. O que vemos durante o dia são
    as nossas paisagens.
  21. Isto é parte da bacia da Amazónia,
    um local chamado Rondónia

  22. no centro-sul da Amazónia brasileira.
  23. Se olharem com atenção para o
    canto superior direito,
  24. veem uma linha branca fina,
  25. que é uma estrada construída nos anos 70.
  26. Neste mesmo local em 2001,
  27. o que encontramos é que estas estradas
  28. resultam em mais estradas,
    e mais estradas ainda,
  29. e no final há uma pequena
    abertura na floresta
  30. onde estão algumas vacas.
  31. Estas vacas são utilizadas para bife.
    Vamos comer estas vacas.
  32. E estas vacas são basicamente
    consumidas na América do Sul,
  33. no Brasil e na Argentina.
  34. Não são enviadas para aqui.
  35. Mas este tipo de desflorestação
  36. é algo que se vê muito
    na zona dos trópicos,
  37. sobretudo nesta parte do mundo.
  38. Se formos um pouco mais para o sul
    nesta pequena visita ao mundo,

  39. podemos ir ao limite boliviano da Amazónia,
  40. também aqui em 1975.
  41. E se olharem com atenção,
  42. há uma pequena linha
    perto daquela costura,
  43. e há um agricultor solitário por lá,
  44. no meio da selva primitiva.
  45. Agora, anos depois, em 2003,
  46. vemos que aquela paisagem
    tem mais semelhanças
  47. com o Iowa do que com uma floresta.
  48. Na realidade, o que veem aqui
    são campos de soja.
  49. Estes grãos de soja são enviados
    para a Europa e China
  50. como alimento de animais, sobretudo
    depois do susto da doença das vacas loucas
  51. há cerca de uma década, em que
    não queremos alimentar animais
  52. com proteínas de animais
    porque pode transmitir doenças.
  53. Agora, queremos alimentá-los
    com proteínas vegetais.
  54. Portanto, a soja tem expandido,
  55. o que mostra como
    o comércio e a globalização
  56. são responsáveis
    pelas ligações às florestas
  57. e à Amazónia — temos hoje um mundo
  58. incrivelmente estranho e interligado.
  59. Novamente, o que encontramos
    quando procuramos

  60. no mundo, nesta pequena visita ao mundo,
  61. é que todas as paisagens,
    umas atrás das outras
  62. têm sido limpas e alteradas para
    a criação de alimentos
  63. e outras colheitas.
  64. Uma das perguntas que temos feito

  65. é quanto deste mundo é utilizado
    para cultivar alimentos,
  66. e onde é que fica, como
    podemos mudar isso no futuro,
  67. e o que é que isso significa?
  68. A nossa equipa tem olhado para isto
    numa escala global
  69. utilizando dados de satélite
    e dados obtidos no terreno
  70. para registar a agricultura
    numa escala global.
  71. Foi isto que encontramos e é alarmante.
  72. Este mapa mostra a presença da agricultura
  73. no planeta Terra.
  74. As áreas verdes são
    as áreas utilizadas para cultivo,
  75. como o trigo, a soja, o milho,
    o arroz ou outra coisa qualquer.
  76. São 16 milhões de km2 de terra.
  77. Se juntarmos isso tudo num só local,
  78. seria o tamanho da América do Sul.
  79. A segunda área, a castanho,
  80. são os pastos e pradarias mundiais,
    onde vivem os animais.
  81. São 30 milhões de quilómetros quadrados,
  82. cerca do tamanho da África.
  83. É uma enorme quantidade de terra,
    e é a melhor terra, claro.
  84. O que sobra é o meio do
    deserto do Saara, ou da Sibéria,
  85. ou o meio de uma floresta tropical.
  86. Já estamos a utilizar
    uma imensa quantidade de terra.
  87. Se olharmos com cuidado,
  88. vemos que é 40% da superfície da Terra
  89. que está reservada à agricultura,
  90. e é 60 vezes maior
  91. que todas as áreas de que nos queixamos:
  92. a expansão dos subúrbios
    ou as cidades onde vivemos.
  93. Metade da Humanidade
    vive hoje nas cidades,
  94. mas uma área 60 vezes maior
    é usada para criar alimento.
  95. E isto é um resultado extraordinário
  96. que nos choca quando olhamos para ele.
  97. Estamos a utilizar uma enorme
    quantidade de terra para a agricultura,

  98. mas também usamos
    uma grande quantidade de água.
  99. Isto é uma fotografia do Arizona,
  100. e quando a veem, perguntam:
  101. "O que estão a cultivar aqui?"
  102. Estão a cultivar alface
    no meio do deserto
  103. utilizando água pulverizada de cima.
  104. A ironia é que provavelmente é vendida
  105. nas prateleiras de cidades próximas.
  106. O que é realmente interessante é que
  107. esta água tem que vir
    de algum lado, que é aqui,
  108. o Rio Colorado na América do Norte.
  109. O Rio Colorado,
    num dia típico nos anos 50
  110. — num dia sem inundações ou secas -
  111. num dia normal, tem este aspecto.
  112. Mas nos dias de hoje,
    em condições normais,
  113. no mesmo local, o que resta é isto.
  114. A diferença é que está a irrigar
    o deserto para alimento,
  115. ou então os campos de golfe em Scottsdale.
    Podem escolher.
  116. Isto é muita água, mas uma vez mais,
    estamos a minerar água
  117. e a utilizá-la para cultivar alimento.
  118. E hoje, se descerem pelo Rio Colorado,
  119. chega a secar por completo
    e deixa de fluir para o oceano.
  120. Consumimos um rio inteiro
    na América do Norte
  121. para irrigação.
  122. Isto nem é o pior exemplo
    que temos no mundo.

  123. Provavelmente é o do Mar de Aral.
  124. Muitos de vós vão-se lembrar disto
    das aulas de geografia.
  125. Isto fica na antiga União Soviética.
  126. entre o Cazaquistão e Uzbequistão,
  127. um dos grandes mares interiores do mundo.
  128. Mas há um pequeno paradoxo aqui,
    porque parece que
  129. está cercado por um deserto.
  130. Como é que há aqui um mar?
  131. A razão pela qual está aqui
    é que, do lado direito,
  132. vemos dois pequenos rios
    a descer através da areia,
  133. a alimentar esta bacia com água.
  134. Estes rios estão a drenar
    a neve derretida vinda das montanhas
  135. no leste, onde a neve derrete,
    e vem pelos rios,
  136. através do deserto
    e forma o grande Mar de Aral.
  137. Nos anos 50, os soviéticos
    decidiram desviar aquela água
  138. para irrigar o deserto para
    cultivar algodão — acreditem ou não —
  139. no Cazaquistão, para depois vendê-lo
    nos mercados internacionais
  140. para importar moeda estrangeira
    para a União Soviética.
  141. Eles precisavam muito do dinheiro.
  142. Conseguem imaginar o que aconteceu?
  143. Se desligam o fornecimento de água para
    o Mar de Aral, o que é que vai acontecer?
  144. Aqui está o mar em 1973,
  145. em 1986,
  146. em 1999,
  147. em 2004,
  148. e há cerca de 11 meses.
  149. É realmente extraordinário!
  150. Muitos do que estão na plateia
    vivem no Centro-Oeste.
  151. Imaginem que fosse o Lago Superior.
  152. Imaginem que fosse o Lago Huron.
  153. É uma mudança extraordinária.
  154. Isto não é uma mudança apenas na água

  155. e na linha costeira,
  156. é uma mudança
    na essência do meio ambiente desta região.
  157. Comecemos com o seguinte.
  158. A União Soviética não tinha
    um clube de ecologistas.
  159. Vamos pôr as coisas dessa forma.
  160. Portanto, o que se encontra no fundo
    do Mar de Aral não é bonito.
  161. Há muito lixo tóxico, muita coisa que
  162. foi lá despejada e agora
    está a passar para o ar.
  163. Uma das pequenas ilhas que era remota
  164. e impossível de alcançar
    era um local soviético
  165. para testes de armas biológicas.
  166. Hoje, podemos ir lá a pé.
  167. Os padrões climáticos mudaram.
  168. Dezanove das 20 espécies únicas de peixe
  169. que apenas se encontravam no Mar de Aral
  170. desapareceram da face da Terra.
  171. Isto é um desastre ambiental enorme.
  172. Mas regressemos a casa [EUA].

  173. Isto é uma foto que o Al Gore
    ofereceu-me há uns anos,
  174. que ele tirou quando esteve
    na União Soviética há muito, muito tempo,
  175. que mostra a frota de pesca do Mar de Aral.
  176. Veem o canal que escavaram?
  177. Estavam tão desesperados
    para levar os barcos
  178. até às últimas poças de água,
    mas tiveram que desistir
  179. porque os cais e amarrações
    não conseguiam acompanhar
  180. a costa que estava a recuar.
  181. Não sei quanto a vocês,
    mas tenho receio que
  182. os futuros arqueólogos encontrem isto
    e escrevam histórias sobre
  183. o nosso tempo na História e pensem:
  184. "O que é que estavam a pensar?"
  185. Bem, esse é o futuro
    que temos pela frente.
  186. Já utilizamos cerca de 50% da água doce
    do planeta que é sustentável,


  187. e só para a agricultura vão 70% desse valor.
  188. Portanto, utilizamos muita água e
    muita terra para a agricultura.
  189. Também utilizamos muito
    da atmosfera para a agricultura.
  190. Normalmente quando pensamos na atmosfera,
  191. pensamos na mudança do clima
    e nos gases de efeito de estufa,
  192. e também sobre a energia.
  193. No entanto, parece que a agricultura
    também é um dos maiores emissores
  194. de gases de efeito estufa.
  195. Se olharem para o dióxido de carbono
  196. das florestas tropicais queimadas,
  197. ou o metano proveniente
    das vacas e do arroz,
  198. ou do óxido nitroso
    dos múltiplos fertilizantes,
  199. parece que a agricultura
    representa 30% dos gases de estufa
  200. que estão a ir para a atmosfera
    devido à actividade humana.
  201. É mais do que todos os nossos transportes.
  202. É mais do que toda a
    nossa electricidade.
  203. É mais do que toda a outra produção.
  204. É o maior emissor de gases
    de efeito de estufa
  205. de qualquer actividade humana no mundo.
  206. No entanto, não se fala sobre isto.
  207. Portanto, há uma incrível
    presença da agricultura

  208. que domina o nosso planeta,
  209. quer sejam 40% da superfície da terra,
  210. 70% da água que utilizamos,
  211. 30% das emissões de gases
    de efeito estufa.
  212. Duplicamos o fluxo de nitrogénio
    e fósforo no mundo
  213. pelo simples uso de fertilizantes,
  214. o que causa grandes problemas
    na qualidade de água dos rios,
  215. lagos, e até oceanos.
  216. É também o maior responsável
    pela perda da biodiversidade.
  217. Portanto, sem dúvida, a agricultura
  218. é a maior força
    que foi lançada neste planeta
  219. desde o fim da era do gelo.
  220. Sem dúvida.
  221. Rivaliza com a mudança climática
    na sua importância.
  222. E estão a decorrer ao mesmo tempo.
  223. Mas o que realmente é importante aqui
    é lembrar que nem tudo é mau.

  224. Não é que a agricultura seja algo mau.
  225. Na realidade, dependemos por inteiro dela.
  226. Não é opcional. Não é um luxo.
    É uma necessidade absoluta.
  227. Temos que produzir alimento
    para os humanos e animais,
  228. fibras e biocombustíveis para uma coisa
    como 7 mil milhões de pessoas no mundo.
  229. E, provavelmente, as exigências
    ao nível da agricultura
  230. vão aumentar no futuro.

  231. Não vão desaparecer.
  232. Vão aumentar muito, por causa
    do aumento da população.
  233. Hoje somos 7 mil milhões de pessoas
  234. a caminho de pelo menos nove,
  235. talvez nove e meio durante o nosso tempo.
  236. Mais importante, a mudança de dietas.
  237. À medida que o mundo se torna
    mais rico e mais povoado,
  238. tem havido um aumento no consumo de carne,
  239. o que requer mais recursos do que
    uma alimentação vegetariana.
  240. Portanto, mais pessoas,
    a comer mais, e coisas melhores
  241. e, claro, em simultâneo
    com uma crise energética,
  242. em que temos que substituir o petróleo
    por outras fontes de energia
  243. que eventualmente terão que incluir
    alguns tipos de biocombustíveis,
  244. e recursos bio-energéticos.
  245. Se juntarmos isto tudo,
    é muito difícil ver
  246. de que forma vamos chegar ao fim do século
  247. sem pelo menos duplicar
    a produção agrícola.
  248. Como é que vamos fazer isto?

  249. Como é que vamos duplicar
    a produção agrícola no mundo?
  250. Bem, podemos tentar
    cultivar terra adicional.

  251. Esta é uma análise que fizemos,
    onde do lado esquerdo estão
  252. as colheitas de hoje, e do lado direito
    onde poderão estar
  253. baseado nos solos e no clima,
    supondo que a mudança climática
  254. não altere muito disto,
  255. o que não é uma grande suposição.
  256. Podíamos cultivar mais terra,
    mas o problema é que
  257. a terra disponível
    está em locais sensíveis.
  258. Têm muita biodiversidade, muito carbono,
  259. coisas que queremos proteger.
  260. Portanto, podíamos cultivar
    mais alimento ao expandir as terras,
  261. mas é melhor não,
  262. porque ecologicamente
    é algo muito perigoso de fazer.
  263. Em vez disso,
    talvez fosse melhor preservar

  264. a agricultura e cultivar melhor
    as terras que temos.
  265. Este é o trabalho que estamos
    a fazer para tentar encontrar no mundo
  266. no mundo onde podemos melhorar a produção
  267. sem prejuízo para o ambiente.
  268. As áreas verdes mostram
    onde há produção de milho,
  269. — utilizando o milho como exemplo —
  270. que já é muito alto, talvez o máximo
    que podemos encontrar hoje
  271. no planeta para esse clima e terra.
  272. Mas as áreas castanhas
    e as amarelas são locais
  273. onde estamos apenas a produzir 20 ou 30%
  274. daquilo que seria de esperar.
  275. Vemos muito disto em África,
    ou até na América Latina,
  276. mas surpreendentemente,
    na Europa de Leste,
  277. onde estavam a União Soviética
    e os países do Bloco de Leste,
  278. ainda é uma confusão com a agricultura.
  279. Seriam precisos nutrientes e água.
  280. Serão então orgânicos ou convencionais,
  281. ou uma mistura dos dois para os garantir.
  282. As plantas precisam de água e nutrientes.
  283. Mas podemos fazê-lo, e há oportunidades
    para fazer com que isto funcione.
  284. Mas é preciso fazê-lo de uma
    forma que seja sensível

  285. para atender às necessidades
    da alimentação do futuro
  286. e às necessidades ambientais do futuro.
  287. É preciso descobrir como chegar
    a um compromisso
  288. entre cultivar alimento e ter
    um ambiente saudável a funcionar melhor.
  289. De momento, é quase
    uma proposta de "tudo-ou-nada".

  290. Podemos cultivar alimento ali no fundo
  291. — aquilo é um campo de soja —
  292. e neste diagrama, podemos ver
    que cultivamos muito alimento,
  293. mas que não temos muita água limpa,
    não estamos a armazenar muito carbono,
  294. não temos muita biodiversidade.
  295. Em primeiro plano, temos esta pradaria
  296. que é maravilhosa do
    ponto de vista ambiental
  297. mas não se pode comer nada.
    O que há para comer?
  298. Temos que descobrir como juntar os dois
  299. num novo tipo de agricultura
    que junte todos.
  300. Quando falo sobre isto,
    as pessoas dizem-me:

  301. "Bem, a resposta não será o
    alimento biológico,
  302. "alimento local, alimento
    geneticamente modificado,
  303. "novas políticas agrícolas ?"
  304. Sim, há muitas boas ideias aqui,
  305. mas nenhuma destas é a solução mágica.
  306. De facto, parece-me mais serem
    todas soluções pouco fiáveis.
  307. Quando se junta tudo,
  308. temos algo muito poderoso,
  309. mas é preciso juntar tudo.
  310. O que é preciso fazer, penso eu,
    é inventar um novo tipo de agricultura

  311. que misture as melhores ideias
    da agricultura comercial
  312. e a revolução "verde"
  313. com as melhores ideias
    de criação orgânica e alimento local
  314. e as melhores ideias de
    conservação ambiental,
  315. de forma que não lutem,
    mas para que estejam a colaborar
  316. para formar uma nova agricultura,
  317. algo que chamo "terracultura",
  318. ou criar para um planeta inteiro.
  319. Ora, esta conversa
    tem sido bastante complicada,

  320. e temo-nos esforçado muito
    para levar estas ideias
  321. às pessoas para reduzir a controvérsia
  322. e aumentar a colaboração.
  323. Quero-vos mostrar um vídeo curto
    que, de certa forma,
  324. mostra os nossos esforços actuais
    para juntar os dois lados
  325. para uma única conversa.
  326. Portanto, deixem-me mostrar-vos isso.
  327. (Vídeo)
  328. (Instituto do Ambiente, Universidade de
    Minnesota: Motivados para Descobrir)
  329. A população mundial está a crescer
  330. em 75 milhões de pessoas por ano.
  331. Isso é quase o tamanho da Alemanha.
  332. Hoje, somos quase 7 mil milhões de pessoas.
  333. A este ritmo, estaremos nos
    9 mil milhões em 2040.
  334. E todos precisamos de comida.
  335. Mas como?
  336. Como é que alimentamos um mundo
    em crescimento sem destruir o planeta?
  337. Já sabemos que a mudança climática
    é um grande problema.
  338. Mas não é o único problema.
  339. Temos que encarar
    a "outra verdade inconveniente"
  340. Uma crise global da agricultura.
  341. Aumento da população + consumo de carne +
    consumo de leite + custos energéticos
  342. + produção de bio-energias
    = pressão sobre os recursos naturais.
  343. Mais de 40% da terra do planeta
    foram limpos para a agricultura.
  344. As terras agrícolas, a nível mundial,
    ocupam 16 milhões de km2.
  345. É quase o tamanho da América do Sul.
  346. As pastagens a nível mundial
    ocupam 30 milhões de km2.
  347. Isso é o tamanho da África.
  348. A agricultura usa 60 vezes mais terra
    que as áreas urbanas e suburbanas juntas.
  349. A irrigação é o maior utilizador
    de água do planeta.
  350. Utilizamos 2800 quilómetros cúbicos
    de água nas colheitas, todos os anos.
  351. É o suficiente para encher 7305
    Empire State Buildings todos os dias.
  352. Hoje, muitos grandes rios
    têm fluxos reduzidos.
  353. Alguns secam por completo.
  354. Olhem para o Mar de Aral, agora
    transformado num deserto.
  355. Ou o Rio Colorado,
    que já não flui para o oceano.
  356. Os fertilizantes mais que duplicaram
    o fósforo e o nitrogénio no ambiente.
  357. A consequência?
  358. Poluição generalizada das águas
  359. e degradação massiva de lagos e rios.
  360. Surpreendentemente, a agricultura é quem
    mais contribui para as mudanças climáticas.
  361. Gera 30% da emissão dos
    gases de efeito de estufa.
  362. É mais do que as emissões vindas
    da electricidade e da indústria,
  363. ou de todos os aviões do mundo,
    comboios e automóveis.
  364. A maioria das emissões agrícolas
    vem da desflorestação tropical,
  365. do metano dos animais, dos arrozais,
  366. do óxido nitroso devido ao
    excesso de fertilizantes.
  367. De tudo o que fazemos o que mais muda
    o mundo é a agricultura.
  368. De tudo o que fazemos é o mais importante
    para a nossa sobrevivência.
  369. Eis o dilema...
  370. À medida que o mundo cresce
    em milhares de milhões de pessoas,
  371. teremos que duplicar ou até triplicar
    a produção global de alimento.
  372. Portanto, o que fazer?
  373. Precisamos de uma conversa maior,
    um diálogo internacional.
  374. Temos que investir em soluções reais:
  375. — incentivos para agricultores,
    — agricultura de precisão,
  376. — novas variedades de colheitas,
    — irrigação por gotas,
  377. — reciclagem de água cinza,
    — melhores práticas de agricultura,
  378. — dietas mais inteligentes.
  379. É preciso que todos se juntem à mesa.
  380. Os defensores da agricultura comercial,
  381. da conservação ambiental,
  382. e da agricultura biológica
  383. têm que trabalhar juntos.
  384. Não há uma solução única.
  385. Precisamos de colaboração,
  386. imaginação,
  387. determinação,
  388. porque o falhanço não é opção.
  389. Como alimentamos o mundo
    sem o destruir?
  390. Sim, defrontamos um dos maiores desafios
  391. em toda a História Humana:
  392. a necessidade de alimentar
    9 mil milhões de pessoas
  393. e fazê-lo de forma sustentável,
    equitativa e justa,
  394. e ao mesmo tempo protegendo o planeta,
  395. para esta geração e as próximas.
  396. Esta será uma das coisas mais dificeis
  397. que fizemos na História da Humanidade,
  398. e é preciso que façamos isto bem.
  399. Temos que o fazer bem na
    primeira e única oportunidade.
  400. Muito obrigado.
  401. (Aplausos)