YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese, Brazilian subtitles

← Como reviver sua crença na democracia

Get Embed Code
22 Languages

Showing Revision 21 created 06/28/2019 by Raissa Mendes.

  1. Saudações

  2. da 52ª nação mais livre da Terra.
  3. Como norte-americano, irrita-me
    que minha nação continue afundando
  4. na classificação anual publicada
    pela Freedom House.
  5. Sou filho de imigrantes.
  6. Meus pais nasceram na China
    durante a guerra e a revolução,
  7. foram para Taiwan e depois vieram
    para os Estados Unidos,
  8. portanto, toda a minha vida
  9. estive plenamente consciente
    de quão frágil é a herança da liberdade.
  10. É por isso que passo meu tempo ensinando,
    pregando e ensinando democracia.
  11. Não tenho ilusões.

  12. Por todo o mundo,
  13. as pessoas duvidam
    de que a democracia dá resultado.
  14. Autocratas e demagogos
    parecem estar encorajados,
  15. até mesmo arrogantes.
  16. O mundo livre parece não ter um líder.
  17. Mesmo assim, permaneço esperançoso.

  18. Não otimista.
  19. Otimismo é para espectadores.
  20. Esperança implica ação.
  21. Eu tenho um dedo no resultado.
  22. Esperança democrática exige fé
  23. não em um homem forte
    ou em um salvador carismático
  24. mas uns nos outros,
  25. e nos força a perguntar:
    como nos tornarmos dignos dessa fé?
  26. Acredito que estamos
    num momento de despertar moral,
  27. o tipo que acontece
    quando certezas antigas colapsam.
  28. No centro desse despertar está
    o que chamo de "religião cívica".
  29. E hoje quero falar
    sobre o que é religião cívica,
  30. como a praticamos,
  31. e por que ela importa
    agora mais do que nunca.
  32. Vamos começar com o quê.

  33. Religião cívica é um sistema de crenças
    e práticas coletivas compartilhadas
  34. pelas quais os membros
    de uma comunidade autogovernada
  35. escolhem viver como cidadãos.
  36. Quando digo "cidadão" não me refiro
    a documentos ou passaportes.
  37. Falo de um conceito ético
    mais profundo e amplo
  38. de ser um colaborador
    da comunidade, como um membro.
  39. Falar de religião cívica
    como uma religião não é licença poética.
  40. Porque a democracia
  41. é uma das atividades humanas
    mais alimentada pela fé.
  42. A democracia apenas funciona
    quando muitos de nós acreditam nela.
  43. É ao mesmo tempo uma aposta e um milagre.
  44. Sua legitimidade não vem
    das leis constitucionais,
  45. mas do mecanismo interno
    do espírito cívico.
  46. A religião cívica, como qualquer religião,

  47. tem um credo sagrado,
    atos sagrados e rituais sagrados.
  48. Meu credo inclui palavras
    como "igualdade perante a lei"
  49. e "nós, o povo".
  50. Na minha lista de atos consagrados,
    estão a abolição, o sufrágio feminino,
  51. o movimento de direitos civis,
  52. o desembarque dos Aliados na Normandia,
  53. a queda do muro de Berlim.
  54. E tenho um novo ritual cívico
    de que falarei mais tarde.
  55. Não importa de onde você seja,

  56. você encontrará ou fará seu próprio
    conjunto de credo, ato e ritual.
  57. A prática da religião cívica
    não é a adoração do estado
  58. ou a obediência ao partido no poder.
  59. É o comprometimento com o outro
  60. e com nossos ideais comuns.
  61. E a sacralidade da religião cívica
    não é a divindade ou o sobrenatural.
  62. É um grupo de pessoas distintas
  63. que busca nossas semelhanças,
  64. nosso grupo.
  65. Talvez você esteja um pouco preocupado

  66. por eu estar tentando convertê-lo.
  67. Acalme-se, não estou.
  68. Não preciso convertê-lo.
  69. Como humano, sempre temos
    a oportunidade de ter um culto,
  70. alguma variedade de experiência religiosa.
  71. Somos feitos para procurar
    explicações cosmológicas,
  72. sacralizar crenças que nos unam
    para um propósito transcendente.
  73. Os humanos criam religiões
    porque criam grupos.
  74. A única escolha que temos
    é ativar ou não aquele grupo de vez.
  75. Se você é um devoto, sabe isso.
  76. Se não é,
  77. se não vai mais às reuniões de oração
  78. ou nunca foi,
  79. então você dirá que a ioga é sua religião,
  80. ou o campeonato Premier League,
  81. o tricô, a programação
    ou as palestras TED.
  82. Mas quer você acredite em um deus
    ou na ausência de deuses,
  83. a religião cívica não exige
    que você renuncie às suas crenças.
  84. Apenas exige que você seja um cidadão.
  85. Isso me leva ao meu segundo tópico:

  86. como podemos praticar
    a religião cívica produtivamente?
  87. Falemos agora daquele ritual cívico.
  88. É chamado "Sábado Cívico",
  89. e segue o roteiro de uma reunião de fé.
  90. Cantamos juntos,
  91. discutimos com estranhos
    questões em comum,
  92. escutamos poesia e escrituras,
  93. há um sermão que amarra esses textos
  94. com as escolhas éticas
    e controvérsias do nosso tempo,
  95. mas a música, a escritura e o sermão
  96. não são da igreja, da sinagoga
    ou da mesquita.
  97. Eles são cívicos,
  98. retirados de ideais cívicos compartilhados
  99. e da história compartilhada
    de reivindicação e luta por esses ideais.
  100. Depois, formamos círculos
    para organizar comícios, registrar votos,
  101. entrar em clubes novos,
    fazer novos amigos.
  102. Eu e meus colegas começamos
    a organizar os Sábados Cívicos

  103. em Seattle em 2016.
  104. Desde então, eles se espalharam
    pelo continente.
  105. Às vezes, participam centenas,
    outras vezes, dezenas de pessoas.
  106. Eles acontecem em bibliotecas
    e centros comunitários
  107. e espaços de trabalho cooperativo,
  108. sob tendas festivas
    e dentro de grandes pavilhões.
  109. Não há nenhuma tecnologia de ponta
    para essa tecnologia social.
  110. Trata-se de um anseio humano básico
    por uma comunidade presencial.
  111. Atrai jovens e velhos,
    esquerdistas e direitistas,
  112. pobres e ricos, devotos e não devotos,
  113. de todas as raças.
  114. Quando você vem a um Sábado Cívico
    e é convidado a discutir uma questão
  115. do tipo: "Por quem você é responsável?"
  116. ou "O que você está disposto a arriscar
    ou abandonar pela sua comunidade?"
  117. Quando isso acontece, algo é afetado.
  118. Você é afetado.
  119. Você começa a contar sua história.
  120. Começamos a ver de verdade o outro.
  121. Você se dá conta que os sem-teto,
    a violência armada, a gentrificação,
  122. o trânsito ruim, a desconfiança
    com recém-chegados, notícias falsas,
  123. essas coisas não são
    o problema de outra pessoa,
  124. elas são o acúmulo
    de seus próprios hábitos e omissões.
  125. A sociedade é o reflexo
    do seu comportamento.
  126. Nunca nos perguntaram para refletir
    sobre a essência da nossa cidadania.

  127. Muitos de nós nunca foram convidados
    a fazer mais ou a ser mais,
  128. e muitos não têm ideia
    do quanto ansiamos por esse convite.
  129. Desde então criamos um seminário cívico

  130. com o intuito de treinar pessoas
    para liderar as reuniões do Sábado Cívico
  131. por conta própria em suas cidades.
  132. Na comunidade de Athens, no Tennessee,
  133. uma líder combativa
    chamada Whitney Kimball Coe
  134. faz isso numa loja de arte e molduras,
  135. com um coral de jovens
    e muitas bandeirinhas.
  136. Um jovem ativista chamado Berto Aguayo
  137. conduz seu Sábado Cívico em uma esquina
  138. do bairro Back of the Yards em Chicago.
  139. Berto já esteve envolvido com gangues.
  140. Agora ele mantém a paz
  141. e organiza campanhas políticas.
  142. Em Honolulu, Rafael Bergstrom,
  143. ex-jogador de basquete profissional,
    agora fotógrafo e conservacionista,
  144. conduz sob o lema: "Cívico é Sexy".
  145. E é.
  146. (Risos)

  147. Às vezes os seminaristas me perguntam:

  148. "Não é perigoso usar
    uma linguagem religiosa?
  149. Isso não tornará a nossa política
    mais dogmática e moralista?"
  150. Mas essa visão pressupõe que toda religião
    é um fundamentalismo fanático.
  151. Não é.
  152. A religião também é discernimento moral,
  153. uma aceitação da dúvida,
  154. um compromisso para se desapegar
    de si mesmo e servir aos outros,
  155. um desafio para consertar o mundo.
  156. Neste sentido, a política poderia ser
    um pouco mais como a religião,
  157. não menos.
  158. Meu último tópico de hoje:

  159. por que a religião cívica é importante?
  160. Quero oferecer dois motivos:
  161. o primeiro é para combater
    a cultura do hiperindividualismo.
  162. Toda mensagem que recebemos de toda área
  163. do mercado moderno
  164. é que cada um de nós está sozinho,
  165. um agente livre,
  166. livre para administrar
    nossas próprias marcas,
  167. livre para viver sob pontes,
  168. livre para ganhar dinheiro extra,
  169. livre para morrer sozinho sem seguro.
  170. O liberalismo do mercado nos diz
    que somos donos dos nossos narizes,
  171. mas então nos escraviza
  172. com a terrível isolação
    do consumismo e da ansiedade.
  173. Plateia: Sim!

  174. EL: Milhões de nós estão
    sendo manipulados.

  175. Estamos percebendo agora
  176. que o livre para todos
    não significa liberdade para todos.
  177. (Aplausos)

  178. O que realmente nos torna livres
    é estar ligados aos outros

  179. em obrigação e ajuda mútua,
  180. resolver as coisas da melhor forma
    possível nos nossos bairros e cidades,
  181. como se os nossos destinos
    estivessem unidos,
  182. porque eles estão,
  183. como se não pudéssemos nos separar,
  184. porque, afinal, não podemos.
  185. Conectar dessa forma nos liberta.
  186. Isso nos revela
    que somos iguais em dignidade.
  187. Isso nos lembra de que os direitos
    vêm com responsabilidades.
  188. Isso nos lembra, de fato,
  189. que direitos bem compreendidos
    são responsabilidades.
  190. O segundo motivo da importância
    da religião cívica

  191. é que ela oferece a história
    mais saudável e viável sobre nós e eles.
  192. Falamos sobre política de identidade
    como se fosse algo novo,
  193. mas não é.
  194. Toda política é de identidade,
  195. uma luta sem fim para definir
    quem realmente faz parte.
  196. Em vez de mitos nocivos de sangue e terra
    que marcam alguns como eternos intrusos,
  197. a religião cívica oferece a todos
    um caminho de pertencimento
  198. baseado apenas em um credo universal
    de contribuição, participação,
  199. inclusão.
  200. Na religião cívica, o "nós"
    são aqueles que querem servir,
  201. voluntariar-se, votar, escutar, aprender,
    sentir empatia, discutir melhor,
  202. fazer o poder circular
    em vez de acumulá-lo.
  203. O "eles" são aqueles que não querem.
  204. É possível julgá-los severamente,
  205. mas não é necessário,
  206. porque a qualquer momento,
    um deles pode se tornar um de nós,
  207. pela simples escolha
    de viver como um cidadão.
  208. Então vamos acolhê-los.

  209. Whitney, Berto e Rafael
    são anfitriões talentosos.
  210. Cada um tem um jeito distintivo,
    característico de sua terra natal
  211. para tornar a fé na democracia
    acessível aos outros.
  212. Seu linguajar pode ser
    dos apalaches, do sul ou havaiano.
  213. A mensagem é a mesma:
  214. amor cívico, espírito cívico,
    responsabilidade cívica.
  215. Você pode achar que essa coisa
    de religião cívica

  216. é para a segunda geração
    de americanos superzelosos como eu.
  217. Mas, na verdade,
    é para todos, em qualquer lugar,
  218. que queira despertar
    os laços da confiança,
  219. afeição e ação conjunta
  220. necessários para
    nos governar com liberdade.
  221. Talvez os Sábados Cívicos
    não sejam para você.
  222. Tudo bem.
  223. Encontre seus próprios meios
    de estimular hábitos cívicos do coração.
  224. Muitas formas de comunidades cívicas
    prestigiadas estão prosperando

  225. nessa era do despertar.
  226. Grupos como a Community Organizing Japan,
  227. que usa rituais performáticos
    e criativos de contação de histórias
  228. para promover a igualdade
    para as mulheres.
  229. Na Islândia, há confirmações cívicas,
  230. onde jovens são liderados por um ancião,
  231. para aprender a história
    e as tradições cívicas da sociedade deles,
  232. culminando em uma cerimônia
    de rito de passagem
  233. semelhante à da igreja.
  234. O Ben Franklin Circles no Estados Unidos,
  235. onde amigos se encontram mensalmente
  236. para discutir e refletir
    sobre as virtudes que Franklin coligiu
  237. em sua autobiografia,
  238. como a justiça, a gratitude e o perdão.
  239. Sei que a religião cívica não é suficiente

  240. para remediar as desigualdades
    radicais da nossa era.
  241. Precisamos de poder para isso.
  242. Mas o poder sem caráter
    é uma cura pior que a doença.
  243. Sei que sozinha a religião cívica
    não corrige instituições corruptas,
  244. mas reformas institucionais
    sem novas normas não irão durar.
  245. A cultura é base da lei.
  246. O espírito é a base da política.
  247. A alma é a base do estado.
  248. Não podemos despoluir a nossa política
    se limparmos apenas um lado.
  249. Precisamos chegar à fonte.
  250. A fonte são os nossos valores,
  251. e, nesse ponto, meu conselho
    é simples: tenha alguns.
  252. (Risos)

  253. (Aplausos)

  254. Certifique-se que eles sejam pró-sociais.

  255. Coloque-os em prática,
  256. e faça isso na companhia de outros,
  257. com uma estrutura
    de crença, ato e ritual prazeroso,
  258. que fará com que todos continuem voltando.
  259. Aqueles que acreditam na democracia
    e que ela ainda é possível,

  260. temos o fardo de prová-la.
  261. Mas lembre-se de que não é um fardo
  262. estar em uma comunidade
    onde você é visto inteiramente humano,
  263. onde você tem algo a dizer
    sobre o que te afeta,
  264. onde você não precisa
    se conectar para ser respeitado.
  265. Isso é uma bênção
  266. e está disponível
    para todos que acreditam.
  267. Obrigado.

  268. (Aplausos) (Vivas)