YouTube

Got a YouTube account?

New: enable viewer-created translations and captions on your YouTube channel!

Portuguese subtitles

← Como as nanopartículas podem mudar a maneira como tratamos o cancro

Get Embed Code
25 Languages

Showing Revision 7 created 11/08/2019 by Margarida Ferreira.

  1. Era uma tarde de domingo
    em abril deste ano.
  2. O meu telefone estava a tocar.
  3. Eu atendi.
  4. A voz disse: "É a Rebecca.
  5. "Ligo apenas para te convidar
  6. "para o meu funeral."
  7. Eu disse: "Rebecca, do que é que falas?
  8. Ela disse: "Joy, como minha amiga,
    tens de me deixar partir,
  9. "chegou a minha hora."
  10. No dia seguinte, ela estava morta.
  11. A Rebeca tinha 31 anos quando morreu.

  12. Ela teve uma luta de oito anos
    com um cancro da mama.
  13. Voltou 3 vezes.
  14. Eu não a ajudei.
  15. A comunidade científica não a ajudou
  16. e a comunidade médica não a ajudou.
  17. Mas não é só ela.
  18. Em cada cinco segundos,
  19. alguém morre de cancro.
  20. Hoje, nós, investigadores médicos,
    estamos empenhados
  21. em que a Rebeca, e pessoas como ela,
  22. sejam dos últimos pacientes
    que não podemos ajudar.
  23. O governo dos EUA, sozinho,
    gastou mais de 100 mil milhões

  24. na investigação do cancro,
    desde os anos 70,
  25. com progressos limitados em relação
    à sobrevivência dos doentes,
  26. especialmente em certos tipos
    de cancros muito agressivos.
  27. Logo, precisamos de uma mudança
    porque, claramente
  28. o que temos vindo a fazer até à data,
    não tem funcionado.
  29. E o que fazemos na medicina
    é enviar bombeiros,

  30. porque o cancro é como um grande incêndio,
  31. e estes bombeiros são os medicamentos
    contra o cancro,
  32. mas estamos a enviá-los
    sem o camião-cisterna,
  33. ou seja, sem transporte, sem escadas
  34. e sem equipamento de emergência.
  35. Mais de 99% destes bombeiros
    nunca chegam ao incêndio.
  36. Mais de 99% dos medicamentos
    contra o cancro nunca chegam ao tumor
  37. porque não têm transporte, nem ferramentas
  38. para levá-los ao local do destino.
  39. Acontece que tem tudo a ver
    com a localização.
  40. (Risos)

  41. Precisamos do camião dos bombeiros
    para chegarmos ao local certo.

  42. Eu venho aqui dizer que as nanopartículas
    são os camiões-cisterna.
  43. Podemos carregar os medicamentos
    contra o cancro dentro das nanopartículas,
  44. e as nanopartículas podem funcionar
    como transportadoras
  45. e como equipamento necessário
  46. para levar o medicamento contra o cancro
    ao centro do tumor.
  47. Então, o que são nanopartículas?

  48. O que significa ser nanométrico?
  49. Existem muitos tipos diferentes
    de nanopartículas
  50. feitas de vários materiais,
  51. tais como nanopartículas de metal
  52. ou nanopartículas à base de gordura.
  53. Mas, para ilustrar
    o significado de nanométrico,
  54. arranquei um dos meus cabelos
  55. e coloquei-o sob o microscópio.
  56. Eu tenho o cabelo muito fino.
  57. O meu cabelo tem aproximadamente
    40 000 nanómetros de diâmetro.
  58. Isto significa que, se agarrarmos
    em 400 das nossas nanopartículas
  59. e as empilharmos umas sobre as outras,
  60. teremos a espessura
    de um simples cabelo.
  61. Eu lidero um laboratório de nanopartículas
    que combatem o cancro e outras doenças

  62. na Clínica Mayo, aqui em Jacksonville.
  63. Na clínica Mayo
  64. possuímos as ferramentas
    para fazer a diferença nos pacientes,
  65. graças a doações generosas e subsídios
    para financiar a nossa investigação.
  66. Como é que estas nanopartículas
  67. transportam para o tumor
    a medicação contra o cancro?
  68. Elas têm uma extensa caixa de ferramentas.
  69. Os medicamentos contra o cancro
    sem as nanopartículas

  70. são rapidamente eliminadas
    do corpo através dos rins
  71. porque são muito pequenos.
  72. Logo, é como água
    a passar por uma peneira.
  73. Não têm tempo para chegar ao tumor.
  74. Vemos aqui uma ilustração disso.
  75. Temos os bombeiros
    — os medicamentos contra o cancro —
  76. que estão a circular no sangue,
  77. mas que são rapidamente
    eliminados do corpo
  78. e acabam por não entrar no tumor.
  79. Mas, se pusermos estes medicamentos
    para o cancro dentro das nanopartículas,
  80. eles não serão eliminados do corpo
  81. porque as nanopartículas
    são muito grandes,
  82. e continuarão a circular no sangue
  83. dando-lhes mais tempo
    para encontrar o tumor.
  84. Vemos aqui o medicamento contra o cancro
    — os bombeiros dentro do camião-cisterna —
  85. as nanopartículas.
  86. Estão a circular no sangue
  87. não são eliminadas
  88. e acabam por chegar ao tumor.
  89. Que outras ferramentas
    têm as nanopartículas?

  90. Elas podem impedir
    que os medicamentos para o cancro
  91. sejam destruídos dentro do corpo.
  92. Há certas drogas,
    muito importantes mas sensíveis,
  93. que são facilmente decompostas
    por enzimas no sangue.
  94. Logo, a menos que elas tenham
    esta proteção de nanopartículas,
  95. não conseguirão funcionar.
  96. Outra ferramenta da nanopartícula
    são estas extensões de superfície
  97. que são como mãos minúsculas com dedos
    que se agarram ao tumor
  98. e se encaixam exatamente nele.
  99. Assim, quando as nanopartículas
    estão em circulação,
  100. conseguem ligar-se às células cancerosas,
  101. dando mais tempo ao medicamento
    contra o cancro para fazer o seu trabalho.
  102. Estes são apenas alguns dos instrumentos
    que as nanopartículas têm
  103. e atualmente,

  104. temos mais de 10 nanopartículas
    clinicamente aprovadas para o cancro
  105. que são dadas a pacientes
    em todo o mundo.
  106. No entanto, temos pacientes,
    como a Rebeca, que morrem.
  107. Então, quais são os principais
    desafios e limitações
  108. das nanopartículas atualmente aprovadas?
  109. O principal problema é o fígado,
  110. porque o fígado é o sistema
    de filtração do corpo.
  111. O fígado reconhece e destrói
    objetos estranhos
  112. como os vírus, as bactérias
    e também as nanopartículas.
  113. As células imunitárias no fígado
    engolem as nanopartículas,
  114. impedindo-as de chegar ao tumor.
  115. Vemos aqui uma ilustração
    em que os rins já não são um problema,
  116. mas estes camiões-cisterna,
    as nanopartículas,
  117. ficam presas no fígado
  118. e só poucas chegam ao tumor.
  119. Uma estratégia futura para a melhoria
    das nanopartículas

  120. é desarmar, temporariamente,
    as células imunitárias do fígado.
  121. Como é que desarmamos essas células?
  122. Analisámos os medicamentos
  123. já aprovados clinicamente
    para outras indicações
  124. para verificar se algum deles
    poderia impedir as células imunitárias
  125. de destruir as nanopartículas.
  126. Inesperadamente,
    num dos nossos ensaios pré-clínicos,
  127. verificámos que um medicamento
    para a malária, com 70 anos,
  128. conseguiu impedir as células imunitárias
    de interiorizar as nanopartículas
  129. para elas poderem escapar do fígado
  130. e continuar a sua jornada
    até ao objetivo, o tumor.
  131. Vemos aqui a ilustração
    do bloqueio do fígado.
  132. As nanopartículas não passam por lá
  133. e, em vez disso, acabam no tumor.
  134. Por vezes, aparecem
    conexões inesperadas, na ciência,
  135. que conduzem a novas soluções.
  136. Outra estratégia para impedir

  137. que as nanopartículas
    fiquem presas no fígado
  138. é o uso das nanopartículas
    do próprio corpo.
  139. Sim — surpresa, surpresa!
  140. Você e você e você, e todos nós
    temos muitas nanopartículas
  141. a circular no nosso corpo.
  142. Como elas fazem parte do nosso corpo,
  143. é pouco provável que o fígado
    as identifique como estranhas.
  144. Estas nanopartículas biológicas
    encontram-se na saliva,
  145. no sangue, na urina, no suco pancreático.
  146. Podemos recolhê-las do corpo
  147. e usá-las como camiões de bombeiros
    para os medicamentos contra o cancro.
  148. Neste caso, as células
    imunológicas do fígado
  149. terão menos propensão para destruir
    as nanopartículas biológicas.
  150. Estamos a usar um conceito
    de cavalo de Troia
  151. para enganar o fígado.
  152. Vemos aqui as nanopartículas biológicas
  153. a circular no sangue.
  154. Não são reconhecidas pelo fígado
  155. e acabam por chegar ao tumor.
  156. No futuro,
  157. queremos explorar as nanopartículas
    da própria Natureza
  158. para a administração
    dos medicamentos contra o cancro,
  159. para reduzir os efeitos secundários
    e salvar vidas,
  160. impedindo que os medicamentos
    contra o cancro fiquem no local errado.
  161. Porém, tem havido um grande problema.

  162. Como isolamos estas nanopartículas
    biológicas em grandes quantidades,
  163. sem as danificar?
  164. O meu laboratório desenvolveu
    um método eficaz para fazer isso.
  165. Podemos processar grandes quantidades
    de líquidos do corpo
  166. para produzir uma formulação altamente
    concentrada e de alta qualidade
  167. de nanopartículas biológicas.
  168. Estas nanopartículas ainda
    não se encontram em uso clínico
  169. porque demora, em média, 12 anos
  170. para um medicamento
    sair do laboratório
  171. e entrar no armário de medicamentos.
  172. Este é o tipo de problema
    que requer um trabalho de equipa

  173. de cientistas e médicos
  174. que dedicam a sua vida a esta batalha.
  175. E continuamos
    graças à inspiração dos pacientes.
  176. Acredito que, se continuarmos
    a trabalhar nestas nanomedicinas
  177. conseguiremos reduzir os danos
    em órgãos saudáveis,
  178. melhorar a qualidade de vida
  179. e salvar futuros pacientes.
  180. Gosto de imaginar

  181. que, se estes tratamentos estivessem
    disponíveis para a Rebecca,
  182. aquele telefonema
  183. poderia ter sido um convite,
  184. não para o seu funeral,
  185. mas para o seu casamento.
  186. Obrigada.

  187. (Aplausos)