Return to Video

Um musical histórico que examina a identidade negra na Feira Mundial de 1901

  • 0:03 - 0:05
    Amma Y. Ghartey-Tagoe Kootin:
    O arquivo.
  • 0:05 - 0:09
    Imaginamos salas e prateleiras
  • 0:09 - 0:12
    cheias de caixas e cartões
    com coisas antigas.
  • 0:12 - 0:15
    Contudo, para as pessoas
    com paciência para pesquisarem
  • 0:15 - 0:18
    o arquivo proporciona
    a oportunidade preciosa
  • 0:18 - 0:20
    de tocar no passado,
  • 0:20 - 0:23
    sentir e aprender com as experiências
  • 0:23 - 0:26
    de pessoas outrora vivas
    que hoje parecem estar mortas
  • 0:26 - 0:28
    e sepultadas profundamente no arquivo.
  • 0:28 - 0:32
    Mas e se houvesse uma forma
    de trazer o arquivo à vida?
  • 0:32 - 0:35
    Jon Michael Reese: "O mundo
    está errado quanto à raça".
  • 0:35 - 0:38
    Melissa Joyner: "Este país insiste
    em julgar os negros".
  • 0:38 - 0:40
    JMR: "Porque não sabe".
  • 0:40 - 0:42
    AYGTK: E se conseguíssemos
    fazê-lo respirar?"
  • 0:42 - 0:45
    MJ: "Pelos seus representantes
    mais baixos e mais violentos".
  • 0:45 - 0:48
    JMR: "Uma exposição honesta e aberta".
  • 0:48 - 0:49
    AYGTK: E ainda cantam para nós
  • 0:49 - 0:52
    para o arquivo se tornar
    acessível a toda a gente.
  • 0:52 - 0:54
    Como seria representar o arquivo?
  • 0:54 - 0:58
    Uma representação que não se baseie
    apenas numa história real
  • 0:58 - 1:02
    mas que nos permita
    ficar cara a cara
  • 1:02 - 1:04
    com coisas que pensávamos
    outrora mortas e sepultadas.
  • 1:05 - 1:07
    É disto que trata "At Buffalo",
  • 1:07 - 1:09
    um novo musical que estamos a ensaiar.
  • 1:09 - 1:13
    Usando coleções de arquivos
    de mais de 30 instituições,
  • 1:13 - 1:18
    "At Buffalo" interpreta o enorme arquivo
    da Exposição Pan-Americana de 1901,
  • 1:18 - 1:20
    a primeira Feira Mundial do século XX.
  • 1:20 - 1:22
    realizada em Buffalo, Nova Iorque.
  • 1:22 - 1:24
    Se já ouviram falar desta feira,
  • 1:24 - 1:27
    talvez tenha sido porque é o local
    onde o então presidente dos EUA,
  • 1:27 - 1:29
    William McKinley, foi assassinado.
  • 1:29 - 1:30
    Durante quase 17 anos,
  • 1:30 - 1:33
    eu estive no interior dos portões
    e do arquivo desta feira,
  • 1:33 - 1:35
    não só por causa dessa história
  • 1:36 - 1:39
    mas por causa dum drama racial
    real, de vida ou morte
  • 1:39 - 1:41
    que se desenrolou no recinto da feira.
  • 1:41 - 1:45
    Aqui, num local parecido
    com o Disney World, os Olímpicos,
  • 1:45 - 1:47
    os carnavais, os museus, tudo misturado,
  • 1:47 - 1:51
    houve três exibições conflituosas
    do que significava ser negro
  • 1:51 - 1:53
    nos Estados Unidos da América.
  • 1:53 - 1:56
    O arquivo diz que os brancos apresentaram
  • 1:56 - 1:58
    uma origem negra selvagem
  • 1:58 - 2:01
    sob a forma de 98 africanos
    do Ocidente e do Centro
  • 2:01 - 2:03
    a viver e a realizar danças guerreiras
  • 2:03 - 2:06
    numa aldeia recriada
    chamada África Mais Negra.
  • 2:07 - 2:09
    E, do outro lado da rua,
  • 2:09 - 2:12
    uma vida de escravos felizes,
  • 2:12 - 2:16
    sob a forma de 150 artistas
    negros do Sul,
  • 2:16 - 2:17
    a colher algodão,
  • 2:17 - 2:20
    a cantar e a dançar
    em espetáculos de cantorias
  • 2:20 - 2:24
    recriando uma atração de antes da guerra,
    chamada Antiga Plantação.
  • 2:25 - 2:27
    Em resposta,
  • 2:27 - 2:31
    a comunidade negra de Buffalo
    promoveu a terceira mostra da negritude:
  • 2:32 - 2:33
    a Exposição dos Negros.
  • 2:33 - 2:37
    Em colaboração com o intelectual
    afro-americano, W.E.B. Du Bois,
  • 2:37 - 2:41
    exibia fotografias, mapas,
    livros e não só,
  • 2:42 - 2:45
    para mostrar os americanos negros
    como uma raça de grandes êxitos
  • 2:45 - 2:48
    capaz de educação e progresso.
  • 2:48 - 2:51
    Quando encontrei esta história,
  • 2:51 - 2:53
    percebi, pela minha experiência de vida,
  • 2:53 - 2:56
    que o que estava em jogo
    era os membros da diáspora africana
  • 2:56 - 2:58
    verem-se assim uns aos outros.
  • 2:58 - 3:02
    Enquanto filha de pais imigrantes
    do Gana, na África Ocidental,
  • 3:02 - 3:04
    nascida no Sul americano,
  • 3:04 - 3:07
    criada em Manhattan, no Kansas.
  • 3:07 - 3:08
    (Risos)
  • 3:08 - 3:11
    e tendo frequentado a mesma
    escola de elite de Du Bois,
  • 3:11 - 3:14
    eu via que a feira de Buffalo
    efetivamente, contrastava
  • 3:14 - 3:16
    os negros do Norte com os do Sul,
  • 3:16 - 3:18
    os educados com os não educados
  • 3:18 - 3:21
    e os afro-americanos com os africanos.
  • 3:22 - 3:23
    E queria saber:
  • 3:23 - 3:28
    Como é que estes três grupos distintos
    de negros atravessaram esta experiência?
  • 3:29 - 3:33
    Infelizmente, as respostas do arquivo
    a perguntas como esta
  • 3:33 - 3:35
    eram abaixo da caricatura racial,
  • 3:35 - 3:39
    informações conflituosas
    e, pior, silêncio!
  • 3:39 - 3:42
    (Música)
  • 3:43 - 3:46
    No entanto, eu ouvia melodias musicais
  • 3:47 - 3:48
    e via números de dança
  • 3:48 - 3:49
    e o ritmo das palavras
  • 3:49 - 3:52
    a saírem das páginas
    dos artigos de antigos jornais.
  • 3:52 - 3:54
    Sabendo que esta Feira Mundial
  • 3:54 - 3:57
    tinha música a tocar
    por toda a parte, no seu recinto,
  • 3:58 - 4:02
    eu sabia que o teatro musical
    vivo, envolvente, espetacular,
  • 4:02 - 4:05
    com as últimas tecnologias
    da nossa época,
  • 4:05 - 4:09
    seria a experiência mais próxima
    que podia fazer sair das caixas
  • 4:09 - 4:12
    e dar vida à história
    do arquivo da feira de 1901.
  • 4:13 - 4:16
    Histórias, como a de Tannie e Henrietta,
  • 4:16 - 4:18
    um duo de "vaudeville"
    marido e mulher apaixonados,
  • 4:18 - 4:21
    que discordaram em representar
    estes espetáculos de cantorias
  • 4:21 - 4:24
    enquanto lutavam pelo seu sonho
    de cinco dólares por semana,
  • 4:24 - 4:26
    na atração da Antiga Plantação.
  • 4:26 - 4:30
    Tal como John Tevi,
    o empresário africano, do atual Togo,
  • 4:30 - 4:34
    que teve de violar as regras
    selvagens do zoo humano
  • 4:34 - 4:36
    em que tinha ficado preso.
  • 4:36 - 4:39
    E histórias como a de Mary Talbert,
  • 4:39 - 4:42
    uma líder abastada
    da elite negra de Buffalo
  • 4:42 - 4:43
    que teve de aceitar
  • 4:43 - 4:46
    as realidades raciais da sua cidade natal.
  • 4:46 - 4:50
    MJ: "A raça dominante neste país
    insiste em julgar o negro
  • 4:50 - 4:53
    "pelos seus representantes
    mais baixos e mais violentos
  • 4:53 - 4:57
    "em vez de os julgar segundo as classes
    mais inteligentes e de mais valor".
  • 4:57 - 5:00
    AYGTK: Quando os diretores
    da feira ignoraram Mary Talbert
  • 5:00 - 5:04
    e o pedido da comunidade local dos negros
    de Buffalo, para participarem na feira,
  • 5:04 - 5:06
    os jornais dizem que Mary Talbet
  • 5:06 - 5:09
    e o seu clube de mulheres
    afro-americanas, educadas,
  • 5:09 - 5:11
    realizaram uma inflamada
    reunião de protesto.
  • 5:11 - 5:13
    Mas os pormenores dessa reunião
  • 5:13 - 5:15
    incluindo o fogoso discurso
    que ela proferiu
  • 5:15 - 5:18
    não foram inteiramente
    captados no arquivo.
  • 5:18 - 5:21
    Assim, "At Buffalo" agarra
    na essência do discurso de Mary
  • 5:21 - 5:23
    e transforma-o numa canção.
  • 5:24 - 5:27
    (Todos) ♪ Precisamos, somos unânimes.
  • 5:28 - 5:31
    (Todos) ♪ Precisamos, somos unânimes.
  • 5:32 - 5:34
    MJ: ♪ Temos qualquer coisa a mostrar,
  • 5:34 - 5:38
    ♪ vamos dar uma lição em Buffalo.
  • 5:38 - 5:41
    ♪ Beneficiará a nação
  • 5:42 - 5:45
    ♪ ver a nossa evolução
    desde a emancipação.
  • 5:46 - 5:48
    ♪ As pessoas de cor
    deviam estar representadas
  • 5:48 - 5:52
    ♪ nesta exposição pan-americana.
  • 5:52 - 5:55
    ♪ Beneficiaria a nação
  • 5:55 - 5:59
    ♪ ver a nossa evolução
    desde a emancipação.
  • 6:00 - 6:05
    ♪ Fizeram um grande erro
  • 6:06 - 6:12
    ♪ não nomearem alguém da raça.
  • 6:14 - 6:16
    (Todos) ♪ Precisamos, somos unânimes.
  • 6:17 - 6:20
    (Todos) ♪ Precisamos, somos unânimes.
  • 6:20 - 6:22
    (Todos) ♪ Precisamos, somos unânimes.
  • 6:22 - 6:26
    AYGTK: Mary Talbert exige, com êxito,
    que a Exposição Negra entre na feira.
  • 6:27 - 6:29
    Ter a Exposição Negra em Buffalo
  • 6:29 - 6:34
    significa que o musical tem de contar
    a história porque é que Du Bois a criou,
  • 6:36 - 6:40
    porque é que Mary e a elite negra sentiram
    que aquilo era uma necessidade urgente.
  • 6:42 - 6:45
    JMR: "O mundo está enganado
    sobre a raça.
  • 6:47 - 6:51
    "Mataram Sam Hose
    por aquilo que julgaram que ele era.
  • 6:52 - 6:54
    "E mais homens como ele,
    todos os dias,
  • 6:54 - 6:58
    "mais homens negros, como ele,
    aniquilados.
  • 6:59 - 7:02
    Depois disso — aquele raio vermelho —
  • 7:03 - 7:05
    nunca mais seremos os mesmos.
  • 7:06 - 7:09
    ♪ Um raio vermelho.
  • 7:09 - 7:10
    [Uma caça ao homem na Geórgia]
  • 7:10 - 7:12
    ♪ atravessou a minha secretária.
  • 7:12 - 7:15
    [Chusma atrás de Hose:
    vai ser linchado]
  • 7:15 - 7:17
    ♪ no próprio dia
  • 7:17 - 7:20
    ♪ em que as mãos de Sam
    ficaram em paz.
  • 7:22 - 7:28
    ♪ As palavras, só por si, podem
    suportar as leis injustas?
  • 7:29 - 7:30
    [A fuga parece impossível]
  • 7:30 - 7:36
    ♪ As palavras, só por si, podem
    suportar a violência?
  • 7:37 - 7:38
    [Queimado vivo]
  • 7:38 - 7:40
    ♪ Oh, não, não.
  • 7:41 - 7:43
    [Sam Hose é linchado]
  • 7:46 - 7:50
    ♪ Oh, não, não.
  • 7:51 - 7:53
    [O corpo dele foi cortado
    em muitos bocados]
  • 7:53 - 7:56
    ♪ Oh, não, não.
  • 7:56 - 7:58
    [Queimado na fogueira]
  • 7:58 - 8:00
    [Fígado cozinhado
    a 10 cêntimos a fatia]
  • 8:00 - 8:02
    [Luta pelas recordações]
  • 8:09 - 8:12
    (Todos) ♪ Quem leu os livros?
  • 8:12 - 8:17
    ♪ Os nossos números e estatísticas
    parecem pequenos
  • 8:17 - 8:20
    ♪ contra a página.
  • 8:22 - 8:25
    ♪ A crise multiplicou-se.
  • 8:26 - 8:28
    ♪ A nossa gente é linchada e morre.
  • 8:28 - 8:30
    ♪ Oh, meu Deus.
  • 8:31 - 8:35
    ♪ As coisas têm de mudar.
  • 8:39 - 8:43
    AYGTK: As coisas têm de mudar.
  • 8:44 - 8:48
    "At Buffalo" revela
    como os EUA, atualmente,
  • 8:48 - 8:51
    se encontra numa encruzilhada
    semelhante à da América de 1901.
  • 8:52 - 8:55
    Tal como o nome de Sam Hose
    encheu os jornais naquela época,
  • 8:55 - 8:58
    os "media" de hoje têm os nomes de:
  • 8:58 - 9:00
    JMR: Oscar Grant.
  • 9:00 - 9:02
    MJ: Jacqueline Culp.
  • 9:02 - 9:04
    Pianista: Trayvon Martin.
  • 9:04 - 9:06
    AYGTK: Sandra Bland.
  • 9:06 - 9:09
    E muitos outros, demais.
  • 9:09 - 9:13
    O legado da feira de 1901 persiste
  • 9:13 - 9:17
    em mais formas do que imaginamos.
  • 9:18 - 9:20
    MJ: Mary Talbert
  • 9:20 - 9:22
    e a Associação Nacional
    de Mulheres de Cor
  • 9:22 - 9:25
    iniciaram movimentos
    contra os linchamentos
  • 9:25 - 9:27
    e o mito da criminalidade negra
  • 9:27 - 9:31
    tal como as mulheres negras de hoje
    iniciaram Black Lives Matter.
  • 9:31 - 9:33
    JMR: Algumas das mesmas pessoas
  • 9:33 - 9:35
    que lutaram e criaram a Exposição Negra
  • 9:35 - 9:37
    incluindo Du Bois,
  • 9:37 - 9:40
    vieram a Buffalo,
    quatro dias depois da feira
  • 9:40 - 9:42
    para iniciar o Movimento Niagara,
  • 9:42 - 9:46
    que estabeleceu os fundamentos
    para a criação do NAACP.
  • 9:46 - 9:47
    AYGTK: Não são só os negros
  • 9:47 - 9:50
    que tiveram uma experiência
    peculiar na feira de 1901.
  • 9:50 - 9:53
    Um manual oficial
    informava os visitantes:
  • 9:53 - 9:55
    MJ: "Por favor, lembrem-se..."
  • 9:55 - 9:58
    JMR: "... que, depois de entrarem
    os portões..."
  • 9:58 - 10:01
    AYGTK: "... fazem parte do espetáculo".
  • 10:01 - 10:03
    Representar o arquivo em "At Buffalo",
  • 10:03 - 10:06
    permite que o público se interrogue:
  • 10:06 - 10:08
    "Ainda estamos dentro dos portões?
  • 10:08 - 10:13
    "Ainda fazemos parte do espetáculo?"
  • 10:17 - 10:19
    (Fim da música)
  • 10:21 - 10:23
    (Aplausos)
Title:
Um musical histórico que examina a identidade negra na Feira Mundial de 1901
Speaker:
Amma Y. Ghartey-Tagoe Kootin
Description:

Nesta palestra e representação intensas, a artista e TED Fellow Amma Y. Ghartey-Tagoe Kootin oferece-nos uma espreitadela do seu futuro musical "At Buffalo". Baseado no material de arquivo da Feira Pan-Americana de 1901, uma feira mundial realizada em Buffalo, Nova Iorque, o espetáculo examina representações conflituosas da identidade negra exibidas na feira — sublinhando inquietantes paralelos familiares entre a sociedade norte-americana na viragem do século e o presente, e perguntando: "Ainda fazemos parte do espetáculo?"

more » « less
Video Language:
English
Team:
TED
Project:
TEDTalks
Duration:
10:40

Portuguese subtitles

Revisions