YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtitles

← Gabriel Vanegas de la Biblioteca San Javier. Parte 2

Get Embed Code
5 Languages

Showing Revision 1 created 06/06/2017 by Vera Carvalho.

  1. (...)

  2. Uma coisa de evolução
  3. Olá, Catalina.
  4. Olá.
  5. Ok, podemos prosseguir?
  6. Há documentação...
  7. Começamos sendo um grupo de usuários em uma biblioteca, inquietos, curiosos,
  8. problemáticos e começamos fazendo exercícios de
  9. memória local até mais ou menos 2007.
  10. Em 2007 quando chega a proposta de
  11. Hiperbairro, nos juntamos a ela e basicamente na medida
  12. em que a desenvolvíamos a partir da biblioteca, nos tornamos
  13. não só uma unidade, mas também a espinha dorsal desse projeto, porque
  14. basicamente tínhamos 98 por cento
  15. dos facilitadores e a maioria das pessoas
  16. que estava apostando em um sonho, no qual ainda acreditamos hoje
  17. mas do qual tivemos que nos distanciar
  18. e hoje, três anos depois, resolvemos que queremos.
  19. Por isso digo que hoje temos três linhas de trabalho muito claras,
  20. demoramos uns três anos para definir isso.
  21. Mais ou menos em 2009
  22. iniciamos um processo de sistematização
  23. da experiência em termos de apropriação,
  24. em contextos da apropriação social
  25. de Ciência e Tecnologia, que traz Colcienciais e Maloka
  26. e que finalmente nos converte em um modelo em comunicações virtuais.
  27. Mas o problema não é esse, já que não ficamos por aí,
  28. ou seja, fomos evoluindo no processo.
  29. Hoje já temos boa parte das meninas empenhadas
  30. em terminar a universidade, em se graduar.
  31. Ou seja, doze anos depois já estão tomando as decisões que esperávamos
  32. estudar, trabalhar, ter filhos...
  33. tomar os medicamentos, tomar as armas, ou seja
  34. todas as decisões críticas que um adulto precisa resolver, isso já está acontecendo há algum tempo.
  35. E o interessante é que
  36. estão em diferentes cenários, pois são outros sujeitos.
  37. Nem todos pensam da mesma forma, nem todos
  38. têm as mesmas características, mas são sujeitos que tendo participado
  39. desse processo, é interessante ver como
  40. estão se desenvolvendo em diferentes cenários.
  41. O que acontece conosco hoje? Hoje nosso processo é composto basicamente por
  42. 98 por cento de mulheres,
  43. ou seja, é um projeto... como vocês mesmas se vêem é uma ginecocracia
  44. E... desse grupo
  45. de pessoas participando deste processo,
  46. nos ocorre que a maioria são itinerantes, e há
  47. uma realidade que é que, como já têm outros compromissos,
  48. sabemos que contamos com eles, mas nem todos estão sempre no cenário
  49. e é muito divertido, porque finalmente é articular nessa outra hoje.
  50. Quando começamos, chamávamos todos por telefone e sempre insistíamos em que
  51. havia reunião, havia trabalho.
  52. Mas hoje mudando as lógicas, vemos que
  53. nosso maior desafio é voltar a aumentar a base desse projeto
  54. e continuar trabalhando para a frente. Hoje é um projeto
  55. autônomo, independente, que funciona em uma biblioteca.
  56. Que é impossível dedicá-la
  57. da possibilidade de que a voz se inicie a si própria e que
  58. como o projeto está apontando para isso, em torno dos problemas locais,
  59. a continuar trabalhando nessas três linhas:
  60. de história, de memória e de jornalismo
  61. comunitário no laboratório. Finalmente,
  62. o que queremos é uma coisa: hoje temos claro
  63. que se não for divertido, não fazemos.
  64. Isso é basicamente o eixo central do trabalho que temos.
  65. Sabemos que jogar com o conhecimento e construir um novo conhecimento,
  66. resulta em muito trabalho, mas nos permitiu hoje avançar
  67. nessa ideia de tornar isso divertido, porque finalmente
  68. não queremos nem formalizá-lo, nem convertê-lo em algo institucional,
  69. mas em algo que nos permita
  70. que como exercício aponte para
  71. as buscas de cada um neste cenário da Vereda La Loma
  72. e no espaço onde estão. Porque, finalmente
  73. cada um é onde habita e já são muitas horas e muitas vezes
  74. que saem das casas. Lembro muito quando
  75. você dizia que: "Para mim... de casa para a universidade
  76. e da universidade para a biblioteca". E em casa já não a encontram,
  77. na biblioteca faz tempo que já não vem. E isso
  78. é uma coisa que é boa que aconteça. Muitos estão crescendo,
  79. estão indo atrás de seus projetos de vida.
  80. E o mais importante é hoje manter-se nas realidades
  81. locais que temos, porque hoje a ideia é que estão tomando decisões
  82. em relação ao território, às problemáticas que estão postas.
  83. E é um projeto que tem
  84. essa ideia de apostar
  85. na construção de um conhecimento.
  86. Ok. Obrigado, Gabriel.
  87. Obrigado.